terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Um bicho às terças





Este crustáceo de cerca de 60 cm foi encontrado nos esgotos subterrâneos da cidade de Sorocaba, interior de São Paulo, Brasil. A princípio confundido com um parente de Gregor Samsa, trata-se na verdade do isópodo gigante.

Aparentemente o homem que encontrou o animal foi mordido por ele e imediatamente o matou, estando este hoje exposto no zoológico da cidade (o bicho, não o ignorante que o matou achando que era uma barata mutante).

O isópodo gigante vive em águas profundas no oceano e pode ser encontrado nos mares de Santa Catarina, no Sul do Brasil. Não se sabe como foi parar nos esgotos de Sorocaba, e menos ainda como conseguiu sobreviver. Possui sete pares de pernas e, sendo necrófago, alimenta-se principalmente de cadáveres de peixes, mas também caça pequenos seres como esponjas e lulas. A espécie tem 160 milhões de anos, tendo sido portanto contemporânea dos dinossauros.

ATUALIZAÇÃO: O Darwinista alerta que a história de que o bicho tenha sido encontrado nos esgotos da cidade de Sorocaba é mera lenda urbana. O animal foi capturado no fundo do mar mesmo.

13 comentários:

Kct disse...

Este bicho é mais comum do que se pensa. Já vi várias fotos dele por aí e até tem um em exposição num bar de beira de praia em Araruama. O dono do bar me disse que ele foi capturado por um mergulhador da petrobras amigo dele. Parece um tatuí gigante! Deve ser gostoso... :-P

Mr X disse...

Kct,
Pois dizem que se come mesmo, e é parecido com siri.

Kct disse...

Pôxa, mas agora que você falou em barata, já nem sei... :-(

Marcelo disse...

Mr. X,

Desculpa se eu vou chover no molhado, mas essa história é mais uma dessas lendas da internet. O bicho na verdade foi capturado na bacia de Campos, e o zoo de Sorocaba já fez até uma exposição com o bicho pra orientar as pessoas a respeito do boato.

Darwinista

Mr X disse...

Poxa... Caí numa lenda urbana? :-(

Marcelo disse...

Pois é Mr. Mas todo mundo já caiu numa dessa. Olha um link aí que fala nisso:

http://www.cosmo.com.br/cidades/Sorocaba/2005/07/08/materia_src_115621.shtm

confetti viajando disse...

chose caiu na lenda urbana como um patinho...kkk

Kct disse...

Ainda bem que eu vi o bicho de perto! :-)

Kct disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pax disse...

Isso é um tatuí, ou uma tatuíra como dizem os caiçaras.

Dá pra fazer com arroz que fica uma delícia.

É ótima isca pra peixes da costeira, peixes de carne branca, que vêm comer o marisco quebrado pelas ondas do mar. Pesca-se com tatuí, ou tatuíra, vivas no anzol. Tá, é uma maldade danada, mas os peixes, principalmente o pampo, são mais gostosos que a maldade.

Mr X é mesmo um desengonçado. Nem de isca de peixe entende. Mas gosta do Bush.

Pax disse...

Mas a foto é uma montagem. O tatuí é do tamanho de uma falange de um dedo, quando grande.

Mr X disse...

Poxa Pax!
Na verdae, não entendo nada de pesca. Pescava só quando tinha dez anos, mas ficava com pena dos peixinhos e jogava de volta na lagoa, ah ah.
Agora, o bicho aí pode ser primo do tal tatuí ou tatuíra, mas não é o mesmo bicho não. De acordo com a Wikipédia a tatuíra tem dez pezinhos e este bicho tem mais. Tá aqui a explicação de uma bióloga, pondo ponto final:
http://jbonline.terra.com.br/jb/papel/cidade/2004/06/24/jorcid20040624007.html

Pax disse...

Putz, sei não, o bicho é igual à uma tatuíra. Vai saber se a bióloga é lá competente.

Pra mim foi uma tatuíra que achou um frasco de hormônio de crescimento na praia, como não tinha nada pra comer, abriu a tampa e se lambuzou com os comprimidos.

Também tenho pena dos peixes que pesco, tenho mesmo, principalmente das garoupas que demoram muito pra morrer fora d´água.

Mas tenho pena dos bois e das galinhas também. Uma coisa é uma coisa, outra é virar vegetariano que não sou.