segunda-feira, 18 de maio de 2009

O fim da família

Lá no blog do Orlando Tambosi, onde está tendo uma grande polêmica sobre um caso de aborto seletivo na Suécia (comento abaixo), o Chesterton postou um link para uma outra notícia interessante, onde se divulga que de acordo com um juiz que deu ganho de causa a uma mulher que usou o esperma do ex-marido sem autorização para engravidar, "o esperma, uma vez ejaculado, já não pertence mais ao homem, tornando-se propriedade da mulher."

A figura do marido e pai já é, desde algum tempo, considerada quase desnecessária: o número de bebês nascidos de mães solteiras já são 40% do total nos EUA e de 50% na Inglaterra. Na Suécia dos abortos seletivos, parece que são mais de 65%. E agora esta: a mulher pode usar o esperma do homem sem sua autorização, e criar o filho sozinha. Não servimos para porra nenhuma mesmo.

A verdade é que as coisas mudaram bastante nos últimos 40 anos, e dá para entender porque a Igreja Católica seja tão contrária à pílula e à camisinha, quando não ao aborto: estes estão literalmente acabando com a família tradicional. As mulheres, livres para fazer sexo com quem bem entenderem sem ter filhos, não mais necessitam se prender a um marido para toda a vida, e preferem ter vários homens ao longo da vida, e, em muitos casos, mesmo vários filhos com pais diferentes. (Já os homens sempre preferiram isso).

Mas outro fenômeno ocorreu, paralelamente, que potenciou os efeitos da revolução sexual e das tecnologias anticoncepcionais: o crescimento do "Estado de Bem-Estar social". O homem, que além de pai era em geral o principal provedor financeiro nas famílias, também perdeu essa função. A mãe solteira, que não mais sofre preconceito, tampouco precisa viver na rua da amargura, pois o Estado a sustenta. É uma relação simbiótica: a mãe solteira, em troca, vota nos políticos estatistas. De fato, diversas pesquisas apontam que o crescimento do Estado em grande parte do mundo ocidental está diretamente ligado ao aumento do número de mães solteiras votantes.

Finalmente, como cereja no topo desse bolo estrambótico, temos os marxistas infiltrados que há décadas também tentam por meio de todos os métodos possíveis acabar com a sociedade tradicional, por puro niilismo, em busca do tal "homem novo".

Bem, tudo isso pode ser bom ou ruim, ou um pouco das duas coisas, não sei: sei só que um "admirável mundo novo" que está surgindo. O fato é que a família tradicional monogâmica, papai-mamãe-(amante)-filhinhos, está ruindo. O próprio "casamento gay" nada mais é do que uma tentativa de colocar o último prego nesse caixão.

Se não acreditam, vejam: na Holanda, um sujeito casou com duas mulheres lésbicas: ambas realizam sexo com ele e entre si. Trata-se de uma relação "poliamorosa", celebrada lá por todos os intelectuais. Assim que o "casamento gay" for liberado geral, não duvide que os casamentos poligâmicos grupais serão os próximos na lista pela luta de direitos.

O que isso tudo significa? Não sabemos ainda bem. Sabemos apenas o seguinte: os progressistas, que são totalmente contrários a experimentos com animais, não hesitam em realizar os mais delirantes experimentos sociais jamais antes testados usando milhões de seres humanos como cobaias. O fim da família tradicional, que vem sendo gestado desde algumas décadas, é o maior experimento social já realizado em larga escala desde a coletivização comunista.

(Embora aqui eu não possa colocar a culpa de tudo nos tais esquerdistas, já que, como informado acima, vários outros fatores, inclusive avanços tecnológicos que chegariam mais cedo ou mais tarde, conspiraram para o mesmo fim).

Quanto ao aborto sueco: a foto abaixo mostra um feto de 5 meses, legalmente abortável na Suécia, pelo motivo que se quiser, ou até sem motivo.


*** A pedido dos leitores mais sensíveis, a foto chocante do bebê aparece agora apenas como link, basta clicar aqui.

32 comentários:

Cláudio disse...

Quer saber: que se danem Suécia, Inglaterra e qualquer outro país que não tenha peito para defender os princípios que os fundaram. Quando estiverem mulheres de burka e homens de toalha na cabeça, tendo que rezar virados para Meca não venham chorar. O admirável mundo novo já chegou para alguns buracos.

PS: Países como esse buraco escadinavo me fazem sentir uma pontinha de orgulho de ser brasileiro (por enquanto).

Chesterton disse...

matriarcado estatal...interessante a sacação, Mr. X. Isso liga essa história toda a esquerda, mas deixa pessoas como o Tambosi mais fora de lugar ainda. A menos que a defesa que faz das liberdades, democracia, antimarxismo seja só disfarce.
Eu só consigo ver eugenismo nisso tudo. Totalitarismo e autoritarismo.

Edu disse...

Cara, nos últimos meses tive uma experiência que fizeram eu virar a folha em relação ao aborto. Realmente, por pior q a vida possa parecer, ela é algo divino e deve ser preservada a todo o custo.

Quanto ao casamento poligâmico, não ligo não (e definitivamente não sou de esquerda).

Mr. X, existe algum lugar em que possamos encontrar elucubrações sobre o que aconteceria se não baseássemos nossa sociedade em famílias mais? Isso seria mto interessante, será que algum sociólogo emitiu opinião sobre isso...?

Abraço

confa* disse...

putz chose...vc cada vez mais reacionario...

essa ph chocante, imagine seu impacto aos olhos de uma mulher "normal" como eu...que trabalha, ama, trepa, ta sempre querendo aprender mais, pratica a generosidade com o proximo e a natureza, duvida, usa e abusa do civismo, planta e fuma sua propria maconha, paga seus impostos,vota sempre à esquerda, é dona do proprio nariz, tudo isso sem viver em familia "tradicional"etc...e ja abortou !

a seus olhos devo ser uma idiota progressista,assassina, nao é ? :((

Anônimo disse...

Parem as maquinas! A mulher do seculo 21 chegou! (Confa das 11:42).

Anônimo disse...

Um post daqueles de primeira linha.

Chesterton disse...

lamentavel, Conffa, mas tudo tem salvação.

Mr X disse...

Oi conffa,
Que nada, gosto d'ocê. Eu não julgo ninguém; interessam-me as questões sociais gerais, e ver onde tudo isso vai dar. Mas cada um tem seus motivos e crenças.

Quanto à foto, desculpem: é chocante mesmo, tirei lá do Blogbis, onde a foto incomodou os pró-aborto. Pensei cá comigo que choca, mas reflete uma realidade, o feto não é uma coisa abstrata. Às vezes se esquece isso.

Mr X disse...

Aliás, aqui há mais suposições do que fatos. Apenas pergunto-me onde iremos parar. A teoria do "matriarcado estatal" não é minha, li em algum lugar que não lembro, afinal como disse o Diogo sou um cabo eleitoral de idéias alheias. ;-)

Quanto à pergunta do Edu: não sei, o post é uma tentativa de perguntar isso, o que acontecerá com o fim da "família tradicional", que acho que vai ser uma realidade. As sociedades poligâmicas, sabe-se por fato, costumam ser violentas. Mas não sei, acho que a unidade familiar estava presente mesmo em sociedades que toleravam relações homossexuais, como a Grécia antiga, afinal o casamento estava ligado à propagação da espécie.

Esta é a primeira vez em que o casamento ficou totalmente desligado da propagação da espécie e da criação dos filhos, já que a ciência permite uma série de coisas que não permitia antes. A família não é mais "necessária". No que isso vai dar? Não sei.

Chesterton disse...

Pois é, como é que alguem pode ser a favor disso vendo isso?

Equis, vou abusar do seu blog só um pouquinho, porque o tambosi a partir do momento que é colocado contra parede peida e me deleta.
Disse isso:

O debate ético que quis suscitar, supondo que todos já conhecessem a minha posição (pela descriminalização do aborto, e de acordo com o projeto da comissão tripartite, já mencionado aqui inúmeras vezes), e talvez tenha me expressado mal, é em torno disto: é eticamente justificável abortar por razões de escolha sexual, estéticas, etc.?

chest- Se o aborto é para ser descriminalizado, ninguem vai perguntar a causa . As mulheres que querem fazer, farão. Uma vez que é legal, como é que ele pretende interferir na motivação da mãe? Vai haver uma comissão para decidir qual mulher pode e qual não pode? Vai haver um conselho de ética para decidir quem pode e quem não pode? Isso não é eugenismo, nazismo puro?

Didi Iashin disse...

"Não servimos para porra nenhuma mesmo."
Para "saporra" vocês ainda servem.
AINDA. Pode ser que, logo, logo, as coisas fiquem piores ...
De resto, esse caso do aborto na Suécia serve para provar que o ser humano está ficando pior que bicho.
É uma pena ...
A foto recorda-me um episódio do House, quando ele faz uma cirurgia num feto e, quando abrem a barriga da mãe, sai aquela mãozinha diminuta, segurando o dedo do House ... De chorar.

Cláudio disse...

Didi,

por coincidência postei esse vídeo ontem:

http://c-avolio.com/2009/05/house.html

Um dos grandes momentos da série.

Para quem não viu, o médico House passou o episódio inteiro corrigindo todos que chamavam o o feto de bebê: "It's a fetus!" Até que ele precisou fazer operação e aconteceu o que aconteceu.

Chesterton disse...

Tambosi é o ovo da serpente.

confeiteira* disse...

ah, nao vou participar de debate sobre familia, mulher e "matriarcado estatal"...

divirtam-se caros "sexo dominante" !

chose, vou parar de ler seus poemas se vc nao tirar essa foto da home...

Anônimo disse...

Opa, mais um fã de House, o medico misantropo politicamente incorreto, aqui!
Essa cena foi mesmo de doer.

conffis* disse...

prefiro dexter...os fans de house ja desconstruiram a personalidade do cara...nao ha mais frisson..

Chesterton disse...

conffa, sexo dominante? Nós ? Ta doidia?

Chesterton disse...

Quando se inicia o contacto com gestantes de baixo poder aquisitivo nas santas casas da vida se aprende na prática os males do mundo. é muita crueldade.
Não vou dizer que a maldade leva à pobreza, pois teria que aceitar o oposto, mas que tem gente que faz questão de morar no esgoto, ah, isso tem.

Mr X disse...

Pronto, tirei a foto, que coisa. Mas o feto continua existindo.

Perdi esse episódio do House... Vou ver se pego a reprise.

Sei que aborto é um tema delicado e envolve muitas paixões...

Interessa-me mais a questão do

Abs.

Diogo disse...

Que coisa mais Ricúpero: o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde.

Por mim tem mais é que escancarar fotos como essa, se acharem mal, vão lá no site dos Ursinhos Carinhosos , ou algo que o valha.

conffa* disse...

diogo, desculpe, mas pq nao cola a tal imagem chocante no seu espelho ? assim vc pode admira-la o tempo todo...

Cláudio disse...

Mr.X, Se não aguentar esperar:

http://www.megaupload.com/?d=0FKE9ZTI

Episódio 3.17

Abraços

Diogo disse...

Eu tenho uma idéia melhor, confa: colocar no verso das embalagens de preservativos, igual fazem com maços de cigarros.

É até engraçado, fazer aborto pode, mas ver a imagem de um feto assassinado é o CÚMULO.

Inversão de valores total.

confett* disse...

ah ta... ô pro-life, vai vivendo ai com suas certezas...
prefiro minha duvidas, todas elas...

Mr X disse...

Confetti, vamos casar? Podemos formar uma "família tradicional" bem bonitinha. Nossos filhos falarão francês.

Mr X disse...

Só não vamos abortá-los, tadinhos. :-/

Chesterton disse...

Confa, mr X cantará

-Pare de romar a pílula
-Parede tomar a pílula
- Conffa deixe nossos filhos nasceeeeerrrrr....

confettia* disse...

rsssssssss*

é um riso nervoso,espasmodico !

Chesterton disse...

"Astonished US medics say there's "an overwhelming 99.999 per cent chance" that a set of 11-month-old Texan twins have been born to different fathers. Babies Justin and Jordan Washington arrived just seven minutes apart, UK tabloid The Sun reports, but were conceived separately because their mother Mia was cheating on partner James Harrison. A disbelieving Mia, 20, told The Sun: “Out of all the people in America and all the people in the world, this had to happen to me.” The Texas mum admitted having the affair at the time she conceived, and submitted to a paternity test because the two boys looked so unalike. [They look the same to me!]

chest- galinha que é galinha aprende a nadar para dar para o pato....

Mr X disse...

Ixemaria!

Gunnar disse...

House? Fala sério. Como todos os enlatados americanos, é péssimo. Ou melhor, mais do mesmo. Sempre os mesmos enquadramentos ,as mesmas caras, as mesmas frases prontas (E completamente improváveis na vida real), as mesmas situações, desde o Friends. Só muda o cenário (hospital, investigações policiais, ilha perdida, etc).

Dorival disse...

"... e, tirando-os para fora, disse: Senhores, que me é necessário fazer para me salvar?
Responderam eles: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua família." (Atos 16.30-31)