domingo, 25 de janeiro de 2009

Eurábia e Multimérica


A julgar por algumas recentes notícias, a Europa será muçulmana em poucas décadas.

O processo contra Geert Wilders é algo que só pode ser explicado pela total apatia de um povo frente a seus algozes muçulmanos. Como explicar se não que alguém que vive com escolta armada 24 horas por dia para não ser degolado por fanaticos muçulmanos, seja ele próprio acusado de "incentivar o ódio contra o Islã"? E desde quando o objetivo das cortes holandesas é defender religiões alheias?

Trinta ou quarenta anos atrás, as elites dos países ricos ocidentais tiveram uma idéia bastante estranha: "por que não importar para nossos países milhões de imigrantes do Terceiro Mundo?" E assim hoje a Europa está cheia de imigrantes muçulmanos, e os EUA cheios de mexicanos, e não sabem o que fazer com eles.

Não se sabe as causas: argumenta-se que tenha sido para obter mão de obra barata, embora vários estudos indiquem que a imigração, depois de passar de certa percentagem (5% da população), traz mais custos do que benefícios. Europeus e americanos estão pagando caro, literalmente, pelos seus imigrantes. Isso sem falar nos efeitos secundários como o aumento do crime, etc.

Certo que o problema na Europa é bastante mais grave. Os imigrantes mexicanos não são um problema nem de longe tão grave quanto o dos muçulmanos, que tem uma cultura totalmente diversa e, ao contrário dos latinos, não tem uma intenção clara de se assimilar.

Terrorismo, insegurança, aumento do crime, gangues, estupros, mutilação genital, poligamia, tráfico de drogas, degradação social, etc - tudo isso aumentou com a chegada desses imigrantes. Talvez seja politicamente incorreto apontar isso, mas é verdade.

Apesar disso, partidos de esquerda europeus continuam querendo importar mais e mais imigrantes, pois, afinal, são mais votos para eles. Sim, a esquerda e o Islã são aliados hoje, nada mais claro do que isso. Os imigrantes votam na esquerda, e em troca a esquerda abre mais ainda a porteira aos imigrantes.

Um certo Takuan Seiyo, que mora no Japão mas na verdade é polonês, escreveu uma série de artigos muito interessantes sobre o tema, chamados "From Meccania to Atlantis". Atenção, são artigos longos e complexos (eu não cheguei a ler tudo). Além disso, tocam em temas tabu, como: raça, racismo, etnia, genética (i.e. diferença de QI entre brancos, negros e asiáticos e entre homens e mulheres), inteligência (por que alguns são gênios e outros meramente medíocres por mais que se esforcem), políticas de imigração, elites versus povo, decadência cultural. Não sei se os artigos estão corretos, sei apenas que oferecem uma perspectiva diferente da usual.

Takuan argumenta que não apenas a Europa (Eurábia) como a América (Multimérica) - e, de fato, todo o atual mundo ocidental - abandonou seus antigos valores e está numa grave crise de identidade, da qual talvez não se recupere. Fazendo referência ao filme "Invasores de corpos", ele diz que vivemos em uma sociedade de "pods", i.e. de meros zumbis hipnotizados por uma elite destrutiva.

Para quem quiser saber mais, o primeiro artigo da longa série está aqui.

21 comentários:

Anônimo disse...

Ao se combater grandes monstros, tornamo-nos seus iguais...

Mr X disse...

Será?

Anônimo disse...

Há disponibilidade de algum aparelho de reflexão da própria imagem por perto? Use.

marcelo augusto disse...

A islamização da Europa Ocidental parece estar a caminho. Caso isso ocorra de fato, pela primeira vez veremos países desenvolvidos retrocederem ao subdesenvolvimento.

Tentem imaginar, pessoal, qual não seria o resultado quando uma multidão de muçulmanos entrasse no Uffizi (Florença, Itália) e visse todas aquelas pinturas e esculturas que são uma celebração da genialidade humana?

Qual não seria a reação de um muçulmano ao ver a obra O Nascimento de Vênus? Não iria ficar surpreso se ele dissesse infiel, prostituta, filha da terra sionista e, logo em seguida, partisse para destrui-la por completo.

Caso o Islã e seus fiéis venham a dominar a Europa, não iria me espantar se no lugar do Uffizi eles pusessem uma mesquita.

Aliás, será que o Islã e o desenvolvimento são incompatíveis? Quantos são os países islâmicos desenvolvidos?

Mr X disse...

Fale claro, colega anônimo. De qual monstruosidade estamos falando, de cortar cabeças? Explodir pessoas? Ou demonizar o islamismo? O que foi que eu fiz de tão "monstruoso"?

O fato é que a imigração islâmica está causando vários problemas na Europa, e quem não vê isso, azar. Não é o único problema, não. A cultura, a economia, tudo está em decadência em todo o mundo chamado ocidental. E os "brancos" também são parte do problema, quem disse que eu gosto dos hooligans ingleses ou os supremacistas brancos americanos, ou todo esse tipo de maluco?

Não estou propondo nenhum tipo de fascismo não. Nem mesmo expulsão de nenhum imigrante. Aliás não estou propondo coisa alguma, só indicando um artigo para os interessados lerem. O artigo aliás, nem é tanto sobre islamismo como sobre outros temas da "decadência ocidental".

marcelo augusto disse...

Ah sim, como sempre faço quando quero me divertir, fui até o site do Idelber e olhem só o que ele escreveu sobre o episódio com Theo Van Gogh:

#14

e, sim, acho que até segunda ordem o lance do Theo Van Gogh é acontecimento totalmente isolado.

Nem a opinião pública sobre a flexibilidade das leis de imigração isso mudou em grande coisa, parece.

Idelber em novembro 12, 2007 4:00 PM


Fosse um palestino ou um desses islamo-fascistas, e Idelber estaria falando em massacres, chacinas, holocaustos, Shoá Infantil, crimes de guerra e etc., além de estar elaborando glossários fajutos para tentar adaptar a verdade factual às suas crenças tortas e falácias.

Anônimo disse...

Não sei porque vocês dão tanta importância a esse tal Idelber (o nome dessas figuras...).

Chesterton disse...

os 2 se unem para eliminar a competição e acham que depois da vitória serão mais ágeis na degola que o antigo parceiro...se não fosse trágico seria cômico.

Mr X disse...

O Idelber é alívio cômico.

Chest,
É tipo papel pedra tesoura. Papel (capitalismo) perde da tesoura (comunismo). O islamismo (pedra) vence o comunismo (tesoura) .

Anônimo disse...

Ilustre Mr. X,
quando esse nosso mundo ocidental viveu o seu auge de valores antigos em vossa visão?
Concordas com o ilustre Takuan?
E esta está tal grave crise de identidade?
Qual seria essa identidade (que parâmetros) de acordo com vosso entendimento?
Se possível, o vosso ponto de vista, fico-lhe grato.
Eu acho produtivo conhecer a opinião das pessoas.

jsa.

Mr X disse...

Olá Jsa,

Não li o suficiente o Takuan para saber se concordo com ele ou não. Costumo em geral gostar bastante do Theodore Dalrymple, que escreve mais ou mesmo na mesma linha da "decadência ocidental".

Chesterton disse...

è, mas pode virar briga de faca no escuro,

Stefano disse...

Anônimo das 17:50: eu também não entendo, verdadeira e humildemente, porque figuras tão inteligentes discutem tanto o tal blogueiro petralha de nome bisonho...O sujeito é burro, sectário, mentiroso, desonesto (esquerdista d.o.c.)...Qual a graça?

Anônimo disse...

O anonimo que abre os comentários está tentando citar Nietszche: Whoever fights monsters should see to it that in the process he does not become a monster. And if you gaze long enough into an abyss, the abyss will gaze back into you.
Costuma ser traduzida como algo como: "Não combata os monstros, se voce receia tornar-se como um deles, Se voce olhar dentro do o abismo, o abismo olhará dentro de voce".
Duvido que o Nietzsche tenha imaginado um dia que seria citada nesse contexto.

Nei

Diogo disse...

Pelo andar da carruagem do Mr X, logo oa arábes serão confinados em guetos.

Sei não, acho que já vi esse filme.

Mr X disse...

Era com o Leonardo di Caprio?

Rolando disse...

Eu não sou contra a imigração. Mas também acredito que seja no mínimo uma ingenuidade pensar que toda migração é benéfica. As capitais do nosso país são um grande exemplo de como esse processo acelerado, desenfreado e mal planejado foi nocivo para a segurança, qualidade de vida, ordenamento urbano e uma infinidade de outros temas.

No link que coloquei, uma reportagem sobre o antropólogo (para variar) suíço Christian Giordano defendendo a aplicação da sharia para a crescente comunidade islâmica do país. Como ideias extremas geram reações extremas, a UDC, partido da direita, defende projeto de lei que proíbe a construção de minaretes no país, com o claro intuito de inibir a construção ostensiva de mesquitas.
Isso num país em que sua população por séculos soube conviver com quatro línguas nacionais, catolicismo e calvinismo e imigrantes de países vizinhos...

Antonio disse...

Mr X: "Trinta ou quarenta anos atrás, as elites dos países ricos ocidentais tiveram uma idéia bastante estranha: "por que não importar para nossos países milhões de imigrantes do Terceiro Mundo?" E assim hoje a Europa está cheia de imigrantes muçulmanos, e os EUA cheios de mexicanos, e não sabem o que fazer com eles."

Eu: Errado. A imigração a que vc se refere começou muito antes disso. Qualquer historiador lhe dirá: o último estágio de emergência na nação moderna (segunda metade do século XIX) é também um período de intensa imigração, e isto em função da dominação colonial. Mas o processo se acelerou mesmo ao final da II Guerra. A Alemanha foi em grande parte reconstruída por mãos turcas, para ficarmos apenas em um exemplo.


Mr X: "Terrorismo, insegurança, aumento do crime, gangues, estupros, mutilação genital, poligamia, tráfico de drogas, degradação social, etc - tudo isso aumentou com a chegada desses imigrantes. Talvez seja politicamente incorreto apontar isso, mas é verdade."

Eu: Não é verdade -- pelo menos não nos termos em que vc coloca. Do jeito que vc escreve, fica parecendo que o único fator (ou o mais importante) a contribuir para o aumento disso tudo é a presença maior de imigrantes. E não é bem assim. Algumas considerações:

1. Imigrantes de primeira e segunda geração só raramente causam problemas (crimes etc.) -- eles têm que construir uma vida inteiramente nova para si. Os problemas começam a partir da terceira e quarta gerações (há estudos acadêmicos sobre o assunto, procure).

2.Vc ignora completamente as condições econômicas e sociais. Obviamente, pobreza não é sinônimo de crime (se fosse, as áreas mais pobres do nordeste brasileiro seriam também as mais violentas, e não são), mas é um fator importante. Um imigrante com oportunidade de trabalho e salário é uma coisa; desempregado e sem perspectiva é outra. O que nos leva ao ponto 3.

3. No período por vc mencionado, houve um aumento significativo de urbanização. Cidades grandes são mais violentas, entre outros motivos, porque há menos coesão social (e coerção social, como diria o velho Durkheim). Maior a cidade, maior o anonimato, menor a coesão social -- maiores as portas abertas para a transgressão.

4. Vc coloca várias coisas no mesmo saco, como se fossem partes de um mesmo pacote "Terrorismo" e "tráfico de drogas" estão juntos na mesma frase -- tudo culpa do aumento da imigração. Mas... O terrorismo não foi também -- ênfase neste também -- impulsionado pela política externa norte-americana? E o tráfico de drogas? Vc está realmente querendo nos convencer de que a Europa e os EUA passaram a demandar entorpecentes apenas depois que a imigração de intensificou? Impressionante: seu raciocínio simplesmente desconsidera TODA a conjuntura política, econômica e social da história recente para simplesmente afirmar uma relação direta de causa e efeito: imigração = degradação.


Mr X, o defensor da Grande Sociedade Aberta...

Abraços,

ACT

Anônimo disse...

mas não adianta tentar convencer um monstro que o outro monstro é seu igual

cada monstro tem um espelho mais bonito que o outro

Mr X disse...

ACT,
Tem razao que existem muitos outros fatores emjogo, simplifiquei demais. Mas a imigracao tambem e um deles, ou nao?

Anônimo disse...

Os muçulmanos invadem a Europa e, os europeus fazem Parada Gay de Pederastas!