sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

O Evangelho segundo Saramago

Esta raiva que no fundo há em mim, uma espécie de raiva às vezes incontida, é porque nós não merecemos a vida, disse Saramago, Não a merecemos, Não se percebeu ainda que o instinto serve melhor aos animais do que a razão serve ao homem, Fez-se silêncio, tão denso e profundo que parecia que apenas os dois corações soavam, mais forte e rápido o dele, o dela inquieto com a sua própria agitação, e Saramago continuou, Desde muito novo orientei-me para a consciência de que o mundo está errado, Não importa aqui qual foi o grau da minha militância todos esses anos, O que importa é que o mundo estava errado, e eu queria fazer coisas para modificá-lo, O espaço ideológico e político em que se esperava encontrar alguma coisa que confirmasse essa idéia era, é claro, a esquerda comunista, Para aí fui e aí estou, Sou aquilo que se pode chamar de comunista hormonal. O nevoeiro afastou-se para onde estivera antes, via-se uma pouca de água ao redor do barco, lisa e baça, sem uma ruga de vento ou uma agitação de barbatana passando. Então o Diabo disse, É preciso ser-se Prêmio Nobel para gostar tanto de sangue.

(Dica do Nei. Será que Saramago é o Paulo Coelho dos intelectuais?)

4 comentários:

Chesterton disse...

Essa aqui eu tirei do orkut. Muito boa.


1. Stálin não matou ninguem;
2. Ok, matou mas foram poucos;
3. tudo bem não foram poucos mas não eram inocentes;
4. bem...talvez um ou outro fosse;
5. bom não foram poucos inocentes, mas foi preciso para salvar a revolução;
6. Stálin cometeu alguns equívocos que são de sua responsabilidade;
7. Stálin cometeu varios erros e a culpa é toda dele;
8. Stálin era um traidor;
9. Stálin era de extrema direita!

Anônimo disse...

Boa, Chest.

Madeleine

Mr X disse...

Hehe. :-)

alerts disse...

It seems different countries, different cultures, we really can decide things in the same understanding of the difference!
nike shoes