quarta-feira, 16 de abril de 2008

Jimmy, o idiota


O ex-presidente americano Jimmy Carter acaba de encontrar-se com membros do Hamas, além de ter depositado flores no túmulo do terrorista gay Arafat. Tudo isso, diz ele, em nome da “paz”.

Juro que tenho grande dificuldade em entender pessoas como Jimmy Carter ou Noam Chomsky (que também já se encontrou com membros do Hamas). Que alguém manifeste opiniões polêmicas, por mais idiotas que sejam, me parece normal. A coisa começa a tornar-se patológica quando o sujeito se dispõe a viajar milhares de quilômetros para se encontrar com terroristas que já mataram cidadãos americanos e que prometem genocídio contra os judeus. Que alguém chegue mesmo – como é o caso de Carter – a desobedecer as recomendações do Departamento de Estado de seu próprio país para levar adiante o encontro, e meter-se em assuntos que não lhe dizem respeito, então, beira a demência senil.

Só um inexplicável narcisismo pode levar alguma pessoa a tais extremos. Acredito que Carter sofra da “síndrome dos ex-presidentes”: um sujeito outrora poderoso (que só fez merda quando esteve no poder), agora sente falta de ser o centro das atenções e acha que, só pela força da vontade, conseguirá “promover a paz mundial”.

Aliás, é impressionante como tanta gente usa a questão Israel vs. Palestina exclusivamente para a sua promoção. Notem como também o ex-primeiro ministro Tony Blair, que agora virou especialista em Oriente Médio, quer se meter também na história. Bill Clinton só não se mete mais por causa da campanha da Hillary. E o próprio Bush, que ainda não é ex mas logo será, também quer que a paz entre Israel e os palestinos seja seu “legado”.


Ora, que vão plantar batatas, ou melhor, amendoins.

5 comentários:

Theo disse...

Só pra vc ler minha resposta, no caso de casamento do iemen


Realmente tem coisa errada, o problema é que os barbudos lêem num radith que o Profeta casou com Aisha quando ela tinha 9 anos, e acham que podem fazer o mesmo.

Agora a história verídica é que Aisha era filha de um de seus seguidores, Abu Bakr, un dos melhores amigos do Profeta, e que depois virou o primeiro kalifa.

Para qualquer um seria uma grande honra ser sogro do Profeta, então Abu Bakr, não somente prometeu a filha como apressou o casamento, mas claro, ele só foi consumando quando ela já era mulher.

Com esse prescedente, hoje homens casam com meninas de 9 anos e no irã, a menina de 9 é jlgada como adulta, enquanto o manino só com 15.

Realmente tem coisa errada.

Mr X disse...

Ok Theo, valeu, eu vi lá.

É uma coisa complicada sobre a qual não tenho tanto conhecimento pra falar demais, mas outro dia pensava escrever um pouco sobre essa questão das mulheres, não só no islã como em outras culturas e/ou religiões. Um dia faço.

De qualquer jeito, parece que a menina conseguiu o divórcio... Menos mal. O problema é que os pais certamente vão logo querer vendê-la, ops, escravizá-la, ops, casá-la de novo.

Abraço,

Daniel F. Silva disse...

O que muitos ignoram são os negócios de Carter com os árabes, que financiam sua fundação através de petróleo...

http://www.deolhonamidia.org.br/Publicacoes/mostraPublicacao.asp?tID=352

Arnoud disse...

Ah... entendi!

O lance é deixar a mão invisível do mercado resolver estes problemas também...

Mr X disse...

Bom Arnoud, é como diz aquele velho deitado, se não pode ajudar, ao menos não atrapalhe... Tem gente que acha que ajuda, mas só piora.

Mas o Daniel Silva tem razão, o Carter tem lado, é financiado pelos árabes.