quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Pode o oprimido oprimir?


Na liturgia dos mais à esquerda no espectro político, isto é os marxistas e seus amigos, o mundo se divide em "opressores" e "oprimidos". Por exemplo, segundo eles, os muçulmanos de Gaza são "oprimidos" por Israel. Pois bem, voltando ao tema do post anterior, observamos que os muçulmanos de Gaza não tratam muito bem seus vizinhos cristãos, de fato, os "oprimem". Podem os oprimidos oprimir?

Outra. As mulheres, acho que ninguém em sã consciência pode negar, são "oprimidas" no mundo muçulmano. Isso mesmo nos países mais moderados. Quem não acredita, que veja esta foto, das celebrações pela independência de Kosovo. Quase não há mulheres na foto. Onde estão? No tanque? Na cozinha? Na frente do espelho experimentando sua nova burka?

(E o Kosovo oferece ainda uma outra ironia: quando a região era apenas uma província da Sérvia, os albaneses eram uma "minoria oprimida". Agora que são independentes, será que a "minoria oprimida" se tornarão os sérvios de Kosovo, forçados a viver protegidos por soldados e assistindo impávidos enquanto suas igrejas são destruídas? Eis as limitações de dividir tudo maniqueisticamente em opressores e oprimidos).

Os negros, dizem, são "oprimidos" pelos brancos nos EUA. No entanto, gangues negras matam mais negros do que brancos por lá. Para a ministra das "falhas administrativas", Matilde Ribeiro, racismo de negros contra brancos não é racismo. Pode o oprimido oprimir?

Categoria classes sociais. Os pobres, segundo essas mesmas teorias de almanaque, são "oprimidos" pelos ricos. Isso, segundo alguns, justificaria que os pobres assaltem os ricos como forma de diminuir a desigualdade social. O problema dessa teoria é que os ladrões também assaltam os pobres, já que é mais fácil assaltar um ônibus do que um carro blindado. Pode o oprimido oprimir?

Os bandidos "oprimidos" pelo sistema oprimem os miseráveis que moram na favela. Os árabes "oprimidos" pelo "imperialismo americano" matam e oprimem negros no Sudão. Negros oprimem negros de tribos rivais no Quênia. Os comunistas quando tomam o poder costumam massacrar milhares ou até milhões de civis.

Pode o oprimido oprimir?

13 comentários:

Fred disse...

Companheirinho

Voce não entendeu ainda que não é uma questão de ser branco ou negro, cristão, mulssumano, judeu, de direita ou de esquerda.

Estes adjetivos só servem para desculpa da bestialidade humana.

Da apologia da violência para resolver os problemas do mundo, o mundo ja está farto.

Enquanto o homem não desenvolver o hábito da solidariedade, da fraternidade, do uso do pensamento, da troca de idéias,da inteligência vamos continuar a dar razões erradas para cometer a violência.

Assim como Bush fez para tomar o petróleo dos iraquianos.

Existem milhares de judeus bons, milhares de mussulmanos bons, milhares de católicos bons.

E na maioria das vezes são manipulados para apoiarem a violência.

Ela própria recurso das bestas humanas a milhares de anos e que até hoje não trouxe nenhum bem à humanidade.

Pax disse...

Bem, caro desengonçado Mr X, vou lhe ajudar um tanto pra você entender as coisas da vida, Fred e eu estamos nessa campanha...

Se a pessoa:

- respira o mesmo ar que você, pelo nariz e boca inclusive;
- come da mesma forma que você, pela boca e pela genitália;
- caga como você, pelo cu;
- peida como você, pelo mesmo lugar supra citado;
- limpa cera da orelha com cotonete como você;
- limpa nariz e faz rolinho de meleca como você;

Então essa pessoa é gente. Pode ser branco, amarelo, negro, vermelho ou roxo. É tudo gente. Quer dizer, se estiver roxo é provável que tenha sido, pois deve ser um cadáver.

Estude todos os itens acima, anote se for necessário. Leve essa anotação em todos os lugares que andares e veja item a item. Se todos forem sim, é um ser humano como você, portanto esqueça essa de opressor e oprimido pois a pessoa deve sentir frio, calor, amor, medo, e tudo mais, igualzinho a você. Talvez ela não seja desengonçada, mas isso é um privilégio seu, claro.

Mr X disse...

Fred, Pax,

Acho que os que não entenderam são vocês. Talvez o texto não era muito claro. Eu não acredito em "opressor" e "oprimido" enquanto categorias, estava justamente criticando essa visão maniqueísta e besta.
Abraços,

Fred disse...

Companheiro

Toda e qualquer forma de violência (ou opressão) não resolve.

Porque a opressão só resolve quando é muito violenta, ou seja o opressor tem tanta superioridade que momentânemaente ele atinge seu objetivo.

O ser oprimido se retrai, mas, o ressentimento e a causa do embate não cessa.

Se por um determinado motivo surge uma situação favorável para o embate, ele retorna.

Exatamente como uma doença crônica num ser vivo.

Os filósofos dizem que o ser humano é diferente dos outros animais e estabelecem uma gama de coisas gloriosas que estabelece a condição de ser humano.

Na realidade cheguei a conclusão de que estas pretensas diferenças não passam de objetivos que deveriam ser atingidos para que nós pudéssemos alcançar a patente de HUMANO, mas que muito poucos seres humanos alcançam.

Nós somos enganados todos os dias por pretensos, falsos motivos, por grupos de pessoas ou pessoa que os estabelecem para tirar algum proveito ou mesmo por ignorância.

Eu pessoalmente achei muito legal seu questionamento.

No caso de bandidos, traficantes e demais sociopatas temos dois tipos.

Os que não tem escolha. Por falta de condições de sobrevivência dentro do padrão de satisfação de vida estabelecido pela sociedade.

É o caso dos jovens que vivem sem perspectiva de resultados.

Como bem ilustrou a pesquisa da Globo junto aos jovens que atuam no tráfico.

Os que querem tudo sem limte e estabelecem, eu sou o limite.

Tipo Maluf, juiz Nicolau e outros,

Riem da sociedade, mentem, enganam e compram tudo e todos.

Generalisar tudo, fica difícil porque do jeito que voce colocou, algumas relidades não justificam outras.

Cada caso é um caso.

Não estudar cada exemplo que voce deu, em separado é um grande erro.

Fred disse...

Uma noticiasinha :

http://oglobo.globo.com/sp/mat/2008/02/21/justica_da_15_dias_para_maluf_devolver_700_milhoes_aos_cofres_publicos-425756668.asp

X, não gostaria de comentar algo sobre ela?

Fred disse...

O resto do link:

_devolver_700_milhoes_aos_cofres_publicos

-425756668.asp

Rolando disse...

Caro Mr. X, conheço suas opiniões desde a época do Weblog. Algumas vezes discordo do que você escreve (como foi o caso daquele garoto depressivo retratado por Época).
No entanto, tenho muitas opiniões políticas semelhantes às suas, mesmo que por muitas vezes sejamos tratados como reaças, racistas, radicais de direita...
A cultura do oprimido é mesmo esta: vitimizar-se, apontar o dedo ao culpado e justificar todas as próprias atitudes opressoras.

Este seu texto está perfeito. Haverei de guardá-lo.

confetti disse...

afe maria chose, fan club bombando hein! ))

chest disse...

muito bom

Theo disse...

Claro que o o oprimido não pode oprimir.

Agora seu texto é muito(lógico) preconceituoso, e marcado por imprecisões, primeiro vc faz uma pequena ironia em relação a burka, eu sei que vc sabe que em kosovo não se usa burka, e segundo vc afirma que o negros du sudão estão sendo mortos por árabes, sendo que vc tmb sabe que lá no sudão o que define quem é negro ou árabe não é a cor da pele, são particularidades muito mais tenues, famosa briga de cumadre.

Qual a diferença entre um coreano e um japonês?
Qual a diferença entre um tutsi e um hutu?
Qual a diferença entre um árabe sudanês e um negro sudanês?

Sei que vc gosta de polemizar, mas bater a cabeça na parede.....

Mr X disse...

Oi rolando,
Obrigado pelos elogios. Nnao me considero nem racista nem radical de direita, de jeito nenhum... Aliás sou bem pouco radical na vida real.

Theo,
Sei que em Kosovo não se usa burka, e é um dos países muçulmanos ditos mais "moderados" junto com a Turquia. Por isso mesmo pergunto, cadê as mulheres? Por que não estão celebrando também?

Confesso que não sei a diferença exata entre tutsis e hutus e entre árabes e negros do Sudão. Parece-me que a briga é entre as milícias islâmicas radicais que atacam os animistas e os muçulmanos de pele mais escura, não é isso?

Mas japoneses e coreanos em geral consigo diferenciar. :-)

rolando disse...

só um esclarecimento: eu também não sou nenhum radical, e sei que você não é. Mas apenas por destoar do pensamento esquerdista que vigora em vários meios do país e do mundo, somos rotulados com os adjetivos que eu mencionei no primeiro post.

Saudações

Mr X disse...

Oi Rolando,
Sim, eu tinha entendido. Acho que vou fazer um post justamente sobre o tema da esquerda atual. Minha teoria é que ser libertário e progressista hoje é ser de direita, ser de esquerda virou sinônimo de atraso e defesa da tirania. Mas mais sobre isso depois.
Um abraço