terça-feira, 19 de agosto de 2008

Marxismo e pós-modernismo causam depressão

Jamais li uma linha sequer do tal Slavoj Zizek, mas ele parece ser bastante celebrado nos círculos culturais esquerdistas, pós-modernistas e neo-marxistas. Mas após ler esta breve entrevista com ele, variação do "questionário Proust", francamente... tenho certeza que jamais vou ler uma linha de sua obra meeesmo. Mais, tenho até pena daqueles que precisam conviver com o sujeito no seu dia a dia. Algumas de suas respostas aqui:

Aside from a property, what's the most expensive thing you've bought?

The new German edition of the collected works of Hegel.

What is your most treasured possession?

See the previous answer.

What makes you depressed?

Seeing stupid people happy.

What do you owe your parents?

Nothing, I hope. I didn't spend a minute bemoaning their death.

What does love feel like?

Like a great misfortune, a monstrous parasite, a permanent state of emergency that ruins all small pleasures.

What is your favourite smell?

Nature in decay, like rotten trees.

What is the worst job you've done?

Teaching. I hate students, they are (as all people) mostly stupid and boring.

What is the most important lesson life has taught you?

That life is a stupid, meaningless thing that has nothing to teach you.

Tell us a secret.

Communism will win.

Claro, é possível que as respostas sejam pura gozação, embora a sua foto pareça indicar que fale sério. E, depois de ter visto a constante simpatia e bom humor da Hirsi Ali mesmo sob a ameaça constante de morte, fica difícil aturar um chato deprimido destes.

4 comentários:

a moça e o vento* disse...

curto os tags desse post sobre zizek:

"depressão, idiotas, intelectuais, marxistas"

alguns supra citados vao ter piripaque ! kkk


quanto ao pos-modernismo,pq nao ?

Mr X disse...

O pós-modernismo é passé, confetti. Hoje a moda é o neo-conservadorismo.

Esse negócio de que tudo é igual e nada vale nada, que todo texto é só construção de poder, que os valores estéticos culturais e sociais são todos relativos e que a realidade não existe, tudo isso é demodé.

:-)

seda purpura* disse...

chose, démodé né....rara

esse resumo seu de post modernidade ta xoxinho hein...mas nao ha como negar o individualismo de nossa época, o punk "no future" nunca foi tao real ! que ha contradiçoes enormes entre politica e sociedade vc admite, pq seus post so falam nisso ! a identidade fragilizada ? vc fala muito disso também...entao, que historia é essa de "démodé", ma chose préferée ? auto-critica ?
tou ouvindo seu grito daqui, mas vai dar uma lida em derrida ou gilles lipovetsky....sao ironicos e brilhantes, como você....

Anônimo disse...

Tendo sempre a antipatizar com caras que se parecem com um membro do grupo Los Hermanos...