sexta-feira, 18 de julho de 2008

A prosperidade leva ao socialismo, e não o contrário

Deveria ser óbvio, mas nem sempre é.

Muitos falam de Dinamarca, Suécia, Canadá, etc., como de países prósperos que seguem um modelo que, embora não socialista, é "social-democrático" e inclui várias coisas altamente prezadas pelos esquerdistas como saúde universal, altos impostos para os ricos, educação pública, seguro-desemprego, over-multi-culturalismo e tudo mais.

De fato.

Porém, tais países já eram prósperos antes da implantação de tais políticas. Prosperaram graças ao capitalismo. E foi justamente a prosperidade que permitiu que seguissem políticas mais igualitárias. Quem é rico pode dividir mais. Quando o país prospera, a tendência é que, por riqueza e acomodação, vá ficando cada vez mais "igualitária" - até que chega um momento em que as contas não fecham mais, o dinheiro ou o petróleo barato acabam, e a classe média não quer mais pagar a conta do imigrante bebum desempregado com quinze filhos.

Esse momento parece já estar chegando na Europa. Em outros lugares, ainda não. Mas a conta sempre chega um dia.


Atualização: Richard Fernandez do Belmont Club indica artigo no qual se faz uma proposta inovadora: que as pessoas possam decidir quanto de impostos elas queiram pagar (e, em troca, equivalentes serviços do Estado que queiram usar). O problema da proposta, é claro, é o seguinte: os que tem mais dinheiro não vão querer pagar muito imposto, já que usam menos serviços do Estado, e os que vivem do Estado e suas benesses não vão ter dinheiro para sustentar o gasto que isso implica... Portanto voltamos à estaca zero.

9 comentários:

renata disse...

Salve, salve! Olhando hoje os comentários do Pajamas Media, vi que alguém reconheceu meu texto por lá. Sou eu mesma, hehehe. Usando minha "identidade secreta" israelense.
Bj e obrigada! :)
Renata Malkes

Mr X disse...

Ah, oi! :-) Tudo bem? Obrigado pela visita. Coloquei o Terra Santa no meu blogroll também. :-)

!שלום

Mr X disse...

(é assim que escreve, né?)

Pax disse...

Mr X defendendo a Social Democracia?

Não, não pode ser verdade. Você bebeu Mr X?

Quem diria que um dia eu veria, quem diria que um dia...

agora precisamos buscar o chesterton, comprar 2 bonés com estrela e uma camisa do Che.

grande Mr X, vou promovê-lo, agora você tem 2,12 m de altura !

e contarei tudo no botequim.

chest disse...

Pax, e a fina ironia, você não perccebe?

Pax disse...

Que fina Chesterton, velho e bom Chesterton?

Nasci e fui criado na fronteira cara.

Fineza eu não sei o que é !

:-)

chest disse...

curto e grosso, tal qual cagalhão de tropeiro?

Pax disse...

que seja, mas fino de arrotar superioridade não sou, nem posso, nem quero.

então que seja, como você prefere, cagalhão de tropeiro ne pé do mourão onde a coruja tem casa.

Gunnar disse...

Pelo menos a social-democracia, mesmo com os dias contados, é "bom enquanto dura".

Diferente dos maoísmos-castrismos da vida, que começam mal e terminam pior ainda.

Pessoalmente, não sei o que sugerir. Pelo que vejo, todos os sistemas têm lá seus problemas... no final das contas, o que importa mesmo é a fibra da qual são feitas AS PESSOAS. Brasil, por exemplo, não tem jeito nem com ditadura, isso aqui tem que abandonar e tacar fogo.