sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Como ajudar os pobres?

O leitor Rolando visitou o Nordeste e verificou uma coisa curiosa:

Estou escrevendo do sertão pernambucano, lugar que conheço por primeira vez, e hoje fui até Patos na Paraíba (aqui pertinho, dá uns 60 km). Passei por vários vilarejos, além de três cidades, de repente perguntei para o motorista da caminhote em que estava:
-- O senhor já viu gente passando fome? Ele pensou e disse que talvez no tempo dos avós dele, sem muita convicção. Foi o que eu já desconfiava há muito, aquele papo de 16 milhões de famintos no Brasil foi mais uma jogada da intelectualidade da esquerda para chamar a atenção de um problema inexistente. Hoje a questão da fome está menos em voga, a falácia do momento - bem sucedida por sinal - é a questão indígena.
Aliás, estou hospedado em casa de um casal de médicos que atende na região. Perguntei se há políticas de natalidade. Disseram-me que no posto tem camisinha, pílula, panfletos, etc... Mas a taxa de natalidade está altíssima por conta do Bolsa Família, já que não estipula um limite de filhos por mulher; a cada bebê que nasce, o mesmo valor é repassado, fazendo com que essas mulheres "acumulem" bolsas.
O bolsa-família ajuda os pobres? De modo direto, sim. É mais dinheiro no fim do mês. Por outro lado, se cada família faz cada vez mais filhos para continuar ganhando o sustento governamental, cria-se uma espécie de círculo vicioso que gera cada vez mais "pobres" na fila para receber o subsídio. Então, em vez de diminuir progressivamente o número de dependentes, parece tender a aumentá-lo. Há pequenas cidades do nordeste com mais de 70% da população recebendo o benefício.

Alguns observam que programas de assistencialismo criam dependência do Estado e desestimulariam a pessoa a trabalhar. Afinal, uma das coisas mais difíceis é ter que abandonar um benefício recebido. Tanto que muitos escondem suas fontes de renda paralelas ou então fazem filhos para continuar recebendo a bolsa depois que o filho cresce. Essa dependência não se dá apenas entre os mais pobres: nos EUA, um maluco escondeu o cadáver da mãe morta no freezer apenas para poder continuar recebendo o dinheiro da aposentadoria dela.

O bolsa-família ajuda os pobres? Sim, e também ajuda o governo Lula:
Da eleição para a reeleição, o presidente aumentou os votos em todas as cidades com mais população atendida pelo Bolsa-Família, registrando, em alguns casos, votações fenomenais: os 3.408 votos de Araioses (MA), em 2002, por exemplo, viraram 12.958 votos na campanha da reeleição; os 2.996 votos de Girau do Ponciano (AL) subiram para 12.550 votos.

Os governantes mais amados pela população são aqueles que dão alguma coisa de graça aos pobres. Perón ainda é lembrado hoje pelas classes populares argentinas pelos seus programas assistenciais. Evita ia pessoalmente distribuir presentes de Natal aos "descamisados". Outras políticas peronistas deixaram o país na absoluta decadência em que se encontra hoje, mas os pobres ainda amam Perón e Evita. Também assim Chávez e Evo Morales: são bufões autoritários, não resta dúvida; mas as classes populares recebem seu quinhão e votam neles. Do mesmo modo, quem recebe bolsa-família vota em Lula. O que há aqui de diferente do velho coronelismo, da compra de votos por farinha? Não muita, na verdade. Mas por acaso há alguma outra solução? Não é de qualquer modo bom ajudar os mais necessitados?

Claro, devemos observar que a pobreza é sempre relativa, portanto sempre haverá pobres, isto é: sempre haverá aqueles que recebem mais e aqueles que recebem menos. Segundo dados do Censo Americano, nos EUA 80% dos considerados "pobres" tem carro, ar condicionado e DVD player. Mesmo no Brasil, grande parte dos "pobres" tem televisão, e sua capacidade aquisitiva aumentou muito desde o Plano Real, é fato. Mas, se a crise econômica afetar também o Brasil - como parece que está afetando - os beneficiados pelo bolsa-família não terão que ser ainda em maior número?

Como ajudar os pobres? Respostas na caixa de comentários.

20 comentários:

Chesterton disse...

O tal maluco que escondeu a mãe morta no freezer é tudo menos maluco. É mau-caráter, e essas políticas estimulam esse comportamento. Conta a lenda que certo padre foi visitar uma familia muito pobre com o sacristão. Chegaram lá e se espantaram com o sítio, tudo caído, mal-tratado, mato por todo o lado. Chegaram no casebre caindo aos pedaços e perguntaram como eles conseguiam sobreviver.
- bem, temos uma vaquinha que dá o leite das crianças e uma coalhada, e a gente se defende.
Saindo, eles se deparam com a tal vaquinha, e o padre sem vacilar a empurra num barranco. O sacristão fica apavorado, como eles vão viver sem a vaquinha, se pergunta, sem coragem de questionar o "chefe".
Anos depois, o padre já tinha morrido e o sacristão promovido a chefe, por acaso passa naquelas bandas e se lembra do episódio. Chegando lá, quando esperava ver a propriedade na miséria, encontra um primor de sítio, tudo cuidado, a porteira arrumada e pintada, flores como decoração. A casa? Era outra , maior e mais bonita. Encontrou todos mais velhos, mas em muito melhor forma, e perguntou como aquela transformação tinha acontecido.
- Bem, a gente tinha uma vaquinha que nos dava o leite, mas ela caiu no barranco aí a gente teve que trabalhar......(tóing).

Anônimo disse...

Os fatos não conferem. Não basta fazer filho para ir acumulando ad infinitum.

Pode falar mal, mas pelo menos verifique se está falando a verdade.

"As famílias em situação de extrema pobreza podem acumular o benefício básico e o variável, até o máximo de R$ 122,00 por mês.

"As famílias em situação de extrema pobreza podem acumular o benefício básico, o variável e o variável para jovem, até o máximo de R$ 182,00 por mês."

Tenha em mente que para receber esse valor máximo (182,00) a família deve ter:

Renda per capita mensal inferior a 60,00 mensais + 3 crianças entre 0 a 15 anos + 2 adolescentes entre 16 e 17 anos cursando a escola.

Acho difícil que uma família assim consiga sequer se alimentar apenas com o benefício do bolsa família.

links:

http://www.caixa.gov.br/Voce/Social/Transferencia/bolsa_familia/como_receber.asp

http://www.mds.gov.br/bolsafamilia

Mr X disse...

Olá anônimo,

Obrigado pelas informações. Os dados mencionados no post são do leitor e do Estadão, efetivamente não pesquisei muito sobre o Bolsa-Família.

Pax disse...

Não pesquisou e sai colocando como informação. É, desengonçado, foste pego atrás da macega com as calças abaixadas e filosofando tuas verdades.

Vacilastes sun, enrabadus est.

Mr X disse...

?!?! Pax, como disse, as informações são do Rolando e do Estadão, o qual indica ainda um aumento de 80% da evasão escolar nas cidades beneficiadas. Eu aqui estou no ramo da opinião, não da propaganda governamental. Quem não gostar, que vá pastar. :-P

Pax disse...

Acordou nervoso Mr X ou foi porque houve uma crítica? Paste tu, pasto eu, pastemos todos, então.

Como ajudar os pobres? O caminho é mais claro que o céu poluído pelo teu CO2: EDUCAÇÂO.

Imagine uma sociedade que realmente colocasse todo seu esforço em distribuir a educação básica e de alta qualidade para todos. Isso mesmo, ensino básico até o antigo segundo grau. Depois é cada um por si. Há alguma discordância aqui? Ou você acha que ensino bom é só para os filhos das classes dominantes? Aí realmente teu caso é perdido.

Pra que isso aconteça, não dá pra ter estado mínimo como gostam os neoliberais exacerbados.

Dois outros exemplos são Saúde e Segurança Pública. E não vou muito além não.

Por fim, paste bastante enquanto é tempo, pois em 2009 teremos uma boa colheita dos teus heróis, a fome.

Pax disse...

Ah, e até lá, sim, assistencialismo pra passar o período até que a nova geração educada esteja pronta pra trabalhar.

Esse assistencialismo é o preço dos erros cometidos.

O atual, brasileiro, é bom? Claro que não, virou o maior curral eleitoral já visto.

Já pastou Mr X?

marcelo augusto disse...

O Plano Real fez (e faz) mais pelos pobres do que qualquer um desses bolsismos fajutos e populistas.

Chesterton disse...

Da para comprar muita cachaça batizada com a grana do bolsa familia sim senhor.

Chesterton disse...

Alias, esse programa de bolsa-familia é programa de compra de votos.

Mr X disse...

Pax, o PT já tem bolsa-pasto? E bolsa-alfafa? :-D

Pax disse...

Sei lá, do PT quero distância.

Chesterton disse...

mas o Lula......

Diogo disse...

Cara, essa discussão de compra de votos, por parte do bolsa família, mesmo que proceda, é de uma infantilidade extrema, ou, porque não dizer, desonestidade intelectual.

Afinal, quem vocês acham que é mais favorecido pelo programa: o governo federal, que até hoje não conseguiu emplacar um candidato à reeleição [falência do bolsa-família?], ou os velhos cabresteiros locais, responsáveis pelo "aliciamento" dos beneficiários?

Mr X disse...

Epa! "Desonestidade intelectual"? Virei o RA agora? :-P ;-)

Fabio Marton disse...

Mirchis, nessa eu te peguei.

Uma vez um amigo perguntou a Penn Jilette quem cuidaria das crianças pobres se o governo não fizesse nada. Ele apontou o dedo no nariz do sujeito e disse: você! Você vai cuidar!

Nota como existe uma contradição entre programas sociais compulsórios e a defesa da caridade, cristã ou não? Programas sociais tiram tanto a responsabilidade de quem se vê tocado a ajudar os pobres quanto dos próprios pobres em se ajudarem. E, sinceramente, com 50% de taxação sobre o PIB, investida massivamente no salário inflado de funcionários públicos que não constróem nada, ou benefícios e aposentadorias rurais sem fundo, mantenedoras de cidades fantasmas, eu sinto vontade de mandar a GRAAC e o Criança Esperança à merda.

Você já viu o fime Trainspotting?

bitt disse...

Pax, meu bom, o blog do Mr X (ou "mirchís", como disse um gaiato aí embaixo - genial) está cd vez melhor. A vera. Mas temos de perguntar o seguinte: segundo até alguns aúlicos da direita (como aquele Guedes sei lá das qtas, o da "Gde Sociedade Aberta") começam a concordar que redistribuição de renda, por qq via, é uma boa idéia. Claro q o argumento da "caridade" é uma boa, mas a "caridade" capitalista dura só até o sapato apertar. Os programas ditos "assistenciais" tem lá contradições? Tem. De monte. Mas o q eu não consigo entender é o seguinte: todo mundo tem alguma coisa a propor qto ao q fazer. Ora é emprego, ora é educação, ora é caridade,mas na prática não acontece nada, e acabam colocando a culpa no miserável - o sujeito é pobre pq é burro, pq é inferior e por aí vai. Aí o governo começa a dar dinheiro pro sujeito - dinheiro q é dele mm na medida q esses coitados tb pagam imposto... E aí vem o mirchis e o chest... :c)

Mr X disse...

Oi Bitt,

De fato, mesmo o Milton Friedman preferia um sistema de distribuição de renda mínima direta (o que ele chama de negative tax), do que um sistema de welfare (com burocracia e comissão de trocentos funcionários) criada para "resolver o problema".

Anônimo disse...

eu como todos os Brasileiros de baixa
renda estou recebendo o bolsa familia
etava ganhando 100 reais o qeu me ajudava muito não sei o que aconteceu
me cortaram 50 estva trabalhando e como todas as desgraças não chegam sozinhas elas sempre vem acompanhada me cortaram o bendito dinheirinho assim não estou a receber nada e tenho dois filhos pra criar graças a Deus moro de favor e recebo uma cesta básica da igreja até que me apareça alguma coisa e não impliquem com um beneficio que beneficia milhoes de pessoas e o nosso país porque se não fosse essa renda o Brasil não teria crescido tanto e os filhos dos pobres, passando fome e vendo os irmãos passando fome não se revolatariam e não sairiam assaltando a torta e a dirteita
apenas porque um dia viram a miséria de perto dizem que não não existe motivo, mas acho que eles estão cobertos de razão talves pelos seus motivos, porque encontram pessoas quenão querem ver eles sustentados e querem ve-los passando fome quer motivo maior

Anônimo disse...

SEI QUE SOU BEM GRANDINHA P ACREDITAR EM PAPEL NOEL,POREM EM DEUS ÉS FIEL E EM NOME DESSE DEUS AQUI MEU APELO.SOU DE RORAIMA FUI A ESCOLA P PRIMEIRA VEZ AOS 11 ANOS CASEI TIVE 4 FILHOS,SEPAREI FIQUEI 14 ANOS SOZINHA TRABALHANDO DE TUDO P CRIAR MEUS FILHOS E ESTUDAR,HOJ TECNICA EM ESTETICA,CASEI TOU RECEM CHEGADA NO RS,MAIS AGORA A PERGUNTA PRA QUER TANTA LUTAS SACRIFIÇIOS SE A VIDA SO NOS EMPURRA P BAIXO?VIM P CAR PORQ QUERO O MELHOR P MEUS FILHOS,QUE MELHOR SE AS PORTAS NAO SE ABRE,NUNCA TIVE UM LAR SEMPRE MORANDO DE ALUGUEL OU FAVOR HOJ TENHO 41 ANOS MAS DOQUE ME ADIANTOU TANTO ESFORÇO DE ESTUDO SE NAO TENHO DINHEIRO PARA COMPRAR EQUIPAMENTOS P MEU TRABALHO?TENTO FINANCIAR NAO CONSIGO NAO TENHO SALARIO,NAO TENHO CASA,CARRO ALGO DE VALOR PARA DAR EM TROCA?ONDE CHEGO BUSCANDO UMA OPORTUNIDADE DE TENTAR TRABLHAR NO QUE ESTUDEI SEMPRE ME PERGUNTAM VC TEM EQUIPAMENTOS?NAO,NAO TENHO,ENTAO NAO POSSO FAZER NADA.GENTE É UM PEDIDO DE SOCORRO MESMO,ALGUEM ME ORIENTE OU SE PODER ME AJUDAR COM DOAÇOES DE EQUIPAMENTOS ESTETICOS ATE ESTUDOS TENHOS SONHOS NAO QUERO QUE MORRAM TENHO MEUS FILHOS MINHA MAE VIVE DOENTE CARDIACA QUERIA TANTO MAS TANTO CUIDAR DESSA MAE Q FOI PAI E MAE DESDE Q VIM AO MUNDO SONHO TANTO EM PODER CUIDAR DELA DAR UM PLANO DE SAUDE A ELA Q NAO TEM ESTUDO VIVE DE UM SALARIO MINIMO Q NO DAR NEM P REMEDIOS PORQ SAO MUITOS,ENTAO QUI DEIXO MEU APELO EM NOME DE JESUS,PORQUE NELE EU CREIO,E ELE É FIEL,AMEM JESUSSS...