domingo, 2 de março de 2008

Poema do domingo

A MEDIDA PARA O MALHO


A medida para o malho

Pela taxa da Cafeira,

Que tem do malho a craveira,

São dous palmos de caralho:

Não quer nisto dar um talho,

E eu zombo do seu empenho,

Pois tendo um palmo de lenho,

Com que outras putas desalmo,

Inda que tenho um só palmo,

Não quero mais do que tenho.


(Gregório de Matos, 1636-1696)

2 comentários:

Cecilia disse...

Maravilha, Mister.
Bom ele, né?
O cara foi o primeiro poeta brasileiro. Parece que acabou morrendo na Inquisição.
Acho que até passou uma mini série na Globo sobre Branca Dias e a figura do Gregório aparecia.
Caetano também o louvou na época da Tropicália, se não me engano.

Beijo

confetti disse...

chose, malhou maneiro !! :-*