quarta-feira, 2 de julho de 2008

O direito de se explodir

No post abaixo sobre a ditadura do politicamente correto, não me dei conta que ele talvez possa ser usado contra os próprios politicamente corretos.

Vejam esta bizarra notícia, segundo a qual as feministas da Al-Qaeda reclamam que o grupo terrorista não aceita mulheres-bomba em suas fileiras, pois segundo Al-Zawari as mulheres "devem apenas ficar em casa cuidando da casa e dos filhos dos gloriosos lutadores da Al-Qaeda".

De acordo com a Associated Press, é uma atitude discriminatória da Al-Qaeda, pois "num mundo árabe modernizado em que as mulheres podem trabalhar mesmo em vários países muçulmanos conservadores, a decisão da Al-Qaeda poderia prejudicar seus esforços para obter apoio popular entre as massas"...

Parece que ser terrorista suicida agora é uma forma de trabalho... Será que tem férias pagas?

Talvez devêssemos explorar essa polêmica a nosso favor, fazendo as mulheres terroristas se voltarem contra os homens. Prevejo que em breve as pobres moças discriminadas estarão queimando burkas na rua pelo direito de se explodir.

Feministas do novo grupo terrorista, TPM (Terror Por Mulheres).

3 comentários:

Gerson B disse...

TPM?

HAAUAHUHAUUHAHUAUHAUHAHAHUHAHAUHAUH!!!!

Mr X disse...

Pois é. Tem mulheres com TPM que são um terror. :-P

Kct disse...

Ah, mas esses caras são mais espertos do que você pensa, MrX! A prioridade deles é a preservação da espécie. Um monte de mulheres e um árabe macho reprodutor.
Lembrei daquele cartoon da esposa passando a camisa bomba do homem bomba: http://cache01.stormap.sapo.pt/fotostore02/fotos//ae/93/35/1861259_J3nmE.jpeg