sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Os ativistas profissionais

Uma das coisas mais irritantes dos tempos atuais são os ativistas profissionais. Imbecis que se auto-promovem em nome de uma causa. Pode ser a causa palestina, a desigualdade social, o aquecimento global, os direitos humanos dos bandidos, não importa desde que seja uma causa politicamente correta. O importante é se auto-promover.

A cunhada do Tony Blair, idiota útil e ativista profissional, está em Gaza. Chama aquilo lá de "campo de concentração". Pois eis uma foto da moça no tal "campo de concentração". É o primeiro campo de concentração com supermercado que vejo. Aliás, bem mais fornido do que o da esquina aqui de casa:


Se burrice matasse, teríamos um genocídio... Outra notícia, esta publicada no jornal O Globo:
A organização de defesa de direitos humanos Projeto Legal entrou nesta quarta-feira, na Vara de Infância e Juventude, com uma ação civil pública, com pedido de liminar, contra o governo estadual para exigir que os adolescentes infratores atendidos pelo Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) sejam identificados somente por seus nomes. Segundo a entidade, atualmente, os jovens são chamados por números, o que resultaria em danos psicológicos.
Pois eu digo que ler notícias sobre ativistas de "direitos humanos" de organizações com nomes imbecis, que em geral só protegem traficantes, ladrões ou terroristas, está me causando sérios danos psicológicos. A quem será que posso recorrer?

2 comentários:

Daniel F. Silva disse...

É por essas e por outras que eu afirmo: esse mundo está ficando cada vez mais chato. Chato e, pior, perigoso.

chest disse...

Quinta feira na porta da Petrobras estava uma barraquinha palestina reclamando de Israel. Patético.