terça-feira, 1 de junho de 2010

Por que todos odeiam Israel?

Se é verdade que "os sionistas controlam a mídia", como se explica que esta seja tão fanaticamente anti-Israel? Nenhum outro país é tão vigiado, tão vilipendiado, tão acusado. Se os "sionistas" de fato controlam os meios de comunicação, estão fazendo um péssimo serviço.

Há uma guerra civil no Congo que dura até hoje e que já matou mais de cinco milhões de pessoas em poucos anos. É a guerra com maior número de vítimas desde a II Guerra mundial. Ninguém se importa. Ninguém vai levar medicamentos, água ou comida para esses pobres desgraçados. Não vai haver nenhuma "frota da paz" nessa direção. Ninguém vai comentar em blogs.

Putin matou duzentos mil muçulmanos chechenos. Houve uma única jornalista que protestou, e terminou suicidada com dois tiros. Quanto ao resto da mídia, silêncio.

Os jordanianos mataram em um só mês (Setembro Negro) dez vezes mais palestinos do que os israelenses em 40 anos. Mesmo hoje, morrem mais muçulmanos nos conflitos sunitas versus xiitas do que no conflito com Israel. Mas se árabe mata árabe, ninguém se importa. 

Há menos de um mês, um barco sul-coreano foi torpedeado e morreram 46 pessoas, e ninguém está "indignado".

Por que alguns mortos valem mais do que outros?



 Agora temos o caso da tal "frota da paz". Eis seus pacíficos passageiros.

É verdade, nem todos na frota eram dessa laia. Alguns eram apenas idiotas úteis, candidatos ao troféu principal dos Darwin awards (quem mais iria para uma zona de guerra fazer "turismo de protesto"?)

Claramente, tratava-se de uma armadilha. Israel não tinha como vencer: se deixasse os barcos passarem, perdia a moral e a segurança. Se afundasse os barcos, mesmo estando de acordo com a lei internacional (*), o país seria crucificado.

Os israelenses optaram pela opção, a meu ver equivocada, de revistar o barco com soldados, os quais foram recebidos a pauladas, como bem mostra o vídeo no post anterior. Algumas dezenas de soldados contra uma massa humana tentando linchá-los. Nessas condições, o confronto foi inevitável.

O problema poderia ter sido resolvido sem a abordagem, com tiros de advertência de um canhão, seguidos de tiros reais caso o navio continuasse. O escândalo midiático seria provavelmente o mesmo, mas não se colocaria em risco a vida de soldados, e talvez houvesse menos vítimas, já que os caídos ao mar poderiam ser resgatados.

A imagem de Israel sai arranhada, e não podia ser diferente. Israel está virando, para a mídia, a nova África do Sul. Não, não faço aquela velha e gasta comparação com o sistema do apartheid, que era algo totalmente diferente ao que ocorre hoje no Oriente Médio. Mas o país recebe internacionalmente a mesma tentativa de desqualificação total. Assim como todos estavam contra a África do Sul nos anos 80, hoje todos estão contra Israel.

Curiosamente, foi nesta mesma semana que saíram notícias sobre um suposto acordo secreto entre Israel e África do Sul, no qual Israel teria tentado (sem sucesso) vender armas nucleares ao país africano. Logo depois soube-se que as notícias eram falsas, mas não poderia ser mais clara a tentativa de igualar os dois países como párias da humanidade (ou, alternativamente, bodes expiatórios da Sempre Boa "comunidade internacional").

Israel e a velha África do Sul, na verdade, têm muito pouco em comum no que se refere à organização política, até porque Israel é uma sociedade democrática e  multiracial. (E se Israel negociava com a África do Sul, era porque o bloqueio árabe deixava poucas outras opções.)

Mas, de certo ponto de vista, a antiga África do Sul e Israel podem ter sim ao menos uma coisa em comum. Se Israel pode ser visto, dependendo da ideologia, tanto como opressor de pobres palestinos ou como um minúsculo país judeu cercado por milhões de inimigos árabes, da mesma forma a África do Sul poderia ter sido vista, não só como um país de brancos malvados oprimindo negros, mas também como um país onde uma minoria branca estava cercada por milhões hostis de maioria negra.

(Não estou apoiando o apartheid, que fique claro: só observando a disparidade das populações, entre judeus e árabes em um caso, e entre brancos e negros do outro, e o ódio entre ambos. É verdade também que o desgosto da mídia é seletivo. Imagine um sistema no qual os brancos sejam oprimidos e expulsos de suas terras, quando não mortos, e pergunte-se se ocorreria o mesmo escândalo. Pois esse país existe, chama-se Zimbabwe. Imagine um ou mais países onde os judeus sejam expulsos à força e percam todas as suas propriedades. Também existem, são os países árabes após 1948. Ninguém liga.)

Bem, fora isso, é claro que o apartheid era um sistema opressivo de separação racial que pouco ou nada tem a ver com o que ocorre em Israel, onde o conflito é bem outro e tem origens territoriais e religiosas muito antigas. A similitude está no fato de que, assim como negros e brancos ainda não se dão bem na África do Sul, e alguns até acham que as relações pioraram, muçulmanos e judeus continuarão a se odiar enquanto o conflito por terras e religião continuar.

Pode cantar musiquinha, pode fazer propaganda, pode tentar macumba. O problema não vai se resolver. Há certas questões que são insolúveis mesmo por canais diplomáticos, e mandar "frotas da paz" só atrapalha. Embora talvez seja essa a intenção.

Alguns dirão que a propaganda dos islâmicos venceu, que este é o "Eldorado dos Carajás" israelense. Não importa. Para todos os efeitos, a hora das Relações Públicas acabou. Não interessa mais o que os intelectuais suecos pensem de Israel. O país enfrenta o momento mais delicado desde 1948, com Hizbollah superarmado ao norte, Hamas dominando Gaza ao sul, e a possibilidade de um Irã atômico que fala abertamente em aniquilar o país sob aplausos da comunidade internacional. Agora até a ex-aliada Turquia ameaça se virar contra, e os EUA de Obama tampouco são muito amigos, tendo cancelado uma série de auxílios ao país. Não há mais tempo para posar de bonzinho. É bala na agulha. É Israel contra todos.

Se acham que exagero, basta olhar a repercussão midiática de qualquer evento envolvendo Israel. O país jamais será visto com bons olhos. Até a ajuda que deu durante o terremoto no Haiti foi criticada por alguns (diziam que os sionistas estavam lá para roubar órgãos). Que África do Sul o quê - suspeito que nem a Alemanha nazista foi tão odiada em seu tempo. O ódio contra Israel é irracional, já que o conflito Israel vs. palestinos é um conflito menor, que não tem demasiada importância geopolítica, que não afeta quase ninguém fora daquela limitada região (fora os judeus mortos em atentados terroristas islâmicos em outras cidades) e que nem causou, proporcionalmente, tantas vítimas quanto outros conflitos muito mais sangrentos. Mais muçulmanos são mortos todo ano por muçulmanos do que os que Israel jamais matou. Morrem mais pessoas em um fim de semana nas guerras do tráfico no Rio do que em Gaza. Mas, contra um vendaval de ódio, é inútil argumentar.

Sinceramente, não sei de onde vem todo esse ódio. Poucos se importam se Sri Lanka massacra os tamis, se os Chineses reprimem os tibetanos, ou se os turcos eliminam os curdos. Esses três povos vitimizados tem tanta ou mais "legitimidade" para ter um estado próprio do que os palestinos, que não é uma etnia específica e é um termo que não existia antes de 1967. Mas ninguém se importa muito com eles.

Não, Israel não é perfeito. Muitas vezes erra mais do que acerta. Ultimamente tem cometido algumas trapalhadas, e seus políticos metem os pés pelas mãos. Pode-se argumentar que cometeu vários ataques desnecessários e até crimes de guerra. É válido criticar suas políticas, assim como as de qualquer outra nação. O país não é santo -- mesmo porque não têm opção de ser. Ou resiste, ou é destruído. E não se enganem: esse é o objetivo de seus inimigos. Destruir o país, aniquilar sua população, e colocar toda a área sob controle islâmico.

É claro que alguns ficariam felizes com a destruição de Israel, assim como ficariam felizes com a destruição dos EUA, ou mesmo de todo o odiado Ocidente. A esses, tudo o que se pode dizer é: cuidado com o que deseja, pois poderá se tornar realidade. O resultado vai ser muito pior do que você pensa.

(*) Lei Internacional:
12 June 1994
SECTION V : NEUTRAL MERCHANT VESSELS AND CIVIL AIRCRAFT
Neutral merchant vessels
67. Merchant vessels flying the flag of neutral States may not be attacked unless they:
(a) are believed on reasonable grounds to be carrying contraband or breaching a blockade, and after prior warning they intentionally and clearly refuse to stop, or intentionally and clearly resist visit, search or capture.

 Sansão, o primeiro terrorista suicida.

114 comentários:

Chesterton disse...

Simples, Israel não admite tutela..

Klauss disse...

Só não entendi a legenda da foto: "Sansão, o primeiro terrorista suicida." ?

A única coisa pior que ser um americano heterossexual cristão branco de classe média hoje em dia é ser judeu.

Só tomara que os Nazis não apareçam por aqui hoje como apareceram em outras ocasiões...

K.Dinessa disse...

Arrisco dizer, baseado no seu próprio texto, que o ódio multiplicado por Israel deve-se ao apelo da mídia, que divulga informações incompletas para a população que não se propõe a refletir e buscar outras fontes confiáveis para confrontar com as que já tem. Não se importam com as verdadeiras questões que ocorrem lá, se importam apenas com os minutos noticiando o ataque de Israel contra "pacificadores". Agora pq razão a mídia não se prende a outras guerras violentas e gosta de pegar Israel pra bode expiatório, não sei...

Marcelo disse...

aiai tá:
1 - quem mais odeia e fala abertamente são pessoas da esquerda. "Abaixo sionismo, viva palestina" O eterno mito do bom selvagem.
2 - desde a independência em 1948 tem rolado guerras e problemas naquela região, mas agora qq um tem bomba atomica, terroristas e vai acabar sobrando pra mais gente além de israelitas essa merda
3 - ninguem é somente vítima

Marcelo disse...

4 - pq a ONU aprovou a coisa toda
5 - tem algum motivo a mais além do religioso para estarem ali? q merda de lugar é aquele? terra prometida? cara, eles são os favoritos de deus e ganham aquilo?

Diogo disse...

Argumento válido, mas incompleto.

O dia que o Congo virar o berço do monoteísmo ocidental, quem sabe terá os olhares do mundo para si.

Dois mil anos de "marketing" não se apagam tão facilmente.

DD disse...

Hum, acho que Israel (corrijam-me se eu estiver errado) foi fundado sob a égide de certo progressismo (os judeus tinham sido adotados por parte da esquerda já desde fins do século XIX); até hoje, muita gente mais antiga rejeita Israel por julgar as suas origens demasiado imbuídas de idéias coletivistas que teriam mais a ver com as utopias modernas do que com certa nostalgia dos tempos bíblicos. O fato é que, se o esquerdismo esteve bastante presente na fundação de Israel, a vida concreta levou os israelenses a aproximar-se da realidade e viver muito democrática e capistalisticamente ao longo dos anos. E isso passou a incluir, por motivos de sobrevivência, a defesa das fronteiras por vias militares e grande proximidade com os EUA. Os progressistas, então, sentiram-se traídos por seus amantíssimos judeus de outrora e passaram a destilar a sua baba raivosa sobre os seus ídolos caídos.

Acho que esse é um fator que precisa ser levado em conta para que se entenda o ódio a Israel.

Chesterton disse...

A coisa é um pouquinho mais séria. Há, aos olhos do mundo e é óbvio que os serviços secretos israelenses sabem de tudo e mais um pouco. Esse festival turco é um sinal para início de mais uma fase de hostilidades islamistas (qual motivo os islamitas tem em querer destruir Israel senão o religioso?)contra os judeus. Ao ponto de Israel ter colocados 3 submarinos com misseis nucleares no Golfo Pérsico edm permanente rotação. Esse episódio deve ser interpretado pelo Irã como um recado de que qualquer besteira que eles estajam pensando em fazer, sofrerão retalições terríveis. Já existem misseis Scud nas mãos do Hamas que esperam ordens iranianas para jogarem-nos sobre TelAviv.
Mas quem definiu bem o episódio, de modo previdente, foram Roberto-Erasmo Carlos

"Se você quer brigar
E acha que com isso estou sofrendo
Se enganou meu bem
Pode vir quente que estou fervendo"

Diogo disse...

Sinceramente chesterton, ultimamente a inteligência israelense está mais para um bando de agente 86.

Aliás, cadê a Europa?

Com a deflagração de algum conflito mais sério no Oriente Médio, a onda de refugiados arábes só irá aumentar, sem contar a tensão nos bairros muçulmanos.

Só aí já vejo um bom motivo para Israel segurar a onda.

Chesterton disse...

E como você imagina ser possível segurar uma onda de Scuds e um ou dois "nukes"? Pedidno para o Lula implorar para o Irã parar? Ora bolas.

Chesterton disse...

A Europa está com a cabeça enterrada há muito tempo. A pergunta certa é: Cadê o Obama? A única maneira de parar a guerra é Obama tomar posição a favor de Israel de modo inequívoco.
Aí, e só aí, é que a turma do deixa disso entra em cena para acalmar os iranianos.
Aliás, Lula é cúmplice dessa trama toda.

DD disse...

O que há de novo no caso são, sem dúvida, os pruridos dos turcos por protagonismo. Voltaram a se interessar pela Palestina e aproximaram-se do Irã. Tempos atrás, estavam ameaçando invadir o Iraque para resolver o "problema curdo" in loco (lembram-se?). Agora, patrocinam ações esquisitas, aparentemente inócuas, mas que parecem esconder alguma coisa. Israel deve estar em situação melhor que nós para entender o que está acontecendo, como bem disse o Chest.

A coisa pode ficar muito feia, sem dúvida.

Diogo disse...

Bem, não sou um Bitt para entender de tecnologia militar, mas gostaria de saber com que lançadores o Hamas pretende lançar os Scuds sobre Israel.

Do ponto de vista militar é o que importa.

Do ponto de vista da geopolítica estratégica, mandar submarinos nucleares para intimidar o Irã e interceptar "ativistas" de maneira equivocada, bem, Israel deve estar bem ciente da onde está se metendo.

Tomara.

Anônimo disse...

Pelo andar das coisas Israel vai acabar usando as armas nucleares com propósitos táticos no Irã.

Ou seja, em vez de bombardearem grandes cidades, usarão mísseis anti-bunker abrir buracos profundos próximos às instalações subterrâneas e armas atômicas de baixa potência para provocar um miniterremoto e destruir tudo.

Quanto mais acuados os israelenses se sentirem, maior a chance de realizarem atos desesperados.

Adriano

Chesterton disse...

Desesperados? Não, eles sabem exatamente o que vai acontecer. Todo mundo orientado.
Os turcos tem um governo islamita, que quer destruir o legado secular da Turquia do século 20, e se aproximar do mundo islâmico. Por isso se presta a papeis desse tipo.
Lembrem-se dos armênios! Querem fazer com os judeus a mesma coisa para limpar a terra de "infièis".

Cadê o fdp do Obama? se ele não fizer nada, Russia e China nada farõa idem. É guerra certamente.

Mr X disse...

Que haverá guerra, nem se discute. A questão é quando, e quantos países envolverá.

Gunnar disse...

Mr X, respondendo à sua pergunta, "por quê todos odeiam Israel?": simples. Porque é senso comum. Insensado pela mídia e autoperpetuado pela ignorância e superficialidade em que as pessoas vivem hoje em dia.

Em duas palavras:
Ignorância + esquerdismo.

Chesterton disse...

Ao lado de Israel, Arabia Saudita e Egito. (que ousadia de minha parte)

Rolando disse...

A abordagem israelense foi desastrosa e deu pano para manga.....

O resto é isso aí mesmo que já se colocou: lobos em pele de cordeirinhos humanitários usando um bando de progressistas ocidentais idiotas metendo a colher onde nunca foram chamados.

A Turquia - que quando laica sempre nutriu um certo nojo pelos árabes - virou a casaca com o partido desse presidente, claramente pró-islamista. Foi a busca de um pretexto para voltar-se contra Israel. Que Israel ameace apoiar a causa curda (armas e dinheiro - só para entreter os países vizinhos por um tempinho).

Eu também acho que cedo ou tarde haverá guerra. E quem sabe de grandes proporções. O que me pergunto é se será uma guerra definitiva, tal como a 2ª guerra, ou mais uma como de décadas passadas em que o pessoal só fica "dando um tempo" à espera de uma nova oportunidade de se rearmar.

Como disseram, tem muito muça na Europa. E árabe, mesmo imigrante, gosta de brigar por qualquer coisinha. Aqui, pensando como um cara totalmente belicista e meio inconsequente: se a coisa partir para bombas e mísseis de grande impacto, tá na hora de bombardear Meca. Porque aí, não importa a razão, os europeus teriam de entrar na porrada para defender o Ocidente ou kaput.

Diogo disse...

E que tal Israel se virar sozinho, chesterton?

Não está escrito na constituição americana que os EUA tem que ajudá-los.

Por bem ou por mal, a população americana resolveu eleger o Obama, o país está atolado no Iraque e no Afeganistão, e passando por uma crise ecônomica e de identidade.

Não é hora dos israelesnse ligarem o "foda-se para o que o mundo pensa".

Ou será que tem coisa tão grave assim acontecendo, que só eles estão sabendo?

Diogo disse...

Bah, já querem bombardear Meca?

Bem, então tratem logo de trazer a China e a Rússia para nosso lado. Porque, como se percebeu com esse mísero ataque aos ativistas, o ocidente não está querendo comprar essa briga.

Pelo contrário, os palestinos estão se saindo bem melhores comerciantes que os israelenses.

Manda o Sívio Santos pra Jerusalém dar umas aulas a IDF.

A Pátria disse...

"A Europa está com a cabeça enterrada há muito tempo. A pergunta certa é: Cadê o Obama? A única maneira de parar a guerra é Obama tomar posição a favor de Israel de modo inequívoco."
O governo de Israel e seus lacaios nas mídias brasileira e americana disseram que Israel não precisa nem de ajuda nem de orientação dos EUA, praticamente mandando Obama voltar para a senzala e não se meter. Agora, os puxa-sacos de Israel vem mendigar o apoio americano? Peçam ao deus de vocês. Peçam a Caifás, a Pôncio Pilatos, a Judas! Os americanos não vão morrer por Tel Aviv. Mais cedo ou mais tarde, a vontade de Deus será feita, o estado de Satanás será esmagado, o Povo de Deus escapará do cativeiro que lhe foi imposto.

Chesterton disse...

não seja burro, se os EUA não pararem a guerra forçará os israelenses a ganhá-la.

Chesterton disse...

http://corner.nationalreview.com/post/?q=ZDMwNjQ0ZWFhMDU3NzFkOTZiNmVmMjQ1M2RlMTc5MDM=

para quem quiser se ilustrar.

Anônimo disse...

O pacifismo do Obama foi o incentivo que faltava para o eixo do mal botar as manguinhas de fora

Mr X disse...

O "estado de Satanás", "Obama voltar para a senzala", quaquaquá. O Pátria está se puxando...

Quanto aos EUA, na verdade nunca foram aliados incondicionais de Israel. Primeiro o apoio dependeu da questão da Guerra Fria, agora caminha na corda bamba entre países árabes e Israel. O lobby saudita é tão ou mais forte do que o lobby israelense. Os países árabes têm petróleo e Israel não têm. Os EUA dão muito mais ajuda aos diversos países árabes e muçulmanos somados do que a Israel. (Só ao "aliado" Paquistão dá não sei quantos bilhões). E, finalmente, se os EUA se metessem menos nessa história de "processo de paz", que nada mais é do que uma lorota, o problema entre árabes e judeus teria sido resolvido há tempos, com muito menos violência e problemas.

Quanto a Sansão terrorista suicida, era uma piadinha, Sansão matou os filisteus que o aprisionavam (e morreu junto com eles) ao fazer desabar as colunas do templo.

Diogo disse...

"não seja burro, se os EUA não pararem a guerra forçará os israelenses a ganhá-la."

Me explique melhor essa parada aí.

[Pelo menos serei um burro informado, kkkkkk.]

Anônimo disse...

... e Woland, feliz, diz: Faço minhas as suas bem-vindas palavras, Mister X...

Chesterton disse...

Chemei de burro o Patriarca, mas se o chapéu lhe serve.....

Chesterton disse...

Mr X, como é que os sauditas v]ao vender petróleo com um a guerra nuclear na cabeça?

Chesterton disse...

parece que no Jornal da Globo hoje a cobertura foi menos tendenciosa a favor do Hamas...

A Pátria disse...

"não seja burro, se os EUA não pararem a guerra forçará os israelenses a ganhá-la."
E aí qual vai ser a desculpa dos sionistas para continuarem sugando os gentios? Como eles vão justificar o roubo de terras árabes quando sua segurança estiver garantida? Os sionistas senpre vão fomentar guerras porque eles gostam de matar e saquear. Logo eles inventarão outro motivo para mendigar a ajuda americana, para justificar seu regime racista, etc. Só a destruição do regime sionista, a volta dos exilados palestinos, a devolução aos muçulmanos dos lugares santos e a punição exemplar dos criminosos de guerra sionistas podem garantir uma paz duradoura no Oriente Médio.

Anônimo disse...

... e Woland, volta: Por que todos odeiam Israel ? Grana. Dindin. Bufunfa ! Money. Verdinhas... muito cacau, muito cobre, muita gaita ! Muita prata ! Muito ouro ! Muitos diamantes... E ter isso dá prá fazer muuuiita coisa ! Alguém aí conhece um judeu pobre, muito pobre, miserável ? Já se perguntaram por que não existe judeu pobre, passando necessidades ? Procurem, vão lá, no google ! Comprem livros ! Eu nunca vi um judeu pobre sequer. Pode até ter... A matéria sobre o Paraguai, na VEJA, começa com ricos pedintes ! O Paraguai não é tão pobre assim. Gente que, com grana, se veste de mendigo após dia de trabalho e vai prá rua pedir esmola... Não sabia disso ! Então, um judeu podre e miserável, óbvio, poderá existir ! Mas eles se protegem. Classe média, vários. Não, não são todos ricos mas muitos são riquísssimos. Comandam o sistema financeiro... Só uma pequena pista para o ódio mortal a Israel. Estão errados ? NÃO ! Nós é que estamos. E a maneira dos esquerdas raivosos que querem, na realidade, ficarem tão ricos e poderosos( exemplos são taaannntos ! Tem um Zé aí que agora é lobista ! Tem outro com apelido de Land Rover mas anda meio sumido... Outros, com casas de praia até ! Isso, só no Brasil ! Presidentes ? Todos são ricos mas uns, são de esquerda ! E daí ?, seus babacas ! )quanto os judeus, é colocar os inocentes úteis de sempre, os bobocas de sempre, com raiva dos judeus inventando, há séculos, histórias contra este povo... São avarentos ! Comem criancinhas... São bruxos ! E por aí vai. Não adianta, gosto deles ! Temos que aprender com eles, hoje, mais do que antes.

Anônimo disse...

"Por que todos odeiam Israel?"

Não seja chato Mr X ;é divertido esculhambar Israel e ver a reação dos seus politicamente corretos apoiadores,mas é sem motivo,claro!
Afinal,Israel é a luz da humanidade,o esteio da civilização judaico-cristã ocidental em meio a barbárie islâmica,o mais democrático e desenvolvido dos paises do mundo e seus militares são os mais inteligentes,os mais fortes,os mais corajosos,os mais bonitos e os mais éticos que existem; aliás veja um exemplo da ética e coragem do soldado israelense:

http://www.youtube.com/watch?v=jIRaxvb5_to

Carlão disse...

Todos?
Quem odeia são os esquerdistas, sejam vermelhos ou marrons...
Assim como odeiam os EUA.
E tem aquela história de que nada há contra os povos americano e judeu em si, mas seus governos...
Quem é ingênuo pra acreditar nisso?

André Mateus disse...

Bom texto, como a muito não se via, sem ideologias, nem vou ler os comentários para não ler os absurdos de sempre. Esse ódio a Israel parece vir desde sempre, é mesmo o povo escolhido, não há outra explicação para tanto ódio.

André disse...

Muitos aqui vão odiar o que eu vou comentar, mas, como estamos (ainda) em um ambiente livre para nos expressarmos, ai vai... Se reduzirmos todos os problemas entre povos, chegamos sempre a uma origem: religião. A grande maioria dos comentários cita cristãos, sionistas, mulçumanos, bla bla bla. Uma das grandes pragas da humanidade foi dar um grande peso a essa institucionalização da fé. Vejam bem: não confundir religião com fé!

Agora imaginem por um só momento se eliminarmos essa bobagem de guerra santa, que o profeta da minha religião está certo e o da sua está errado, que esse é um local sagrado dado por Deus ao meu povo, etc, etc. O que teríamos?? A humanidade se respeitando pelo que deveríamos nos respeitar: como pessoas iguais, com as mesmas capacidades, independente de credo, cor, etc.

Posso até num primeiro momento parecer inocente com meu comentário, mas pare para pensar por um momento e veja se não faz sentido...

Em tempo: tenho minha fé, acredito num ser superior (definitivamente não é um velhinho de barba e túnica branca sentando na nuvem nem um cara de turbante), respeito a fé de qualquer pessoa. O que não tolero é ignorancia e tentativa de imposição referente ao que eu devo ou não acreditar!

Mr X disse...

"A humanidade se respeitando pelo que deveríamos nos respeitar: como pessoas iguais"

Discordo, caro anônimo, se não se odiarem por religião vão se odiar por raça, por tribo, por ideologia. O homem é um animal tribal e territorial por natureza. A sociedade pode domá-lo só até certo ponto.

Mr X disse...

Ops, não foi o Anônimo, mas o André.

Quanto ao problema do mundo islâmico, é o seguinte: os vários países e grupos muçulmanos estão é competindo entre si para ver quem vai ter a "glória" de destruir Israel. Irã? Turquia? Al-Qaeda? Hizballah?

Harlock disse...

Salve.
Citando:
"Quanto ao problema do mundo islâmico, é o seguinte: os vários países e grupos muçulmanos estão é competindo entre si para ver quem vai ter a 'glória' de destruir Israel. Irã? Turquia? Al-Qaeda? Hizballah?"
Israel é só o presente campo de batalha da guerra milenar pelo califado universal islâmico. A competição entre estados, dinastias, seitas e partidos é para definir de onde sairá o seu titular e nesse contexto Israel é apenas mais um território afligido pela Nakba... a catástrofe de ter sido perdido para a fé e a lei do Islam... Nakba que nâo é nem maior nem mais importante do que o do Al-Andaluz, do sul da Itália, do Vale do Danúbio, dos Balcans etc.
A ira particular dos muçulmanos para com Israel deve ser creditada a suma eficiência com que até agora esse estado judeu resistiu à sua reincorporação ao dar-al-islam.
Israel caindo aí a guerra vai se transferir para outra frente... a Europa, com certeza.

Anônimo disse...

Salve.
E por que a Esquerda odeia Israel?
Porque a birra com o estado judeu é coisa do esquerdalho mesmo, a massa só vai mesmo é na direção em que a manipulação de sentimentos e a a sonegação de informaçôes a conduz.
Sei lá, mas depois que eu li no the Pink Swastika, algo sobre a divisão do movimento guei alemâo em "femmes" social-democratas (pink tucanos?) e "butches", do Partido dos Trabalhadores (o que era também nacionalista e alemâo) penso que a moderna esquerda tem em seu DNA uma forte inclinação para a boiolice...
O filo-islamismo do esquerdista típico seria entâo a manifestação de sua incontida vontade de ter um Macho Alfa para chamar de seu.
Como exemplo vale sempre lembrar que o conhecido filósofo biba-comuna (e disseminador do vìrus da Aids) Michael Folcault foi um dos mais importantes apoiantes do aiatolá Khomeini junto a mídia e a comunidade acadêmica européias, de modo que se pode dizer que isso é amor antigo...
Em benefício do aiatolá, registre-se que ele jamais deu a menor bola para o oferecido.
E aí está a razão do ódio dos canhotos por Israel que, enquanto existir, vai continuar atrasando o glorioso momento em que as mãos peludas da conquista islâmica darão aos esquerdistas o relho no lombo ao qual tanto anelam.

Mr X disse...

Só um detalhe, para sermos justos: embora a maioria do ódio contra Israel venha hoje da esquerda (e dos muçulmanos, óbvio), há uma pequena parte da direita nacionalista que também é algo anti-Israel. Um pouco no estilo A Pátria. Ao menos é assim aqui nos EUA.

Mesmo assim, 63% dos americanos apóiam Israel, e apenas 15% apóiam os palestinos.

O apoio em 2010 é o mais alto já registrado desde 1991. Uma curiosidade: o apoio a Israel só diminuiu entre os Democratas (aumentando entre Republicanos, Independentes e não-declarados).

A pesquisa completa, aqui.

Anônimo disse...

..e Woland, de novo..: Prá mim é grana. Que religião o que...

Brancaleone disse...

Primeiro-
Matar muçulmanos e árabes é prerrogativa de muçulmanos e árabes. Eles não admitem concorrência nesta área. Eles podem matarem-se, explodrirem-se e os cambau que tá tudo bem.

Segundo-
Os árabes vizinhos dos Palestinos NÃO gostam dos palestinos e apenas usam os pobres coitados para atucanar Israel.

Terceiro-
E Israel é a Nação mais competente e bem organizada da região - praticamente a única democracia por lá e isso é um péssimo exemplo.

Quarto-
E é uma hipocrisia desgraçada de aguns chamarem Israel de 'invasor da terra palestina'. Nós invadimos este pais, matamos quase todos seu habitantes originais e estamo aqui, querendo dar lição de moral. É muita falta de vergonha na cara.

Como eu sempre digo, basta que os países árabes se unam todos e tentem OUTRA VEZ acabarem com Israel. Já tentaram isso algumas vêzes e sempre se deram mal mas quem sabe agora tenham mais coragem e competencia que no passado. (coisa que duvido...)

Carlos Latorre disse...

Caro Mr X.
Artigo excelente. Realmente o seu Blog está cada vez melhor.
Ainda existem três pilares que nos protegem da barbarie total. Israel, EUA e a Igreja Católica. É por isso que eles são tão atacados. Quando caírem, que Deus tenha piedade de nós...

Forte abraço. e Meus parabéns

Anônimo disse...

Mr X

Eu li há alguns anos atrás que a vasta maioria dos americanos adultos - não me lembro o percentual exato, mas seguramente mais de dois terços - não sabe apontar Israel no mapa mundi ou do Oriente Médio.
Você tem alguma informação recente sobre isso?

A Pátria disse...

"Ainda existem três pilares que nos protegem da barbarie total.
Israel, EUA e a Igreja Católica."
Tudo a ver misturar os discípulos de Cristo com seus assassinos. Tudo a ver misturar Deus e o Povo que ele prometeu dispersar e destruir. Quando o dinheiro sionista manda, faz-se tábula rasa das diferenças entre Deus e Satanás, Bem e Mal, etc.
"E é uma hipocrisia desgraçada de aguns chamarem Israel de 'invasor da terra palestina'. Nós invadimos este pais, matamos quase todos seu habitantes originais e estamo aqui, querendo dar lição de moral. É muita falta de vergonha na cara."
Por essa lógica safada, que quer abolir a diferença entre certo e errado-por saber que o agressor sionista está errado- quem somos nós para criticar o Holocausto? Os alemães só fizeram com os judeus o que fizemos com os índios, com o atenuante de que devem ter sobrado mais judeus na Europa que índios na América.

Mr X disse...

Caro A Pátria,

Acreditei que já lhe tinha sugerido criar seu próprio blog... Enfim:

Os alemães só fizeram com os judeus o que fizemos com os índios, com o atenuante de que devem ter sobrado mais judeus na Europa que índios na América.

Isso não é nem um pouco verdade, sobraram bem mais índios no Brasil. Visite o norte do país, grande parte da população é mestiça com índios. O caso do Holocausto é mais chocante do que outros massacres não pelo número, mas pelo modo "científico" em que foi realizado, mas falarei sobre isso outra hora. Dito isso, a comparação é esdrúxula pois o número de palestinos mortos por Israel em quarenta anos é minúsculo se comparado com outros conflitos. Não há "genocídio" algum, já que a população palestina não pára de crescer. Pode-se argumentar que houve vítimas inocentes, e é verdade, mas as houve dos dois lados, desde muito antes da criação de Israel, e pode-se dizer talvez que "roubaram as terras", embora isso seja discutível já que a tal terra passou por muitos donos, judeus, romanos, turcos, ingleses, jordanianos, e agora novamente judeus.

Não sei qual é a sua religião, mas me parece ter uma interpretação algo delirante da Bíblia.

Além disso, o Vaticano ao longo de sua história não foi sempre Santo, e mesmo Dante colocou vários Papas merecidamente no Inferno.

Digo e repito: vá procurar a sua turma. Talvez um site neonazista?

Mr X disse...

É a Internet a salvação da lavoura?

Dois novos vídeos, um mostrando o ataque dos "pacifistas" dentro do barco:

http://www.youtube.com/watch?v=S6Xm8Irz-so&

E um outro, mais interessante ainda, mostrando os "pacifistas" se armando para o combate, mesmo ANTES da chegada dos comandos israelenses:

http://www.liveleak.com/view?i=3f9_1275538455

Klauss disse...

A Pátria não é aquele NAZI que apareceu aqui outro dia?

Se não for, era outro. Mas minha memória dificilmente me trai desse jeito.

Por que sempre aparece um maluco aqui pra chamar a gente de maluco e daí baixar o nível da, vá lá, discussão?

Claro que como apologia ao Nazismo é crime, vem como um nome (um tanto irônico, é verdade) de "A Pátria".

Aí lembro daquela famosa frase: Quanto mais eu rezo mais assombração aparece... :-/

Lyra disse...

Isso: http://jewishworldreview.com/op-art/flotilla_benson.jpg

A Pátria disse...

Imagino não ser sua culpa você ser tão ignorante. A culpa é de uma sociedade que abandonou os ensinamentos de Nosso Senhor e se vendeu ao dinheiro sionista.
1) O Nazismo é uma doutrina pagã e contrária aos ensinamentos cristãos.
2) O que você chama de "interpretação algo delirante da Bíblia" é a Palavra do Deus Vivo, que prometeu dispersar os judeus e fazê-los pagar por seus pecados contra o Senhor. Essa SEMPRE foi a interpretação cristã da Bíblia desde os tempos dos apóstolos. Os judeus devem se converter ou ser esmagados pela espada do Senhor dos Exércitos.

Anônimo disse...

...e Woland, escreve: Prá que flotilhas e mais flotilhas ? Por que razão o Egito, a Síria, a Jordânia, a Arábia Saudita, o Catar... Abu Dhabi - Emirados Arabes... Líbia, Sudão ! O IRÃNIO e seus amiguinhos como o Bra..hum... sil de Lullalá, a Venezuela de Chaves de cadeia, a Elívia de Bolevo cocaleiro ( e crakeiro )..., Cuba !, com algum neo Che não entram em conversações com Israel e fazem uma ajudinha humanitária todos bem juntinhos, tudo diplomaticamente, para os irmãozinhos da Faixa de Gaza ! seria tão bonitinho... a ONU aprovaria, com certeza ! Mas será que eles, os muçulmanos tem a Síndrome do Urubu ? A torcida do Framengo, quando o time ganha título, saem na porrada e morrem vários ! Tudo entre eles ! Síndrome do Urubu ! Absuuuurrrdo !

Diogo disse...

"Nós invadimos este pais, matamos quase todos seu habitantes originais e estamo aqui, querendo dar lição de moral. É muita falta de vergonha na cara."

ERRADO. Essa é uma visão marxista da história. Calcula-se que hoje existam 45 MILHÕES de brasileiros com DNA mitocondrial ameríndio.

E Chesterton, tenha mais senso de humor, CAMARADA. Aprenda mais com seus amigos israelenses:

http://www.youtube.com/watch?v=qp8pMmkHqU8&feature=player_embedded

DD disse...

Eis a prova de que não apenas Hollywood, como também a indústria cinematográfica europeia é escancarada e desavergonhadamente pró-sionista: http://www.youtube.com/watch?v=7zFe8FClWNM

Divirtam-se.

Orlando Tambosi disse...

Muito bom, X:

tomo a liberdade de reproduzir lá em casa.

Cfe disse...

Na realidade o caso de Israel e África do Sul, como o da Irlanda do Norte são iguais: apenas diferem na questão do tempo de permanência.

Nesses três lugares os descendentes dos autóctenes não aceitam os descendentes dos povos que se instalaram sem sua permissão, ou melhor de seus ancestrais.

Como tem costumes diferentes a integração é impossível.

Mr X disse...

Nao sei em detalhes o caso da Irlanda. Na Africa do Sul, os boers estao la desde 1652. Antes dos boers estavam os bantus, mas tampouco eles sao o povo original, que eram os khoisan. Ta tudo na wikipedia.

Se formos pensar, quase todos os paises ja foram ocupados por diversos povos. Nenhuma fronteira e' para sempre.

Brancaleone disse...

Diogo
Argumento ruim este da genética.
Se escrafuncharmos nossos genes vamos achar pedaços de todas as raças, incusive judeus, árabes, esquimós, mongóis, poloneses...

E não me ofenda dizendo que tenho alguma coisa de marxista. Alías a única coisa de marxista que tenho é curtir uns filmes dos Irmãos Marx e pessoalmente acho Grouxo muito mais interessante e inteligente que Carl.

E Patria...
Vê se manera meu. Daqui a pouco vai estar berrando "Zig Heil!!!" ou voce TAMBEM acha que não morreu um judeuzinho sequer na 2a. guerra?

Mr X disse...

Não sei se alguém já linkou, mas fizeram aqui uma paródia bem divertida do "We are the World" com o tema da "frota da paz":

http://www.youtube.com/watch?v=FOGG_osOoVg&

Curiosamente, uma das cantoras é a Caroline Glick, jornalista israelense que já linkei aqui.

Anônimo disse...

Porque Israel é o bode expiatório da vez.

A Pátria disse...

"voce TAMBEM acha que não morreu um judeuzinho sequer na 2a. guerra?"
Morreram brasileiros também, lutando pela democracia. Isso não nos dá o direito de invadir o Uruguai, exterminar os uruguaios e sugar o dinheiro do Ocidente inteiro. Não nos dá o direito de ter metade dos brasileiros vivendo no bem-bom fora do "nosso lar nacional". O Estado de Israel é uma ferramenta de Satanás e precisa ser destruído.
O Nazismo era uma doutrina pagã e anticristã. Por outro lado, o ensinamento de Nosso Senhor é que os judeus devem ser convertidos ou destruídos. Essa é a Palavra.

Mr X disse...

Morreram brasileiros também, lutando pela democracia.

OK, mas o Estado Novo não era bem uma democracia...

Isso não nos dá o direito de invadir o Uruguai, exterminar os uruguaios e sugar o dinheiro do Ocidente inteiro.

Hein? Non sequitur. O movimento sionista começou muito antes da II Guerra Mundial. Não houve nenhuma invasão nem extermínio na Palestina, houve imigração e subsequentes conflitos entre árabes e judeus. E o Uruguai já foi parte do Brasil, temos boa desculpa para invadi-lo.

O Nazismo era uma doutrina pagã

Com isto, concordo, eram pagãos. Mas não era "anticristã" pois os cristãos não iam parar em campos de concentração.

os judeus devem ser convertidos ou destruídos.

É a mesma coisa que o islamismo diz. Uma vez que os judeus tenham sido convertidos e destruídos e o mundo viva em paz e alegria, o que fazer com os muçulmanos? Quem converterá quem, muçulmano ou cristão? Ou haverá um acordo de dividir o mundo meio a meio? E as outras religiões, do budismo ao hinduísmo, devem todos ser convertidos também? São também herdeiros de Satanás?

Nosso Senhor era um rabino judeu, ainda que rebelde. O cristianismo tem origens no judaísmo, e ainda utiliza parte dos mesmos textos. Talvez certos cristãos ainda não consigam engolir isso. É o que explica, ao menos, que hindus e budistas não tenham ódio contra judeus, enquanto alguns cristãos e muitos muçulmanos parecem ter. É a tal angústia da influência, a rebeldia do filho contra o pai, numa leitura freudiana... ;-)

A Pátria disse...

"E o Uruguai já foi parte do Brasil, temos boa desculpa para invadi-lo."
Não espere que essa tese seja popular com os uruguaios nem duvide de que os uruguaios lutariam por sua sobrevivência como os árabes lutam hoje contra o Holocausto Sionista. As terras dos israelenses já foram (antes de serem roubadas) dos árabes... Eles têm uma ótima razão para aniquilar Israel. O pangermanismo alemão também é muito mais antigo que Hitler, mas isso não desculpa a anexação da Áustria, dos Sudetos, de toda a Tchecoslováquia, do norte da Europa e ter mergulhado o Mundo em 6 anos de sangue. Se a Europa tem consciência pesada com relação ao agressor sionista, eles podem dar um lar nacional aos judeus por lá mesmo, mas os maometanos não precisam pagar a conta do naziso e do apaziguamento europeus.
"Ademais, o integralismo era católico - e sob o nazismo os católicos, convém não esquecer, eram o terceiro grupo na lista dos candidatos ao campo de concentração, depois dos judeus e dos politicamente inconvenientes (v. Robert Royal, Catholic Martyrs of the XXth Century, New York, Crossroad, 2000)." http://www.olavodecarvalho.org/semana/reale.htm
Por último, nosso Senhor prometeu usar sua espada contra os judeus, dispersá-los e abatê-los, o nosso Deus é um Deus Vivo e sua vontade se cumprirá: Israel deve ir! Os assassinos de Cristo não ficarão com a Terra Santa.

Chesterton disse...

A Patria não passa de um nazistão no armário. Sabe que ninguém daria ouvidos se saísse do armário e fica tentando conciliar suas teses com outras mais palatáveis, mas igualmente horrorosas.
Desde que Israel foi fundada só sofreu agressões, se quisesse, teria toda Palestina em suas mãos.
Vou masis longe, em tempos de presidente norte-americano muçulmano, de persas atômicos, de turcos abolindo o secularismo e aderindo ao pan-islamismo, Israel é o último bastião do ocidente no oriente médio E EUROPA, toda convertida por omissão aos interesses de maometanos.
O resultado é guerra, os muçulmanos não precisam de certeza de vitória para iniciá-la, pois pretendem ser mártires (já que levam uma vida de tristeza e violência). Logo seremos instados a escolher entre a rendição e a auto-defesa.
Estaremos à altura de certo hino que diz "não temo quem te adora, a própia morte"...

A Pátria disse...

"A Patria não passa de um nazistão no armário"
Eu amo o meu país, não vou deixar que os sionistas e seus empregados o escravizem. Amo Nosso Senhor e não vou deixar que Seus assassinos tripudiem sobre seu corpo ensanguentado na Terra Santa só porque certos "cristãos" vivem a adorar o dinheiro sionista, esse novo Bezerro de Ouro.
"Desde que Israel foi fundada só sofreu agressões..."
Desde que o Estado Sionista foi fundado, os sionistas procuram outro motivo para reclamar, para sugar os não-sionistas. Por que os judeus da Europa e da América não vão para "o lar nacional" que eles roubaram dos árabes? Que nação é essa cujos membros vivem quase todos no estrangeiro? Que nação é essa que semeia a discórdia, incentiva a traição, protege duplas lealdades e mentiras, que nação é essa que parece se mirar no exemplo de Judas e Caifás? A quem interessa o Holocausto Árabe e o roubo das terras dos árabes pelos ladrões sionistas? Quem garante que quando tiverem acabado com os árabes os sionistas não procurarão outro povo para explorar como eles tem feito desde os dias do Nosso Senhor? É melhor morrer do que viver sob a tirania dos assassinos de Cristo. Israel deve ser aniquilado.

Chesterton disse...

Holocausto árabe... você surtou de vez. Cada dia tem mais árabes na palestina vivendo de ajuda internacional, isto é, procriando sem trabalhar. Se esse tipo de holocausto tivesse acometido os judeus, Israle hoje teria 70 milhões de habitantes.

Nao sei se você é um idiota ou um fugitivo de hospício. Mas se você prefere morrer, pode ter certeza que desssa vez vai.

Chesterton disse...

http://pajamasmedia.com/victordavishanson/our-1979/

bonissimo articulo

Chesterton disse...

About every 30-40 years, democratic citizenries begin to become complacent. They assume their defenses are unnecessary if not destabilizing, and take away from more needed social services and income redistribution. Deterrence and preparedness are assumed in turn the stone-age tools of unsophisticated mind. The peace that follows from past victories and postwar deterrence is considered artificial, and can instead grow far more organically from professed good intentions and signs of magnanimity, if not apology.

A Pátria disse...

"The peace that follows from past victories and postwar deterrence is considered artificial, and can instead grow far more organically from professed good intentions and signs of magnanimity, if not apology."
Por que os sionistas sempre querem nos convencer de que os problemas dos sionistas são nossos e que nós devemos paparicar os sionistas? Paz para quem, para os servos de Cristo ou para Seus assassinos? Aparentemente, o que está na moda é um "Cristianismo" que não vê diferença entre os mártires e os fariseus. Por que eles não voltam para o lugar de onde vieram? Eles queriam Israel, demos a eles. Eles queriam que sustentássemos Israel e deixássemos os sionistas à vontade para roubar a terra dos árabes e exterminá-los, nós fizemos isso. Quando os sionistas vão parar de choramingar, quando safados ricos em NYC vão parar de usar o Holocausto como desculpa para os crimes do sionismo? Eles queriam uma "pátria" (como se fossem mesmo capazes deviver em uma pátria própria, sem nos sugar), nós demos a eles uma pátria, nós deixamos que roubassem e matassem os árabes: o que mais da metade dos judeus está fazendo no Ocidente? Por que eles não nos deixam em paz, por que continuam choramingando e sugando?

Chesterton disse...

claro, não é, Maomé dos pobres, Hitler não acabou seu trabalho.
E se disfarça de cristão...

Anônimo disse...

Sempre haverá desculpas para satanizar Israel. Qual a razão? Simples: Israel é a nação dos judeus e o antissemitismo está mais virulento que nunca. Pouco importa se o regime de Darfur está promovendo a matança de milhões, no maior genocídio da história da humanidade, ninguém vai se revoltar e sair babando o seu ódio contra esse regime. Pouco importa que Putin mate 400 muçulmanos na Chechênia, ou a Jordânia tenha assassinado em 1 dia o número de palestinos que Israel matou em 40 anos. Não importa. Israel está sózinho e tem que se defender comme il faut. Sou Israel e não abro. Agora, é bala no gatilho.

A Pátria disse...

"Hitler não acabou seu trabalho."
O trabalho que ele atribuiu a si mesmo? É auto-evidente que não, não é? Ele também não conseguiu acabar com o Catolicismo mesmo tendo tentado, e, não, você não vai ver muitos católicos usando os campos de concentração de 65 anos atrás como desculpa para as falhas da Igreja. Mas eu me contentaria se o mesmo povo que vivia resmungando sobre a indispensabilidade de um "lar nacional judeu" fizesse o favor de voltar para a sua terra. Se quiserem podem levar com eles o pessoal que vive se derramando em declarações de amor ao Estado Sinionista sem nem a desculpa da religião. Não precisamos dessa quinta-coluna em nossas pátrias. Quanto mais cedo a quinta-coluna sionista deixar o Ocidente em paz melhor e parar de sugar impostos e fomentar guerras e extermínios, melhor.

Chesterton disse...

a patria é um blefe. Um turco perdido no sertão.

Mr X disse...

Ah sim, agora faz sentido. O Pátria é muçulmano. Bem que estava estranhando toda essa puxação de saco dos árabes. Finge-se de cristão, mas um cristão que se preze não ficaria aí ajoelhando-se de graça para Alá, apoiando aqueles que chamam os cristãos de "cães", que obrigam esses mesmos infiéis cristãos a beber em copos separados e a comer em pratos separados, que não lhes permitem praticar sua religião em seus países. Só um muçulmano enrustido para falar em "recuperar a Terra Santa", quando os únicos que poderiam fazer isso são os árabes muçulmanos.

A Pátria é árabe, ou turco. Otomano!

Chesterton disse...

E acaba naquela máxima: A inveja é uma merda. Se unem aos self hating ocidentais para destruir a civilização que nos trouxe até o Notebook uairelessi.

A Pátria disse...

Não falei em "recuperar a Terra Santa" (ela não é minha propriedade), falei em tirá-la dos assassinos de Cristo. Se os britânicos a quiserem de volta, por mim tudo bem, mas os assassinos de Cristo não têm direito a ela só porque os europeus sentem culpa pelo que fizeram.
"...apoiando aqueles que chamam os cristãos de 'cães', que obrigam esses mesmos infiéis cristãos a beber em copos separados e a comer em pratos separados"
Estou do lado das vítimas: os árabes não fizeram o Holocausto; se os europeus se sentem culpado que entreguem a Alemanha para ser lar dos judeus, os árabes não podem ser forçados a pagar a conta dos crimes europeus. Já os judeus amam os cristãos, por isso mataram seu deus, perseguiram seus apóstolos, escravizaram seus filhos, se infiltraram em suas sociedades, sugaram seus impostos e, mesmo depois de receber 'seu lar nacional' tão indispensável, continuam parasitando nossas pátrias. É isso que os sionistas são, parasitas, não são capazes de viver sem parasitar outros povos; o Judaísmo é isso, só isso: parasitismo institucionalizado. Por que os mesmos valentões que são contra imigrantes não se espantam com a existência de um país-supostamente indispensável, criado artificialmente para aliviar o sentimento de culpa europeus, roubando as terras dos árabes-, cujos cidadãos não vivem no país, se recusam a viver no seu país. Os sionistas queriam um lar nacional, nós demos a eles. Eles queriam liberdade para expropriar os árabes e matar o maior número possível, nós demos a eles. Eles continuam choramingando e sugando. Quando eles se livrarem dos árabes, acharão outro motivo para choramingar e nos parasitar. Nem todo o seu amado ouro sionista pode mudar a verdade eterna: Nosso Senhor amaldiçoou os assassinos de Cristo, prometeu abatê-los e dispersá-los.

A Pátria disse...

E quando os terroristas sionistas mataram soldados cristãos? Foi por amor ao Cristianismo? Ou será o ouro sionista é tão valioso que nos faz esqueer dos nossos valores? Os terroristas ricos merecem proteção, os terroristas pobres (palestinos) merecem reprovação?

Mr X disse...

Bem, vou lá pegar minha cota do ouro sionista. Até mais!

Anônimo disse...

e Woland, para marcar o 80º comentário: Em homenagem a barquinho irlandes, civilizado e, realmente, munido de um verdadeiro objetivo de ajudar Gaza humanitariamente e não SÓ politicamente...


Dia de luz festa de sol
E um barquinho a deslizar
No macio azul do mar
Tudo é verão e o amor se faz
Num barquinho pelo mar
Que desliza sem parar...
Sem intenção,nossa canção
Vai saindo desse mar
E o sol
Beija o barco e luz
Dias tão azuis!
Volta do mar desmaia o sol
E o barquinho a deslizar
E a vontade de cantar!
Céu tão azul ilhas do sul
E o barquinho,coração
Deslizando na canção
Tudo isso é paz tudo isso traz
Uma calma de verão e então
O barquinho vai
A tardinha cai
O barquinho vai
A tardinha cai...

Chesterton disse...

a patria, olha aqui:

http://www.palestinefacts.org/pf_mandate_grand_mufti.php

Chesterton disse...

In 1940, al-Husseini requested the Axis powers to acknowledge the Arab right:
... to settle the question of Jewish elements in Palestine and other Arab countries in accordance with the national and racial interests of the Arabs and along the lines similar to those used to solve the Jewish question in Germany and Italy.

A Pátria disse...

Então, os árabes controlavam a Alemanha e fizeram o Holocausto, é isso? Foram eles que apaziguaram os nazistas e decretaram "Paz para o nosso tempo" quando fizeram as vontades de Hitler? O Holocausto é um crime EUROPEU, os europeus que paguem por ele. É inaceitável que os árabes sejam forçados a pagar pelos crimes dos europeus. É inaceitável que os assassinos de Cristo, assassinos de cristãos inocentes roubem a terra dos outros. Será que o ouro sionista pode comprar nossas almas, comprar nossa memória, ou melhor, nosso esquecimento? As vítimas cristãs do terror sionista serão esquecidas? O Estado de Satanás deve ser aniquilado.

Chesterton disse...

os árabes não tem que pagar pelos erros dos europeus (clomo se já não tivessem os seus).
Israel foi fundada em território sob domínio inglês que antes pertencera ao Império Turco Otomano. Quem tirou terra de árabes então? Turco não é árabe.

Theodorakopoulos disse...

Esse A Pátria é um aspirante a Hitler?

Quanta babaquice que o sujeito fala.

É a mesma história de sempre... Judeus isso, judeus aquilo... Atualmente usam a palavra sionista, mas nada que já não saibamos kkkkk

Chesterton disse...

é um turco que pensa que é árabe.

Beto disse...

Boa noite Mr. X., boa noite frequentadores!

Achei ótima a matéria Mr. X., essa foto do Sansão,primeiro suicída, foi uma grande sacada. Será? Não tem algum antes dele?

Quanto à pergunta, por que todos odeiam Israel? Bem, os israelenses não sei, mas as israelenses eu amo... (foi só uma brincadeira gente, não vão me apederejar :-))

Falando sério, não sei como responder essa pergunta Mr. X.
A primeira coisa que vem à mente, é motivo religioso. Mas será? Será que todos é por isso?

Talvez sejam mais razões que nossa vã filosofia possa alcançar.

- Não será porque Israel é uma democracia encrustrada em meio a ditaduras, algumas muito cruentas? (Bem, só em ser ditadura já é cruento)
- Não será porque Israel é ponta de lança do ocidente?
- Não será porque Israel tem laços com os Estados Unidos? (laços,por sinal que estão vacilantes ultimamente)
- Não será por que Israel "ousou" estabelecer uma pátria? O sionismo? (bem,esse motivo acho dos mais patéticos)
- Não será porque Israel resistiu a toda uma orda de ataques e guerras desde sua fundação? (mesmo reagindo aos ataques, somente na sua defesa. Vai saber, o ódio no mais das vezes é irracional mesmo.)
- Não será por aqueles velhos motivos conspiratórios, dos Sábios de Sião? (Aquela estória, dos judeus donos do mundo, e dos bancos)
- Não será meramente por costuma, fazer os judeus como bodes expiatórios em quaisquer que sejam as coisas ruins, quaisquer que sejam os fragelos? (mera inércia de justificativas prontas)
- Não será que se precise de uma justificativa, quaisquer que forem os ódios?
(...)

Qualquer que for a justificativa, pra alguém menos avisado ou já avisado adequadamente, é estúpida.Não parece se sustentar à primeira explanação...

Realmente, não saberia precisar exatamente o porque Mr. X. Ainda que o motivo religioso salte aos olhos e seja a principal bandeira.
Mas isso são só aventações,não sou especialista.

Um grande abraço, boa semana a todos!

A Pátria disse...

"Israel foi fundada em território sob domínio inglês que antes pertencera ao Império Turco Otomano."
Mesmo sob o domínio otomano, a população da região era ÁRABE (assim como sob domínio colonial europeu a maior parte da população da África era de negros, não brancos). Os habitantes da China ocupada pelo Japão não viraram japoneses nem tiveram o domnínio japonês usado como desculpa para roubar suas terras e dá-las a imigrantes europeus (por que os sionistas não tentam roubar a terra dos chineses em vez de matar árabes inocentes?)O fato de uma região ser conquistada por um império não muda a origem ou dos seus habitantes ou sua composição étnica; se mudasse, poloneses seriam russos ou alemães, nigerianos seriam ingleses e brasileiros seriam portugueses. Com o fim do domínio europeu na América e na África, o domínio da terra reverteu para os habitantes da região. Com o fim do domínio europeu (britânico) no Oriente Médio, o território foi entregue, estranhamente, a europeus judeus, ou seja, o colonialismo europeu continua através de Israel. Por que dois pesos e duas medidas? Por que os habitantes verdadeiros da região foram expulsos para dar lugar a imigrantes europeus? Os judeus não têm nenhuma ligação com a Terra Santa, eles são europeus há dois milênios. Os sionistas têm tanto direito ao território de Israel e a seu estado satânico quanto os portugueses têm ao território brasileiro.
"Atualmente usam a palavra sionista, mas nada que já não saibamos"
Nada que não saibamos que o "lar nacional judeu" é tão indispensável que os judeus preferem viver em NYC. Os árabes em sua maioria vivem nos países árabes (apesar das mentiras sionistas sobre a imigração maometana). Já os sionistas vivem onde querem sem ter que dar satisfações a quem os sustenta. Por que eles não voltam para o país deles em vez de nos explorar?
"Quem tirou terra de árabes então?"
Os invasores europeus sionistas roubaram as terras dos árabes (nos tempos dos otomanos, os árabes VIVIAM nessas terras, ou seja, o colonialismo "esclarecido" dos assassinos de Cristo é pior ainda que o colonialismo dos maometanos).

Chesterton disse...

a população da palestina durante o período inglês era árabe e judia e cristã. Não é possível obter dados seguros do Imperio Otomano (pela sua incompetencia) do numero exato de árabes na palestina, mas sim, é certo que em Jerusalém havia mais judeus que árabes já em 1896.
"(por que os sionistas não tentam roubar a terra dos chineses em vez de matar árabes inocentes?)"
1. A China não é berço histórico do estado de Israel
2. Israel entre 1880 e 1949 não deslocou ou "roubou" um árabe sequer. Em 1948 havia 1.350.000 árabes na Palestina e 650.000 judeus.

" Os árabes em sua maioria vivem nos países árabes (apesar das mentiras sionistas sobre a imigração maometana)"
árabes muçulmanos são expansionsitas e chegaram às portas de Paris , de onde foram expulsos (graaande Carlos Martel) e colonizaram a peninsula ibérica por séculos, de onde foram expulsos. Logo, árabes não estão quietinhos no seu lugar como você quer fazer crer. Vão e vem como todo mundo. Árabes vivem pacificamente em israel onde gozam um padrão de vida muito superior ao de seus colegas no Egito, Jordania, Siria.

"Quem tirou terra de árabes então?"

Quando os países árabes cercaram com seus exércitos Israel, avisaram aos árabes que lá estavam que fariam uma chacina, matariam TODOS judeus, e que era melhor eles saírem de perto para voltar depois que a terra estivesse "limpa". O problema é que não conseguiram. Logo, o problema árabe-palestino é um problema árabe.
Nesse ínterim(+-), judeus que viviam nesses países fugiram rapidamente para Israel, pois seriam assassinados em seguida. Israel cuidou desses refugiados. Porque os países árabes não cuidaram de seus refugiados?

Olha A PAtria, eu entendo você , ser árabe hoje em dia não coisa da qual se orgulhar muito. O que é um árabe sem petróleo? Nada. Camelo de jóquei li por aí.
Então faz como todo mundo, estuda, arruma uma profissão honesta e em vez de ficar alimentando ressentimentos porque por acaso é árabe, passe a torcer para um bom time de futebol (Gremio e Vasco fora dessa lista, porque sofremos já demais)

Chesterton disse...

La Guardia Revolucionaria de Irán está preparada para servir como escolta militar a los barcos de carga que intentan romper el bloqueo de Israel sobre la Franja de Gaza, dijo el domingo un representante del líder supremo iraní, ayatolá Ali Khamenei.

“Las fuerzas navales de la Guardia Revolucionaria iraní están listas para escoltar a la flotilla pacífica a Gaza con todos sus poderes y capacidades“, dijo Ali Shirazi, representante de Khamenei, citado por la agencia semioficial de noticias Mehr.

Mr X disse...

O fato de uma região ser conquistada por um império não muda a origem ou dos seus habitantes ou sua composição étnica

Depende. Os EUA originalmente eram apenas índios, hoje são 70% anglo-europeus, 12% negros e bem, agora já tem uns quase 20% de mexicanos. Os indígenas quase sumiram. Também na Austrália, os habitantes originais eram os aborígines. E no Brasil, pelamordedeus, nem portugueses nem africanos nem italianos nem alemães eram a população original. E, se formos falar só do imperialismo árabe, suas populações também se misturaram com espanhóis e italianos do sul, acredite. Bem como com vários outros povos, na Bósnia e Bulgária, por exemplo. (Esses turcos...)

Por que os habitantes verdadeiros da região foram expulsos para dar lugar a imigrantes europeus?

O Chesterton explicou uma parte, mas a outra é que não eram "imigrantes europeus", uma parte sim, mas grande parte eram judeus que já estavam ali ou moravam em outros países árabes, como Iêmen, Marrocos, Iraque, etc. Agora grande parte são judeus russos. É verdade que muitos judeus americanos ainda preferem morar em NY, mas NY é quase uma cidade judaica, alguns chamam de Jew York City. Acho que A Pátria não assistia "Seinfeld".

E digo mais, que tal Kosovo: o senhorito é a favor da independência de Kosovo ou não? Kosovo era originalmente parte da Sérvia, só virou "independente" (na verdade, dependente da Albânia) porque os albaneses através da imigração tomaram conta da região. Tanto a Bósnia quanto Kosovo são frutos do expansionismo muçulmano na Europa, que não eram os povos originais.

"Mentiras sionistas sobre a imigração árabe"?

Tem muitos mais árabes que judeus na França, mas, se falarmos também dos muçulmanos de Paquistão, Iraque, Irã, Turquia, etc, garanto que vários milhões vivem em países europeus. Estive na Europa recentemente, em Londres há bairros inteiros muçulmanos, não foi ilusão de ótica não.

Afinal o A Pátria é turco ou árabe?

Mr X disse...

Ou talvez ele seja parente da Helen Thomas:

http://www.youtube.com/watch?v=zCdLQa_lgJA&

A Pátria disse...

"Tem muitos mais árabes que judeus na França, mas, se falarmos também dos muçulmanos de Paquistão, Iraque, Irã, Turquia, etc, garanto que vários milhões vivem em países europeus."
Ainda assim há bem mais árabes no OM do que na França. Por que será que há mais judeus nos EUA do que "no lar nacional" que eles fingiam ser tão importante? Como alguém pode ter duas pátrias se só uma está legalmente registrada em seus documentos? A quem esses "americanos" são leais? E esses "americanos" que controlam a Suprema Corte, a que pátria eles são leais? Mas perigosos são os imigrantes maometanos, claro.
"É verdade que muitos judeus americanos ainda preferem morar em NY"
Há mais judeus nos EUA do que no pretenso lar nacional deles. Nem mesmo os exilados cubanos na Flórida formam uma proporção tão alta da população que ficou no país de origem.
"A China não é berço histórico do estado de Israel"
Nem a região de Israel é o berço histórico da "civilização" sionista. Os judeus exterminaram povos quase inteiros (homens e crianças, pois as mulheres tinham o destino pior do que a morte nas mãos dos valentões invasores). Mas desses muitos Holocaustos ninguém fala, não é? Os judeus fugiram da região há quase dez vezes mais tempo do que a existência independente do Brasil, fugiram pouco menos de um milênio e meio antes do Descobrimento do Brasil! Os índios brasileiros têm mais direito ao território brasileiro inteiro do que os sionistas a um só grão de areia do Oriente médio. Eles são imigrantes europeus, colonialistas europeus que roubaram as terras dos habitantes da região. Poucas pesosas sabem, mas a esmagadora maioria dos primeiros-ministros de Israel eram europeus ou filhos de imigrantes europeus (os sionistas fizeram no protetorado britânico o que acusam falsamente os maometanos de fazer na Europa: tomar o território pela imigração e pela repropdução irresponsável: eis o cinismo supremo dos assassinos de Cristo). Nenhum deles era do Oriente Médio, TODOS eram estrangeiros, TODOS. Por que eles roubaram a terra dos outros, por que não ficaram na Europa como os outros europeus? Os judeus que ocuaparam Israel são europeus e descendentes de europeus. Eles têm tanto direito à Israel quanto os portugueses à Rua do Ouvidor. Eles são invasores colonialistas e devem ser aniquilados.
Quer dizer que a sua tese é que os árabes invadiram a Arábia e são mais estrangeiros que os judeus EUROPEUS, que fugiram da região há dois mil anos? O fato de haver alguns judeus tolerados nos países árabes e enclaves judeus no Império Otomano dá tanto direito aos colonos europeus de tomar Israel quanto a presença de judeus no Gueto de Varsóvia sob o nazismo lhes dá de anexar a Polônia a Israel. Interessante que tantos povos tenham perdido suas pátrias, tantos países tenham desaparecido, mas a única nação que os poderosos quiseram reconstruir artificialmente foi uma destruída há dois milênios e que, agora, é povoada por colonos EUROPEUS e seus descendentes. Mas, claro, perigosas mesmo são as reservas indígenas (os índios brasileiros precisam fugir para a Europa ou para os EUA, viver no bem-bom por dois milênios para que só aí possam tomar suas terras de volta com o apoio de certos "cristãos" (depois dos "Jews for Jesus" e "Jews for Judaism", há "Christians for Judas, quero dizer, for Judaism")e de Holywood.

A Pátria disse...

Será coincidência que Marx, Lenin, Trotsky, Kamenev, Yagoda, Kaganovich, os Rothschilds e os terorristas Avraham Stern e Begin (esse tentou matar Adenauer, matou policiais alemães no pós-guerra, e foi premiado pelos sionistas, se tornando primeiro-ministro: os sionistas estãos sempre sedentos de sangue dos gentios, honram os assassinos de gentios, pois -para eles- matar gentios é uma grande honra. Não é engraçado que os adoradores do assassino covarde de gentios, o terrorista Begin, achem que terrorista é SÓ quem lutou contra a ditadura brasileira. Por que será que vocês odeiam tanto a Dilma (merecidamente, mas pelos motivos errados), mas se derretem diante dos assassinos de gentios? Será que o ouro sionista não tem nada a ver com isso? Por que será que vocês amam tanto os assassinos de cristãos?

Mr X disse...

Então, se todos os judeus americanos e europeus se mudarem para Israel, o sr. Pátria ficará feliz? Algo me diz que não...

Por que será que vocês amam tanto os assassinos de cristãos?

É o ouro sionista.

Chesterton disse...

Eu acho que ser árabe hoje em dia realmente não é fácil.
Tudo bem, então A PAtria vai lá e tira os judeus de Israel....tenta!
It-s too late, baby.

A Pátria disse...

"Então, se todos os judeus americanos e europeus se mudarem para Israel, o sr. Pátria ficará feliz? Algo me diz que não..."
Seria um avanço. Sim, se os assassinos de Cristo forem todos para Israel, isso é o suficiente para me contentar. "Algo me diz que" os sionistas, entretanto, não pretendem parar de parasitar o Ocidente tão cedo.
"It-s too late, baby."
Os romanos com menos esforço que o que os árabes parecem prontos para fazer conseguiram um resultado impressionante. Não subestime um povo que luta por sua sobrevivência. Os árabes sabem que Israel é um câncer no Oriente Médio que precisa ser extirpado. O que é triste é que os maometanos estejam-por suas próprias razões egoístas- a fazer por nós o que é o nosso dever. Bem, os stalinistas, por sua vez, tiveram seu papel na queda de Hitler: não vai ser a primeira vez em que o Mal derrota o Mal. O Islã é um Mal menor qu os assassinos de Cristo.
"É o ouro sionista."
Pergunte pra Dilma se sobrou "Ouro de Moscou". Aí, você vai gostar da assassina de brasileiros inocentes como já gosta dos assassinos de ingleses inocentes, alemães inocentes, etc. Será que o eleitor brasileiro é tão sedento de sangue quanto o eleitor sionista, que premiou o terrorista Begin por ter assassiando inocentes?

Chesterton disse...

Os árabes sabem que Israel é um câncer no Oriente Médio que precisa ser extirpado.

chest- mas que choradeira.

jilo disse...

ARTIGO ESCRITO POR ALGUM(S)ULTRASIONISTA IMBECIL E RICO

jilo disse...

ARTIGO ESCRITO POR ALGUM(S)ULTRASIONISTA IMBECIL E RICO

Mr X disse...

Exato, sou riquíssimo. É o ouro sionista, roubado dos inocentes palestinos.

A Pátria disse...

Caiu a máscara dos assasinos de Cristo e seus empregados na Mídia.
"Flotilha armada: brasileira que atua na IDF conta o que viu" http://www.midiasemmascara.org/artigos/internacional/oriente-medio/11137-flotilha-armada-brasileira-que-atua-na-idf-conta-o-que-viu.html
"Brasileira" no Exército de Israel? Como alguém pode ser brasileiro/a ou ser descrito como brasileiro e servir uma potência estrangeira? Perguntem aos "cristãos" e "nacionalistas" comprados pelo ouro sionistas. Quantos "brasileiros" mais estão nessa situação, fingem que são brasileiros de verdade, aí fazem a Aliá e provam que não eram brasileiros coisa nenhuma, estavam o tempo todo infiltrados na nossa sociedade, sugando-a e manipulando-a, servindos em segredo seus verdadeiros patrões? Alguém sabe quantos desses "brasileiros" estã por aí sem que ninguém tome nenhuma providência? Pensem em quantos desses "brasileiros" estão em nossas escolas, empresas, igrejas, em nossos governos, talvez até em nossas famílias. Sabiam que já há quase tantos "americanos" desse tipo na Suprema Corte quanto americanos de verdade? Foi assim, se infiltrando, se escondendo, matando cristãos e árabes, que os terroristas sionistas conquistaram Israel, será que eles pretendem parar agora? Assim como antes mataram soldados ingleses e tentaram matar Adenauer, hoje eles continuam tramando contra a Cristandade. A sede de sangue do agressor sionista é inextinguível, sua vocação para a covardia, para matar inocentes à traição é inegável. Nossa Fé, nossa Pátria, nossas mulheres, nossos filhos, nossa Liberdade, nossas vidas estão em perigo, ameaçados por um inimigo covarde que se recusa a sair das sombras, se recusa a declarar seus propósitos.

Chesterton disse...

mas você é tão burro assim, a patria, ou está só fingindo?

A Pátria disse...

"mas você é tão burro assim, a patria, ou está só fingindo?"
Você é tão venal, safado e vendido ou só está fingindo, "Chesterton"? Ah, você é como Olavo de Carvalho, um nacionalista... de Israel. Um verdadeiro cristão... como Judas. Um patriota... como Silvério dos Reis. Esses "brasileiros" se infiltram em nossas escolas, nossas igrejas, nossos tribunais, nossas famílias, nosso partidos, nossas empresas, mas o perigo são só os maometanos, claro. Como saber em quem confiar se pessoas que parecem brasileiros, fingem ser brasileiros e são chamados de brasileiros pelos puxa-sacos são na verdade "brasileiros" a serviço de uma potência hostil. O sionismo é como o comunismo, precisa de trevas, segredo, traição. Por que continuam sedentos de sangue cristão, quando vão se satisfazer?

Mr X disse...

Que mala. A Patria, muito ódio faz mal para o fígado.

A Pátria disse...

É impossível amar Deus, a Pátria e a Família sem odiar seus inimigos. Nosso deus é o Senhor dos Exércitos, o Deus Vivo, que prometeu libertar seu Povo e esmagar Seus inimigos. É hora de expulsar os vendilhões do Templo, é hora de devolver o Brasil a Deus e devolver Deus ao Brasil.

Mr X disse...

Isso, expulsemos os judeus do Brasil e enviemo-los para Israel. Silvio Santos, Joseph Safra, Cláudia Ohana, Dina Sfat, Bóris Casoy, Isaac Karabtchevsky, Nelson Ascher, Moacyr Scliar, Cora Ronái, e todos esses outros "malditos sugadores de sangue e exploradores"... E assim o Brasil finalmente será um país rico e justo.

A Pátria disse...

Isso! Assim, o Brasil será dos brasileiros de verdade, não dos "brasileiros", que servem as Forças Aramdas de Israel.

A Pátria disse...

http://www.youtube.com/watch?v=XhwXgd5kVao

Mr. X se reúne com seus amigos sionistas, digo, "brasileiros" para discutir o que fazer com o Brasil e para receber suas trinta moedas.

Anônimo disse...

Alguem poderia comentar este video.

E dizer o que e verdade e o que e mentira.

Mostrei a um professor de historia e fiquei estarrecido quando ele falou que 80% era pura verdade.

http://tinyurl.com/8wcsox
aqui o video
http://tinyurl.com/y5vtysw

Mr X disse...

Olavo de Carvalho fala sobre o tema:

http://www.olavodecarvalho.org/semana/100608dc.html

A Pátria disse...

Embora seja difícil confirmar todos os dados e todas as estatísticas, a ideia geral está certa: os imigrantes europeus (TODOS os líderes judeus eram europeus ou filhos de imigrantes europeus) fizeram o que os maometanos são, hoje, acusados de fazer: imigração em massa, infiltração e terrorismo. Os árabes nos territórios ocupados estão sendo submetidos a um sistema racista da mesma natureza do Apartheid sul-africano. Pesquise sobre o assassinato à traição dos funcionários britânicos na explosão do Hotel King David, sobre os atos terroristas de Begin,que tentou matar o primeiro-ministro alemão-ocidental e foi recompensado com o cargo de primeiro-minsitro de Israel, pesquise sobre a Gangue de Stern, um grupo terrorista anti-ocidental dos sionistas, cujo líder dizia que nazistas e ingleses eram a mesma coisa e deveriam ser tratados do mesmo jeito. No final, os árabes tiveram que pagar a conta do Apaziguamento e do Holocausto, crimes europeus, perdendo suas terras para os imigrantes EUROPEUS que as roubaram. Lembre-se disso quando certas pessoas que professam horror à Dilma (que é horrível, mas por outras razões) porque o grupinho dela matou meia dúzia de gatos pingados vierem para o seu lado se derretendo de amor pelos terroristas sionistas, que mataram quase cem funcionários britânicos de uma só vez,tentaram matar o primiro-ministro alemão(conseguiram matar membros do esquadrão anti-bombas) e roubaram as terras dos árabes. Desconfie quando vir "cristãos" apoiando os assassinos de cristãos e defendendo o direito de colonos EUROPEUS de tomarem as terras dos árabes.

Marcio Estanqueiro disse...

É muito fácil a resposta e de díficil aceitação: Israel é a "menina dos olhos" do Deus Todo Poderoso, Yaveh (Eu sou o que sou). As profecias sobre Israel se cumprirão, e seus inimigos sabem disso, por isso a revolta contra um Deus que foi excluído a muito tempo desse mundo, para justamente se regido por outro "deus" que já está derrotado.

Anônimo disse...

I don't even know how I ended up here, but I thought this post was great. I don't know who you are but
certаinly you're going to a famous blogger if you aren't already ;) Cheers!


Herе is mу website ... iphone repair penang