quarta-feira, 23 de abril de 2008

A guerra contra as palavras


Não existem mais terroristas, existem apenas "militantes".

Não existe "terrorismo islâmico", mas sim "atos anti-islâmicos".

Não existem imigrantes ilegais, existem "cidadãos sem documentação", ou simplesmente "los sin-papeles".

Não existe mais roubo, existe "erro administrativo".

Não existe mais "invasão de propriedade privada", existe "ocupação de terras improdutivas".

Não existe mais amante, existe "namorada".

Não existe mais negro, existe "afro-brasileiro".

Não existem mais países miseráveis, existem "nações em vias de desenvolvimento".

Não existe mais "aborto", existe "paternidade planejada" (aliás, a organização abortista americana desse mesmo nome está envolvida em um grave escândalo de racismo).

A guerra contra as palavras faz parte da estratégia cultural dos revolucionários. Para acabar com o sistema, acabe primeiro com qualquer possibilidade de comunicação simples, clara e direta.

10 comentários:

confetti disse...

ich, interessantissimo post ! o "politicamente correto" pode ser violento e repressivo, pode deturpar os conceitos mais basicos, ja sabemos...mas "estrategia cultural dos revolucionarios" ? nao entendi mon cher chose...

Mr X disse...

"Revolucionarios" são todos aqueles que pretendem acabar com o "sistema" (capitalista ocidental judaico-cristão) e mudar a sociedade e até natureza a natureza humana em algo que, de acordo com eles, é mais "justo". Naturalmente, eles próprios são os juízes do que é justo ou não.
Revolucionários podem ser marxistas, comunistas, nazistas, petistas, islamistas, ambientalistas, jacobinos, etc.

http://www.olavodecarvalho.org/semana/070813dc.html

Ricardo C. disse...

Para não variar, começa bem, termina não tão bem assim...

A crítica aos excessos do politicamente correto é fundamental. Já dizer que ele é "de esquerda", como está implícito no teu discurso, é simplificar e distorcer as coisas.

Em vez do Olavão, leia a própria Camille Paglia, figura controversa mas bem interessante.

DarwinistO disse...

Pronto! Tinha que sobrar pros ambientalistas... Não se pode nem querer salvar o planeta em paz...

:-)

Mr X disse...

Já li a Camille Paglia, ela é maluca mas de vez em quando interessante... Aliás citei ela no outro post.

E nao disse que o P.C. vem da esquerda, ou que está limitado à esquerda... Disse que é parte de uma, hum, estratégia de guerrilha cultural, ou algo assim.

Mas hoje virou algo que existe na esquerda, na direita, etc. Enfim, virou um hábito cultural que parece muito dificil de erradicar. É especialmente preocupante quando vira censura, i.e. as autoridades constituídas passam a permitir ou proibir o que pode ou não dizer, ou como se podem chamar as coisas.

Mr X disse...

Darwinista,
Sobre os ambientalistas, leia isto aqui:

http://s.wsj.net/article/SB120882720657033391.html?mod=fpa_mostpop

Aliás, acho que vou fazer um post sobre isso a seguir.

H.Romeu Pinto reloaded! disse...

Não seja tão venal Mr.!
Voce distorce palavras....mas não me engana....Confetti não caia na desse galalau!

Gunnar disse...

"Revolucionarios" são todos aqueles que pretendem acabar com o "sistema" (capitalista ocidental judaico-cristão) e mudar a sociedade e até natureza a natureza humana em algo que, de acordo com eles, é mais "justo". Naturalmente, eles próprios são os juízes do que é justo ou não. "

Troque "(capitalista ocidental judaico-cristão)" por "(comunista esquerdista)" que você tem a exata definição dos atuais direitões...

É só ouvir o talk show do Olavão pra constatar; ele não poupa ninguém. Se dependesse dele, só teria uns 2% da população mundial que presta, o resto iria para o paredón...

Mr X disse...

É, o Olavão é um pouco radical às vezes, até o Papa e o Bush ele acha que são pouco conservadores pro seu gosto. :-D Mas não acho que ele mandaria ninguém pra paredón nenhum, isso é coisa de comunista mesmo. :-)

chest disse...

Gunnar tá delirando, o que diz não tem sentido