sábado, 11 de outubro de 2008

Quem tem medo do criacionismo?


Sarah Palin, dizem, é criacionista. Não sei; sei que ela jamais disse - como alegam seus críticos - que o criacionismo deveria ser ensinado nas escolas. Ao contrário, disse que não deveria ser parte do currículo e que na aula de ciência deveria ensinar-se ciência e não religião.

De qualquer modo, mesmo que ela seja criacionista, não vejo qualquer motivo para alarme. E daí? Há pessoas que acreditam em astrologia. Há pessoas que acreditam em cristais mágicos. Há pessoas que acreditam no marxismo. Há pessoas que acreditam na Justiça Social. Há pessoas que acreditam que o islamismo é uma religião da paz. Há pessoas que acreditam no Obama. Em meio a todos esses absurdos, acreditar que Deus criou o universo não me parece tão ridículo.

A intensidade dos ataques contra Sarah Palin são especialmente bizarros quando se considera que Barack Obama, que tem conexões misteriosas com gente muito esquisita (de terroristas islâmicos a marxistas radicais), praticamente não é investigado.

A última novidade é que Barack Obama deu dinheiro e trabalhou para ACORN, um grupo de ativistas sociais (perigo! perigo!) que tem a intenção de estimular o voto entre as classes baixas. Estimular o voto em quem? Em Obama, é claro. Mas, como os votantes reais são poucos, a mesma organização está por trás da fraude de votos em diversos estados, registrando votantes imaginários.

Já pensou quantos milhões de dólares esses caras não ganharão quando a Grande Esperança Negra chegar ao poder? Quantos milhões não irão para Ayers promover a educação radical nas escolas? Quantos milhões não irão para os terroristas palestinos?

Mas a grande preocupação das elites é Sarah Palin. As celebridades morrem de medo de Sarah Palin e sua terrível religiosidade.

A religião cristã é uma coisa tão terrível, de fato, que uma pesquisa do Gallup mostra que as pessoas religiosas costumam ajudar mais os necessitados do que qualquer materialista ateu.

Atualização: o vídeo abaixo é exclusivo para o leitor Pax.

8 comentários:

Pax disse...

E daí?

Cara, a mulher pode vir a comandar o Império da Vez (quer dizer, sei mais nada depois de tudo que anda acontecendo)!

Só isso. E uma ignorante dessas com o botão vermelho pra disparar mísseis pra todo lado?

Dá um tempo Mr X, sei que perdi os Alfajores, que ela vai até o fim. Mas achar que não tem nada demais a mulher ser criacionista?

Vou mais longe, perdi os Alfajores mas tô me sentindo enganado. Porque? Porque até o McCain tá arrependidaço de ter escolhido a tua Sarah Palin, teus desejos Edipianos mais escondidos. =)

Pax disse...

Quero meus Alfajores de volta !

Olha que tem Procon !

Mr X disse...

Pôw Pax. O que tem a ver o criacionismo com disparar mísseis? Dá uma olhada na Palin de maiô e diz se ela não tem talento para ser a próxima presidenta dos EUA.

Pax disse...

Olha, eu punha sim.

Criacionismo e botão?

Não é isso. O problema é a ignorância.

marcelo augusto disse...

Hallo, Pessoal!

Nossa! Quanta asneira!

Eu não me importo se uma dada pessoa acredita em lendas sobre a criação do universo e dos seres humanos. O problema é quando essas pessoas utilizam suas crendices religiosas para refutar a evolução (leia-se ciência), que está aí, da forma como a conhecemos enquanto teoria científica, há, pelo menos, 150 anos e comprovada cientificamente, com evidências, fatos.

O problema de Sarah Palin não é o fato de ela ser criacionista em si, mas, sim, em representar uma vertente muito controversa de pensamento (criacionismo) no comando da nação mais poderosa do mundo. A partir do momento em que os criacionistas mais radicais se vissem representados no poder, seria apenas um mero passo para que tentassem implementar suas idéias na vida cotidiana, como pôr aulas de design inteligente nas escolas ao lado de aulas de ciências.

Eu não vejo a religião cristã como algo terrível. Eu não a sigo por uma questão de escolha pessoal: Seguir uma religião seria renunciar à minha individualidade e eu estaria me colocando como mais uma ovelha nesse imenso rebanho. Religião é, de certa forma, um condicionamento social (e psicológico). E o objetivo desse tipo de condicionamento é fazer com que as pessoas amem o destino social do qual não podem escapar - sobretudo se elas vivem em um país onde as oportunidades de auto-melhoria são das mais escassas.

(Ah, sim: Vejo o Marxismo, Nazismo, Comunismo, Islamismo radical e outras manifestações dos movimentos de massa na mesma categoria da religião cristã, guardando-se, lógico, as dadas diferenças, e com objetivos semelhantes: condicionamento social e psicológico.)

Quanto aos ateus materialistas não serem, supostamente, tão caridosos quanto as pessoas religiosas, considero que pelo fato de haver uma forte correlação entre seguir uma religião e as oportunidades de ajudar os mais necessitados, é natural que pessoas religiosas estejam mais próximas desse aspecto social do que um ateu. No entanto, isso não quer dizer que os ateus sejam maldosos por natureza e que devorem criacinhas. Muito pelo contrário, se não fossem algumas mentes ateístas, talvez ainda estivéssemos nos balançando em árvores e andando nas quatro patas.

[]'s

Marcelo

chest disse...

antes da evolução não houve um criationism?

chest disse...

Apareceu uma tubaroa que deu filho sendo virgem, o filho - único- tem o DNA idêntico ao da mão (deve ser filha). Será o caso de uma tubaroa JC?
Descobriram uma célula isolada nos confins do oceano, sem luz e sem oxigenio...Deus ou astronautas?

Kct disse...

Apesar de 'desbundada', tem umas pernocas bonitas.
Mr X, parabéns pelo page rank 5!