terça-feira, 6 de maio de 2008

Cadê os defensores do Equador e das FARC?

Onde estão agora os esquerdistas que defendiam o presidente equatoriano, que o chamavam de "grande estadista", que protegiam docemente as FARC como criancinhas coitadas, vítimas do "imperialismo"? Onde estão aqueles blogueiros que diziam que as tais informações do computador do Reyes eram falsas ou irrelevantes? A Interpol acaba de comprovar como verídicas todas as informações encontradas lá, inclusive a compra de urânio, as relações perigosas com Equador e Venezuela, e até mesmo o link com membros do Partido Democrata americano, fãs de Obama e favoráveis ao "diálogo" com a guerrilha... Pois é, é a esquerda internacional em toda a sua glória, do Oiapoque ao Massachussets.

A Europa, enquanto isso, praticamente abandona a visão romântica das FARC. O jornal El País, mais de esquerda que o Diabo, no entanto não hesitou em publicar uma série de reportagens bem extensivas sobre as guerrilhas, coisa que a imprensa brasileira nem sonha, indicando que as FARC não tem apenas um, mas ao menos oito acampamentos no Equador e relações diretas com o governo de Quito.

Ah, mas a esquerda local prefere acreditar que as FARC nada tem a ver com os governos socialistas que pipocam pelo continente. Já vai ter blogueiro afirmando que, na verdade, tanto a Interpol quanto o jornal El País estão a soldo de Uribe e do "império"... Algumas pessoas nunca aprendem.

3 comentários:

DarwinistO disse...

Eu é que pergunto: cadê o bicho da terça?

Daniel F. Silva disse...

Falta muito pro nosso jornalismo deixar a ideologia de lado...

Mr X disse...

Jornalismo? Existe isso no Brasil? ;-)