quinta-feira, 22 de maio de 2008

A eterna fascinação do comunismo


Antes do discurso de "vitória" do Obama, houve o show de uma banda de rock chamada "The Decemberists", que costuma tocar o antigo hino da União Soviética no começo dos seus espetáculos.

Bandeiras de Cuba e pôsteres do Che Guevara foram fotografados algumas vezes em comitês do Obama.

Obama pode ou não ser um marxista enrustido (seu discurso é ambíguo) mas não se pode negar que grande parte de seus fãs o são em maior ou menor grau, e continuam tendo uma grande fascinação pelos velhos ícones do comunismo.

É curioso: os EUA venceram a Guerra Fria economica e militarmente, mas perderam a guerra cultural. Universidades, escolas, mídia por todo o país (por todo o mundo) repetem a ladainha esquerdista que, curiosamente, embora diga lutar pela igualdade e fraternidade, em algum momento sempre termina em trair sua simpatia por figuras toscas e pouco democráticas como Che Guevara, Hugo Chávez, Evo Morales, Fidel Castro, Mao Tsé Tung, FARC, Stalin, Pol Pot.

Hoje, duas décadas após o fim da Guerra Fria e da acachapante queda do muro de Berlim, simpatizantes do comunismo podem estar prestes a tomar o poder nos Estados Unidos da América.

Por que um modelo que, sob qualquer prisma que possa ser analisado, deu completamente errado, ainda dá errado em qualquer país no qual seja novamente experimentado - porque tal modelo ainda aparece tanto no imaginário de tantas pessoas?

Acredito que a razão seja a mesma que impulsa as pessoas a caírem em contos do vigário. Assim como todo mundo gosta de imaginar que exista um jeito de enriquecer rápida e facilmente, também muita gente quer acreditar que exista algum sistema mágico que vá trazer igualdade social, paz entre os homens, e ainda salvar as baleias. O fato de que tal sistema depois se revele um embuste que só traz miséria é irrelevante: assim como o trouxa em busca de dinheiro fácil cai no mesmo conto de vigário uma e outra vez, imaginando que "desta vez é real", assim o simpatizante socialista acredita que a próxima tentativa de instituir um sistema de justiça social total vai ser aquela que vai dar certo.

É, no fundo, uma aspiração tão velha quanto o homem. O fato de que tiranos, loucos, ladrões e assassinos se aproveitem dela é uma mera decorrência de tal desejo natural.

12 comentários:

Pax disse...

Essa visão é anacrônica, inteligente, enorme e desengonçado Mr X de 2,11 m de altura e um bom blog desalmado.

Nem todo mundo que gosta do que é que sei lá o que representa o Che, gosta do Chávez e muito menos do Pol Pot.

Ficar preso às impressões do passado não ajudam em nada a realidade que é outra e nessa posso entrar no barco pra discutir: o anti-americanismo e o antisemitismo que cresce a olhos vistos.

Pára com essa história de comunista comer criancinha que você se desmerece.

Mr X disse...

Pax,
Muitos que gostam do Che Guevara também nutrem simpatias, veladas ou não, por Hugo Chávez, Fidel, FARC, etc.
Veja o Sean Penn, Michael Moore, PT, e tantos outros ativistas.

Stalin e Pol Pot já estão mais desacreditados, é verdade.

O anti-americanismo e anti-semitismo crescem especialmente por causa da mídia que apresenta EUA e Israel sempre como vilões.

Arnoud disse...

Desde quando que os EUA perderam a guerra cultural?

O mundo todo TEM q saber inglês por causa dos EUA. Tenho dificuldade até para achar uma camiseta que não tenha bobagens escritas em inglês.

Seus filmes, música e programas de TV, vídeo games dominam a mídia do mundo todo!

O “American Way of Life” tornou-se um objetivo para mais da 2/3 da população do planeta.

Os EUA têm uma supremacia cultural ainda maior que seu poderio militar. Mesmo nos países que os EUA não conseguem vencer militarmente sua cultura é consumida.

Essa guerra eles venceram e não há adversário a altura! E isso não é de todo ruim.

chest disse...

tem toda razão, Mr X. É o tal wishfull thinking, que antes da tradução magistral para Pensamento Mágico, eu traduzia para me-engana-que-eu-gosto....

Mr X disse...

Arnoud,
Tem razão, mas uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.
Falo mais de ideologia.
Os EUA dominam a mídia, o cinema, as séries de TV, o inglês é idioma universal, ok.
Mas falo de mudanças ocorridas dentro dos próprios EUA, e da migração do Partido Democrata à esquerda. O tema é complexo. Outro dia explico melhor. Abraços.

chest disse...

mais um aspecto, os comunistas reconhecem que para chegar até aqui, o único modo era o modo capitalista. Mas agora dizem que já é possível alimentar todos os povos do mundo com o que se produz hoje. Se esquecem que não é a quantidae de comida que interessa, ams o modo como é´produzida.

confetti disse...

mr, o tema nao é "tao complexo" assim...o que esta havendo é o fim dos conceitos de "esquerda" e "direta"....é quase impossivel continuar separando as duas tendencias, ha coisas aproveitaveis em ambos os lados ! vc tem falado em "progressistas"....acho que isso federa os que querem justiça social e politicos honestos...eu disse honestos ?disse, nao é proibido sonhar....

chest disse...

confa,. não é possível chamar de progressistas politicos que defendem o privilegio de alguns as custas dos impostos pagos por outros. Isso é anacrônico.

confetti disse...

néo, me entendeu mal...eu quis dizer que é possivel sonhar com justiça social e politicos honestos....eu,"progressista", sonho...

chest disse...

você pode sonhar com qualquer coisa, já a vida real....

Gunnar disse...

Decemberists fazem um som bem bacana.

Mr X disse...

Ah é? Nunca escutei.