sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Virgindade à venda

Não sei bem o que pensar desta história, portanto peço a ajuda aos colegas comentaristas.

A estudante Natalie Dylan (nome falso), de 22 anos, colocou sua virgindade à venda no eBay. Não é o primeiro caso, mas é o que obteve maior publicidade. Os lances mais altos já chegaram a 3 milhões de dólares.

O mais engraçado é que a moça pretende utilizar o dinheiro para pagar a sua faculdade e se tornar uma "Terapeuta de Família e Casamentos". Valores familiares...

A graça da história não acaba aí. Ela foi inspirada no projeto pela sua irmã, uma terapeuta recém-formada, que pagou seus estudos prostituindo-se por três semanas em um bordel.

Prostitutas sempre existiram e sempre existirão, portanto não há nada de novo nesta história, fora o uso da Internet para a promoção e o valor excessivo dado ao produto. 3 milhões por uma noite de sexo?

Por outro lado, talvez a novidade seja a glamurização da prostituição, seja como opção de carreira ou como mero bico temporário. No Brasil, é claro, isso não é nenhuma novidade. A história de Bruna Surfistinha está aí para provar (aliás, desde que a moça abandonou a prostituição, seu blog virou um dos mais entediantes da internet mundial, provando que sexo vende qualquer coisa mesmo.)

É interessante observar os comentários que ilustram um artigo sobre a virgem prostituta: os libertários afirmam que, se ela vende e há quem compre, não há problema algum; os conservadores tradicionais reclamam da decadência da sociedade, que levou a uma completa inversão de valores morais; os esquerdistas afirmam que é tudo culpa do capitalismo, que transforma até a virgindade em mercadoria; as feministas aplaudem e dizem que o casamento é uma forma de prostituição muito maior.

Só um comentarista faz a pergunta - cadê os pais dessas garotas? (Sei que a garota é "di maior" e não precisa de autorização, mas não consigo imaginar pais que achariam a ideia de todo normal - se bem que talvez eles sejam pais "liberais" e estejam patrocinando a jogada e fiquem ainda com a metade do dinheiro.)


Virgem, será? E vale três milhões? Já vi coisa melhor na rua por muito menos.

4 comentários:

Gerson B disse...

Não entendo a tara de vários sujeitos pela virgindade. Mesmo que ela fosse virgem(?????) pagar tudo isso só para romper uma membrana é um ato de completa imbecilidade.

Mr X disse...

Também não sei. Acho que é mais a idéia de ser "o primeiro" e tal, mais do que o ato em si. De qualquer modo, não vale nem trezentos, quanto mais três milhões.

Anônimo disse...

Deflorar (!) uma virgem é muita mão-de-obra. Eu iria é cobrar por esse serviço.

Nei

Gunnar disse...

Estou com o Nei!

Virgens? Estou fora. Literalmente.