sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Brasil, país do futuro?

Em 1941, Stephan Zweig, que morava então em Petrópolis, no RJ, escreveu um livro famosamente intitulado "Brasil, país do futuro" (disponível online). Um ano depois se suicidava, dando a entender que, ou tinha mudado de idéia, ou o amor pelo Brasil não era suficiente para tirá-lo da depressão pela decadência da Europa na mão dos nazistas.

67 anos depois, continuamos sendo o país do futuro preferido (depois da China). Notícias alvissareiras são eventualmente destacadas pela mídia nacional e até internacional. Petrobrás acha jazidas record. Brasil paga suas contas e vira credor. O país ganha o Urso de Ouro em Berlim. Paulo Coelho e Ronaldinho são conhecidos de Tóquio ao Chuí. Dizem que fazemos parte de um tal BRIC. Há motivos para achar que, desta vez, vai?

Há, certamente, motivos para um cauto otimismo na área econômica, já que, inclusive pelo seu tamanho e riquezas naturais, bem como indústria, o país não possui rivais na América Latina e, segundo, porque continuou-se o progresso econômico iniciado a partir do Plano Real (em si mesmo o responsável pelo maior aumento do poder aquisitivo das classes baixas em 500 anos de história), aliado a uma conjuntura econômica internacional favorável.

Não temos terremotos nem furacões como nos EUA. Não temos crise demográfica nem terrorismo islâmico (ao menos por ora) como na Europa.

Qual o problema do Brasil, então?

Em termos práticos, acho que o problema principal é a insegurança. Nesse aspecto o país vai de mal a pior, e lamentavelmente as teorias da esquerda, que hoje dominam o pensamento acadêmico e político, tendo chegado agora ao poder via Governo Lula, só tendem a aumentar cada vez mais a violência. Há uma organização cada vez maior do crime em agrupações como PCC e CV que agem a nível intercontinental. O PT, enquanto aliado e mentor do tal Foro de São Paulo, é aliado das FARC que são aliadas ao CV e ao PCC. Isso quando o próprio governo não financia grupos criminosos (ocupação de terra e depredação de propriedade pública e privada não é crime, pois não?) como o MST e MLST.

A corrupção é outro problema grave, gerando um inevitável desgaste da democracia e das instituições. Não tende a melhorar sob o governo que nos deu o mensalão e hoje nos dá as "falhas administrativas".

Finalmente, acredito que a decadência cultural e educacional do país seja também um alerta. Um país que ainda nos anos 50 tinha ao menos alguns bons artistas e intelectuais, hoje considera intelectuais pessoas do calibre do Jô Soares e do Caetano Veloso. O governo do PT, nesse aspecto, também segue a lamentável tendência de piorar a educação, seja com uma visão deturpada e marxista light da História, seja com o progressivo embotamento da arte em favor de manifestações supostamente "populares" ou "politicamente corretas", pagas com dinheiro público, seja com a institucionalização do racismo com as tais cotas.

Enquanto países de condições similares como Índia e China investem pesado em formação de pessoal especializado e tecnologia de ponta, aqui o bom negócio para as elites é ser político ou funcionário público, e a educação é portanto voltada para esse fim.

Em resumo, temos um país que não é de todo ruim. Só temos que descobrir como nos livrar dos nossos políticos.

Atualização: Achei por acaso um artigo da BBC Brasil de 2003 que justamente discute esse tema, se o Brasil ainda é o "país do futuro" ou não, comparando com a China. Impagável este comentário de um amigo do Uzbequistão (acredito que falso, mas nunca se sabe):

"Porque o Brasil deixou de ser o país do futuro: CORRUPÇÃO! Quando voltará a ser o pais do futuro? Quando terminar a CORRUPÇÃO. Creio firmemente que o governo comunista do presidente Lula, poderá por um fim à corrupção que hoje entranha em todas as partes do governo e sociedade brasileiras, inclusive nas suas agências no exterior. Basta alguns dias em Brasília, Moscou, Londres, Roma, para isso ser notado, nas mais infimas atitudes de cada um que detém algum poder. É algo triste."
Aleksandrovich Ulimov, de Tashkent no Uzebiquistão

Desconfiaria que se trata de algum primo do companheiro Josef Mario.


Alguns exemplos de ufanismo pátrio.

5 comentários:

confetti disse...

isso chose, quem nao se comunica se trumbica !! )))

confetti disse...

cade o poema ?

Fred disse...

Companheirinho

Sinto muito mas vou tascar umas palavrinhas aqui.
Faz parte de um texto do Cidadania Brasil sobre o vídeo Tchau Pai.
Um assunto deste, para responder, mesmo em poucas palavras como essas é muito extenso.

Mas, vamos lá:


Ora, sociedade é uma reunião de pessoas que vive num mesmo lugar que se comporta de uma forma tal que conseguem viver juntas.

No entanto surgem pessoas dentro da sociedade que tentam e conseguem violentamente ou subrepticiamente atacar outros participantes da sociedade gerando prejuízos, morais, ou materiais, ou físicos.

Esses seres tem uma deficiência, ou mental, ou educacional.

Mental, quando o cérebro sofre uma disfunção natural, de origem genética ou psíquica.

Nestes casos o remédio passa por um tratamento psíquico, sendo que alguns casos o doente tem que ficar internado durante toda a vida.

É o caso do maníaco da Cantareira.

Educacional quando o que ele aprende vai agredir a sociedade.

Esta é o grande problema, pois eu classifico a educação em dois tipos:

A convencional, da Escola.
A transmitida informalmente pela convivência em sociedade.

E no Brasil temos total deficiência das duas.

Já nestes casos o remédio que a sociedade da é a cadeia.

A deficiência educacional da Escola convencional vem, não só da qualidade de ensino, como também do currículo escolar.

A qualidade do ensino só será melhorada quando os professores ganherem o suficiente para gerar concorrência entre os diversos membros da sociedade que se propoem a ensinar.

Bons salários é o único meio de atrair profissionais eficientes.

E não me venham com esse negócio de vocação. Estamos no sistema capitalista. Bons profissionais, só com bons salários.

Já o currículo reflete o que a sociedade espera de seus futuros cidadãos.

Se os cidadãos da sociedade se preocupam sómente em tecnologia, o currículo das escolas reflete isso.

É o que acontece com o currículo das Escolas brasileiras.

Nós estamos sómente preocupados com a tecnologia.

Então, tome Português, Matemática, Física, Química, Biologia etc.

Então o que acontece é o que estamos vendo. Uma sociedade violenta, sem solidariedade, cuja máxima é cada um por sí.

Porquê?

Porque a Filosofia, a Sociologia, a Arqueologia, a Antropologia, foram abandonadas.

Porque abandonamos as Ciências Humanas?

Porque adotamos o sistema Americano de cultura.

Embasbacados com o grande poder financeiro dos USA estamos copiamos algumas diretrizes de comportamento da grande nação.

Mas não estamos copiando outras, principalmente o da eficiência judiciária, pois o modelo Americano gera tentativas constantes de agressão á sua sociedade, devido aos valores que ele tem (dinheiro).

Então um dos esteios da grande nação Americana é o Judiciário, que dá o remédio, que este padrão de sociedade precisa – Cadeia.

Para vocês terem noção da eficiência do judiciário americano, vejamos o caso do Maluf.

Maluf já esta condenado a prisão nos USA por movimentação ilegal de dinheiro.

Mas por aqui, a nossa justiça acaba de absolvê-lo de um processo de há muito tempo atrás por decurso de prazo.

Se não me engano, no STF, cerca de 200 casos parecidos com o do Maluf (corrupção) cento e oitenta e poucos foram absolvidos pela justiça brasileira.

Assim temos uma cultura de impunidade para os criminosos de colarinho branco.

Só que essa cultura é visualizada por toda a sociedade.

É a educação informal que a sociedade da ao individuo.

E o influencia.

O esforço da poupança da Sociedade (impostos) se esvai em obras superfaturadas, obras fantasmas (só existem no papel), serviços não prestados e pagos.

Podemos discorrer sobre uma ruma de tipos de malversação da poupança da sociedade, do dinheiro público.

Que raramente são punidos.

Crimes muito piores do que o pai da menina do vídeo cometeu.

O dinheiro público roubado gera situação caótica das escolas, dos hospitais, do auxílio a famílias de baixa renda, como a do pai da menina do vídeo.

Milhões de crianças estão sendo transformados no pai da menina do vídeo.

E eu hoje chego a conclusão de que a pior mazela do nosso país é a nossa justiça.

Essa que esta sendo clamada diariamente por cidadãos de todas as classes sociais na TV, todos os dias, e que nós sabemos que eles sabem, que no momento essa justiça não vai acontecer.

Porque só clamamos por aquilo que sabemos que não temos.

Nosso judiciário é totalmente despreparado para curar a doença que assola nossa sociedade, porque pelas diretrizes que ela escolheu como padrão de comportamento, a doença social, cada dia que passa se multiplica, na ordem geométrica, sem o remédio adequado – Cadeia.

E assim a impunidade, a corrupção faz parte hoje da cultura brasileira.

Um comportamento suicida para o tipo de regime adotado.

Do meu ponto de vista, toda a sociedade, principalmente a dos grandes centros urbanos está tomada pela corrupção.

É o emprego apadrinhado, o suborno ao guarda pela infração cometida, seja de trânsito, comércio ilegal etc, a não emissão de nota fiscal, a falsificação do imposto de renda, dos demais impostos,etc, etc, etc.

Coisa que acho que todo brasileiro comete.

Porque comete?

Porque atende ao que é o maior valor da sociedade – TER DINHEIRO!

O principal fundamento da sociedade – Dinheiro – é o maior vírus predador da paz na Sociedade.

E para grande vírus um grande remédio – Cadeia - Justiça – que não copiamos do modelo Americano.

Assim o modelo Americano é um modelo perigoso. O maior valor é o maior predador – o DINHEIRO.

Mas lá da certo. Precisamos copiar melhor.

Ou, tentar mudar o comportamento da sociedade.

Mas para isso sugiro ler:

www.copacabanawayoflife.blogspot.com

confetti disse...

spam pam

Mr X disse...

:-)