terça-feira, 17 de junho de 2008

Um bicho às terças

O cão doméstico (Canis lupus familiaris) acompanha o homem há muito tempo. Descendente do lobo, foi quase certamente o primeiro animal a ser domesticado, há uns 15 mil anos atrás.

O cão é um dos animais que maior empatia tem com o ser humano. Recentes experiências comparando cães, lobos e macacos demonstraram que os primeiros conseguiam reconhecer e interpretar diversos gestos, olhares e palavras que escapavam completamente a seus primos selvagens, bem como aos supostamente mais inteligentes chimpanzés. Mesmo filhotes de cães e lobos criados paralelamente mostraram ampla divergência no aprenzidado, com grande superioridade dos nossos amigos cães, demonstrando que trata-se de uma característica genética.

Os cães tem tanta intimidade com os humanos que parecem mesmo precisar deles. Enquanto os gatos de rua de uma forma ou outra se arranjam, há algo de órfão em todo cão vira-lata. Nada mais triste do que um cão de rua que nos segue por quadras e quadras, esperando ser levado para casa.

Os cães, entretanto, são animais felizes. Os gatos tem sempre uma atitude blasé em relação à vida, quando não entediada mesmo. Já os cães são de fato felizes. Não precisam muito. Basta você pegar a coleira para levá-lo de passeio, e o cachorro saltará, latirá e uivará de felicidade. Ainda por cima, é uma felicidade que não se esgota: pegue a coleira amanhã e ele estará de novo tão feliz quanto ontem, como se fosse a primeira vez que o levam para passear, e como se passear na rua fosse a melhor coisa do mundo. Poucas pessoas demonstram a mesma felicidade de um cão, mesmo que tenham ganho a loteria.

Existem mais de 800 raças de cães reconhecidas. A grande maioria destas raças foi criada através de seleção artificial. Entre as raças mais antigas encontram-se o Husky siberiano e o Shar Pei chinês. Entre as raças mais populares hoje encontram-se o labrador e o poodle.

Dizem que cão que ladra não morde, mas não é exatamente verdade. Pode perguntar a qualquer carteiro.

Não é verdadeiro o mito de que os cães enxergam em preto e branco. No entanto, não podem reconhecer todas as cores, indiferenciando por exemplo entre o verde e o vermelho. Seu olfato, ao contrário, é poderoso. Podem identificar com precisão centenas de odores diversos. Há evidências de que através do odor os cães possam reconhecer pessoas com câncer, devido às diferenças no odor do hálito humano. Também sua audição é bem superior à humana, atingindo freqüências tanto abaixo quanto acima da capacidade do ouvido humano.

Os cães são animais famosos por sua fidelidade. Há muitas histórias a respeito. Cães que salvaram o dono. Cães que morreram de tristeza após a morte do dono. Cães que reencotraram o dono após muitos anos de separação.

Mark Twain escreveu: "Se você pega um cachorro faminto e o alimenta, ele não morderá sua mão. Essa é a principal diferença entre um homem e um cão."

As pessoas que viajam e abandonam os próprios cães na beira da estrada deveriam ser condenadas a trabalhos forçados, ou como mínimo a 200 chicotadas com chicotes com pontas de metal.

Labradores são bonitos.

Buldogues são feios, mas simpáticos.

Poodles são meio gays.

Um patriótico cão soldado no Iraque.

Cadela vira-lata de rua. Parecida com uma que tive, adotada da rua.

Mosaico de "Cuidado com o cão" em Pompéia, século I a.C.

13 comentários:

confetti* disse...

au au !!

DarwinistO disse...

X, meu caro, esse foi o melhor Bicho das Terças que você já escreveu.

O cão é o ultimate animal, o bicho incomparavelmente mais legal que existe.

Nhé! disse...

Gatos demonstram felicidade sim!

Mas gostei do relato. Não sabia do Shar-pei.

Mr X disse...

Gatos demonstram felicidade sim, mas de modo mais discreto do que os cães... em geral. :-)

Mr X disse...

Faltou dizer que tem muitos cães que terminam parecendo com seus donos, e/ou vice-versa. É verdade. Às vezes a semelhança é impressionante.

DarwinistO disse...

E eu achando que a Nhé! ia lascar o pau no post...

Pax disse...

Tupi, Guria, Piá, Ginga, Neguita, Madona, Duda, Xica, Filó, Xula, Filhote 1, Filhore 2, Filhote 3, Negona, Sheike...

Quer mais ou tá bom? Nem queira, aqui não cabe mais.

Na rua: Branquinha de cara preta, Pretinho, Baio Magrelo, e dois irmãos pretinhos lá no meio da subida.

Quer mais ou tá bom?

Eu quero.

anrafel disse...

O que vejo aqui nas imediações são aqueles cãezinhos de 'pelúcia', acho que fabricados em laboratório, que famílias entediadas adotam ou dão para seu filho parar com tanta exigência.

Ou aqueles criados por pessoas que se escondem atrás de muros e cuidam com raro entusiasmo de desenvolver o instinto assassino do cachorro.

Umas e outras tornam-se prisioneiras do bicho.


Não gosto de nenhum dos dois. E nem de nenhuma dessas famílias.

Gerson B disse...

Concordo com sua última frase. Talvez até recomendasse mais chicotadas.

Mas gatos se apegam tambem. Não tanto quanto os cães, mas são afetuosos.

Gunnar disse...

A diferença é que um gato não vira um pertence. O cão, como dito, é um "eterno órfão", se você alimentá-lo pode dar-lhe um tapa na cara que ele continuará lhe lambendo as botas, é a hierarquia que ele entende, é um dependente. O gato tem vida própria, não tem a mínima noção de hierarquia e o máximo que você pode conseguir dele é ... amizade. Então, se um gato demonstrar carinho, (além de o fazer de forma muito mais elegante) você realmente terá feito por merecer - o cão o faz porque é simplesmente submisso.

As pessoas tendem a gostar mais do animal cuja personalidade se assemelha a sua própria...

Pax disse...

gunnar,

aqui quem manda são os cães, nós é quem somos dependentes deles.

Gunnar disse...

Ah é? Tira o ser humano do planeta Terra para ver o que acontece... os cães simplesmente se extinguiriam - sem brincadeira.

Ao contrário dos gatos, que se tornariam uma verdadeira praga, dada sua incrível capacidade de caçar praticamente intocada desde seus antepassados selvagens.

Anônimo disse...

Eu tenho um poodle GAY É TUA CARA