quinta-feira, 23 de abril de 2009

Muito além de esquerda e direita

Um pouco abaixo, o leitor Marcelo Augusto comenta:

Acusar a esquerda de ser a responsável pelos males sociais e coisas do gênero não é muito diferente do esquerdista que vive culpando as elites como as responsáveis por esses mesmos males. Na essência, ambas as atitudes se assemelham.

Aí o Fábio Marton critica os que acreditam em "marcha gramsciana pelas instituições."

O tema é sério. Realmente os esquerdistas (comunistas, socialistas, marxistas, progressistas e revolucionários de variados matizes) são os culpados pela desgraça toda em que se encontra o nosso mundo? Realmente um mero grupo de marxistas, por mais poderoso que seja, conseguiria modificar o mundo de maneira tão radical, a partir dos anos 60?

Estou com os que acreditam em um meio-termo. Sim, os esquerdistas (marxistas, comunistas, gramscistas - etc) que tomaram de assalto as instituições de ensino, mídia e governo são responsáveis em grande parte pelo desastre atual. Observem o total predomínio das idéias esquerdistas na mídia e na academia dos EUA, suposto centro do "capitalismo" e do "imperialismo" (ao menos segundo esses mesmos esquerdistas). Mesmo em uma universidade americana, é raro encontrar professores que não sejam esquerdófilos. Há um poster de Che Guevara na secretaria daqui, e não é ironia.

Porém, o gramscismo cultural não pode explicar tudo. Por mais poderosos que sejam, os comunistas não poderiam transformar completamente o mundo e trazer a decadência da Civilização Ocidental. Uma série de mudanças tecnológicas, econômicas e políticas causou por sua vez várias mudanças sociais, demográficas, econômicas e políticas. Por exemplo: a pílula e outros métodos anticoncepcionais; a tecnologia que propiciou o rápido e barato transporte de pessoas ao redor do mundo; a globalização econômica que fez com que seja mais barato ter telefonistas indianos para atender consumidores americanos; o desenvolvimento científico que ampliou o conhecimento objetivo e a riqueza material; todas essas coisas e muitas outras causaram uma ruptura do mundo tradicional baseado na visão religiosa e moral conservadora.

Então, à pergunta se acho que os esquerdistas são responsáveis por todos os males do mundo, a resposta é não. Os esquerdistas e seu predomínio - assim como o aparente ressurgimento do Islã como ameaça aos países ocidentais - são apenas um sintoma de algo muito maior, uma mudança global que ainda não temos muita idéia de que rumo terá, mas que está em pleno andamento.

Hoje é fácil é fácil para qualquer historiador falar sobre - digamos - a queda do Império Romano e explicar suas causas; mas duvido que alguém na época pudesse ter essa mesma visão no momento em que acontecia.

Um dia, talvez os historiadores possam explicar que a Civilização Ocidental ruiu, assediada pelos bárbaros esquerdistas. Hoje, ainda é cedo para saber.

7 comentários:

Indecoroso disse...

Mais uma vez vou falar. Muito interessante o blog. Acho pertinente esse tipo de discussão ao invés de partimos para leituras de textos inflamados, com idéias políticas, geralmente, mal formadas. Gostei em especial desse texto... Espero uma visita sua depois, escrevo tem pouco tempo e de outra maneira e seria bom contar com a opinião de quem tá aqui a mais tempo.
Grande abraço

www.oindecoroso.blogspot.com

Chesterton disse...

POis eu acho que sim...

Mr X disse...

"Vejam bem", não estou dizendo que os esquerdistas não tenham, como elemento organizado, grande papel na (tentativa) de eliminação das várias conquistas da civilização; que não sejam todos ou quase todos um bando de niilistas amorais ou cínicos destruidores, incompetentes, defensores de tiranos, relativistas morais, vigaristas, assassinos ou ladrões.

Apenas que há também outros fatores, e que de certa forma a predominância do esquerdismo hoje em dia talvez seja um sintoma, e não uma causa.

São sintoma ou causa? Eis a questão.

Chesterton disse...

que fatores?

João disse...

E tem muita coisa aí que mudou para (muito) melhor. A começar pela bendita pilula.

Mr X disse...

A pergunta é, os marxistas-gramscistas se infiltraram em todas as instituições e por isso estão conseguindo desarticular a sociedade, ou foi a desarticulação da sociedade que permitiu a infilitração fácil de marxistas-gramscistas?

Fabio Marton disse...

Eu voto pela segunda opção. Ao menos enquanto eu era marxista-gramscista, ninguém apareceu para me congratular por entrar na organização ou, melhor, me dar meu ordenado da NKVD.

Já falei que eu até compus um canto revolucionário para uns caras do PSTU? E que eles cantaram

Bandeira na mão,
na outra o tubão,
vamos fazendo a revolução.

Onde tubão é uma garrafa de dois litros de coca-cola que você primeiro deixa meio vazia, depois meio cheia de pinga.