sábado, 24 de janeiro de 2009

O lobby ateu


Dizem alguns - normalmente abaixando a voz e falando em tom sinistro - que existe um tal "lobby judeu". Olha, pode ser. Não há nada de mais num lobby, é apenas um grupo que tenta influenciar a legislação de acordo com os seus interesses; é, em suma, parte do exercício da democracia. Também existe o "lobby cristão" e o "lobby muçulmano", que tem muito mais grana (do petróleo) nas mãos. E "lobby ateu", será que existe também?

Isso já não sei, mas sei que existe uma campanha mundial promovendo o ateísmo. Já lançaram vários livros sobre o tema, e recentemente o instituto do Grande Sacerdote do Ateísmo, Richard Dawkins, lançou uma campanha com cartazes nos ônibus londrinos. O slogan era:

DEUS PROVAVELMENTE NÃO EXISTE.
PORTANTO PARE DE SE PREOCUPAR E APROVEITE SUA VIDA.

Não tenho problemas com a primeira parte, mas confesso que a segunda parte me incomoda um pouco. Parar de se preocupar? Aproveitar a vida?

Ora, todo mundo sabe que os crentes se preocupam menos do que os ateus. Pense um pouco, quem se preocupa mais: quem acredita que existe Céu e Inferno onde os justos são premiados e os maus são punidos, que existe um Deus que vela por nós, que existe uma razão por trás de tudo... ou quem acha que o Universo é apenas um amontoado de átomos inúteis, que as coisas acontecem por puro caos, que você pode morrer a qualquer momento sem motivo ou razão, que o mal quase sempre triunfa sobre o bem e que não existe nem Céu nem Inferno, mas apenas o Vazio Eterno?

Por outro lado, a frase "APROVEITE SUA VIDA" me parece algo banal e superficial. É essa a "grande mensagem" que os ateus militantes têm a passar ao mundo? "Aproveite sua vida"?

Aproveitar em que sentido? Hedonismo, festas e orgias? Viver dez anos a mil em vez de mil anos a dez, como diria Janis Joplin? Ora, os antigos gregos já sabiam que grandes prazeres sempre trazem grandes sofrimentos. A conta por "aproveitar a vida" sempre chega com juros, cedo ou tarde, nem que seja na forma de cirrose, divórcio, insanidade ou dívidas.

Mas talvez o "aproveitar a vida" esteja sendo dito no sentido epicurista, a felicidade da vida contemplativa, dos prazeres amenos da moderação? Talvez.

Mas olhe a mensagem dos religiosos, dos evangélicos por exemplo. Não é "aproveite a vida", é "não roube, não mate, não use drogas, case virgem, não seja infiel, honre seus pais, ame seu próximo, doe para a caridade e o dízimo para a Igreja, e afaste-se de Satanás, irmão!" Não será uma vida tão exilarante, mas em geral costuma tornar o cidadão mais responsável do que aquele meramente preocupado em "aproveitar a vida", seja lá o que isso for.

O que aconteceria se a campanha ateísta funcionasse e todos os que vissem o anúncio saíssem por aí a "aproveitar a vida"? Seria o caos, amigos.

Mas talvez seja eu que me preocupo demais.

Vou lá "aproveitar a vida". Até.

Atualização: Acho que alguns leitores não entenderam bem o que eu quis dizer com este post. Na verdade, nem eu acho que entendi direito o que quis dizer. Mas não era uma crítica ao ateísmo em si, como à superficialidade essa da campanha do ônibus e, por extensão, à superficialidade de muito da vida moderna. Mas não entrava neste caso uma crítica direta aos ateus. E a frase sobre Satanás era uma brincadeira, embora eu - naturalmente - acredite na existência do Diabo. ;-)

15 comentários:

Anônimo disse...

Desculpe a grosseria, Mr. X, mas pra muitos aproveitar a vida se resume a ingerir drogas e dar o rabo.

Nei

Enrique disse...

"Aproveitar a vida" significa justamente não se preocupar se vai pro inferno ou não. E vivê-la ao máximo possível.

Quando vc não acredita em vida após a morte, você dá MUITO mais valor a sua vida. Tenta aproveitá-la ao máximo.

Quando vc acredita em vida após a morte, você não se importa em viver uma rotina ridícula e pedante. E ainda propaga a pérola "Eu não tenho medo de morrer", que eu já cansei de ouvir por aí.

Mr X disse...

"Aproveitar a vida" é bacana, mas é um slogan muito vago e superficial sobre o qual fundar a moral de uma sociedade, that's what I mean.

Acho que o problema da sociedade atual é justamente o contrário, demasiada ênfase na mensagem de "aproveitar a vida" (egoísticamente) e pouca nos deveres e responsabilidades de cada um.

Claro que alguém pode ser ateu e responsável, não tem necessariamente a ver com o ateísmo, mas enfim, só achei a campanha meio besta, é tudo.

Anônimo disse...

Nei, deve ser por isso que todos os padres bebem vinho, vários fumam, e muitos são homossexuais e outros pedófilos, idiota.

Anônimo disse...

Mr. X,
que dizer a um cidadao que em pleno seculo XXI acredita na existencia de satanas?
Sinceramente, va assistir ao blog-video do Bento, seu caso nao tem mais jeito, puro fanatismo religioso.
Nem tente disfar;ar.
(jsa)
(os sinais nao entraram, desculpe)

Mr X disse...

Não entendi, jsa. Ou talvez tenha sido você que não entendeu o texto, não fui claro.
abs,

marcelo augusto disse...

Ateus malditos!

Aliás, seria legal se comparássemos quantos cadáveres os ateus colocaram na conta da Sra. Morte e quantos foram postos pelas religiões.

Acho que só o comunismo deve ter assassinado mais (ou não).

Se eu fosse Deus, faria duas coisas:

a) Iria conversar com os ateus.

b) Impediria que os bilhões de cristãos entrassem no Paraíso e abriria as portas aos ateus, afinal de contas, deve ser chato demais viver por toda a eternidade rodeado por um bando de puxa-sacos! :)

CARPE DIEM!!

Anônimo disse...

Mr. X,
para falar a verdade, o que eu não entendi , mesmo, foi essa tal vida “exilarante” que nem o Aurélio soube me dizer (ou eu não soube perguntar, sei lá).
No “frigir dos ovos” você interpreta o “aproveitar a vida” com a visão de quem “acredita em Satánás”, então nada mais resta que pagar o dízimo e consumir os produtos do Grande Sacerdote do Teísmo.
Richard Dawkins deve ficar fora do mercado?
jsa.

Mr X disse...

jsa,
Acho que você não entendeu meeeesmo.

Anônimo disse...

Pelo menos você me entende, se tem certeza que eu não o entendi.
O que deve me atrapalhar deve ser essa minha lógica aristotélica que insiste em afirmar o geocentrimo.
abs.

Anônimo disse...

Quando eu descobri que agia inconscientemente em quase todos os atos da minha vida, fiquei estupefato!
Quando eu entendi que era apenas um ser pragmático, quase não consegui aceitar!
Impossível continuar acreditando no que mamãe havia me dito, que minha avó havia dito a minha mãe, que minha bissavó havia dito a minha avó...
Muitos defendem que a sabedoria humana fez-se no passado .
Poucos asseguram que no medo e na insegurança e na incerteza da avó do homo sapiens mais primitivo fez-se, apenas, a ignorância humana .
jsa.

Chesterton disse...

Acho que é o seguinte, deixe de se preocupar com questões morais, o bem e o mal não existem, são atos que podem ou não ser aprovados pela maioria. Parece um hino ao "Soma" do Brave New World.

Chesterton disse...

O diabo já adou pla Georgia

http://www.youtube.com/watch?v=3FRtkek-Et4

Anônimo disse...

Bola fora, X. Pegando carona no bom comentário do Enrique, gostaria de lembrar que todas, bom repetir: T-O-D-A-S!, as religiões se preocupam mais com o pós-vida (ou pós-morte, tanto faz). "Aproveitar a vida" é saber que ela é única e tem que ser aproveitada da melhor maneira. Acho até que, incoscientemente, vossa senhoria se trai ao pensar que o termo tem necessariamente um apelo hedonista ou que signifique um abandono dos quiestionamentos morais. Muito carola sua posição. A propósito, o grande J. P. Coutinho, como sempre, esclarece a questão da melhor forma possível:

"Disse e repito: aprender a morrer é uma forma de aprender a viver. Não apenas porque a consciência do fim revaloriza a nossa passagem pela Terra. Mas porque a morte permite dar a cada etapa da vida o respeito que essa etapa merece. Nem mais, nem menos. Só pela aceitação da morte seremos capazes de celebrar a juventude sem histeria e habitar a velhice sem drama. Ou seja, sem a tentação de prolongar patologicamente ambas."

Kbção

Mário disse...

Os ateus não são mais preocupados do que os cristãos.
Realmente,toda a existência no universo é inútil,está ali pra nada,por puro acaso,morreu,acabou,não tem céu nem inferno,e aí as pessoas não conseguem aceitar esse fato e tem de se agarrar às divinidades para ter alguma fonte(falsa)de esperança de que depois da morte ainda poderão viver,para se sentirem um pouco mais importantes no universo.
Já disse um certo homem:
"O homem é um ser que passa toda a sua vida tentando provar que a sua existência não é inútil."
Câmbio e desligo!