quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Pode o Islã dominar o Ocidente?

O leitor Marcelo Augusto pergunta: "você acha que futuramente o islamismo venha a devorar completamente o mundo ocidental"?

Já o leitor Diego questiona se eu teria alguma "ojeriza" pelos muçulmanos (curiosidade, "ojeriza" não é palavra de origem árabe?)

Muito bem. Comecemos com a primeira pergunta. Dominará o Islã o Ocidente? Não, não creio. O que não quer dizer que não possa causar mal. Na verdade, existem vários graus de ameaça. Os que estão mais em perigo são, naturalmente, Israel e a Europa. Israel é um minúsculo país cercado de países islâmicos que não aceitam sua presença ali, e poderá eventualmente ser derrotado e conquistado pelos muçulmanos, especialmente quando se considera que os restantes países ocidentais podem perfeitamente entregar o país judeu em troca de promessas de paz, mais ou menos como fizeram com a Tchecoslováquia. A tentação é grande. Israel tem armas e um bom exército, mas nem sempre isso é suficiente.

Já a Europa sofre com a imigração, a baixa natalidade, e uma crise moral inusitada, resultante provavelmente do quase-fim do cristianismo (ver post abaixo). É possível que ocorra com a Europa algo parecido com o que ocorreu com o Império Romano: começou perseguindo cristãos, terminou impondo o cristianismo. O país mais avançado na auto-islamização é, acredito, a Grã-Bretanha: lá já são praticamente legais a sha'ria e a poligamia. Por que parar aí? Com o progressivo aumento do número de muçulmanos, as exigências serão cada vez maiores. Lembrem que o Líbano, antigamente, era um enclave cristão no Oriente Médio. Hoje os cristãos - muitos dos quais fugiram durante a guerra civil e outras perseguições - são minoria. Uma coisa similar poderia ocorrer ao menos em alguns países europeus.

De qualquer modo, o grande perigo do islamismo não é necessariamente que vença a sua batalha de "conquista do Ocidente". Mesmo sem chegar a tal objetivo, pode causar danos terríveis. Por exemplo, explodindo bombas nucleares, químicas ou biológicas em algum país ocidental. Quem duvida que isso poderia eventualmente acontecer? Uma única bomba dessas seria suficiente para sumir o planeta inteiro em uma crise sem precedentes.

Quando ocorre algum atentado como o de Mumbai, muitos jornalistas se perguntam. "Mas por que fizeram isso? Qual era o objetivo?" É a pergunta errada. A maioria dos terroristas simplesmente odeiam judeus, hindus, cristãos e demais infiéis; basta-lhes isso muitas vezes.

O grande gênio de Maomé foi o seguinte: unificou as tribos árabes que viviam brigando entre si, mas virando-as contra os povos de fora. Tinham elas então um inimigo comum contra o qual lutar. A mesma coisa ocorre até hoje: xiitas e sunitas se odeiam, mas lutam de igual para igual contra EUA, Israel e demais infiéis.

Mas, respondendo à pergunta do Diego: não, não sinto ojeriza alguma pelos indivíduos muçulmanos. Acredito mesmo que a maioria seja gente boa. Os poucos que conheço sei que são. Mas o problema não é esse: o problema é que a sua religião é expansionista e tende portanto a se expandir - por todos os meios possíveis. Inclusive a violência, que não renega.

Observem que o que chamamos de terrorismo não é necessariamente considerado algo negativo por muitos muçulmanos. Pesquisem por exemplo quais são os comentários mais comuns nos países árabes após algum atentado como o de Mumbai. Alguns poucos criticarão, é certo; mas a maioria das respostas se encaixará em uma das três possibilidades:

1) Foi tudo um plano do Mossad e da CIA. (É alarmante o número de muçulmanos que acreditam piamente nessas teorias).

2) Alá seja louvado! Morte aos infiéis!

3) Não devemos nos precipitar e acusar uma maioria pelos crimes de uma minoria. Não persigam os muçulmanos pois, se vocês fizerem isso, a maioria moderada poderia se radicalizar e então teremos mais terrorismo! (Esta é a resposta que acho mais engraçada: assume tacitamente que o islamismo é violento, e que mesmo a maioria "moderada" pode se transformar em um grupo de terroristas sanguinários à primeira provocação).

6 comentários:

chesterton disse...

Israel, na iminência de sumir do mapa, deve lançar uns 3 nukes em Meca.

Diogo disse...

Edir Macedo neles, então!

Mr X disse...

Meca delenda est?

Mr X disse...

Será que o Edir Macedo tá no Oriente Médio também? Sua maldita igreja existe até na Califórnia, acreditem...

Chesterton disse...

os evangélicos tem a força para conter o Islã. Montes de fiéis e criançada. Pax, quantos filhos cristãos você tem para esta cruzada?

Anônimo disse...

O isla morre de medo de ser devorado pelo cristianismo .
E oque está acontecendo em certos países africanos ... Os o pentecostalismo e uma bomba contra o isla atual...
Eles dizem que estão em expansão mas nao e bem assim ... A mulheres muçulmanas parecem ratas criam a doidado e nos países deles nao tem alimentos e vão se manter nas custa do cristão ...
Mas brevemente o isla estará cavando uma cova para eles mesmo ...
Só quem vive vera ... Deus seja louvado ...