quinta-feira, 13 de março de 2008

Sexo e moralidade

O governador de NY renunciou. Muitos falaram em hipocrisia, em puritanismo americano, etc. No entanto, fora o fato de que a prostituição é ilegal e não fica bem que um governador a pratique, este é um governador que havia prometido lutar contra a prostituição, o que pega duplamente mal. Considerem ainda que o governador foi flagrado em uma operação do FBI contra um círculo de prostituição de luxo, e que os custos astronômicos das senhoritas indicam que talvez o governador utilizava dinheiro público para tais atividades. De qualquer modo, fora dos holofotes da mídia, talvez seja mais fácil para o governador remendar os problemas com a sua família.

No mesmo dia, saíram notícias em vários jornais do mundo informando que na Holanda agora é permitido a qualquer um trepar nos parques da cidade. Lá a prostituição, além disso, já é legal há tempos, e o prefeito de Amsterdam provavelmente não teria causado nenhum escândalo se fosse flagrado na cama fumando maconha acompanhado de duas putas e um travesti.

São opostos.

E, no entanto, creio que seja melhor uma sociedade que ainda mantenha certo limite de moralidade. Explico.

Não gostaria, certamente, de viver em uma sociedade repressora como o Irã ou Arábia Saudita, no qual as putas e seus clientes podem ser presos a qualquer momento, e se alguém é pego transando no parque certamente será espancado pela Polícia da Virtude e jogado em uma escura e imunda cela.

Por outro lado, uma sociedade completamente tolerante como a holandesa também tem seus problemas: já há na Holanda um partido político que luta pela legalização da pedofilia. Muitos dirão, não, isso não pode, mas... Ué, por que não? Se você não estabelece nenhum critério moral nem põe limites de conduta, é natural que se vá "avançando" mais e mais. Prostituição é legal? A ilegalidade avança nas prostitutas menores de idade. Pode fazer sexo nos parques? O pessoal vai começar a fazer sexo nos shopping centers. É legal fumar maconha? Bem, muitos partem daí para a cocaína, a heroína, o crack.

O melhor, então, é uma situação intermediária, na qual todos sabem que a prostituição ou o sexo nos parques existem, mas os que praticam não são necessariamente bem-vistos pela maioria da população. São atividades contra a lei, mas a punição é leve, de caráter meramente pecuniário ou educativo.

O ponto de vista liberal é o ponto de vista dos jovens, mas o ponto de vista conservador é o ponto de vista dos pais. Afinal, para dar um exemplo extremo, qual é o pai que gostaria de saber que sua filha de 13 anos anda trepando pelos parques da cidade com um barbado de 40 anos em troca de maconha?

A família Spitzer: Papai-Pega-Putas, Mamãe Gostosona
(será que também tinha amantes?),

e as filhas adolescentes que devem estar pensando,
"PQP, como vão nos sacanear no colégio agora!!!"


Atualização: aqui, exclusivamente para o leitor Pax, algumas fotos da prostituta de luxo de 22 anos que fez o governador cair.

"Kristen" dorme tranquila entre um cliente e outro. Vale 5 mil dólares?


15 comentários:

Anônimo disse...

Ótimo texto! :)

confetti ainda foi disse...

hiiii

Pax disse...

Além de desengonçado é caretão. Que coisa, como diria srta,julia.

A filhota da direita da foto dá um caldo danado.

DarwinistO disse...

Mas X, qual o problema de transar no shopping? Fico imaginando uma daquelas meninas que trabalham na Track & Field me dando bola e, conversa vai conversa vem a gente acabando na Kopenhagen dando uns amassos e comendo Nhá Benta...

Mr X disse...

Kkkkk... Ora, escrevi pensando na minha futura filha de 13 anos, que vai casar virgem. ;-)

Mas o Pax tem razão, a garota essa da direita não tá nada mal... E acho a esposa do governador bonita também.

Arnoud disse...

Mr. X e como é que fica a liberdade do indivíduo?

Por que do jeito que você colocou é meio como aquela história do exercito dos EUA em relação aos homossexuais(ou "viados" como você deve preferir): "Não pergunto e você não responde".

Note que não advogo que os políticos contratem prostitutas com o dinheiro público! E ainda mais um cara se elegeu, em boa parte, pregando contra a atividade da prostituição.

Mas, por que seria crime vender aquilo que você pode dar de graça?

Abraços!

Arnoud disse...

Mr. X, achei isso perambulando pela WEB e lembrei de vc.

http://www.spermfortickets.com/

Calma, não é pelo motivo que você está pensando!

É por que tem a ver com sexo e com suas preocupações sobre o futuro da Europa.

Se um pais que sempre foi exportador de mão de obra precisa de uma coisa assim é por que a situação está grave mesmo!

Abraços!

Mr X disse...

Nada é de graça arnoud... ;-) There´s no such thing as a free lunch. Hehe.

Em muitos países, até onde sei inclusive o Brasil, até onde sei, prostituição não é crime, mas é crime seu favorecimento...

Sei lá, é uma questão complicada, mas não advogo de forma alguma o fim da prostituição, que seria até impossível. The oldest profession on Earth...

Gunnar disse...

Essa história de "situação intermediária" é bem complicada. Veja o caso das drogas, por exemplo. Se pegares pesquisas, verás que a maconha não é necessariamente "porta de entrada" para drogas pesadas, antes o contrário (é usada para tirar crackeiros do vício). Em termos de saúde individual e pública, é muito menos prejudicial que o alcool. E vicia menos. Então, qual é a droga da "situação intermediária", o alcool ou a maconha?

Para sermos minimamente coerentes, ou o alcool seria também proibido ou a maconha permitida. Mas não se trata realmente de uma "situação intermediária". Se trata de manter o status quo. Conservadorismo, em outra palavra.

Fora isso... eu, pessoalmente, não uso nenhum tipo de droga (parei de beber há 3 meses), mas não acho que eu tenha o direito de interfirir na liberdade de qualquer outro indivíduo. Quer injetar heroína até morrer? Vai fundo. Desde que não me encha o saco...

Gunnar disse...

Outro ponto: a cultura.

Acho que a cultura está muito acima dessas peculiaridades pontuais. No Brasil tudo isso é proibido e olha que beleza de país nós temos...

Um país é feito de pessoas. O resto é penteadeira.

chest disse...

a proibição do favorecimento da prostituição é mais uma idiotice, como no caso do consumo de drogas , onde o cara pode consumir mas não pode traficar. Quer dizer, pode comprar, mas não pode vender.

Mr X disse...

É, esse negócio de proibir a venda mas liberar a compra de drogas é furada. Se tem quem compra, tem quem vende. Ou legaliza de vez, ou proíbe.

Gunnar,
Pois é, não sei se existe "meio termo" exatamente. Acho que todos concordamos que tem que haver limites: por exemplo, eu acho que criancinhas na escola não devem cheirar, e a prostituição de garotas de 13 é crime. A questão é definir quais são os limites.

As leis contra a prostituição ou o consumo de drogas são em grande parte simbólicas, pois raramente alguém vai preso por ir em prostitutas ou por fumar baseado. Talvez só no Irã aconteça. Ou na Indonésia, onde parece que é barra pesada mesmo.

Pax disse...

Eu liberaria as drogas. Aliás, é opinião de muita gente bem mais entendida que eu nessa história, principalmente com relação à violência envolvida. A droga corrompe a polícia, a justiça e tudo mais. Libera, e toma conta. É um problema de todas as sociedades.

Prostituição não é pedofilia. Pedofilia é crime hediondo. Prostituição é a profissão mais antiga do mundo.

Esse moralismo é, como diz o velho e bom Chesterton, relativista pra caralho.

ps.: fiquei lisonjeado com a deferência do desengonçado Mr X de 2,11 m de altura.

Anônimo disse...

Digo uma coisa: a filha da direita eu pegava. A da esquerda, com algum esforço, também. Já a outra eu esperaria crescer um pouco pra ver se daria algum caldo. Quanto à mulher: panela velha é que faz comida boa. Vamos à luta!

Naty disse...

Vale 5 mil lindaaa...

Pago 6 mil se quiser.