sábado, 13 de junho de 2009

Um tosco blog esquerdista às sextas

Por Marcelo Augusto (*)

[Mr. X: Segue um guest-post do amigo comentarista Marcelo Augusto. Ah, sei que já é sábado, mas "às sextas" soa melhor.]

O blog tosco esquerdista da semana possui um nome bem sugestivo: Palestina do Espetáculo Triunfante.

[Mr X.: Caramba... Qual espetáculo? É tipo o "espetáculo do crescimento"?]

A moça blogueira, que se classifica como uma simples palestininha comedora de amendoins, é considerada por alguns como a inteligência mais fulminante que já blogou em língua portuguesa. Se ingerir comida de zoológico, não blogue!

Um conjunto de posts que encarna perfeitamente o esquerdismo de boutique é sobre as cotas raciais. Comecemos por esse aqui: Sim às cotas raciais. O texto inicia com uma diatribe sobre um suposto preconceito racial que a blogueira sofreu. Peço aos colegas de blog que me digam onde enxergam racismo no excerto abaixo:
[...] Fiquei escutando o mulherio emitir sons e palavras. Perguntaram quem eu era. De onde era, com esse sotaque? "Ah, mas nem parece, né?". Racismo é isto: a violência terceirizada a priori. A violência que se transmite e se aprende sem o mais elementar rastro de racionalidade no que concerne ao que é dito, apontado. A razão dessa transmissão é bem outra: dominar, julgar-se superior, oprimir, violar. [...]

Eita! Pois então, caros leitores, jamais perguntem ao esquerdista de onde ele é, sobretudo se estiverem no Rio Grande do Sul!

[Mr. X: E afinal, de onde ela é?!?]

É estranho que a blogueira tenha censurado a superioridade que sente um racista
para, logo depois, escrever isso aqui (os grifos são meus):
Eu olhei com uma mistura de desprezo e solenidade para as mocinhas da licenciatura – um dia alguém que também repudie as pedagogias, plis, me diga para quê serve esse lixo de licenciatura!
Olhei e ri – por dentro, pensei: eu vou humilhar essa cretina e
ela nem vai notar.
Epa! Mas soberba não é coisa de racista?!?

A diatribe prossegue com mais uma tolice:

Sabem por que sinonimizar empregada doméstica com “negra” é comum em famílias classe média ou altas? Ah, você não sabia que essa sinonimização é promovida? Nunca ouviu nem viu essa identificação misteriosa?
Esse é um dos raros exemplos em que o esquerdismo jurássico se mistura com o esquerdismo contemporâneo: No primeiro, os esquerdistas incitavam que os empregados odiassem seus patrões. No atual, incitam o ódio racial (e as cotas raciais são apenas o prelúdio de algo muito pior). No trecho acima, há uma mescla de ambos.

[Mr. X: E depois, não é verdade que todas as empregadas sejam negras. A lá de casa, por exemplo, era índia. :-P]

No segundo post, Pelas Cotas Raciais, a moça carimba:

Vou então apresentar a razão pela qual a UFRGS deve apoiar as cotas raciais. [...] Eu sou só uma Palestininha, comendo amendoim e amando e vivendo e buscando a verdade. Na taça, um bom vinho. Eu sou índia com europeu.
[Mr X: Até vejo amendoim com cerveja, mas com vinho? Eca. E os europeus não eram todos colonizadores racistas?]

Hehehe! Deve ser muito agradável escrever diatribes pró-cotas raciais do aconchego de um confortável lounge e degustando o que há de melhor das vinicultura gaúcha. Vinho, aliás, provavelmente produzido em alguma daquelas colônias que a blogueira utilizou como personagem de sua soberba no trecho mais acima.

Preparem-se para o que vai abaixo:

Cotas é uma medida anti-racista. E não é que eu separe rigorosamente o racismo do atual estado da barbárie capitalista, at all!
Então, quer dizer que cotas, que levam em consideração a (suposta) raça da pessoa, é uma medida anti-racista?! Não há exemplo melhor de duplipensar do que isso. Essa assombrosa capacidade de guardar simultaneamente na cabeça duas crenças contraditórias e aceitá-las ambas.

Quanto ao "estado de barbárie capitalista", a nossa realidade seria muito pior sem ele. O mundo socialista que o diga.

[Mr. X: Sempre rio (para não chorar) quando o pessoal fala em "barbárie capitalista". Hã?? Claro, é para dizer que eles, no poder, poderão resolver esse "caos capitalistas". Que, uma vez que o pessoal certo estiver no poder, todos serão mais felizes, mais iguais, mais humanos. É como um adolescente pedindo as chaves do carro e prometendo que não vai beber e vai voltar na hora certa, você acredita?]

Oh, céus! Chegou o trecho mais tosco! Preparem-se! Ei-lo:
Quero ter colegas negros. Quero e penso ser humanista, se algum humanismo é possível nesta joça capitalista desta precária quadra histórica em que nos encontramos, que os negros ocupem estatísticas de universitários, que se sentem em sala de aula e não somente nos bancos das lanchonetes universitárias, lá dentro, no descanso depois do almoço, enquanto o próximo branco não pede, de sobremesa, uma torta de limão e um capuccino.
Eu, também, adoraria ter colegas negras na minha antiga turma de engenharia. Até imagino elas vindo até mim: "Ah, Marcelo Augusto, me ensina como se usa ponteiros em C++?!?!?!" E eu: "Claro, gata! Vamos lá em casa...".

[Mr X: Ei, eu tive colegas negros na universidade. Não muitos, mas alguns. Inclusive uma mulata (hoje mulato é "negro") para lá de linda, pena que não rolou.]

No entanto, qualquer pessoa, independente da cor da pele, deve se submeter, de forma isonômica, ao teste de seleção do vestibular se quiser entrar em uma universidade. As cotas raciais representam algo bem mais pernicioso do que esse humanismo democraticamente disfarçado: São o passo inicial para a criação de uma classe de privilegiados perante a lei, sem dizer que possuem o potencial latente de expandirem, pouco a pouco, esse privilégio ao ponto de eliminar os direitos cívicos daqueles que se opõem a essas práticas. Extrapolando um pouco mais, teríamos essa classe de privilegiados ocupando o lugar das próprias leis.

E vejam o quanto a mocinha expressa a própria frustração no trecho final do excerto acima: Onde alguém enxergaria um trabalho honesto e produtivo, ela vê ódio racial. No fundo, certas mentes por trás do movimento pró-cotas gostariam não de isonomia perante a lei, mas de poder retaliar os seus supostos opressores. No fundo, no fundo, essa gente deve possuir uma vontade adormecida de submeter as pessoas brancas à escravidão, pois, finalmente, estariam recebendo a tão sonhada (e anacrônica) "compensação histórica".

Caramba, Mr. X! Não sabia que o bandejão da UFRGS era tão chic! Servem até capuccino e torta de limão! Bandejão burguês!

[Mr X: O pior é que servem mesmo, mas só pros brancos... Valeu, M.A.!]

15 comentários:

marcelo augusto disse...

Valeu, Mr. X! :)

Fico honrado em contribuir com algo para o blog. :)

Ah, sim. A moça é de Recife e o cabra que a chamou de a mais fulminante inteligência que já blogou em língua portuguesa foi o nosso queridíssimo amigo I _ _ _ _ _ R. Completem os espaços em branco! :)

Auf Wiedersehen!

Marcelo

Didi Iashin disse...

Lembrei-me do slogan que inventamos para uma campanha do DCE da Letras-USP, em 1988: Camarão no bandejão.

O bicho é um poço de complexos ...
Ela ainda não saiu de 1968 e continua cantando: EU QUERO UM HOMEM DE COOOOOR!!!! Acho que, pela cabecinha dela, o filme "Adivinha quem vem para jantar" é o top de linha da integração racial.
Ara ...

Enrique Villalobos disse...

Hahahahaha!

"Um tosco blog esquerdista às sextas" é uma ótima idéia!! Parabéns Marcelo!

Esse blog fica melhor a cada dia.

Abraços

Stefano disse...

A propósito, "Palestina do Espetáculo Triunfante" foi a fantasia vencedora no quesito Luxo e Originalidade do Clube Monte Líbano, no saudoso carnaval de 1978; (em segundo lugar ficou Clóvis Bornay e sua antológica criação "O Encontro de Nabucodonosor e Cleópatra com o Rei Arthur em Machu Picchu".)

Mr X disse...

Huahauhua1 :-D

Marcelo Augusto, fica já encarregado de fazer esta seção todas as sextas-feiras. :-)

marcelo augusto disse...

Hehehehehehe!

Eu me divirto com o Idelber:

http://www.idelberavelar.com/archives/2009/06/links_de_domingo_1.php#comments

Essa é a lógica dessas pessoas.

Ah, sim: Ele me bloqueou de comentar lá! :-)

Até!

Anônimo disse...

PQP, esse Idelber deve ser um Lunático. É sério isso? Inacreditável.

Mr X disse...

Em termos de blog esquerdista tosco, o Idelber é hour concours.

O que acho engraçado é que, quando a realidade o contradiz, ele prefere ignorá-la.

marcelo augusto disse...

Olá!

Engraçado que o Idelber tenha me chamado de direita. Uma coisa o tosco não percebeu: O primeiro comentário que fiz foi uma colagem de um trecho do texto do Pedro Doria, uma pessoa declaradamente de esquerda.

Vai entender essa gente.

Enrique Villalobos disse...

Marcelo, eles bloqueiam IP. Então é só usar um proxy, que vc pode comentar lá à vontade.

marcelo augusto disse...

Fale, Enrique!

É, eu sei. Mas eu me divirto vendo o Idelber dar desculpas como "estou com a minha amada, por isso não pude cobrir o que acontece no Irã". Bah...

Seria mais honesto se ele admisse de qual lado está nessa história toda.

:)

Até!

marcelo augusto disse...

Eu me divirto com o trotskyísta de Tulane:

http://www.idelberavelar.com/archives/2009/06/wilson_simonal_e_o_revisionismo_historico_da_ditabranda.php#c85368

Caso ele apague:

"Olá!

Interessante isso aqui:

Quando Reinaldo Azevedo recomenda um filme como uma aula de história brasileira, é bom ficar de olho.

Claro, devemos dar ouvido mesmo a um trotskyísta que dará palestra sobre (vejam só, pessoal!) direitos humanos!

É cada uma...

Até!"

Hehehehehehehe!

quilombonnq disse...

1.parte REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA !
A COMUNIDADE NEGRA AFRO-LATINA BRASILEIRA
APOIA E É SOLIDARIA AO POVO PALESTINO.VIVA A PALESTINA!
Viva! Chàvez! Viva Che!Viva! Simon Bolívar! Viva! Zumbi!
Movimento Chàvista Brasileiro

Manifesto em solidariedade, liberdade e desenvolvimento dos povos afro-ameríndio latinos, no dia 01 de maio dia do trabalhador foi lançado o manifesto da Revolução Quilombolivariana fruto de inúmeras discussões que questionavam a situação dos negros, índios da América Latina, que apesar de estarmos no 3º milênio em pleno avanço tecnológico, o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano, que em pese que esse grupo de países a pirâmide do topo da sociedade mundial e que ditam o que e certo e o que é errado, determinando as linhas de comportamento dos povos comandando pelo imperialismo norte-americano, que decide quem é do bem e quem do mal, quem é aliado e quem é inimigo, sendo que essas diretrizes da colonização do 3º Mundo, Ásia, África e em nosso caso América Latina, tendo como exemplo o nosso Brasil, que alias é uma força de expressão, pois quem nos domina é a elite associada à elite mundial é de conhecimento que no Brasil que hoje nos temos mais de 30 bilionários, sendo que a alguns destes dessas fortunas foram formadas como um passe de mágica em menos de trinta anos, e até casos de em menos de 10 anos, sendo que algumas dessas fortunas vieram do tempo da escravidão, e outras pessoas que fugidas do nazismo que vieram para cá sem nada, e hoje são donos deste país, ocupando posições estratégicas na sociedade civil e pública, tomando para si todos os canais de comunicação uma das mais perversas mediáticas do Mundo. A exclusão dos negros e a usurpação das terras indígenas criaram-se mais e 100 milhões de brasileiros sendo estes afro-ameríndios descendentes vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza, sendo as maiores vitimas da violência social, o sucateamento da saúde publica e o péssimo sistema de ensino, onde milhões de alunos tem dificuldades de uma simples soma ou leitura, dando argumentos demagógicos de sustentação a vários políticos que o problema do Brasil e a educação, sendo que na realidade o problema do Brasil são as péssimas condições de vida das dezenas de milhões dos excluídos e alienados pelo sistema capitalista oligárquico que faz da elite do Brasil tão poderosa quantos as do 1º Mundo..
O.N.N.QUILOMBO –FUNDAÇÃO 20/11/1970
quilombonnq@bol.com.br

quilombonnq disse...

2 parte.REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA !
É inadmissível o salário dos professores, dos assistentes de saúde, até mesmo da policia e os trabalhadores de uma forma geral, vemos o surrealismo de dezenas de salários pagos pelos sistemas de televisão Globo, SBT e outros aos seus artistas, jornalistas, apresentadores e diretores e etc.
Manifesto da Revolução Quilombolivariana vem ocupar os nossos direito e anseios com os movimentos negros afro-ameríndios e simpatizantes para a grande tomada da conscientização que este país e os países irmãos não podem mais viver no inferno, sustentando o paraíso da elite dominante este manifesto Quilombolivariano é a unificação e redenção dos ideais do grande líder Zumbi do Quilombo dos Palmares a 1º Republica feita por negros e índios iguais, sentimento este do grande líder libertador e construí dor Simon Bolívar que em sua luta de liberdade e justiça das Américas se tornou um mártir vivo dentro desses ideais e princípios vamos lutar pelos nossos direitos e resgatar a história dos nossos heróis mártires como Che Guevara, o Gigante Osvaldão líder da Guerrilha do Araguaia. São dezenas de histórias que o Imperialismo e Ditadura esconderam. Há mais de 160 anos houve o Massacre de Porongos os lanceiros negros da Farroupilha o que aconteceu com as mulheres da praça de 1º de maio? O que aconteceu com diversos povos indígenas da nossa América Latina, o que aconteceu com tantos homens e mulheres que foram martirizados, por desejarem liberdade e justiça? Existem muitas barreiras uma ocultas e outras declaradamente que nos excluem dos conhecimentos gerais infelizmente o negro brasileiro não conhece a riqueza cultural social de um irmão Colombiano, Uruguaio, Venezuelano, Argentino, Porto-Riquenho ou Cubano. Há uma presença física e espiritual em nossa história os mesmos que nos cerceiam de nossos valores são os mesmos que atacam os estadistas Hugo Chávez e Evo Morales Ayma,Rafael Correa, Fernando Lugo não admitem que esses lideres de origem nativa e afro-descendente busquem e tomem a autonomia para seus iguais, são esses mesmos que no discriminam e que nos oprime de nossa liberdade de nossas expressões que não seculares, e sim milenares. Neste 1º de maio de diversas capitais e centenas de cidades e milhares de pessoas em sua maioria jovem afro-ameríndio descendente e simpatizante leram o manifesto Revolução Quilombolivariana e bradaram Viva a,Viva Simon Bolívar Viva Zumbi, Viva Che,Viva MalcolnX ,Martin Luther King, Viva Osvaldão, Viva Fidel,Viva Mandela, Viva Chávez, Viva Evo Ayma, Viva a União dos Povos Latinos afro-ameríndios, Viva 1º de maio, Viva os Trabalhadores e Trabalhadoras dos Brasil e de todos os povos irmanados.
O.N.N.QUILOMBO –FUNDAÇÃO 20/11/1970
quilombonnq@bol.com.br

Mr X disse...

PQP... :-( Comentários tosco-esquerdistas agora também?