terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Idelberg, agente sionista?

Amigos, tenho lido com atenção o blog de um certo Idelber Avelar, e fiz uma descoberta terrível. Seu nome na verdade é Idelberg Abravanel, e trata-se de um agente sionista disfarçado. Seu maquiavélico plano é o de fazer acusações tão absurdas e delirantes contra os judeus que terminarão por desacreditar de vez a causa dos palestinos, fazendo com que estes virem apenas motivo de piadas de salão. Eis o que ele diz:

A chacina começou a ser preparada há seis meses. Isso, por si só, desmantela qualquer uma das desculpas usadas por Israel para justificar o pior massacre da história de Gaza, desde o começo da ocupação ilegal da Palestina, em 1967.

O fato de que os alvos tenham sido cuidadosamente selecionados ao longo de vários meses, para Idelberg, é um crime terrível. Parece que ele preferia que os israelenses fizessem como os palestinos, e atirassem a esmo em qualquer lugar onde houvesse civis, sem qualquer planejamento prévio. Bem, por outro lado, isso sim seria uma "reação proporcional"...

(vejam depressa, porque há uma verdadeira operação de censura sionista sobre o YouTube; vários vídeos já foram retirados):

Os judeus controlam a mídia! Onde é que eu havia lido isso antes? No Mein Kampf ou no Protocolo dos Sábios de Sião? Bem, não importa. Rápido, amigos, assistam logo!

Na chamada "blogosfera progressista" norte-americana, nem uma palavra. Silêncio sepulcral.

Idelberg é o único a alçar sua voz contra a injustiça e a opressão! A única esperança dos palestinos! Idelberg, herói de nossa gente! Pena que poucos palestinos leiam português.

Este blog considera que o jugo criminoso sob o qual vive o povo palestino é a questão humanitária definitiva do nosso tempo.

Já este blog acha que as centenas de milhares de mortos no Zimbábue e no Sudão pareceriam uma catástrofe humanitária mais aguda. Mas Idelberg, sionista racista, acha que a vida de afro-africanos não conta.

A cada dia, fica mais longe a solução biestatal com que a comunidade internacional e os palestinos já concordaram há tempos: uma partilha ao longo das fronteiras de 1967.

Beleza! Então falta apenas combinar com o Hamas, que até hoje não reconhece Israel.

Mas são 7 milhões de israelenses, dos quais 20%, árabes, jamais defenderiam o estado sionista. Em volta dele, 1 bilhão de muçulmanos.
Finalmente, como quem não quer nada, Idelberg revela a verdade que todos teimam em ignorar: é o Islã contra Israel. 1 bilhão contra meros 7 milhões. Uma luta desigual, não resta dúvida.

Mas o que mais causa desconfiança é que Idelberg não apenas não permite comentários nos posts sobre o conflito, como também está tirando férias do blog para voltar apenas no dia 5 de janeiro... Hummm... Ele desaparece justamente neste momento em que Israel realiza uma operação militar em Gaza? Será que são férias mesmo, ou será que ele tem algum compromisso com seus amigos... do Mossad?!?

Idelberg trabalha sob ordens diretas de Tzipi Livni (foto).

21 comentários:

Gerson B disse...

Mr X, alguns argumentos do Idelber são pertinentes. E faz sentido que ele bloqueie comentários, já que está de férias e não poderá moderar. Claro, ele tem um ponto de vista bitolado, mas Israel não é tão santinha assim.

Mas esta parte aqui é uma falha séria nos argumentos dele, sua resposta está correta:
"A cada dia, fica mais longe a solução biestatal com que a comunidade internacional e os palestinos já concordaram há tempos: uma partilha ao longo das fronteiras de 1967."

"Beleza! Então falta apenas combinar com o Hamas, que até hoje não reconhece Israel"

Chesterton disse...

o sujeito é petista, o que mais você pode esperar.:?

Mr X disse...

É, não honestidade...

Daniel F. Silva disse...

Releve, X, o cara é trotskista. E você sabe muito bem que a melhor propaganda contra o trotskismo é deixar um trotskista abrir a boca.

chesterton disse...

essa é boa.

Stefano disse...

O senso de ridículo não é o forte dessa gentalha.

Diogo disse...

Pior que isso, foi presenciar uma manifestação do PSTU em PoA, certa vez, na qual várias bandeiras palestinas foram tremuladas.

Está todo mundo querendo tirar uma casquinha da "causa palestina".

Chesterton disse...

tinha bandeiras palestinas na frente da Petrobras, av Chile, mês passado.

Stefano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Stefano disse...

(Tinha uma bandeira cubana no terreno onde será erguida a milionária sede da UNE, aquela fábrica de carteirinhas de estudante, no Flamengo. Bandeiras são um fetiche sério dessa gentalha.)

Stefano disse...

Diogo, "casquinha" bem indigesta, não? Qual a graça de ser simpatizante de terroristas? Que vantagem há em apoiar homens-bomba que se explodem junto a civis inocentes em mercados, ônibus, restaurantes e boates israelenses? Qual o motivo de ficar ao lado de um território que, não obstante a riqueza do corruptíssimo Arafat e das milionárias doações, não consegue passar de um favelão árido e atrasado, e que provoca um país vizinho lançando dezenas de foguetes, cotidianamente, em plena "trégua"? Espero que o trabalho imundo da mídia não consiga esconder a verdade por muito mais tempo.

Pax disse...

O Idelber é um dos melhores blogs que conheço. Ele foi do PT e não é mais. Discorda do partido hoje em dia.

Faltam bons blogs da direita como há o do Idelber da esquerda.

Acusar o Idelber de desonestidade é desonesto pacas.

O Reinaldo Azevedo, segundo minhas fontes, por exemplo, pode ser um direitopata histérico mas não é desonesto, até onde sei eu e sabem minhas fontes.

Idelber é de esquerda? Sim, é mesmo, mas não há uma vírgula sequer contra sua honestidade.

Stefano disse...

Se este lixo não é desonestidade intelectual, "A chacina começou a ser preparada há seis meses. Isso, por si só, desmantela qualquer uma das desculpas usadas por Israel para justificar o pior massacre da história de Gaza, desde o começo da ocupação ilegal da Palestina, em 1967", imagina o resto. Quanto ao R.A. ser um "direitista histérico segundo algumas fontes", bem, a frase se auto explica.

Diogo disse...

Stefano, acho que vc esta generalizando.

Não confunda a bandeira palestina com a do Hamas.

Seria a mesma coisa que afirmar que todos os israelenses apoiavam o terrorrismo, por terem eleito Menachem Begin como primeiro-ministro em 1977.

Quanto a "causa palestina", acho até legítimo a reinvindicação das terras invadidas por Israel. Ponto.

Porém, qualquer outro sandice , como a destruição do estado judaico, desmoralizam completamente os palestinos que apoiam o Hamas.

Pax disse...

Stefano,

Ao altera3 o texto alheio você comete desonestidade. Que faz isso é desonesto.

É o seu caso.

Chesterton disse...

Pax, ser de esquerda é incompativel com honestidade (os fins justificam os meios), e é exatamente por isso que muitos esquerdistas abandonam a ideologia.

Stefano disse...

Sei.

Mr X disse...

Pax,
Digamos que o Idelber é honesto à maneira dele. Quer dizer, acredita piamente em qualquer fonte palestina e jamais em fontes de Israel, repete sempre a lenga-lenga clássica da vitimização dos palestinos mas jamais menciona as vítimas israelenses, é claramente um simpatizante do Hamas, etc. Então, está do outro lado, não é imparcial.

Mas dizer que "a solução que ambos concordaram há tempos", se não é desonestidade, é estar mal informado.

Blogs de esquerda, melhor o do PD.

fabiano disse...

Mr. X,

Esse post do Idelber tem outro erro, além desses que você apontou muito bem. Veja o seguinte trecho:

"O crime israelense foi perpetrado na hora do rush, em que as crianças ainda não haviam voltado da escola. Bombardearam até a universidade. Tudo cuidadosamente planejado para matar o maior número de gente possível."

Pois bem: a universidade foi bombardeada no meio da madrugada, deixando zero mortos (http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL937637-5602,00-ISRAEL+BOMBARDEIA+UNIVERSIDADE+ISLAMICA+DE+GAZA.html). O que, imagino, desmente de cara a tese delinqüente segundo a qual a diretriz dos ataques israelense tenha sido "matar o maior número de gente possível". Se ainda não bastar, há os depoimentos de gente comprovadamente pouco amiga de Israel: segundo a TV do Hamas, a maioria das vítimas era militar - vale dizer: terroristas por quem ninguém, com exceção de seus parentes, precisa chorar (http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL937476-5602,00.html)

Esse post do Idelber me lembrou aquela vez em que eu critiquei, lá no Resistência (http://nemersonlavoura.blogspot.com/2008/07/ingrid-doria-foro-croce.html), o Pedro Doria por cair em contradição flagrante ao escrever sobre o Foro de São Paulo. Em um frase, ele dizia que o Foro não tinha importância alguma. Na frase seguinte, dizia que Marco Aurélio Garcia, homem de importância invulgar no governo, era do Foro. Citei Croce ("o erro fala com voz dupla, uma das quais afirma o falso, mas a outra o desmente") e notei en passant o tamanho da "auto-inconsciência" a que o esquerdismo pode levar. Pois bem: Idelber é muito, muito pior. Sua "auto-inconsciência" é abissal e, pior, delinqüente como um terrorista do Hamas.

云南信息港游戏 disse...

Good Blog, I think I want to find me, I will tell my other friends, on all

Farming Net disse...

It seems a little more than I need to check the information, because I was thinking: Why does not my GLOG these things!
fishing net