quinta-feira, 17 de julho de 2008

O problema do mal

O mal existe?

Se Deus é bom, por que existe o mal?

Se não existisse o mal, existiria o bem?

O que significa exatamente ser mau?

Poderia o próprio conceito de "mal" causar mais mal do que bem?

Temos todos uma parte boa e uma parte má?

As pessoas malvadas podem ser recuperadas e tornar-se boas?

O bem sempre vence o mal?

O grande articulista e médico inglês Theodore Dalrymple pesa algumas dessas questões, aqui.


Clipe do desenho "Thundercats". A ótima dublagem do Munn-Ra era do Silvio Navas, que pode ser visto em ação aqui.

11 comentários:

Gunnar disse...

"o mal existe?"

A pergunta é mal(hehe)-formulada. Existe toda uma discussão epistemológica que precisa antesceder essa questão.

Na acepção mais aceita, o mal é apenas um conceito abstrato usado para descrever tudo aquilo que, de alguma forma, se encaixe na categoria. Daí convém definir O QUE significa 'encaixar-se na categoria'. Nesse sentido, "o" mal como conceito não difere muito de "bonito" e "feio". São termos meramente descritivos - e, portanto, subjetivos e relativos. Porém, independente de o que cada um considere coisas "do mal", de um jeito ou de outro, elas inevitavelmente fazem parte do ser humano assim como a beleza, a feiúra, a ignorância e todo o resto.

Pooooorém, para a maioria das religiões a coisa é completamente diferente, e o mal é efetivamente uma coisa, muitas vezes inclusive personificado na forma de algum ser com chifres. Dessa forma, além de inocentar o ser humano (afinal, ele não é mau em si, pode no máximo ser fraco de modo a se tornar 'vítima' do mal satânico), têm-se o mal encapsulado, delimitado, palpável e "extirpável". Nessa visão, o mal representa não só uma faliilidade meramente humana, mas caracteriza - como se fosse uma cor de uniforme - as fileiras inimigas (Satanás).

Fazer essa separação conceitual é imprescindível antes de iniciar-se qualquer discussão sobre o assunto.

Mr X disse...

Gunnar,

Leia o artigo do Theodore, ele fala justamente sobre essa questão epistemológica.

De minha parte, acho que o Mal existe, sim.

Gunnar disse...

Separei o link para ler com calma, em casa.

De fato, eu devia ter esperado para ver o texto antes de sair disparando.

Pax disse...

o mal existe, vem dos maus

o Mal é uma invenção da carochinha.

Luis disse...

É relativo sim.

Mas sem dúvida é ignorâcia atribuir-lhe uma causa, a personificação ou motivo.

O que observamos na natureza, de acordo com os estudos científicos, é

que em todos os níveis, dos microorganismos aos seres superiores, existe

conflito, luta, competição...

Que "mal" há nisso? É apenas a natureza.

Existe uma força invisível que está instrinsecamente associada à sobrevivência

Organismos e seres vivos "usam" uns aos outros para sobreviverem.

Homens comem vacas. Somos maus por isso? É uma questão associada à subsistência.

Homens matam homens assim como lobos matam lobos. É uma questão associada à competição.

Se isto é feito com prazer, tortura, com alegria, com ódio, por esporte,

Não faz a menor diferença para a natureza.

Comprem um microscópio e observem os microorganismo competindo e matando uns aos outros.

Se te maltratam ou odeiam, não tenha nem dúvida que é um aspecto relacionado a competição.

pandora disse...

O "bem" existe?

Mr X disse...

os materialistas estão chegando...
estão chegando os materialistas...

:-)

Mr X disse...

Oi Pandora!

Se o bem existe, não sei, mas a culpa pelo mal é sua por ter aberto aquela maldita caixa! :-P

Luis disse...

Para encerrar minha participação nesta discussão mais velha que a Dercy Gonçalves...ups!

Foi "mal" minha!

Devo dizer que me intrometendo no papo da pandora...digo-vos que

Apesar de de de de ser a origem de todos os males eu e todo o mundo adoramos a "boceta de pandora"...

Foi um prazer para voces minha participação. De nada!

Pandora disse...

Mr X

Ops!
Vou tentar me defender. Lembra da estorinha? No fundo da caixa restou a esperança... Viu? Nem sou tããão má assim :)

Mr X disse...

Ah é. :-)))