sexta-feira, 15 de agosto de 2008

A História não acabou

Se a pequena guerra particular entre a Rússia e a Geórgia esta semana serviu para alguma coisa (além da triste morte de milhares de civis), foi para acordar o resto do mundo de uma longa letargia.

Além de ilustrar exemplarmente os hipócritas double standards aplicados quando a guerra é realizada por EUA e Israel (passeatas nas praças, milhares de artigos em jornais, gritos da multidão) e quando é realizada por qualquer país não-ocidental (silêncio, desconforto, ninguém nas ruas), o evento mostrou que o que vale mesmo no mundo é o poder militar, e que esse negócio de diálogo e de ser bonzinho com os inimigos para que eles sejam bonzinhos conosco, só serve mesmo como papo de eleições.

O evento também mostrou que esse negócio de "fim da história" era uma grande bobagem. Fukuyama estava errado. Mas, como dizia Oscar Wilde, "é difícil profetizar, especialmente sobre o futuro." No comecinho dos anos 90 realmente parecia que o liberalismo iria triunfar: a União Soviética estava em frangalhos, até mesmo a refratária América Latina parecia estar abraçando o liberalismo, os tigres asiáticos cresciam, os países do Leste Europeu se uniam à velha Europa, etc.

E, no entanto, não foi bem assim. Hoje o arcaico socialismo ressurge com força na América Latina enquanto os ex-guerrilheiros de 1968 chegaram ao poder, não pelas armas, mas pelas urnas. A Europa enfrenta uma crise de crescimento e imigração sem precedentes. Os tigres asiáticos se revelaram de papel. E a velha Rússia mostra as garras neo-imperialistas e soviéticas.

O que o futuro nos depara? Segundo alguns, tudo isto terminará em uma confrontação mundial entre o eixo Rússia-Irã-Arábia Saudita-Venezuela-etc. (que querem petróleo caro) versus os aliados EUA-Índia-China (que querem petróleo barato). Exagero? Talvez.

Uma coisa é certa: a História não vai acabar tão cedo.

6 comentários:

chest disse...

e o Mc Cain ?

Mr X disse...

Não sei, o que sei é que o Obama agora ficou parecendo meio trouxa com esse negócio de "dialogar com os inimigos".

a moça e o vento* disse...

um cara que pretende " dialogar com os inimigos" nao me parece trouxa...

pq, vc tem outra proposiçao ?
nao virei casaca nao, mas depois que hillary foi vista pedindo esmola em denver, perdi a fé...kkk

Mr X disse...

confetti, vc é muito naive. :-P

a moça e o vento* disse...

vc que é bobinho.
concordo que a historia esta começando, ou melhor continuando, com remake de guerra fria e tal, mas no estado atual do mundo, se for usado "poder militar" como vc diz em vez de diplomacia, dialogo, estamos fritos ! até eu e vc que somos inocentes, nao roubamos gaz nem petroleo nenhum de ninguém ! :-D

falar em poder militar, putin ta la
em Poti, mostrando o seu ! ta curtindo ai, chose ?

Gerson B disse...

Não sei se a questão é só da mídia apioar a esquerda. Acho que tem a ver mais com visibilidade. No caso do Tibete o pais dominante é a China e a causa traz reações fortes.