terça-feira, 28 de outubro de 2008

Perguntas cretinas em busca de respostas imbecis

É justo tirar de A, rico que trabalha, para dar a B, pobre desempregado? Não estaríamos dessa forma incentivando A a trabalhar menos e B a continuar desempregado?

É justo que A, que tem mais, pague mais do que B pelos mesmos serviços (água, luz, telefone, escola, etc)?

Se A, B, C e D tomam cerveja no bar, deve-se calcular a conta: pela quantidade que cada um bebeu, dividindo o total em partes iguais, ou de acordo com o quanto cada um ganha por mês?

Se E cresce cada vez mais tirando proporcionalmente de A, B, C e D e fica com o bolo de dinheiro para redistribuí-lo, cobrando ainda uma comissão para fazer isso, será que E é realmente neutro nesta história?

Se E tira de A para dar a B até que A vira B, de onde vai surgir o novo A que vai alimentar os dois novos Bs?

* * *

Em eventos relacionados, o economista Greg Mankiw avalia o plano de impostos dos dois candidatos e explica porque o plano de O. o faria trabalhar menos e ficar mais tempo com seus filhos.

2 comentários:

chest disse...

chegou a hora dos que pagam impostos começarem a achar graça dos aumentos. Vai cair a arrecadação.

eu disse...

http://leitorcritico.wordpress.com/2008/01/18/livro-de-g-k-chesterton/

recomendo intensamente