quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Carta aberta ao Prof. Idelber Avelar

Antes de ser interrompido por problemas técnicos, havia escrito uma carta ao colega blogueiro Idelber Avelar, já que ele ultimamente não publica mais comentários em seu blog. No fim, acabei ampliando a carta e destinando-a não apenas a ele como a todos os ditos "pró-palestinos" e "anti-sionistas". Afinal, se nem blogueiros brasileiros podem se entender, como podemos esperar que árabes e judeus se entendam?

Não pretendo refutar aqui as idéias de Idelber: outros já fizeram isso com maior conhecimento do que eu. Escrevo apenas algumas perguntas para ele e todos os "anti-sionistas". Se ninguém do outro campo responder, talvez as perguntas ao menos possam suscitar alguns questionamentos válidos entre os leitores daqui. A discussão está aberta!

Caro Prof. Idelber (e demais declarados "anti-sionistas"),

Entendo sua raiva e tristeza pela morte de inocentes palestinos. Todos somos contra a morte de civis palestinos, mesmo eu, acredite, e mesmo a maioria do povo de Israel. Sua reprovação à operação militar israelense é também compreensível, e naturalmente todos têm o direito de discordar das atitudes do governo israelense e de manifestar seu muito humano horror à guerra e à destruição.

Embora tenhamos idéias totalmente opostas em relação ao conflito e em relação à política em geral, nem tudo nos separa. Não somos nem judeus nem muçulmanos (?), não moramos nem em Gaza nem em Sderot. É verdade que você é bem mais conhecido do que eu, é aparentemente um acadêmico respeitado e eu sou apenas um blogueiro anônimo, mas não leve isso a mal. Cada um tem seus limites. Meu anonimato é mera modéstia de quem sabe que seu nome real não tem relevância.

Até compreendo a sua visão de mundo: no seu ponto de vista, vê os "palestinos" como "oprimidos" e Israel como um "poderoso país" apoiado pelo "imperialismo americano" que "roubou suas terras" e os "ocupa". É, na minha opinião, uma visão simplista e equivocada, que traduz uma situação geopolítica bastante mais complexa em um discurso de caráter marxista, mas não vamos brigar por isso. Como disse, cada um tem seus limites.

Eu, por exemplo, sou absolutamente parcial. Sou pró-Israel. Acho o Hamas tão ruim quanto a Al-Qaeda, se não pior. Não leio o Robert Fisk, aliás não suporto seu estilo de jornalismo. Chomsky, Finkelstein, jamais leio esses indivíduos e confesso que nem entendo suas motivações (entendo até as motivações genocidas do Hamas, não as deles). Detesto Chávez, Evo Morales, Fidel Castro, todo esse pessoal.

Por outro lado, se insisto tentando me comunicar com você, é justamente por que o que me incomoda é essa sua aparente incapacidade de entender o ponto de vista do "outro" (no caso, o civil israelense) de maneira tão radical. Sendo você um estudioso, não entendo como não consegue ver além da ideologia e da propaganda árabe, ou que use termos como "sionista" e "ocupação" de modo tão leviano e equivocado. Estando você tão preocupado com "vítimas civis", não entendo que chame os foguetes palestinos, que mataram muitas pessoas - inclusive crianças árabes! - de "meros rojões" etc, etc. ("Rojões"?!? Desculpe, li isso faz pouco no seu blog e até agora estou incrédulo. Por favor, só não vá dizer agora que tudo o que o Hamas queria era convidar os israelenses para alguma festa de São João...)

Embora entenda sua declarada compaixão pelos palestinos, não entendo porque não lamenta igualmente as mortes de palestinos em conflitos intra-palestinos, e muito menos as mortes de judeus. Várias outras opiniões suas são, para mim, difíceis de entender, e mesmo tendo visitado o seu blog não consigo encontrar as respostas para elas (confesso não ter lido todo o seu blog, talvez as respostas estejam lá). Portanto faço-as aqui, não apenas a você como a todos os blogueiros "pró-palestinos":

Você é a favor do Hamas?
Ou seja, é a favor de tortura e execução de pessoas sem julgamento?
Tem conhecimento, certamente, que nas prisões de Gaza, rivais do Fatah e de outros clãs, bem como pessoas acusadas de "colaborar com Israel" são rotineiramente torturadas e mortas?
Se um povo é "oprimido", isso lhe dá direito a torturar, matar e cometer atos terroristas e cometer toda série de ofensas aos "direitos humanos"?
Só um lado tem o dever de respeitar os "direitos humanos"?
Se o Hamas defende o povo palestino, em vez de cinicamente explorá-lo, como você explica que seus militantes tenham assaltado caminhões de comida da ONU e vendido seus alimentos?
Se o povo palestino está mesmo "sem água e comida", como se explica que isso jamais é mostrado, ao contrário, as imagens mostram sempre mercados repletos de comida?
Você não acredita que os próprios palestinos (ou seu governo) são os responsáveis por vários de seus problemas, que não tudo pode ser creditado à "ocupação", a qual aliás nem existe mais diretamente em Gaza?
Aliás, se árabes muçulmanos podem viver em Israel, por que judeus não podem viver em Gaza?
Você a favor de censura? É a favor de teocracia? Sabe que o Hamas censura internet points e música ocidental e que discrimina membros de outras religiões?
Você é a favor de foguetes contra civis? O fato de serem "foguetes artesanais" e que "causam poucos danos" significa que podem ser atirados à vontade?
Não percebe que os foguetes "causam poucos danos" apenas porque os habitantes de Sderot correm para bunkers quando ouvem o alarme, ou seja, é o preparo israelense que evita danos maiores, não a intenção dos terroristas palestinos, que é claramente a de matar civis judeus?
Você percebe que os radicais palestinos hoje atiram foguetes apenas porque o muro limitou em 90% a ação de terroristas suicidas, ou seja, não é a intenção dos palestinos que é matar pouco, mas sim a defesa de Israel que melhorou?
O que seria uma "reação proporcional"? Israel teria o direito de atirar "foguetes artesanais" de volta a Gaza? De revidar com atentados suicidas?
Você é a favor da agressão a judeus em todas as partes do mundo como represália a ações de Israel?
Por que os manifestantes pró-palestinos atacam judeus europeus, se são apenas "anti-sionistas"?
Você é a favor do terrorismo? Ou, vá lá, da "resistência legítima", quer dizer, da morte de civis judeus israelenses? Israelense árabe também é "alvo legitimo", ou só judeu?
Alguns anos atrás uma família do que você chama de "colonos" foi atacada por militantes palestinos, quatro crianças de 11, 9, 7 e 2 anos foram mortas com uma bala na testa, bem como a mãe deles que estava grávida de oito meses. Segundo o autor do atentado, eram "alvos legítimos". Você concorda? É a favor do fuzilamento de crianças de 2 anos, se forem filhos de "colonos"?
Acha que os palestinos têm direito a atirar foguetes contra cidades israelenses mas Israel não tem o direito de revidar?
Quando você fala em "ocupação", a que coisa exatamente se refere?
Sabe que Israel desocupou Gaza a um custo de bilhões de dólares?
Como você explica que Gaza, que não tem mais mais presença de "colonos" (i.e. judeus), ficou muito mais radical e atira foguetes diariamente contra civis israelenses, enquanto que a Cisjordânia (i.e. Judéia e Samaria segundo os "colonos") que ainda está "ocupada", vive, ao contrário, em relativa paz e não atira foguetes?
Ou quando fala em "ocupação", você - como o Hamas - se refere ao próprio Estado de Israel?
Você não aceita a existência de Israel?
Por que Israel não e "Palestina" sim? Sabia que a "Palestina" sempre se referiu ao lar judeu, que eram os antigos sionistas os que falavam em "Palestina", e não os árabes?
Ou você acredita na teoria revisionista de que os "palestinos são descendentes dos filisteus?" E, mesmo que fossem, isso mudaria alguma coisa? Não é isso na verdade uma legitimização do direito de Israel às terras, já que os judeus existiam por lá desde antes mesmo dos filisteus?
Sabia que sionista não é nome feio nem eufemismo politicamente correto para poder criticar os judeus?
Se alguém é "sionista", pode ser "legitimamente morto"? Se eu disser que sou "sionista", isto é, que defendo a existência de Israel, então viro um "alvo legítimo" da "resistência"?
Por que você não publica comentários contrários no seu blog?
Por que você repete informações dúbias no seu blog, como a - para mim - óbvia mentira de que "um terço dos mortos na operação de Gaza são crianças"? De onde saiu originalmente tal informação, de fontes palestinas, isto é, do Hamas? Por que Israel atacaria propositalmente crianças?
Você é porta-voz do Hamas? Não digo que deva aceitar a versão israelense dos fatos, mas você não tem um mínimo de senso crítico? Quer dizer, se os os israelenses podem mentir, porque não acredita que os árabes possam mentir também?
A Al-Jazira é uma TV "neutra" e "imparcial"? A TV israelense só mente?
Se uma bomba atômica caisse em Tel Aviv, você comemoraria, diria que "eles mereceram", ou lamentaria mas diria, "enfim, a vida continua"?
A vida de civis israelenses vale menos do que a de palestinos?
Como pode chamar de "rojões" artefatos que causaram a morte de dezenas de pessoas, bem como centenas de feridos, sem falar no pânico que causam diariamente?
A vida de palestinos mortos pelo Hamas vale menos do que a vida de palestinos mortos por Israel?
Por que você nunca fala da violência intra-palestina?
Por que não informa que o Fatah e até o Egito são contra o Hamas, que é um movimento supremacista religioso ligado à Irmandade Muçulmana e hoje financiado pelo Irã?
Por que não fala do terrorismo islâmico na Tailândia, na Índia, na Europa, em lugares que nada tem a ver com o "sionismo"?
Por que não fala do conflito entre sunitas e xiitas?
Por que não informa os seus leitores que o mundo é bem mais complicado do que o seu maquineísmo anti-israelense e anti-americano quer?
Por que você mora nos EUA e não em Cuba, Gaza ou Venezuela se tais modelos socio-políticos são melhores?
Você não acha que está colaborando com uma onda de antissemitismo não vista no mundo desde os anos 30? Como acredita que os nazistas conseguiram matar milhões de judeus, se não com a colaboração de pessoas que achavam que os judeus eram malvados, como você e tantos outros que acham que os "sionistas" merecem a morte simplesmente por morarem onde moram?
Se os judeus não podiam estar na Europa, agora resulta que tampouco podem estar na Palestina, sua terra natal?
Onde podem estar então, na Uganda?
E se transferissem os judeus para Uganda, quantos segundos demoraria até você e seus colegas começassem a falar na "legítima resistência ugandesa" e nas "terras roubadas aos pobres ugandeses"?
OK, confesso que algumas perguntas são meras provocações. Mas afirmo que não tenho a intenção de agredir, apenas de tentar obter respostas diretas. É a favor do Hamas, sim ou não? É a favor dos foguetes, sim ou não?

Não leve a mal. Moro longe do conflito, nada tenho contra o povo palestino nem contra você nem contra ninguém, e estou certamente aberto a pontos de vista contrários: quem sabe, em um ou outro aspecto, possamos até concordar. Eu aqui aceito os comentários de todos.

Saudações cordiais,

"Mr. X"

19 comentários:

Stefano disse...

Caro Mr.

Excelente carta e questionamentos - que ficarão sem resposta. NÃO há respostas possíveis além dos chavões surrados e inconsistentes destes ignorantes obtusos; depois, o que esperar de gente que apóia e baba com a camarilha comuno-fascista que assola nosso continente, redistribuindo igualmente o atraso e a miséria?
Ainda assim, continue jogando-os contra as cordas: vamor rir um pouco com a choradeira deles.

marcelo augusto disse...

Muito boas as considerações. Duvido muito que o Idelber venha a respondê-las. Se o fizer, não vale citar livros como o Protocolo dos Sábios de Sião e coisas afins.

Gunnar disse...

Cara, sou 100% alinhado com a direitarada nesse assunto.

Como alguém que se diz "progressista" pode sequer pensar em apoiar o terrorismo?

Ideologicamente, a esquerda deveria se alinhar com Israel e não com o Hamas... pois vejamos por exemplo: um esquerdão tipico, gay, feminista, moderninho, comunista, ateu, etc., seria tolerado onde? Em Israel ou em Gaza?

Mas claro que não se trata de ideologia pragmática. Se trata de fla-flu pseudo-ideologico, o velho anti-americanismo anti-"imperialista", anti-ocidente, etc. Ridículo.

E dá-lhe bomba no Hamas! Debate sobre paz é o c***. Nem que custe todas as crianças que eles dispõe (e usam deliberadamente como escudos), o dia que essa porcaria for extirpada, será um agente de instabilidade a menos.

Anônimo disse...

O Brasil na verdade não foi massacrado aínda pela lenga lenga comunista. Os portuguêses sim! olha Mr.X não adianta, é um caso de psiquiatria, mas eu como cristão desconfio que tem a influencia do diabo nisso. Eu morava em Braga do lado do partido comunista e nessa noite eles tinham acabado de ser humilhados nas eleições e assisti esta cena: dois "camaradas" chapados vinham pela calçada quando um gritou para o outro literalmente em desespero...quer dizer que as putas é que estão certas? Entendeu Mr.X? comunista é tão descolado da realidade que acha que vai salvar as prostitutas do seu martírio. O comunista quer assumir o papel de Deus(esse sim liberta o homem do mal). O Idelber chorou quando o Obama ganhou as eleições, mas não foi só isso; ele chorou convulsivamente no ombro de uma mulher negra deconhecida que trabalha num mercado onde ele estava fazendo compras... Entendeu? é como se fosse uma religião em que o deus é substituido por um mundo imaginário. No fundo é apenas mais uma das muitas idolarias a que os homens gostam de prestar vassalagem. E idolatria é uma obra do diabo.

Diogo disse...

Caro X, não generalize, chamando todos que criticam Israel de anti-sionistas.

Isso é desnecessário e desqualificado.

Aliás, queria saber se todos os arautos defensores de Israel que surgem aqui, realmente estão preocupados com o estado judaico.

Ou só estão querendo verbalizar seu viés político.

Vamos deixar de ser idiotas (me incluo nessa) e tentar despolitizar a questão.

Pax disse...

Engraçado, as esquerdas melhoraram o Brasil. De Fernando Henrique ao Lula, o Brasil deu uma melhorada geral. Nenhum aceita bem o que o outro fez, mas na verdade foi uma sequência de acertos, se quisermos olhar com um pouco de isenção para os itens que melhoraram.

Agora teremos Serra e Dilma. Serra é amigo do Lula, são afinados politicamente.

O que piorou? A corrupção que a direita implantou avançou e avançou forte. E essa direita hoje é só e somente só moeda de troca. Vendem-se como prostitutas baratas. A esquerda gostou desse jogo e tá batendo um bolão com os vendilhões, estão aprendendo e até ultrapassando em alguns casos conhecidos. Aí a vaca vai pro brejo mesmo.

Não concordo com as visões da esquerda sobre o coflito em Gaza. De forma alguma. Mas há culpas de Israel que precisam ser analisadas. Gabriel e Elias, no blog do PD, são os mais sensatos comentaristas israelitas de lá. Que criticam um bocado os governos israelenses dos últimos tempos, sem visão de futuro, sem capacidade de projetar e construir uma situação que traga vida confortável para Israel.

É difícil tratar com radicais islâmicos? Claro que é. É uma insanidade total. Mas criar e fomentar mais e mais radicais islâmicos cada vez mais ensandecidos não me parece uma boa abordagem. Ainda mais conseguindo que a opinião pública mundial fique do lado deles. Essa é uma questão importante. E real.

O antissemitismo só aumenta. E isso traz algo de bom? Não me parece.

ps.: começo a entender determinadas cabeças ocas. Quem acha que RA é o melhor autor do Brasil não pode ser nada além de ignorante mesmo. Se ficasse só na ignorância... é a tal da direita prostituta.

Mr X disse...

Diogo & Pax,

a) Acho que críticas a Israel são válidas, e nem todos que criticam Israel são "anti-sionistas". De fato, se clicarem no primeiro link do texto (palavra "outros") verão o texto de um certo (capitão?) Rodrigo que critica severamente Israel ao mesmo tempo em que critica os anti-sionistas e refuta várias informações falsas do Idelber.

b) É possível que muitos defendam Israel mais por ideologia do que por interesse no país em si, mas não vejo nada de mal nisso. Pior me parece apoiar terroristas porque é "moda".

c) Nem esquerda nem direita inventaram a corrupção, isso é muito mais antigo.

d) Concordo que apesaro dos defeitos FHC fez coisas positivas, notadamente o Plano Real, a coisa que mais mudou a vida dos brasileiros nos últimos 100 anos talvez.

e) Não acredito que a guerra necessariamente "crie mais radicalismo". A guerra contra o nazismo não "radicalizou os nazistas", ao contrário. O que cria radicalismo é o fanatismo religioso e o dinheiro enviado aos milhões por sauditas e iranianos a madrassas, campos de terrorismo, etc.

f) Quanto à "opinião pública a favor dos terroristas", grande parte já está. Graças a mídia parcial. Em breve um artigo sobre isso.

Ronald W. disse...

Monsieur X,

Bom artigo no Observatorio da Imprensa: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=520JDB002
Have a look ! So o fato dele ter sido vilipendiado no blog do Idelber ja lhe da muito credito... ;-)

Mr X disse...

Olá RW,
Acabo de fazer um post a respeito! Realmente, quem me chamou a atenção para o pos foi justamente o Idelber, hehehe. Como ele não gostou, só podia ser coisa boa. ;-)

Aliás, achei engraçado que, por não ter gostado do artigo, o Idelber decretou a "decadência" do Observatório de Imprensa. Ué! Assim que um órgão de imprensa passa a publicar artigos que não concordam com sua linha, entra em decadência? E olhe que o Observatório é esquerdíssimo em geral.

Chesterton disse...

Pax, como assim as esquerdas melhoraram o Brasil. O FHC agora é de esquerda? Ele não tinha se convertido e era neo-liberal? Ora, convenhamos , que falta de consistencia. E o Lula, tb não era acusado de fazer a politica do meirelles? A única coisa de bom que Lula fez foi silenciar sindicatos.

"O que piorou? A corrupção que a direita implantou avançou e avançou forte."

essa é ótema, quer dizer que a esquerda multiplicando a corrupção coloca a culpa de pecado originbal na direita? Deixe de ser ridículo e infantil, isso não tem a menor sustenção na lógica.

"É difícil tratar com radicais islâmicos? Claro que é. É uma insanidade total. Mas criar e fomentar mais e mais radicais islâmicos cada vez mais ensandecidos não me parece uma boa abordagem."

você acha que dar comidinha na boca de radicais islâmicos vai acalmá-los? Meu Deus, Pax, acorda. Criar corvos traz cegueira.

"Ainda mais conseguindo que a opinião pública mundial fique do lado deles. Essa é uma questão importante. E real."

Pax, não importa o que Israel faça, o estado judeu está atrapalhando os planos mundialistas, e foi rifado na intenção desses aristocratas. A imprensa foi comprada, até o Lucas Mendes do GNT machucou a lógica para encerrar o programa sem acusar o Hamas de porra nenhuma. Acorda.

"O antissemitismo só aumenta. E isso traz algo de bom? Não me parece."

E antissemitismo se combate com guerras, danem-se as opiniões públicas fabricadas em laboratórios.


"ps.: começo a entender determinadas cabeças ocas. Quem acha que RA é o melhor autor do Brasil não pode ser nada além de ignorante mesmo. Se ficasse só na ignorância... é a tal da direita prostituta."

Essa foi para mim, e é lógico que com essa sua cabecinha de porongo, nunca vai entender de lógica. Você vai a trás da propaganda (vide aquecimento global), você só vê aspectos superficiais dos fatos, se fixa na aparência e esquece a essência. Tenho certeza que ainda vai se envergonhar disso....se vai confessar a vergonha, não sei.

Chesterton disse...

Mr X, o OI há alguns anos era "gerido" (censurado) pela |Marinilda |Carvalho, com quem travei inúmeros embates deixando-a furiosa. O blog dela acabou com a eleição do Lula, pois a revolução que ela jurava vir não veio. Depois dela, parece que o próprio Dines tomou as rédeas, e se ele é de esquerda, não é burro nem desonesto. Aliás, sofre com o esquerdismo infantil de seus fãs, que o criticam por qualquer "deslize". O OI melhorou muito, e o fato do Idelber não ter gostado é prova disso.

Chesterton disse...

Diogo, conmcordo em despolitizar a questão: Hamas delenda est...

Pax disse...

Xi, velho e bom Chesterton, estás ficando umbigoso demais, pegando até elogio para outros.

Não, Chesterton, não era pra você. Você é só direitista antolhado. Mas não é canalha nem burro. Não fique.

Chesterton disse...

quem mais acha o Reinaldão o maior jornalista brasileiro? Achei que era só eu....

Salomão Cohen disse...

Caro Mr X,

A revolta esquerdista, como Freud já dizia, é a parte consciente de uma díade. A parte inconsciente é nada mais que o ódio às autoridades, às figuras ditas "superiores".

Se ele quiser explicar sua revolta para com os judeus, ele terá que primeiro de dar conta que o seu anti-semitismo na verdade vem de algo muito mais íntimo dele: o ódio ao pai, ou a figuras de autoridade de sua vida.

E isso é inexplicável, não? Ao menos publicamente.

Mas são ótimas indagações. Ele deveria levá-las ao divã.

Mr X disse...

Poxa, eu achei que esse negócio de "carta aberta" fosse funcionar, pessoal de esquerda adora carta aberta... :-/

Anônimo disse...

Fora umas que outras provocações, excelente.

Madeleine

Anônimo disse...

É, Pax, nessa eu acho que o Chest está coberto de razão. Quer dizer que os tucanos são de esquerda? Pergunte isso aos frequentadores (que saudade do trema) de blogs como o do Idelber...Dizer que a corrupção foi inoculada pela direita no governo do pt só demonstra o tamanho de sua ignorância (ou ingenuidade). Você não conhece as acusações do Chico Oliveira? O que você acha do assassinato daquele prefeito do ABC paulista cujo nome agora me foje à lembrança? Eis o mais belo exemplar da fé esquerdista. Acreditar que suas idéias fazem sempre o bem e que seus fiéis são incorruptíveis...Pax, o FHC é sim de esquerda, mas seu governo não foi. O Lula é inclassificável, não passa de um arquétipo do populismo latino-americano, mas a política econômica de seu governo também não é de esquerda, FELIZMENTE. Aliás, o Serra está à esquerda de Lula. A inegável evolução de nosso país se deu pela coragem "neoliberal" do Príncipe Sociólogo e pela idêntica coragem do Eneadáctilo em manter as bases do tal "neoliberalismo". O resto é conversa pra boi dormir...

Abraço

Kbção

idelfonso disse...

a esquerda tá cada vez mais criativa em inventar teorias(desculpas) para justificar e/ou apoiar o terrorismo. Citar a fase do Terror da Revolução Francesa como exemplo de que o terror pode ser apenas um degrau na escada para a democracia, uma espécie de prima-irmã da democracia foi demais. Justamente a fase em que a Revolução Francesa deixou de lado seus ideais, tornou-se anti-democrática, promoveu a carnificina. O Terror não ajudou a consolidar a democracia, ao contrário fez a Revolução Francesa perder apoio dos setores moderados, e perder muito do encanto inicial.