quinta-feira, 27 de março de 2008

Os protestos na Argentina


Os protestos na Argentina continuam e se agravam. Agora, além do bloqueio de estradas e protestos no campo, somaram-se protestos na cidade. No outro dia, na Plaza de Mayo, houve até um grupo de piqueteiros governistas a mando dos Kirchner dando pau em piqueteiros espontâneos, irritados com os desmando do governo. Tratou-se, naturalmente, de uma provocação.

O que acontece é o seguinte: a produção agropecuária, e em especial a colheita recorde de soja, é basicamente o que segurou o crescimento argentino durante todos estes últimos anos. Agora o governo quer meter a mão, aumentando impostos em até 45%. Tudo isso em meio a escândalos de corrupção ainda não resolvidos.

É a velha história "progressista": tirar dos setores produtivos para, dizem, realizar a "distribuição de riqueza". O que o governo não diz - mas todos sabem - é que:

a) querem distribui-la é entre eles mesmos;
b) o aumento de impostos é contra-producente, tendendo a gerar um menor estímulo à produção, e portanto a menor geração de riquezas, e portanto, em última análise, menor recolhimento de impostos.

O que esquentou a briga nos últimos dias, e levou o protesto da cidade para o campo, foi o provocador discurso demagogo (bem ao estilo peronista) de Cristina Kirchner, culpando as "elites" que não querem perder seus "lucros", que desagradou os porteños, já irritados com o descaso do governo com a prefeitura da cidade que está nas mãos da oposição, bem como os escândalos de corrupção ainda não resolvidos, como a infame história das "malas venezolanas".

Os blogueiros argentinos do Blogbis têm uma ótima cobertura de toda a história.

Atualização: o piqueteiro profissional a mando do governo Kirchner, Luis d´Elia, simpatizante do presidente do Irã e do Chávez, líder de uma espécie de MST local (FTV) e responsável pelos confrontos com manifestantes na Plaza de Mayo, disse hoje em entrevista que "não teria problemas em matar todos os 'oligarcas' que protestam" e que "tem um ódio visceral contra os brancos do Barrio Norte". (Em Buenos aires, ao contrário do Rio, a zona norte é a parte mais rica e a zona sul a mais pobre). É o fascismo progressista em ação.

5 comentários:

confetti disse...

mrx por aqui se falou pouco hj na argentina...sera que agrava ? cristina deve ter sido mal aconselhada pra aumentar os impostos that way...vc mora no centro? saiu na rua de boina e estrelinha ? ))

Mr X disse...

Mal aconselhada nada, quer é grana pra comprar mais Botox e sustentar seus amantes! :-P
Eu não saio de boina e estrelinha jamais. Se bem que tinha uma boina que tinha comprado em Paris, mas perdi.

confetti disse...

bem...nao deu em nada né ?

barb michelen disse...

Hello I just entered before I have to leave to the airport, it's been very nice to meet you, if you want here is the site I told you about where I type some stuff and make good money (I work from home): here it is

Anônimo disse...

olha o virus aí, gente