segunda-feira, 14 de julho de 2008

Clodovil para Presidente do Brasil

Somo-me à petição do Pedro Sette Câmera, d'O Indivíduo. Clodovil para presidente do Brasil.

O folclórico parlamentar apresentou uma proposta para cortar 263 vagas da Câmera, reduzindo o número de deputados a apenas 250, um corte de mais de 50%.

Entre os motivos alegados:

Ele lembra que , hoje, cerca de 20% dos deputados estão em campanha e que a Câmara funciona perfeitamente com menos da metade da atual composição, se houver realmente interesse de trabalhar. Mas sabe que muitos dos que assinaram a PEC, numa votação pra valer no plenário, vão tirar o apoio dado. - Eu sou principiante, mas não sou burro. Não tenho nada contra ninguém. Sei que a maioria não assinou pra valer. Mas eu não quero nem saber, o que quero é mexer na fogueira. Debaixo das cinzas sempre tem brasa.

- O Amapá tem 600 mil habitantes, oito deputados, três senadores, assembléias, câmaras, órgãos federais, do governo estadual. O estado inteiro mama na vaca profana do governo.

- É preciso ter qualificação moral e cultural. Tem deputado aqui que fala nóis vai fazer isso ou aquilo. É um absurdo! E tem que reduzir mesmo, não tem jeito. Isso aqui é um metrô muito pequeno que sai do nada para lugar algum, mas todo mundo quer entrar nesse metrô.
Entre Gaybeira e Clodovil, fico com Clodovil.

2 comentários:

Pax disse...

Se ele também incluir reduzir a máquima mamária do estado na mesma proporção eu já gostaria que ele se candidatasse a Deus.

Páro de ser ateu no ato.

Kct disse...

Quero ver depois quando ele trocar toda a decoração do Palácio do Planalto, uniformes dos guardas palacianos (calças rosas com botinhas pretas), comprar o seu novo jato presidencial (Clodovil One), a trabalheira que vai dar para tirar ele de lá. Haja caras pintadas...