quarta-feira, 8 de abril de 2009

O fim do Primeiro Mundo

Eu ia comentar mais sobre as diversas teorias que explicam por que certos países são de "primeiro mundo" e outros não, mas cheguei à conclusão que é irrelevante. O Primeiro Mundo está acabando.

A divisão do planeta em Primeiro Mundo, Segundo Mundo e Terceiro Mundo sempre foi, de qualquer modo, uma catalogação estúpida: o que havia de "segundo" no mundo soviético?

Mas mesmo a divisão de hoje entre "países desenvolvidos" e "países em desenvolvimento" é também ridícula, baseando-se na falsa idéia de que haja uma progressão no desenvolvimento das sociedades, que todos os países eventualmente evoluirão em direção a uma sociedade melhor. Bem, querem saber? Não necessariamente.

Aliás, se há alguma mudança à vista atualmente é justamente a involução ou terceiromundização do primeiro mundo - uma terceiromundização literal, no sentido de que a) estão adotando políticas cada vez mais bananeiras e b) inteiras populações de países do dito terceiro mundo estão sendo transplantados para os países do primeiro, com conseqüências imprevisíveis.

Vejam as fotos, por exemplo, desta manifestação dos tamis contra o governo do Sri Lanka... Em Londres. O que eles estão fazendo lá? Alguém sabia que havia tantos tamis em Londres?

Vejam bem. Não sou necessariamente contrário à imigração, e nem poderia ser, já que sou, no momento, também um imigrante. Mas acredito, simplesmente, que esta deva ter, como tudo na vida, critérios lógicos e limites. O que está ocorrendo hoje é uma coisa tão absurda que custa explicá-la.

Hoje, o multiculturalismo é visto como uma coisa tão boa que até países que nunca foram multiculturais estão importando minorias. Tomemos a Finlândia, por exemplo. A Finlândia, assim como a Suécia, sempre foi um país de famigerados loiros de olhos azuis, desde o tempo dos vikings. Hoje o país tem pencas de imigrantes somalis, iraquianos, paquistaneses. E falar mal do Islã pode dar cadeia para um finlandês.

A quem beneficia essa imigração islâmica massiva? Por que ela existe? O que ganham os finlandeses com ela?

Quer dizer, a imigração sempre existiu e sempre existirá, mas esta é possivelmente a primeira vez na História Universal em que são importados imigrantes, não para trabalhar e ser eventualmente assimilados aos costumes locais, mas, ao contrário, para receber auxílio social e impor seus costumes.

Grande parte dos muçulmanos europeus, afinal, vive do welfare. Nos EUA, 45% dos cidadãos - que, não coincidentemente, correspondem aproximadamente às "minorias" - não paga imposto, apenas recebe. Em breve se cruzará o limiar dos 50%, causando um ciclo de dependência sem fim, no qual não valerá mais a pena enriquecer, já que o dinheiro irá quase todo para os impostos, para sustentar a classe não-trabalhadora (O que não diria Marx dessa ironia!)

Aqui um excelente artigo novo de Bill Whittle sobre o tema, onde ele sugere aos ricos que abandonem o país e vão produzir riqueza em algum outro lugar!

A imigração ilegal não é problema para os ricos e ultraricos esquerdistas, que moram separados dessa "gentalha" e podem usá-los como empregados baratos, como explica aqui Thomas Sowell. Não, a imigração é problema para a classe trabalhadora, que é quem arca com as conseqüencias sociais e ainda tem que sustentar os ilegais com seus impostos.

No entanto, uma parte da elite tem interesse na imigração ilimitada. Acredito que trata-se de um esquema para criar uma sociedade autoritária. Ter pessoas que dependem de você pelo welfare não é apenas ter votos garantidos: é ter absoluto poder sobre elas. No Brasil, a classe dependente do assistencialismo já existia há tempos. No Primeiro Mundo, foi preciso criá-la através da imigração e da designação de minorias protegidas.

A esquerda, no fundo, é aristocrática. Deseja uma sociedade de castas, na qual eles mandam e os inferiores obedecem. A esquerda não gosta da meritocracia, dos self-made man, do mercado livre. Gosta dos empregos públicos, das recomendações, do compadrio, das licitações arranjadas, dos amigos dos amigos.

E utiliza todos os meios possíveis para obter poder e controlar a sociedade através de um povo cada vez mais dependente e um governo cada vez mais autoritário.

Vamos ver no que tudo isso ainda vai dar.

10 comentários:

Pax disse...

"A esquerda, no fundo, é aristocrática. Deseja uma sociedade de castas, na qual eles mandam e os inferiores obedecem. A esquerda não gosta da meritocracia, dos self-made man, do mercado livre. Gosta dos empregos públicos, das recomendações, do compadrio, das licitações arranjadas, dos amigos dos amigos."

Se trocar esquerda, por direita, o texto desencompatibiliza?

Acho que não.

Mr X disse...

Depende de qual direita estamos falando.

Chesterton disse...

Pax, os fabianos (nada a ver com a glorios FAB) são um exemplo perfeito de esquerda elitista.

Pax disse...

Depende de qual esquerda estamos falando, desengonçado. Caramba. Assim tá esgotando minha paciência. Você tem olhos azuis?

Chesterton, velho e bom Chesterton, que diachos de fabianos são esses que você fala?

Esse feriado não vou liberar a saída da clínica pros dois. Pronto!

confi* disse...

chose, narrow minded !!

ai no seu novo cotidiano angelino, vc encontra muita gente que divide essas opinioes ?

Stefano disse...

Acredito que a maioria silenciosa e de saco cheio de engolir os bárbaros, seus costumes primitivos e sua intolerância, ainda vai mandar essa gentalha de volta à seus chiqueiros. Que possam usar suas burkas e turbantes xexelentos à vontade, mas que não me impeçam de usar meu crucifixo ou de rezar na escola ou no hospital! Que não tentem impedir o fastfood de minha esquina de vender carne de porco! Cuidem de suas vidas miseráveis, cazzo! Por que raios essa escória se sente livre de seguir as leis locais dos países para os quais fogem?
"Multiculturalismo" é abrir mão de tudo o que possa melindrar os islamofascistas e seus defensores - à saber, todo nosso modo de vida. Temos de aplicar a velha e infalível Lei da Reciprocidade.

Pangloss disse...

"No comunismo você aplaude. No capitalismo você pode gritar se leva um chute na bunda!".
Poeta cubano Reinaldo Arenas.

Didi Iashin disse...

Stefano e Pangloss

NA MOSCA!!!!

Mr X disse...

Oi Confa,

Que nada, aqui sao todos obamistas de olhos azuis. :-(

Mas nao sou narrow-minded nao, tenho amigos/conhecidos coreanos, brasileiros, chineses, italianos, mexicanos e ate americanos. Com o Isla tenho um pequeno problema, mas se eles pararem de se explodir, ate negocio.

Chesterton disse...

PÕ, Pax, você é de esquerda e não sabe. Tem que estudar mais

http://en.wikipedia.org/wiki/Fabian_Society