quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Acuse-os do que você faz

A citação seguinte, atribuída a Lenin, é a mais perfeita descrição do método da esquerda, em qualquer continente ou período histórico:

"ACUSE-OS DO QUE VOCÊ FAZ, XINGUE-OS DO QUE VOCÊ É".

É perfeito. Enquanto roubam, reclamam da corrupção. Enquanto matam, reclamam da perseguição. Enquanto buscam se perpetuar no poder, acusam os opositores de desrespeitar a democracia. Enquanto censuram a mídia, reclamam da "elite que controla os meios de comunicação". Enquanto protegem terroristas, acusam outros países de terem uma Justiça deficiente. Enquanto destróem as instituições, afirmam estar desenvolvendo-as e acusam aqueles que impedem seu trabalho. Enquanto acumulam bilhões para si e seus amigos, falam em justiça social. Enquanto obtém cada vez mais poder sobre o indivíduo, acusam os que tratam de se defender.

Ninguém pode negar que, do PT ao Chávez ao Mugabe aos Kirchner, é o método mais usado por 10 entre 10 esquerdistas, ou qualquer outro tipo de governante sedento de poder.

O que eu queria saber é o seguinte: alguém sabe qual é a fonte original desta frase? Não consigo encontrá-la em lugar algum, nem mesmo descobrir se é realmente de Lenin. Agradecem-se informações.

Buuu. Será que está morto mesmo?
(Confira aqui as 7 maravilhas do mundo totalitário)

22 comentários:

Antonio disse...

X, acaba de me ocorrer que a maioria destas coisas que vc listou aí se encaixam direitinho no governo Bush e na trupe ultra-reacionária que lhe dava apoio. Olha só:


"Enquanto roubam, reclamam da corrupção."

(Escândalo envolvendo a Halliburton)


"Enquanto matam, reclamam da perseguição."

(Guerra do Iraque, travada em nome de uma mentira)


"Enquanto censuram a mídia, reclamam da elite que controla os meios de comunicação".

(O Rage Against the Machine, que foi literalmente banido das rádios após o 11 de setembro; a imprensa que simplesmente comprou a mentira das armas de destruição em massa -- a ponto de o New York Times escrever um editorial depois pedindo desculpas por não ter feito o trabalho corretamente; isso para não falar que quem ousasse levantar a voz contra a guerra era taxado de "anti-patriota". Mas de uns tempos para cá, como num passe de mágica, a maioria da mídia americana é Obamista, némesmo?)


"Enquanto destróem as instituições, afirmam estar desenvolvendo-as e acusam aqueles que impedem seu trabalho."

(Guantânamo é um atentado contra a Justiça americana. Mas Bush afirmava estar promovendo a justiça, certo? E além disso, a segurança nacional era um valor maior, que a tudo justificava... Relativismo? Que relativismo?)

Enquanto acumulam bilhões para si e seus amigos, falam em justiça social.

(No governo Bush o déficit americano aumentou, assim como a desigualdade; o Katrina fez o favor de expor o lado triste disso. Mas os çábios da direita estavam trabalhando "for the american people", némesmo?)

"Enquanto obtém cada vez mais poder sobre o indivíduo, acusam os que tratam de se defender."

(Ah, o Patriot Act! As liberdades individuais, tão prezadas, tão defendidas pelos papas do conservadorismo... Isso para não falar do aborto e de questões relacionadas ao homossexualismo.)

E é por isso que eu digo e repito (e vou morrer repetindo): os extremos sempre se tocam.

É pena que os extremistas de ambos lados não consigam ver o quão parecidos são em relação aqueles que mais detestam.

Abs,

ACT

Mr X disse...

ACT,

Pois espere só até ver o que o Obama vai fazer... ;-)

Obrigado por seus comentários, mas, sobre as coisas que você afirma, algumas correções:

1) Guantánamo não é atentado à lei americana coisa nenhuma. Nem mesmo contra a convenção de Genebra, pois não eram prisioneiros de guerra de um Estado que as respeitasse. Aliás, antes de Guantánamo, nos anos Clinton, os terroristas eram simplesmente mortos em combate ou entregues a autoridades egípcias, sauditas, etc, onde sofriam torturas muito piores. É o que provavelmente vai voltar a acontecer.


2) Bush não é nem nunca foi "ultra-reacionário"; de fato, os conservadores mais tradicionais não gostam do Bush.

3) Sobre o Patriot Act, espere pra ver o que o Obama vai fazer em nome do "Fairness Act" e do "Freedom of Choice Act". Sem falar que ele vai ter 700 trilhões de dólares do "Stimulus Plan" para literalmente fazer o que quiser. A esquerda e os Democratas (a esquerda de lá) adoram esses nomes que dizem uma coisa mas são seu oposto. Pode apostar que vai ter bem menos liberdade de expressão num governo Obama, é só que vai ser a liberdade "certa", isto é, de dizer coisas "progressistas".

4) Se você acha que os negros pobres de New Orleans foram criados em meros 4 anos pelo Bush em seu primeiro mandato, deve estar maluco. Mas enfim, se até o Katrina você está colocando na conta do Bush...

5) As músicas do Rage Against the Machine NÃO foram banidas, nem as de nenhum outro grupo. Simplesmente, nos dias posteriores ao 9/11, uma empresa proprietária de diversas emissoras de rádio circulou entre suas emissoras uma lista de músicas que recomendava que não fossem tocadas, devido à sua temática (letras que falavam em avião explodindo, terrorismo, etc.). Mas está muito longe de ser censura e, além disso, sendo rádios privadas, podem tocar o que quiserem:
http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_%22songs_with_questionable_lyrics%22_following_the_September_11%2C_2001_attacks

6) A mídia sempre odiou o Bush e adora Obama. Fato claríssimo.

Ah, lembrei de outra coisa típica: a indignação seletiva. Reclamavam do Bush que era "burro" e "não sabia falar direito". Curiosamente, são as mesmas pessoas que nunca reclamam a mesma coisa do Lula.

Concordo com você que também há governos "de direita" que usam a mesma técnica. Para mentir e ser desonesto não é necessário ser "de esquerda", mas ajuda. ;-) :-P

Antonio disse...

Tem razão, X.

Guantanamo não é um atentado à justiça americana. É o Estado de Direito rasgado em pedacinhos, é a traição de alguns dos ideais mais caros à América.

Se Sauditas e Egípcios torturam, problema deles. Os EUA, que se arrogam o posto de maior defensor da democracia e do Estado de Direito, não podem, por coerência de princípios, fazê-lo.

Não botei o "Katrina na conta do Bush". Releia o que escrevi: o "Katrina fez o favor de *expor* o lado triste disso (a desigualdade)". Números, Mr.X, números. Os EUA ficaram mais desiguais com os 8 anos de Bush, sua economia piorou.

Tampouco disse que o Bush é ultra-reacionário. Muitos conservadores tradicionais, como vc os chama, podem até não gostar do Bush. Mas, convenhamos, que Bush representava uma agenda claramente reacionária, isso parece um tanto óbvio.

Dizer que a "mídia sempre odiou o Bush" é simplificar a questão novamente... Caro, e o que dizer do fato de a mídia ter comprado a história das armas de destruição em massa sem nem ter se dado ao trabalho de fazer o dever de casa básico, ou seja, checar as fontes?
Oh, coitado do Bush. Tão maltratado pela mídia, né?

Sobre os "acts" que virão pela frente, aceito sua sugestão -- esperemos para ver. E não aposto nada, que eu não tenho bola de cristal.

E concordo uma vez mais com vc: a indignação seletiva é mesmo uma praga.

Se uma nação islâmica move uma guerra por um motivo absolutamente mentiroso, e se tortura seus prisioneiros, noooooossa mãe do céu, quanta indignação viria de conservadores como você!

Agora, se é os EUA que fazem isso, é só elogio -- finalmente a civilização se levanta contra a barbárie...

ACT

Anônimo disse...

Desiste Antonio. Você nunca vai convencer um radical que o outro radical é igual a ele com sinal trocado.

Mr X disse...

OK, ACT, o Bushe é malvado e a frase pode ser válida pra alguém de direita também, se um pode usar o outro também. Tás satisfeito?

Quanto a Ocidente vs. Islã (quem dera fosse assim tão simples), é uma questão de afinidade. Se a coisa pega pra valer, prefiro que o Ocidente "vença" mesmo que haja violência dos dois lados. Mas nem "Ocidente" nem "Islã" são blocos monolíticos.

Curiosidade, e se estourasse uma guerra entre Brasil e Venezuela, de que lado você ficaria?

E afinal, foi o Lenin quem disse a maldita frase ou não?

Mr X disse...

E eu não sou "radical". Eu sou normaaaaal!

:-)

Gerson B disse...

Perto de outros direitistas o X é moderado. Tem gente muito mais radical.

Mas acho o Bush um monstro tambem. E ele prejudicou os EUA com sua ganância e estupidez.

Antonio disse...

Cara, supondo que houvesse uma guerra total e aberta entre Ocidente vs Islã, ou entre Brasil vs Venezuela, é claro que eu ficaria ao lado do Ocidente, e do Brasil. Sem pestanejar.

Mas antes de uma Guerra (g maiúsculo proposital) desse porte acontecer, muita água tem que rolar debaixo da ponte...

E aí é que entra a minha crítica. Radicais, de ambos os lados -- o PD andou escrevendo como Bush e Bin Laden serviram direitinho aos propósitos um do outro, como se reforçaram mutuamente -- fazem de tudo para que a Guerra aconteça. Um tem que subjugar o outro, e o outro, o um. Qualquer coisa que não seja o domínio completo do adversário não serve.

Radicais como vc (e Olavão, Reinaldão etc.) dão uma contribuição mais modesta, mas nem por isso desimportante.

E não sei foi o Lênin que disse a tal frase -- mas desconfio que não. Era um sujeito inteligente. Se tivesse que chutar, diria que tem mais a cara do Stalin.

abs,

ACT

Anônimo disse...

Se essa frase é mesmo de Lenin não consegui apurar, mas o espirito dela sem duvida permeia todas as ações dos esquerdistas.
A coisa mais comum não é um esquerdista lhe acusar do que voce nao disse, e ainda pedir sua cabeça por isso?
Não é uma deficiência, e sim um método.

Nei

Anônimo disse...

são absolutamente iguais, um de um lado e o outro do outro, um veste azul e o outro veste vermelho, um exagera e o outro exagera também

olhando de perto ninguém é normal

olhando mais de perto ainda todos radicais são iguais

Anônimo disse...

Hey Mr. X o que será que voce tem que escrever pra nao ser considerado um radical de direita, e assim ganhar a aprovação dos que se acham "esquerda soft"?

Nei

Stefano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabio Marton disse...

Équis, de troll não se cuida pendurando água com açúcar na varanda. Troll se resolve com lança-chamas, é mais barato que você pensa.

Anônimo disse...

Vejam só esse texto que cita Dalrymple, vejam se não vem bem a calhar:
A mentira propositadamente inverossímil, propositadamente contrária aos fatos visíveis (...) é uma técnica psicológica já bem testada em seitas pseudo-religiosas e em regimes totalitários. Theodore Dalrymple resume-a com precisão: “No meu estudo das sociedades comunistas, cheguei à conclusão de que o propósito da propaganda comunista não era persuadir, nem convencer, mas humilhar – e, para isso, quanto menos ela correspondesse à realidade, melhor. Quando as pessoas são forçadas a ficar em silêncio enquanto ouvem as mais óbvias mentiras, ou, pior ainda, quando elas próprias são forçadas a repetir as mentiras, elas perdem de uma vez para sempre todo o seu senso de probidade... Uma sociedade de mentirosos castrados é fácil de controlar.”

Retirado de um artigo de OdeC

Nei

Gerson B disse...

Hmmmmm... essas acusações de que "todos os radicais são iguais", "você é como os outros radicais", etc já não são uma forma de "acuse-os do que você faz"?

Pangloss disse...

A Wikipédia adverte: "Don't feed the trolls"!

Salomão Cohen disse...

Antônio, você não deveria rever seu conceito de "direita" e "radical"?

Por exemplo, não conheço nenhum direitista que use argumentos de "justiça social", ou que se utilizam de vitimismo ou de serem "perseguidos", ou de acusar a "mídia de ser controlada pelas "elites".

É leviano e errado. A direita defende a conquista pelo merecimento, a livre concorrência, não recorrem ao vitimismo e defendem a livre expressão.

Atentai, caro Antônio, atentai!

Claudio disse...

A autoria da frase é atribuida a Lenin, mas há controvérsia.
Abs
Claudio

Leonardo de Oliveira Martins disse...

Parece-me que essa frase se espalhou como fazendo parte de um suposto "decálogo para a conquista do poder" de autoria do Lenin, mas tenho a impressão (li em algum lugar da net que não acho agora) que é apenas um resumo de algum livro dele.

Anônimo disse...

Alguém pode me informar o volume ou o texto exato (e se puder a página), onde Lênin escreveu isso?

Já perguntei ao mestre Olavão, recentemente demitido do JB, mas não tive resposta.

Parece ser um caso parecido com aquela coisa do Dostoievsky que diz mais ou menos assim: sem deus tudo seria permitido.

Ocorre que um estudioso de Dostoyevsky, um direitista assumido, Janer Cristaldo, contesta isso. Diz que não existe essa frase.

E a de Lenin, existe mesmo? Onde está, em que texto, qual a página?

Digam vocês. Repetir de orelha não vale.

Anônimo disse...

Alô Mr X.
Como sou curioso me responda:
Porque esta turma que chutava o Bush(adorava o Sadam lógico).
Odeia Guantanamo,mas idolatra as prisões cubanas.
Adora negro,ops keniano,e julga que we can! (we) quem cara pálida ?.
Detesta americano e adora palestino,mas não vai de férias em gaza.
Condenam a corrupção americana(onde estão presos os corruptos)mas não saem às ruas pela corrupção integral por aqui.
falam em censura de mídia americana e nem reparam que aqui a mídia vive às custas das benesses do governo(sem censura lógico).Mencionam o episódio do Katrina,mas não falam do #$%,ops de novo,governador do Estado que RECUSOU A ASSISTENCIA NA HORA crítica por ser oposição ao BUSH.
Reclamam do déficit americano e choram quando o mesmo quer cortar as importações.
Falam em acúmulo de riquezas por lá e nem tocam no enriquecimento dos políticos por aqui.
Surgiu até castelo agora.
Criticam a corrupção lá,mas não veem a que esta ao seu lado,com a diferença que lá a chance de prisão é infinitamente superior á nossa.
Se algum país tortura é problema deles,mas se existisse tortura nos Estates é problema do comentarista ou meu.
E como adendo,como Guantanamo é território ALUGADO e MILITAR,suas leis não seguem exatamente as leis civis dos Estates.
E não me encha o saco discutindo Guantanamo,que é problema de Raul CASTRO.
kkk

ai meus sais

abraços
karlos

Maria disse...

Sua análise política tem a profundidade de um pires.