segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Israel não vai a lugar nenhum

Imagine que chegasse na terra um alienígena do planeta Vulcano ou Tralfamador e, sem saber nada do conflito entre israelenses e palestinos, se pusesse a observar as respectivas manifestações.

Em uma veria bandeiras queimadas, pessoas armadas, quebra-quebra, gritos pedindo a "morte" de um grupo étnico-religioso, conflitos com a polícia, intimidação.

Na outra, veria gente tranqüila, cantando, erguendo cartazes sem provocações excessivas, e no final indo embora sem qualquer briga com os policiais.

O que ele pensaria do conflito, apenas vendo tais passeatas?

Mas outra diferença que o nosso amigo alienígena perceberia seria que, nas manifestações pacíficas, misturadas às bandeiras israelenses, haveria muitas bandeiras norte-americanas, francesas ou inglesas, isto é, bandeiras do próprio país. Do outro lado, não haveria qualquer bandeira nativa: apenas bandeiras palestinas e de organizações terroristas estrangeiras como Hamas ou Hizballah.

Lamento informar ao Al-Idelber e todos os que torcem pelo Hamas que Israel não vai a lugar nenhum. Leia aqui (em inglês) um excelente artigo explica que o Hamas e seus apoiadores se enganam ao acreditar que poderão expulsar os judeus com seus foguetinhos e sua ONU e sua mídia. Israel foi muito além do vitimismo, é um país moderno e bem armado. Pode aceitar os palestinos ao seu lado se estes decidirem viver em paz, mas, se eles continuarem com a violência, vão ter o troco. Está na hora, diz o artigo, dos palestinos muçulmanos deixarem de lado seus sonhos terroristas de aniquilação total, e simplesmente fazerem o que deviam ter feito há 60 anos: aceitar a existência de Israel. O país não vai sumir do mapa só porque alguns querem.

(Aqui um artigo do argentino Marcos Aguinis em tons parecidos; mas o artigo acima é melhor.)

Na verdade, este conflito entre Israel e palestinos teria acabado muito tempo antes se não fosse a esquerda. É a esquerda que dá alento ao Hamas, Hizballah, Irã e demais facínoras. É a esquerda, com seu apoio a terroristas em pleno Ocidente, que lhes dá a ilusão de que seus delirantes planos de genocídio podem ser levados a cabo. É a esquerda imbecil, falando nos "pontos positivos" do Hamas e de como apenas "são um grupo terrorista em estrito senso" que lhes fazem acreditar que seus objetivos delirantes são possíveis.

A esquerda hoje é o idiota útil do Islã. Idelber, Bourdokan e seus "caros amigos" fariam bem em ler a história da Revolução Islâmica Iraniana e o que aconteceu com os aliados comunistas dos aiatolás depois que estes tomaram o poder. Talvez ficassem com um pé atrás ao descobrir que poderiam perder a cabeça...

Mas há ainda outra razão para acreditar que Israel se manterá onde está, apesar do choro dos esquerdistas e dos sonhos genocidas dos muçulmanos. É que Israel, ainda que de um modo torto, joga um papel fundamental na bizarra política do Oriente Médio. Perceba, por exemplo, que o Irã latiu, mas não mordeu. O Hizballah diz ter "vencido a guerra", mas apesar de ter se rearmado não lançou um único foguetinho desde 2006 (Bem, na verdade, houve um foguete do Líbano, mas enviado por palestinos). A Síria também ficou em silêncio. Já o Egito, com medo do Irã e da Irmandade Muçulmana, apoiou o ataque contra o Hamas. De um lado, sunitas. Do outro, xiitas. De um lado, árabes. Do outro, persas. Odeiam Israel, é certo. Mas o que fariam sem Israel ali, se não se atacar diretamente uns aos outros? O conflito Israel vs. "palestinos" é apenas o reflexo de outros conflitos maiores, assim como a Guerra do Vietnã era uma luta entre EUA e URSS.

E a violência dos manifestantes muçulmanos barbarizando em cidades ocidentais em nome de Gaza só serviu para deixar seus habitantes nativos cada vez mais desconfiados desse pessoal.

Manifestação pró-Israel na Califórnia.

18 comentários:

Anônimo disse...

Mr.X você está se superando. Muito bom este post. parabéns. Mudando de assunto...começa a ficar claro que Alá não é o Deus de Israel ou será que ainda tem gente na duvida?

Eric disse...

texto mto bom mesmo.

Anônimo disse...

Concordo com tudo isso que você escreveu.

marcelo augusto disse...

Vamos rir! É engraçado não o conteúdo da conversa em si, mas a determinação do tal blogueiro em lidar apenas com os atos praticados em um dos lados e a defesa apaixonada do lado que ele escolheu -- aliás, ele não, que as forças opressoras o obrigaram a ficar! :)

Excerto:

B.
Oi

Idelber
Oi, Salam.

B.
Como vai?

I.
Com raiva, e você? Você está na Cisjordânia?

I.
Vai aí meu coração para você e para todos os palestinos. Tenho tentado fazer o que posso no meu blog. Aqui vai o link. Está em português, mas há imagens. E vídeos e links em inglês.

I.
Eu espero que você herde um mundo melhor. Estamos meio desesperados, fazendo o que podemos.

I.
Você escreve muito bem [em inglês]. Quero lhe mandar um livro meu. Você pode me mandar seu endereço por email ?


Poxa... pena que o Idelber não tenha "enviado o coração" aos israelenses de Sderot e/ou para as outras dezenas que foram vítimas de ataques suicidas planejados e executados por terroristas palestinos e de outras denominações...

Onde estava a raiva do cidadão quando ocorreram os atentados em Mumbai?

Ele tem um livro! Olhem a descrição:

Product Description

This book traces the theory of violence from nineteenth-century symmetrical warfare through today's warfare of electronics and unbalanced numbers. Surveying such luminaries as Walter Benjamin, Frantz Fanon, Hannah Arendt, Paul Virilio, and Jacques Derrida, Avelar also offers a discussion of theories of torture and confession, the work of Roman Polanski and Borges, and a meditation on the rise of the novel in Colombia.


Na Amazon ninguém tinha feito nenhuma avaliação. Vai ver é o tipo de livro que ninguém lê. É o famoso WORN: Write Once, Read Never! Eis uma situação interessante: Alguém que, diante do conflito entre Israel e Hamas, apenas vê violência, "massacres", "genocídios", "limpeza étnica" e "chacina" em um dos lados, escreve um livro exatamente sobre... violência!! Estranho, não?

Mr X disse...

Idelber é cego para a violência esquerdista e islâmica, ou a vê apenas como "resistência legítima" frente a um inimigo mais poderoso. Ou seja, a legitima. Será que ele sabe que o Hamas tortura seus prisioneiros, que aliás não tem julgamento algum?

Mr X disse...

Aliás, vou dizer uma coisa: acho que o Idelber, Bourdokan e todos esses comuno-islamitas são PIORES do que os terroristas.

Afinal, eles não apenas transmitem a propaganda terrorista como ainda a traduzem e legitimizam para o público ocidental. O Hamas não tem pudores em dizer que quer matar judeus em nome de Alá. São esses esquerdistas safados os que transformam a linguagem dos fanáticos em "desespero pela ocupação" e outras bobagens, ignorando completamente o fundamentalismo islâmico e o desejo de genocídio. São cúmplices.

Pax disse...

Mas, Mr X, desengonçado Mr X de 2,12m de altura e um bom blog desalmado.

Para cada Idelber, há um Mr X. Em outras palavras, se há esquerdopatas, há direitopatas.

Todos são patas. Patas à esquerda, patas à direita.

Pense, desengonçado, com qual pata você quer o coice?

Pax disse...

Um artigo bem escrito pelo Ali Kamel

http://olhoseternos.blogspot.com/2009/01/ali-kamel-gaza.html

Mr X disse...

O artigo do Kamel é bom. Ali Kamel é um "direitopata", Pax?

Não sou tão de "direita" assim não, Pax. Só acho que Israel tem o direito - o dever, até - de existir. O Idelber não acha, parece. Idelber é mais de esquerda do que eu sou de direita.

Chesterton disse...

grande Pax, já aprova Kamel ( e não é o cigarro)

Pax disse...

Pelo menos o Kamel não quer exterminar o mundo islâmico. Se é direitopata? Acho que não, centro-direita talvez, mas não doente da direita.

Mas não o conheço o suficiente pra dizer.

Diogo disse...

Estou com o Pax nessa.

De direitopata,todo esquerdopata tem um pouco,e versa vice.

Será que é a idade(interrogação).

Deposito minhas esperanças na geração pós queda do Muro de Berlim.

chest disse...

hein?

Mr X disse...

Pax está a caminho da sanidade. Veio querendo curar, terminará curado de sua semi-esquerdopatia. :-)

Ainda vou ver o Pax citando Olavão e Reinaldo Azevedo. :-))

Mr X disse...

O Idelber é mais velho do que eu, esse não tem cura, acho. Salvo em caso de choque de realidade.

Pax disse...

Vade retro!

intelligence disse...

It seems my language skills need to be strengthened, because I totally can not read your information, but I think this is a good BLOG
jordan shoes

Anônimo disse...

HISTORIA REAL DESSES MALDITOS JUDEUS
Meu nome é Walter, quando eu tinha 15 anos, morei no Paraná e tinha um grande amigo negro de nome José. Este rapaz começou a namorar uma jovem de origem judia, mas nascida no Brasil. Depois de uns 3 meses de namoro, a jovem pediu para o rapaz ir falar com os pais dela. Ele disse a ela que tinha receio, pelo motivo de ter ouvido falar que os judeus tinham preconceitos com negros. Ela negou aquela afirmativa e disse-lhe para não se preocupar. Ele então concordou eDepois de uma semana foi até a casa dos país dela. Chegando lá, bateu a porta e se apresentou como namorado e futuro esposo da moça. Qual não foi a surpresa quando, tanto o pai como a mãe da jovem, começaram a insultar o rapaz com ofensas de preconceito, com sai daqui se negro imundo, nojento, jamais minha filha vai se casar com um negro vagabundo e fedido. A moça vendo aquela situação, imediatamente repreendeu os pais. Mas de nada adiantou, em dato momento, dando uma bofetada no rapaz o expulsou-o de casa. A jovem imediatamente saiu com o namorado e foi embora. Passado 9 meses os dóis se casaram, e então veio a tragédia.Os pais contrataram dois pistoleiros e mandaram matar o rapaz e a moça, sua própria filha. Eu, já não gostava de judeus, a partir daquele dia, passei a odiar mortalmente essas casta de canalhas cafajeste e ordinários. Agora vem esses crápulas a massacrar palestino e roubando suas terras. judeu nunca teve terra alguma, sempre foram uns vagabundo nômades errantes. Sempre foram odiados pelo mundo, e sempre foram expulsos de terras onde invadiam.JUDEU PARA MIM, TEM QUE SER IGUAL A UMA CERVEJA, GELADO E EM CIMA DA MESA. Acho que o grande erro do Hitler foi de não ter conseguido matar todos esses vermes e acabar de uma vez por todas com esses pulhas. Para mim as nações árabes deveriam se unir e exterminar da face da terra esses malditos judeus.