quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Moloch

O aborto foi aprovado no Uruguai. Como os leitores sabem, tenho uma posição ambígua e longe de ser radical na questão do aborto. Mas uma coisa que me surpreende sempre é o fanatismo dos pro-choice. Sim, dos pró-aborto. Que os pro-life possam ser vistos como fanáticos não é surpreendente, já que estão de fato ligados a grupos religiosos e acreditam na sacralidade da vida. No entanto, parece-me às vezes que os abortistas são tão fanáticos quanto eles e também formam uma espécie de religião.

Obama afirmou uma vez que seu primeiro ato ao assumir seria o de assinar o "Freedom of Choice Act", também conhecido como FOCA. Ele falou já tanta coisa que não se sabe se realmente o fará; mas é uma ementa constitucional que pode ser aprovada.

Apesar das enganadoras palavras "freedom" e "choice", uma descrição melhor para o projeto seria o "Abortion For Everybody Act". Basicamente o projeto acaba com todas as limitações ao aborto, ao nível estadual ou federal: não precisaria mais permissão dos pais no caso de menores; permitiria o aborto até o nono mês de gravidez, inclusive o famigerado partial-birth abortion; entre outras medidas aplicadas nacionalmente.

Francamente, não entendo. Que a mulher possa ter o direito a abortar, é algo discutível. Porém, que uma garota de 14 anos possa realizar um aborto sem avisar os pais? Que fetos de até nove meses, praticamente bebês formados, possam ser jogados na lata de lixo? Porque essa insistência no direito de matar fetos?

Muitas culturas praticam ainda hoje o infanticídio. Os yanomamis, os hindus. Em épocas anteriores, também os incas sacrificavam crianças. E nos tempos bíblicos existia - é citado no Antigo Testamento - o culto de Moloch, ao qual se faziam sacrifícios de bebês.

No Ocidente atual, por pudor, esse sacrifício talvez se transmute na forma de sacrifício de bebês não-nascidos. Só esse caráter ritualístico neo-pagão do aborto explicaria a forma em que seus sostenedores o querem espalhar pelo mundo. Acredito que, mais que defender o aborto, tais pessoas queiram mesmo é acabar com a Igreja Católica e o cristianismo tradicional. Hoje, em tempos de extrema crise demográfica, a União Européia luta para expandir ainda mais o aborto nos países em que este ainda é proibido, como na Itália, na Polônia e (até recentemente) Portugal. É como se um navio estivesse afundando e a tripulação insistisse no direito das pessoas de não usarem salva-vidas.

No centro das cerimônias ao culto de Moloch havia um ídolo de cobre, que tinha a forma de um touro antropomórfico. Era uma estátua oca, dentro da qual se acendia uma fogueira. Sobre os braços incandescentes do falso deus era então colocada uma criança viva. Enquanto esta queimava, tocavam-se tambores para que não se ouvisse o pranto da criança, o que poderia comover os pais. Ensandecidos, em transe coletivo, todos cantavam e batiam palmas, e gritavam em uníssono o nome do seu ídolo:

- M-O-L-O-C-H-! ... B-A-R-A-C-K-! .... M-O-L-O-C-H-!

9 comentários:

Anônimo disse...

Moloch em aramaico antigo quer dizer obama.
Prof. Girafales

chest disse...

agora que matam os inocentes, os culpados reinarão...

Alexandre A. disse...

Época difícil essa.
Inversão de valores, mudanças ocorrendo rapidamente (a meu ver pra pior, muito pior).
Pena que poucos (e menos ainda falando abertamente) estão percebendo o tamanho do buraco em que está se enfiando a sociedade.
Estou com maus pressentimentos...

:-/

Proftel.

A Menina Bella disse...

Caríssimos, alegrem-se... ou edeseperem-se pois "o pior está por vir"

X, Bom dia.

Eu!

Pax disse...

Claro que você jamais vai dizer que o teu Bush sacrificou, até agora, 1.200.000 iraquianos. Sim, é isso mesmo, são 1,2 milhões de iraquianos mortos até agora numa guerra baseada nas tais armas de destruição em massa descobertas em cada esquina no Iraque, mas que teimam em não nos mostrar.

Fora os 4 mil marines e quetais.

Mr X, na boa, tua cruzada já tá pra lá de doentia cara. Sério, me preocupo. Não há outra tecla no teu piano não?

Mr X disse...

Cruzada? Qual cruzada? E de onde saiu esse número absurdo de "1,2 milhões de iraquianos" assassinados pelo Bush? Ora, Pax, credo. Visite o Iraq Body Count, lá fala no máximo em 100 mil, e isso incluindo as mortes causadas pelos terroristas, que foram a maioria. Preste atenção no que eu digo: O Obama e seus amiguinhos vão matar muito mais. Não diga que eu não avisei.

markus disse...

Olá amigo X mas um video, esse vai pra rapaziada q "torce" pro taleban.
http://www.marthacolmenares.com/2008/02/20/un-nino-taliban-de-12-anos-decapita-un-rehen-video-de-horror/
p.s: cenas fortes

Homero disse...

Mr. X, a lei do aborto na Itália foi aprovada em 1978, há 30 anos portanto.

Mr X disse...

Uôups. :-/