quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

É tudo mentira!

Alguns ingenuamente acreditam que a missão do jornalismo seja informar o público. O Pedro Doria anda preocupado porque a imprensa parece estar perdendo credibilidade em todo o mundo. Ora, é natural. Na realidade, o objetivo do jornalismo atual é quase exclusivamente mentir e confundir. Ou seja, justamente ENCOBRIR a verdade.

Não acreditam? Pois vejam as dezenas de notícias sobre "vândalos" ou "jovens arruaceiros" na Europa, onde jamais é mencionada a nacionalidade ou religião dos mesmos, ainda que todos saibam muito bem qual é.

Vejam o caso de Geert Wilders, que vive cercado por seguranças 24 horas por dia para não morrer, sendo acusado de ser um "fomentador do ódio" que está apenas "em busca de publicidade" (como se não houvessem modos muito mais fáceis de obter publicidade que não exigem o risco de decapitação).

Vejam Israel, que segundo os jornais jamais é atacado, mas sempre ataca, como nesta notícia recente da BBC onde a notícia de um míssil atirado contra Israel é dada asssim: "Israel responde a ataque do Líbano".

Vejam o "aquecimento global", anunciado em tons apocalípticos dia após dia, em total contradição com a realidade observável e mesmo com o crescente ceticismo da maioria dos cientistas. (Estou convencido que o tal "climate change" não passa de um esquema milionário para ganhar uma grana preta, já que - não sei se você percebeu - sempre falam nas catástrofes que ocorrerão se mais dinheiro não for investido em grupos como o "Painel Intergovernamental de Mudança Climática", que inclui famosos cientistas de "Bangladesh, Índia, Cuba e Zimbabwe" - gente, parece até scam nigeriano isto aqui!)

Vejam o pacote de Obama, um dos maiores gastos públicos de toda a história dos EUA, sendo anunciado como "o fim da mamata com o dinheiro público".

Não, amigos. O jornalismo não tem pretensão alguma de contar verdades, mas apenas de encobri-las, de propagar ideologia e crucificar todo aquele que ouse mostrar os fatos como eles são. Jornalistas de todo o mundo, envergonhai-vos.

11 comentários:

Anônimo disse...

Mandou muito bem, Mr.X. Aqui no Brasil também vale a máxima do mestre Raul Seixas: "eu não preciso ler jornais, mentir sozinho eu sou capaz...";
Fernando José - SP

Gerson B disse...

Depois quer fiz a campanha do Gabeira (1986) nunca mais acreditei em jornais. acontecia uma coisa e depois eu via as notícias, nada a ver.

X, cadê teu email? Não achei na página. Tem uns slides do Holocausto que eu gostaria de te enviar (scaneie antes, recebi).

confetti* disse...

ich.....

Anônimo disse...

Tem uma frase, atribuida por alguns a Mark Twain e por outros a Thomas Jefferson, que diz: "If you do not read the newspaper, you are uninformed; if you do read the newspaper, you are misinformed."

Nei

confetti* disse...

(e mail de mrx, secretissimo, favor nao espalhar :

orbister@gmail.com )

Mr X disse...

Não sei se com a internet tem mais ou menos mentiras, mas ao menos tem mais fontes. TV não dá. TV é pura propaganda.

confetti!! :-))

Pax disse...

O Mr X não responde a e-mails.

O Mr X não é o Mr X, é uma máquina desengonçada de 2,12m de altura que tem um periscópio na parte superior mas está descalibrado.

Não acreditem no blog do Mr X. É falso.

Se não fosse falso, ele responderia os e-mails.

E tem mais, Mr X engravidou uma menina no blog do Kct. E agora não quer assumir. A menina tá procurando um teste de gravidez e tudo.

Pronto, falei.

Mr X disse...

Esses anúncios do Google são uma coisa, agora tem um pras pessoas se converterem ao islã, antes tinha um promovendo as leituras de Marx. Estão todos contra mim, grr. ;-)

Mr X disse...

Ei, eu respondo e-mail sim! :-/ E quem engravidou a menina foi o KCT! :-)

Pax disse...

No blog do Kct tem uma foto do Mr X dormindo na terça de carnaval.

Sacanagem do Kct fazer isso com o Mr X.

Chesterton disse...

Todo comunista, ......... é cúmplice moral dos crimes mais hediondos já praticados contra a espécie humana, e está, por definição, excluído do rol das pessoas decentes cuja opinião merece ser ouvida com atenção e respeito.