quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

O Papa, os transexuais e a modificação corporal

Uma das coisas curiosas do progressismo é seu aspecto totalitário. Não lhes basta afirmar que ser homossexual, travesti, transexual, sadomasoquista, etc seja uma "opção de vida" exatamente igual a outra qualquer: querem que todos aceitem isso como a verdade suprema, sem questioná-la ou julgá-la.

Nada tenho contra os gays e, no entanto, acho que os heterossexuais, celibatários ou quem mais quiser deveria ter o direito de, se assim quiser, criticar tal estilo de vida.

Acho que o Theodore Dalrymple tem razão quando fala que vivemos em uma época em que, por um lado, não se pode julgar ninguém por suas "opções de vida"; por outro lado, nega-se que tais opções sejam as culpadas pelos problemas que a pessoa tem. A culpa é sempre da "sociedade injusta", do "sistema" que não aceita as opções da pessoa, etc.

Dou um exemplo, afastado da área sexual. Vejam este sujeito aqui, por exemplo, que decidiu tatuar-se da cabeça aos pés. Ora, ele provavelmente jamais vai ter um emprego decente na vida, salvo talvez de atendente em uma loja de quadrinhos underground. Por quê? Por que seu aspecto não é socialmente aceitável, causa estranheza na maioria das pessoas, simples assim.

Qual a solução do progressista para isso? Emitir uma lei protegendo os "tatuados"; quem sabe até estabelecer cotas de "tatuados" nos empregos. Afinal, do ponto de vista progressista, todo comportamento é exatamente igual a qualquer outro, ninguém pode julgar ninguém. Portanto, é o empregador quem está discriminando o pobre tatuado.

Os jornais estão dizendo que o Papa afirmou que "salvar a humanidade do homossexualismo é tão importante quanto salvar as florestas". Mas não foi bem isso que ele falou. Vejamos aqui o trecho do discurso em questão:
The Church speaks of human nature as 'man' or 'woman' and asks that this order is respected. "This is not out-of-date metaphysics. It comes from the faith in the Creator and from listening to the language of creation, despising which would mean self-destruction for humans and therefore a destruction of the work itself of God.

What is often expressed and signified with the word 'gender' leads to the human auto-emancipation from creation and from the Creator. The human being wants to make himself on his own and to decide always and exclusively by himself about what concerns him. But, in so doing, the human being lives against the truth and against the Spirit creator. Rain forests deserve, yes, our protection but the human being - as a creature which contains a message that is not in contradiction with his freedom but is the condition of his freedom - does not deserve it less.

O Papa, todos sabem, não é muito amigo do homossexualismo. Aliás nenhuma das religiões monoteístas o é. Há razões para isso, mas não vou entrar nesse aspecto agora. Mas o que ele critica aqui é algo mais profundo, ou seja: o discurso que tenta eliminar toda distinção entre o homem e a mulher, que diz que o próprio gênero é uma questão de "escolha pessoal", e pode ser realizada mesmo por crianças.

Não é ficção, isso de fato acontece: uma menina de doze anos na Austrália - mesmo com a proibição do pai! - foi autorizada por uma Corte liberal a realizar uma mudança de sexo através do tratamento hormonal (e futura cirurgia quando chegar aos dezoito. Ah: com o tratamento todo pago pelo Estado...). Na Alemanha, Tim, ou melhor, Kim, que começou a tomar hormônios também com doze anos, é hoje um dos mais jovens transexuais do mundo. Em um hospital dos EUA, crianças de até nove ou dez anos que são diagnosticadas com "distúrbios de identidade sexual", isto é, que se sentem desconfortáveis com seu corpo, podem realizar um tratamento para interromper a puberdade, de modo a que possam "refletir" se querem ou não escolher um novo gênero. A partir dos dezesseis anos, podem tomar hormônios para iniciar a "troca de sexo"...

O que acho disso? Sou, na vida diária, extremamente liberal. Acho que cada um tem suas escolhas de vida e não costumo me intrometer nelas. Tampouco acho que o Estado deva se intrometer. Tenho vários conhecidos gays e acho os travestis simpáticos (ao menos nos filmes do Almodóvar). Porém, confesso que o transsexualismo - assim como o body piercing extremo, e outros tipos radicais de modificação corporal - me causa estranheza. E, se um adulto tem o direito de fazer o que se lhe der na telha com o seu corpo (pagando o preço social disso, é claro), acho que ao menos as crianças e adolescentes deveriam ser protegidas, ao invés de influenciadas a realizar esse tipo de modificação corporal brutal. O Papa está certo. Isso vai acabar mal.

Na verdade, nunca havia tido preconceito com o transexualismo, até que assisti um filme documental a favor dos transexuais. Chamava-se Gendernauts, e argumentava justamente que não existia distinção entre os sexos, que tudo era escolha, que o próprio gênero era uma construção social, que podia navegar-se de um a outro (daí o título) sem maiores problemas. Tudo condimentado por imagens e entrevistas de pessoas que, algumas décadas atrás, estariam talvez em um circo de freaks: uma mulher barbada, um homem com seios, outro que implantava objetos sob a pele, etc.

Desde então, nada me tira da cabeça que a maioria dessas pessoas têm sérios problemas psicológicos. (OK, podem me chamar de preconceituoso.)

Voltando aos tatuados: Felipe Klein, o filho do ex-ministro Odacir Klein havia tatuado todo o o corpo e estava realizando uma serie de modificações corporais extremas, incluindo o corte parcial da língua e a aplicação de chifres: seu objetivo era aproximar-se fisicamente ao aspecto de um homem-lagarto. Digam o que quiserem, era óbvio que era um garoto com graves problemas psicológicos e uma vida familiar turbulenta, e isso se refletia claramente no seu aspecto físico. Mas a sociedade, é claro, "não podia julgar". Mesmo sua psicóloga jamais interferiu com sua escolha. A mãe discordava, mas achava que ele tinha o direito de fazer o que quisesse.

O garoto culminou a tragédia atirando-se de um prédio de doze andares. E a culpa, para quase todos, é da "sociedade que não o aceitou".

Kim, hoje uma bela garota de 16.

Felipe Klein antes de implantar os chifres subcutâneos.

34 comentários:

Nemerson Lavoura disse...

É o homofascismo: todo mundo passa a ser obrigado a gostar de homossexuais (vejam bem, eu não disse "não ter preconceito" - eu disse "gostar").
E o alemão, coitado, tem contra si uma fatwa da esquerda.

Mr X disse...

Sim, mas isto vai além da questão do homossexualismo - que. bem ou mal, existia desde a Grécia Antiga, ainda que de um modo diverso (na verdade, era mais pedofilia mesmo, homens adultos que traçavam jovenzinhos).

Mas essa "confusão dos gêneros" ativamente buscada por certos militantes, e que foi criticada pelo Papa, acho que é outra história.

http://www.frontpagemag.com/Articles/Read.aspx?GUID=A94B4C48-E623-4533-9BF9-D38F67868FDD

Mr X disse...

Se bem que não se sabe se chegava a haver penetração homossexual entre os gregos, aliás isso é matéria de, ahem, acalorados debates científicos...

Pax disse...

Canários Belgas!

Porém, por outro lado, esses que adoram criticar, adorariam bater em gays, nessa linha que vocês gostam, no fundo, no fundo, querem mesmo é bater no espelho.

Vão lá, assumam, verão que há muita gente que aceita sem nenhum alarde ou fobia.

Mr X, descobri um caminho para teu tratamento, uma nova conduta, vou arrumar um namorado pra você.

Sherlock Pax não é fax.

Pax disse...

Baseado em fatos reais

Alguns anos atrás fui num show no Teatro Municipal de Santo André, São Paulo. Fui bem mais cedo, estava com a turma da produção. Entre eles três gays. Era a época áurea dos Carecas de Sto André, andavam aterrorizando na região inteira da Grande São Paulo.

Bem, os trabalhos prontos, o show acertado, luz, som, cenografia e no intervalo entre estes preparativos e o show, bateu fome e os lanches do camarim eram muito ruins. Resolvemos comer alguma coisa numa padaria na esquina da praça onde há o teatro. Lá fomos, os três gays e eu. Serviam bons pratos, refeições mesmo. Sentamos, pedimos umas cervejas e os pratos feitos. Os meninos animados. Tudo certo, tudo em paz. Até que...

Chega a turma dos carecas. Juro, fato. Eram uns doze.

Confesso que dei uma gelada, fiquei imaginando se os caras resolvem partir para os agrados costumeiros contra a turma homossexual e eu lá no meio.

Sorte que deu em nada, mas também confesso que deixei o prato sem terminar nem pedir o café.

ps.: fico cá imaginando se o desengonçado era um dos carecas ou um dos meninos da produção. Não sei. Mr X, será que não nos conhecemos em Sto André?

Pax disse...

http://www.youtube.com/watch?v=PgvJg7D6Qck

Didi Iashin disse...

É muito fácil dizer que o problema é a "não-aceitação" por parte de quem critica.
Senhor dos Céus, se cada adolescente ou pré-adolescente quiser trocar de sexo cada vez que tiver seus problemas inerentes ao crescimento, onde vamos parar?
É CLARO que haveria um "misunderstanding" nas palavras de Bento XVI. SEMPRE HÁ!
Agora, esse caso do filho do ministro Odacir Klein, que coisa pavorosa, hein?

Gerson B disse...

Como médico e psicoterapeuta concordo que essas pessoas tem problemas. A não aceitação do proprio corpo a niveis tão extremos não é normal.

Mas acho que não se deve discriminar alguem por tatuagens. Só acho de mau gosto.

E uma criança nessa idade não tem como decidir algo assim.

Mr X disse...

Gay é uma coisa, criança ou adolescente que troca de sexo é outra, não, Pax? Não concordamos que algum limite deve haver? Ou não?

E há um tempo tenho também notado outra coisa curiosa: um monte de adolescentes lésbicas ultimamente. Não porque seja moda, mas porque é moda, porque tá na novela, porque a cantora da onda é lésbica, sei lá. Adolescente gosta de experimentar. Então dar a eles a oportunidade de "trocar de sexo" numa fase que é propensa a coisas que depois passam, sei lá.

Por outro lado, para os garotos gays ainda tem o estigma da boiolice, então existe menos experimentação.

Em todo caso, Pax, pessoalmente sou a pessoa menos preconceituosa do mundo, juro. Aliás se tenho algum preconceito seria contra brucutus como esses dos Carecas de Santo André.

Mr X disse...

Ops, em vez de "Não porque seja moda", ler "Não porque sejam mesmo gays"

Chesterton disse...

Bem, trabalhei anos atrás na Sta Casa de POA com adolescentes com problemas desse tipo. Hoje não faço nada parecido com isso. Mas o problema é bem sério, tem o intersexo, hermafrodismo e todos apresentam problemas psicológicos imensos. O caso que mais me impressionou era de um travesti que tentava se matar com pequenos cortes de gilete (ia levar um tempão) na pele de modo que não havia mais um centímetro de pele sem cicatriz. A pele tinha adquirido uma textura meio animal, de tantas cicatrizes em cruz dupla e tripla. -/-/-/- (cruz da pascoa). E a cirurgia , em casos de malformação ou indefinição, tinha que ser feita precocemente, mas a decisão é muito difícil.

Pax disse...

Sim, enorme e desengonçado Mr X de 2,12m de altura e um bom blog desalmado,

porém...

você usa as aberrações para falar da natureza, generaliza pela doença o natural, aí incorre em erro lógico.

Todo muçulmano é mau e todo gay é uma aberração seriam aceitáveis pelas premissas das tuas propostas, quando se explora tua racionalidade levando tua lógica ao extremo. É um erro. Insisto que é. Por isso reclamo. Mas é que gosto da crítica.

Deixo-te uma boa sentença para pensamento:

"La Filosofia como ciencia es posible si se reduce a ser teoría y crítica del conocimiento. Toto conocimiento deve ser confirmado por las sensaciones, exceptuada la matemática, donde coinciden las cosas y los conceptos. Pero solamente junto com la razón, las sensaciones constituyen la experiencia, puer al elemento material del conocimiento ha de añadirse el elemento formal. Da ahí que no se detenga en el fenomenalismo, sino que se dirija hacia el Realismo".

ps.: aliás, como você traduz esse añadirse acima? confesso que meu portunhol não é la dos melhores, apesar de ler um cadinho.

Ronald W. disse...

añadirse = adicionar, juntar agregar.

Ontem como bom judeu fui a uma ceia de Natal na casa de um casal de amigos gays - ambos seguramente os homens mais bonitos que ja conheci. Tinha um presunto com uma cara e cheiro deliciosos !!! Pena que continuo comendo kosher.... ;-)
Feliz Natal !

Pax disse...

Hei RW, obrigado.

Tinha um amigo judeu no Rio, posto 6, Copacabana, que uma vez lhe perguntei se ele jejuava aos sábados. Ele me respondeu que sim dizendo:

"entre uma refeição e outra eu não como nada mesmo" e deu uma boa gargalhada. :-)

Abraços!

Pax disse...

Recebi de uma poeta conhecida, acabei de receber, vale a pena.

http://br.youtube.com/watch?v=Us-TVg40ExM

Mr X disse...

Ah bom, hermafroditismo deve realmente sercomplicado, aí tem que ter cirurgia sim, Mas isso não se faz quando é bebê?

Mr X disse...

Judeu gay sofre dupla discriminação?

Isso me lembra um cartum do Wolinski que era mais ou menos assim, a garota apresenta o namorado aos pais, e depois diz, "Viu, eles nem levaram tão a mal o fato de você ser pobre, negro e judeu". Aí ele responde, "Pois é, mas espera até eles descobrirem que também sou comunista."

Kkk. E se minha filha um dia arranjar um namorado/a muçulmano, transexual e comunista? :-/

Fabio Marton disse...

Sabe o que me irrita mais? A imensa, frívola e artifical inconseqüência desse tipo de coisas. Inconseqüência ou cínica ou impossível, e nem estou perto de falar de aborto.

Seguindo a catilinária mal-pensada da liberação sexual, sexo é "sem culpa", "inofensivo". Ora, ser sádico, ter fantasias de estupro, deveria ser só mais uma entre outras coisas pra "liberar geral" - quando obviamente é um caso que exige repressão ou no mínimo transferência sexual constante.

Aliás, vou reconhecer que nem todos são zécelsos e esse é um ponto de conflito. Hoje em dia, feministas se juntam a conservadores religiosos contra a pornografia, em especial a pornografia com fantasias sádicas, como a revista Hustler.

Por outro lado, viver num corpo de homem e se achar uma mulher me parece uma tragédia colossal, basta o mínimo de empatia para perceber isso. Mas esse é o caso em que a militância PC pede pra você ser insensível e dizer que é tudo parada gay, carnaval.

Mr X disse...

Uma dúvida que eu tenho e pergunto aos médicos presentes, é a seguinte: o sujeito tem cromossomas XY mas se sente mulher por questões hormonais, certo? Então, se der mais hormônios masculinos, não resolve? Ou é pobrema psico-cerebral mesmo? Ou genético? Ou...?

chesterton disse...

não sei, faz muito tempo que lidei com isso. mas em geral respeita o xy.

chesterton disse...

kmuito bom esse blog
http://www.cavaleiroconde.blogspot.com/

chesterton disse...

Por que, afinal, os liberais progressistas e os socialistas odeiam tanto o cristianismo? Porque o cristianismo é a única fé que dá fundamento moral para a ordem ética e moral ainda sólida nas sociedades democráticas. São as noções cristãs da vida, da família e da propriedade que ainda dignificam o ser humano e orientam a sua liberdade para a justa e reta razão. Os liberais, ao relativizarem todas as escolhas individuais em nome da liberdade, degradam o indivíduo e prostituem a liberdade. E os socialistas relativizam a liberdade, justamente para destruí-la, quando controlarem o status do coletivo, seja no âmbito da política, como da cultura. A renúncia da sacralidade da vida, da família e da propriedade é a renúncia dos laços privados autênticos da pessoa, contra os desmandos do Estado e dos engenheiros sociais. É a prevalência da vontade irracional contra a razão, a queda da civilização para a barbárie. E a barbárie quer se tornar lei. São as estranhas noções de liberdade que eles prometem. A liberdade dos libertinos.

Mr X disse...

Ah é, ja linkei pro Conde alguma vez, bom blog.

Viva o Cristianismo! Viva a Tradicao, a Familia e a Propriedade! :-)

Hehehe, cade o Pax pra reclamar? :-P Paax?

Nemerson Lavoura disse...

A patrulha está de folga hoje?
:)

Pax disse...

Chamaram?

Direitopatas não podem viver sem alguém de esquerda por perto, mesmo que seja um leve.

Agora vou ter que lotar a agenda da minha psicanalista judia do Leblon? Até o famoso Nemersom está se candidatando? :-)

TFP não, aí já é caso de polícia mesmo.

Quando o homem consegue a libertação da religiosidade ele chega ao requisito básico de criticar a razão.

Sejam livres. Não quer dizer mais ou menos felizes, quer dizer só isso mesmo: livres.

O sítio está lotado, parentes pra todo lado. E música idem. Amanhã ainda chega a poeta de plantão e provável que faremos uma boa renga. :-)

Deixo-os com umas provocações que comentei ontem alhures:

1 - ex nihilo nihil fit

2 - impossibile est idem simul esse et non esse

3 - causa debet saltem tantum perfectionis et realitatis continere quantum continet effectus

—-x—–

1 - do nada, nada se faz

2 - nada pode ser e não ser ao mesmo tempo

3 - o efeito não pode superar a perfeição da causa

e os corolários

4 - a essência do corpo consiste unicamente na extensão

5 - a essência da alma consiste unicamente no pensamento

Ps.: o bandolinista de plantão aqui é PhD em Física Nuclear e um dos responsáveis pelo acelerador nuclear da USP, se quiserem saber como uma mulher saiu de uma costela, podem fazer perguntas que retrasmito.

Pax disse...

E de lambuja um poemeto meu da renga do ano retrasado:

insight!
o cão late
a coca light.

Chesterton disse...

E fisico nuclear entende de alguma coisa? Tenho um primo que vai 4 vezes por ano para a Italia, onde trabalha naquele trem gigantesco que acelera partículas que além de PHD, é XHD e HDD e é católico fervoroso. Nem vem, Pax, a inteligência leva as pessoas ao Criador. Mas me diz uma coisa, a costela de Adão pode ter sido uma metáfora à clonagem?

Chesterton disse...

1 - ex nihilo nihil fit


isso é prova da existência do Criador.

Didi Iashin disse...

Pax, Pax, não abusa da cerveja ...
Boa ressaca de Natal para todos!

Anônimo disse...

Pois já no zen budismo, me parece que consideram o mundo, além de 'maia', originado do vazio, do nada.
Xizo,
pelo que escreves parece que meio mundo está se tatuando, fazendo operações de mudança de sexo e "escolhendo" virar gay. A população mundial cresceu assustadoramente, as informações circulam enlouquecidamente, e as 'assunções' não carregam um anátema tão mortal como nos séculos anteriores (a não ser, creio no mundo islâmico).

Fico bem mais preocupada com a falta de acompanhamento e limite pras crianças por parte de grande número de pais, aqui na terrinha e em outros lugares. A geração resultante está de dar medo. Também outra generalização, pois o fenômeno deve acontecer principalmente na classe média e entre famílias sem recursos ou desestruturadas.

Deixa os gays sossegados. A mim não me incomodam. Por outro lado abomino tatuagens - algo primitivo, que suja o corpo. Mas fazer o quê? È modismo espraiado.

Além disso, o papa esquece que alguns machos e fêmeas, no mundo animal, vez em quando, ou sob certas circunstãncias ou mesmo, por questões genéticas, procuram parceiros do mesmo sexo. Isso não elimina as espécies, mas nós graciosamente o fazemos.

De mais a mais, acho uma delícia um homem mais feminino, ou seja, imbuído de delicadeza de espírito e mais atento aos sentimentos.

Em qualquer lado, quando existe abundância do mesmo, a tendência natural é o indivíduo perder importância e valor.
Quanto à esquerda assumir a defesa do homossexualimo, é só 'pra inglês ver', pois tenho lido em blogs manifestações de esquerdistas declarados francamente homofóbicas, tanto que o Délsio acabou saindo do weblog do PD.

Mad Mada

Mr X disse...

A esquerda defende os gays só enquanto eles forem de esquerda. Gays conservadores (existem vários) são repudiados.

Agora esse discurso das crianças "sem limite" é interessante. Tema para algum post, um dia.

Pois é, cadê o Délsio?

Abs!

Pax disse...

Didi Iashim,

Vá estudar um pouco. Arrume argumentos melhores.

Leandro Correia disse...

como já escreveu Robert Heinlein - "O desejo de não se meter na vida alheia é oitenta por cento da sabedoria humana!" - não entendo como conseguem afirmar 'um tatuado nunca vai ter um emprego decente', volres sociais, bons costumes, bla, blá, blá ... e os valores indígenas onde foram parar?

Anônimo disse...

Hoje em dia por cada um querer ser "livre" do seu jeito, ter a "sua" verdade individual e danem-se os outros, a família, está se perdendo a liberdade em prol de um estatismo totalitário pois esse individualismo liberal e egocêntrico só leva ao caos e logo o que o estado mais quer é dominar as mentes.
Não sabem a diferença entre liberdade ( a escolha entre bens ) e livre-arbítrio ( a possibilidade de uma pessoa fazer o bem ou o mal), mas o que se esperar quando torna-se algo legalizado ( ou seja "bom" )? Pois ao legalizar algo, você diz que isso é legal, ou seja, de acordo com a lei, benéfico para a sociedade.
Muitos falam do domínio e vigilância que a igreja fazia, sendo que hoje somos muito mais vigiados, seja por câmeras ou por números de CPF, conta de banco, rastreadores em veículos e diversos meios de comunicação. Vão cavar as Cruzadas e outras "guerras religiosas" de séculos atrás e se esquecem de fatos recentes como a 1ª e 2ª guerras mundiais, que não podem alegar motivos religiosos de fundo e que mataram muito mais pessoas e muito mais brutais ( basta lembrar Hiroshima e Nagasaki ).