quarta-feira, 18 de junho de 2008

Indiana Jones e os Comunistas de Cristal

Vi no outro dia o último Indiana Jones. Não achei tão ruim quanto dizem, aliás até me diverti. É verdade que não está exatamente à altura dos outros, o roteiro não fecha, tocam música mexicana no Peru e Indiana diz ter aprendido quechua "com Pancho Villa", tem cenas inverossímeis ao ponto do absurdo, outras um pouco patéticas ou infantis, demasiado CGI e a eterna (e chata) fascinação de Spielberg com "ETs" também está meio deslocada. Mas basta ver o filme sem qualquer pretensão de seriedade, ou sem expectativas de que seja um novo "Caçadores da Arca Perdida", ou de recuperar a magia perdida da infância, e tudo irá bem.

Mas cito o filme por outra razão. O filme tem lugar nos anos 50 (a própria fotografia meio ao estilo Technicolor reflete isso). Estamos em plena Guerra Fria, os russos são os vilões, a corrida nuclear e espacial está no ar, e ocorrem algumas coisas interessantes.

Enquanto Spielberg, como bom Democrata, faz uma nem tão sutil crítica ao "macartismo" em algumas cenas, o paradoxal é que, bem, os agentes soviéticos infiltrados e os vilões comunistas da KGB realmente existem e são os vilões do filme. Ou seja, desde esse ponto de vista, a julgar pelo último "Indiana Jones", McCarthy estava certo: a América estava cheia de comunistas, até mesmo embaixo da cama, e todo cuidado era pouco.

Em uma das cenas cruciais do filme, a vilã (interpretada simpaticamente por Cate Blanchet com uma peruca cafona, e possível referência à Ninotchka de Lubitsch/Wilder) sonha com uma "arma telepática" com a qual se infiltrará na mente dos americanos e fará "com que pensem com nossas idéias, e nem mesmo saberão que estão pensando com nossas idéias, nem poderão imaginar que somos nós que estamos invadindo e controlando seus pensamentos".

De fato, o plano funcionou. Ao longo das décadas, os comunistas russos e seus simpatizantes locais impuseram as suas idéias ao grande público americano, não através da telepatia mas da mídia, das artes, da escola e da universidade. Os autores e propagandistas tiveram sucesso e hoje as idéias esquerdistas são praticamente aceitas como "a verdade inquestionável"; Obama, o candidato mais à esquerda da história das eleições americanas, tem muitos amigos marxistas que militavam nos anos 60, e grandes chances de ser eleito presidente; é moeda corrente entre grande parte da própria população americana e mundial que "os verdadeiros vilões do mundo são os EUA e o capitalismo".

O vídeo abaixo, de um ex-agente soviético real, explica um pouco como isso foi feito:



P.S. O Partido Comunista russo não gostou do filme, e ameaçou "bater" em Harrison Ford se ele puser os pés em Moscou. Curiosamente, foi o primeiro filme da série Indiana Jones a ser exibido nos cinemas na Rússia, os outros (pré-1989) tendo sido censurados pela URSS...

8 comentários:

DarwinistO disse...

Ao longo das décadas, os comunistas russos e seus simpatizantes locais impuseram as suas idéias ao grande público americano, não através da telepatia mas da mídia, das artes, da escola e da universidade. Os autores e propagandistas tiveram sucesso e hoje as idéias esquerdistas são praticamente aceitas como "a verdade inquestionável"

Corretíssimo! Tanto que Obama, se eleito for, substituirá o segundo presidente mais esquerdista da história dos EUA, que graças a seu esquerdismo quase radical conseguiu se eleger por dois mandatos...
:-b

Mr X disse...

Efetivamente, segundo alguns conservadores (e o Olavão), Bush na verdade é meio de esquerda... Mas essa é outra história! :-)

Pax disse...

Mr X, Obama não tão a esquerda assim não cara. Acho que você não tem uma boa visão do cara. Aliás, nem ele mesmo tem. É mais moderado que você possa imaginar.

Sugiro veementemente que tenhas saco e leia essa matéria da revista Piauí numa edição passada.

http://www.revistapiaui.com.br/artigo.aspx?id=534&anterior=32008&anteriores=1

Mr X disse...

Pôu, Pax, Piauí? Essa revista de... comunista?

:-P

Mas falando sério, uma coisa são as palavras do Obama, outra coisa o que ele faz realmente, quais são seus contatos, sua biografia, etc. Nesse segundo quesito, não dá pra confiar muito. Pode que o cara não seja tão ruim assim, ou que fique à altura do cargo ao assumir. Por ora o vejo, na melhor das hipóteses, como um bem-intencionado mas despreparado, e na pior, como um Jimmy Carter piorado que vai complicar tudo.

Pax disse...

Na entrevista da Piauí, que não vejo nada de comunista, você verá uma boa parte da biografia pessoal e política do Obama.

O cara é mais conciliador que qualquer outra coisa.

Despreparado? Pode ser. Vai fazer lambança? Pode ser que não.

A hora é de alternar lá, na minha opinião. Foram 8 anos de um péssimo governo que enfraqueceu os EUA. Quem sabe mudando, muda.

anrafel disse...

Na época mais braba da ditadura militar brasieira, tinha gente no II Exército, subordinada ao General Ednardo D'Ávila (demitido por Geisel), que enxergava o complô comunista em São Paulo comandado por três pessoas: Dom Paulo Evaristo Arns, o governador Paulo Egydio Martins e Júlio Mesquita Neto.

Informação de uma das "Ditaduras", de Elio Gaspari.

Kct disse...

Mr X, eu odiei esse filme, do início ao fim, aliás, dormi boa parte dele.
Desenvolvi um hábito novo agora, que é buscar por filmes antigos (década de 80) na Internet para suprir minhas necessidades com cinema, tenho saudades dos tempos dos dublês... Não aturo mais CGI!!!

Mr X disse...

Pois é... Tem CGI que acaba com qualquer filme... :-(