sexta-feira, 11 de junho de 2010

Por que tanto ódio no coração?

Ultimamente tem aparecido um comentarista muito chato que odeia os judeus. Especialmente os judeus americanos. Considera-os uma quinta coluna disposta a tudo para trair e destruir o país.

Porém, ele não é o único. Surpreendentemente (ou não) há muitas pessoas nos EUA que desejariam ver os judeus pelas costas. Tanto à esquerda quanto à direita. A diferença talvez seja que a esquerda quer os judeus fora de Israel, e a direita (bem, alguns direitistas paleocons, como Pat Buchanan) quer os judeus fora da América.

Mas a América não seria a América sem os judeus.

Como entender a América sem Billy Wilder, sem Albert Einstein, sem Richard Feynman, sem Philip Roth, sem Saul Bellow, sem Bashevis Singer, sem os irmãos Marx, sem Larry Page e Sergey Brin, sem Lauren Bacall, sem Hedy Lamarr, sem Woody Allen, sem Bob Dylan, sem Spielberg, sem Seinfeld?

Vejamos o caso de Billy Wilder. Nascido na Áustria, foi para Berlim, tendo que fugir com a chegada do nazismo. Sua mãe, sua avó e seu padrastro terminaram mortos em Auschwitz. Mesmo assim, Wilder, já cidadão americano, virou um dos melhores diretores de cinema da história, autor de dezenas de clássicos da "era de ouro de Hollywood" (o tempo em que os americanos ainda faziam filmes para adultos).

(É claro que também existem figuras como Bernie Madoff, mas qual grupo não tem seu vilão?)

A mesma coisa acontece com os negros. Há quem os critique, citando testes de QI, apontando a pobreza e degradação moral dos hoods, e observando que coletivamente cometem sete vezes mais crime do que o resto da população.

Mas a América não seria a América sem os negros.

Como entender a América sem Billie Holiday, Nina Simone, Ella Fitzgerald, Cab Calloway, Muhammad Ali, Louis Armstrong, James Brown, James Baldwyn, Richard Pryor, Gary Coleman, Sammy Davis Jr, Michael Jordan, Martin Luther King, Samuel Jackson, Ralph Ellison, Thomas Sowell?

(Como contra-exemplo infame, temos o O. J. Simpson)

O primeiro filme sonoro americano, "The Jazz Singer", curiosamente não era nenhuma história de WASPs. Tratava de um judeu que queria cantar jazz, que na época era considerada "música de negros". O ator escolhido para o filme, Al Jolson, foi um dos primeiros astros judeus, e é também famoso por ter ajudado colegas músicos negros como Cab Calloway, o verdadeiro inventor do "moonwalk".

Se os judeus fossem expulsos, a América seria muito mais pobre. Se os negros fossem expulsos, a América perderia muito de sua cultura e vitalidade.

É por isso que eu digo, os únicos que devem ser expulsos são esses malditos cucarachas latinos, que não contribuem em nada.

(brincadeira, pessoal).

* * *

E este sujeito aqui? Yisrael Campbell (nome original Chris), americano da Pensilvânia, metade irlandês, metade italiano, portanto católico da gema,  já adulto decidiu converter-se ao judaísmo, não uma vez, mas três (primeiro ao judaísmo reformista, depois ao conservador, e finalmente ao ortodoxo). Mora há sete anos em Israel onde é um comediante. Mais um quinta-coluna safado, que provavelmente se converteu apenas pelo humor - afinal, todos sabem que os comediantes católicos não costumam ter tanto sucesso.

* * *

"Por que vês o argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho?" - Jesus H. Christ

35 comentários:

Rogério Olivieri disse...

Mais um excelente texto sobre um assunto não só pertinente como atualíssimo. Parabéns!

A Pátria disse...

"Como entender a América sem Billy Wilder, sem Albert Einstein, sem Richard Feynman, sem Philip Roth, sem Saul Bellow, sem Bashevis Singer, sem os irmãos Marx, sem Larry Page e Sergey Brin, sem Lauren Bacall, sem Hedy Lamarr, sem Woody Allen, sem Bob Dylan, sem Spielberg, sem Seinfeld?"
Como entender a Rússia e seu triste destino sem Marx,Trotsky, Lenin, Kaganovich, Zinoviev, Kamenev, Yagoda, Yakov Sverdlov, Litvinov, Molotova e tantos outros?
"Quanto a um grupo que representa no máximo 1% da humanidade querer destruir alguns bilhões de muçulmanos e cristãos, só mesmo delírio e paranóia."
Quantos por cento da população russa os judeus representavam? Nos EUA, eles já controlam a Suprema Corte, dizem quais leis serão aplicadas e como. Será que o povo americano terá mesmo o mesmo destino do povo russo nas mãos de carrascos impiedosos? Lembrem-se: o sangue de Cristo está sobre seus assassinos e sua descendência (Mt.27:22,25).

Chesterton disse...

agora eu perdi a paciência, Mr X, assim não dá:

http://opinionator.blogs.nytimes.com/2010/06/06/should-this-be-the-last-generation/?hp

Anônimo disse...

... e Woland, escreve: Não é ódio no coração. Veja bem, o "A Pátria" é um chato de galochas ! Mas do que eu e outros comentaristas que vão na memsma linha. Muito mais ! Diria, um desesperado chato de galochas. Hoje, por ser um texto curto, li as baboseiras dele. O perigo é o Islã. Judeus são bem mais democráticos que os muçulmanos. Cristãos vão na onda e ficam do lado dos judeus... Estão( e estamos )mais adaptados ao Capitalismo( o melhor sistema, sem dúvida alguma !), aliás, se misturam a história do sistema. Não só o lado economico propriamente dito, tudo que vem com ele, o Capitalismo, que estamos modificando, modernizando e melhorando com o passar das décadas. Claro, erros acontecem mas, mais por estarmos na "juventude" da Humanidade do que proppriamente culpa do Capitalismo. E, aqui, no Brasil pelo menos, um capitalismo moreno deultima categoria ! O povo sofre sem saber os motivos escrotos dos imbecis esquerdóides que comandam a nação. EUA, taxas pré e pós fixadas e populismo buschiano. E sempre teremos crises. Aí os tolos crescem. Idéias socialistas surgem das lixeiras das História( essa não é minha...). Não à toa, os grupos socialistas estão sempre do lado dos mulçumanos e suas ideias. Não todos são retrógados. Abu Dhabi mostra o futuro dos poucos mulçumanos que enxergam o Capitalismo. E isso vai ficando cada dia mais claro ! Turismo e entretenimento. O Brasil errou ao ficar do lado do Irã junto com a Turquia. Não vejo ódio no coração. Vejo desespero no coração. Estão perdendo de goleada mesmo com mídia esquerdista a apoiá-los ! Não "conquistarão" o mundo ! Serão conquistados. Resistem. Gostam do passado ! Tem medo das coisas modernas. Uma forma de deixar o povo deles na ignorância. Sonho do PT aqui. Muitos dos seus líderes são outros na Europa ou EUA ! Contratam prostitutas caríssimas ! Bebem ! É do jogo. Bom... a moça da foto, que voce colocou no blog, Mister X, a linda de lenço azul, é o futuro deles. Chique... capitalista... Pode vir ao Rio de Janeiro e se queimar ao sol na praia de Ipanema ou em alguma praia de Tel Aviv. Será gostosa ? Nas américas, pouquíssimos se ajoelharão virados para Meca. Até na Europa a coisa diminuirá. Suíça já está cortando a onda. Outros países farão o mesmo. Gostas do Islã ? Mude-se para o Iêmen, A Pátria ! Iêmen ou Yêmen é um país do sul da Península Arábica, resultante da fusão entre Iêmen do Norte (república islâmica) e Iêmen do Sul (república socialista) ... Um "paraíso" na Terra !

Klauss disse...

O Pária está aqui de novo!

Por que foste invocá-lo, X?

Os judeus americanos que fazem mal ao país, são os mesmos que lutam pelo fim de Israel. E fazem parte de um grupinho seleto, que inclui judeus e não-judeus - George Soros, David Rockefeller, o pessoal do Clube Bilderberg.

Enfim, os que fazem parte deste esquema são sim os "traídores do movimento" -- se secularizaram e agora têm complexo de Pink e Cérebro.

Mas note que não fazem isso por serem judeus, mas por serem judeus anti-judeus, não é?

Klauss disse...

http://opinionator.blogs.nytimes.com/2010/06/06/should-this-be-the-last-generation/?hp

Mr X disse...

Ahs, sim, já tinha lido esse artigo do famigerado Peter Singer sobre a beleza que seria não se reproduzir mais e acabar com a humanidade.

Mas depois pensei que o Singer é um babaca profissional, um agitador cuja única função é jogar bosta no ventilador. Ele não acredita em uma única palavra do que diz. Observem que fala em "parar de se reproduzir", mas ele próprio tem três filhos e três netos. É a favor da eutanásia, mas pra sua avó doente obteve o melhor cuidado médico que o dinheiro pode comprar.

É óbvio que a "filosofia" de Singer não tem qualquer utilidade prática, sendo criada propositalmente para chocar e irritar os adversários e embasbacar os esquerdo-niilistas.

O melhor a fazer com Singer é ignorá-lo e não dar-lhe a atenção que ele tanto quer.

Diogo disse...

A recíproca também é verdadeira: os judeus americanos [me arrisco dizer que os israelenses tb]não seriam o que são hoje sem os EUA.

Nem os negros americanos.

Aliás, no caso de Albert Eistein, ele é muito mais alemão do que americano.

Sinceramente, acho esse assunto meio polêmico. Seria o mesmo que alguém dizer que não seria possível entender o Brasil sem o Sílvio Santos, o Luciano Huck ou o Jonas Bloch.

Mr X disse...

Bem, Einstein era um alemão que, como muitos, depois não foi considerado mais alemão.

A vantagem dos EUA foi que aceitou essas pessoas, para seu ganho. (É verdade que também aceitou ex-nazistas, como Werner Von Braun)

Curiosamente, muitos anos depois ofereceram a Einstein a presidência de Israel, mas ele recusou.

Quanto ao Brasil, acho que aí depende da sua visão sobre Luciano Huck e Silvio Santos, hehe... Mas são casos diferentes, até por razões históricas e populacionais. Se bem que, também no Brasil como nos EUA, nunca houve discriminação histórica contra os judeus como houve na Europa.

Já Mark Twain, em relatos de viagens, escrevia sobre essa diferença de tratamento dos judeus na Europa e nos EUA.

Diogo disse...

Veja bem, eu quis dizer que Eistein deve sua condição de gênio, além do destino, é claro, ao ambiente científico alemão/europeu da época. Pré-nazista é claro.

Ele nunca seria o que é se tivesse nascido em Quatro Irmãos-RS, por exemplo.

Assim como os comediantes sino-americanos devem sua carreira ao ambiente democrático americano. Se tivessem nascido na Alemanha nazista, bem...

Eu acho, limitado que sou, que para entender os EUA é preciso recuar no tempo de Rockfeller, Ford, JP Morgam, Lehman & Brothers.

Woody Allen é efeito, não causa.

Mr X disse...

Acho que "sino-americanos" seriam chineses, não sei de muitos comediantes chineses nos EUA além do Jackie Chan. ;-)

Fora isso, até que concordo com o resto. Mas os Lehman Brothers não faliram há pouco?

Brancaleone disse...

Não é ódio Mr. X.
Trata-se pura, absoluta e assumida ignorância.
Estes ódios a grupos raciais ou religiosos é o que alimenta e enrica muita gente esperta que sempre arranca uns tostões de otários que embarcam nessa.
Eu sou humano e tenho meus ódios mas eles se restringem a determinadas pessoas (e neste grupo tem judeus, viados, negros, católicos,etc) mas eu não culpo toda uma raça ou religião só porque um ou outro membro destes grupos são criminosos. Eu odeio no varejo mas gente como o A Patria odeia no atacado...
Claro que entre os judeus tem FDPs. mas FDPs existem em todas as classes, religiões e raças e é por estas e por outras que minha vida é sossegada. Não fico apavorado esperando que este ou aquele grupo invada minha casa ou corrompa o universo.
Não odeio nem o pessoal de esquerda embora ache que no grupo da esquerda a concentração de FDPs e Bandidos é muito superior...
O caso do A Patria, do Bin Laden, do Rev. Jim Jones é mais o menos o mesmo, mudando apenas como se expressam e eles são assim por adiarem no atacado...

Laurindo Neto disse...

´´É por isso que eu digo, os únicos que devem ser expulsos são esses malditos cucarachas latinos, que não contribuem em nada.

(brincadeira, pessoal). ``

uahuahuha, boa! (brincadeira)

Legal, gosto muito de ler os seus textos, bem equilibrado e original!

Diogo disse...

Verdade!

Confesso que não sei como é a expressão correta.

Rolando disse...

O 1% de judeus no mundo deu-nos muito mais em matéria de ciência, tecnologia, genética, negócios do que os mais de 1 bilhão de muçulmanos nos últimos dois séculos. Nada contra os muças, mas é a dura realidade.....

Mas vamos com calma, Israel tem o direito de existir, sim. Mas também não são tão coitadinhos assim. Judeu é gente que não dá ponto sem nó.

Ah, Bob Dylan, esse contestador, é católico convertido. Quem não se lembra dele cantando há uns anos no Vaticano, depois ajoelhou-se perante João Paulo II, pediu-lhe a benção e ainda disse que rezou muito pois achou que esteve perto da morte (Ele tinha ficado doente um pouco antes).

Mr X disse...

É verdade. Não sei por que, achei que Bob tinha voltado ao judaísmo. E ele escreveu "Neighborhood bully", que é sobre Israel:

http://www.bobdylan.com/#/songs/neighborhood-bully

Aliás, essa é outra questão, se o sujeito abandona a fé, converte-se ou é ateu, não é mais judeu? Pois, para alguns, basta ter sobrenome judeu para ser judeu a vida toda. Os judeus não-praticantes eram igualmente perseguidos no nazismo, até os apenas metade judeus. Antes disso, os "cristãos novos" eram perseguidos mesmo depois da conversão.

O que parece indicar que o problema vai além da mera religião.

Harlock disse...

Salve.
E não vale apelar nem mesmo para a "conciência de classe" quando se trata do exercício do anti-semitismo ora abençoado pela Correção Política:
A participação de uma delegação de bibas israelenses foi vetada pelos organizadores da próxima parada do orgulho GLSTBPQP em Madri, em solidariedade ao povo palestino e protesto contra a ação israelense que resultou na pranteada morte dos pacifistas embarcados na flotilla da paz...
A sugestão d'A Cidade do Sossego deveria ser apoiada:
http://acidadedosossego.blogspot.com/2010/06/vao-desfilar-em-gaza.html

Klauss disse...

Essa que o Dylan é convertido ao catolicismo eu não tava ligado.

O curioso é que o pessoal que conheço que baba ovo pra ele é quase todo comunista.

Acho que ele tinha um pezinho naquele troço (comunismo) mesmo, não tinha? O cara virou símbolo de contra-cultura até!

Ele mudou assim de ares, será?

Chesterton disse...

BD nega ser revolucionario, ele diz que só queria cantar.

Brancaleone disse...

O Bob Dylan deixou a tal contracultura quando percebeu que os fans contraculturais não tinham grana para ingessos de seus shows nem para comprar seus discos...
Nada como a umas contas para pagar no fim do mês para fazer o sujeito deixar de asneiras e começar a trabalhar...

Anônimo disse...

...e Woland, escreve: Ser comunista e com muito dindin no bolso é tão fácil... Tá cheio deles por aí. Um, brasileiro, tem apartamento em Paris. Outro, Merces Benz. Onde mora o Bob ? No Dakota, em Nova York ? Acho que era outro "comunista" que morava lá... Gosto das músicas dele ! Dos dois ! Ô mundinho cínico...

Rolando disse...

do cara do Dakota eu também gostava de suas músicas. Mas sobretudo quando falava de sua infância ou relacionamentos.

A letra de Imagine é horrorosa. Tem que ser muito babaquinha para apreciá-la depois dos 25 anos (um limite já bem avançado).

Paul sempre foi metidinho, adora contar vantagens de suas composições e talz, mas pelo menos não se acha "iluminado" nem empunhou bandeiras messiânicas, como seu colega ou esse tal de Bono. Mas ególatra mesmo era o John.

C hesterton disse...

ei, o único pascianalista que dá para ler

http://contardocalligaris.blogspot.com/2010/06/o-direito-de-buscar-felicidade.html#links

A Despátria disse...

Puta que pariu, é ruim ser grosseiro, mas uma hora enche porra, esse A Patria(diga-se A Merda) é um pé no saco, que cara mais retardado, e ainda cita versículos bíblicos ¬¬', vai troll, diz a solução para o problema judeu? Queimá-los? Mandá-los a Lua? Por isso não deve-se dar conversa a idiotas. ¬¬'

c* disse...

chamar sao JL de "o cara do dakota" é falta de respeito imperdoavel

A Pátria disse...

"vai troll, diz a solução para o problema judeu? Queimá-los? Mandá-los a Lua?"
Os judeus devem se converter ao Cristianismo. Falhando isso, devem voltar para o seu "lar nacional" (afinal, eles mataram cristãos e maometanos para quê, para morar em NYC?). Ou devem devolver o território de Israel a seus habitantes originais e voltar para a EUROPA (os israelenes são colonos europeus, TODOS líderes terroristas sionistas e primeiros-ministros israelenses eram EUROPEUS ou filhos de EUROPEUS). Eles invadiram o território e criaram um regime racista.

Bachmaníaco disse...

Em primeiro lugar, parabéns pelo artigo, precisamos de lucidez nesses tempos difíceis.
Existe muita gente à esquerda e à direita que se incomoda com os judeus, e nisso vai uma dose de racismo irracional puro ou simplesmente inveja porque os judeus aí e em quase todo o mundo são bem-sucedidos e cultos.
Agora o que percebo é que grande parte da comunidade judaica norte-ameicana se incomoda em ficar junto da direita, por uma série de razões, das quais a mais gritante pode ser a insistência que os conservadores dão aos "valores cristãos ocidentais" na construção dos EUA, jargão esse repetido tanto por moderados como John McCaslin do America’s Morning News quanto por doidos varridos como Rush Limbaugh. Aí o cidadão americano judeu olha atravessado pro sujeito e pensa; como assim? sou judeu, a minha cultura e religião não é nem cristã e nem ocidental, eu ajudo a sustentar esse país e você me vem como uma dessa?
Pode-se definir por alto o judeu norte-americano médio como: financeiramente bem-sucedido, fluente em pelo menos mais um idioma, em algum período da vida morador de alguma metrópole européia e com um curso superior.
Caro Mr. X, você acha que ele vai se sentir à vontade tendo a companhia de um sujeito que vive falando que o que mantém o país coeso são "os valores da civilização cristã ocidental", um sujeito que tem orgulho da ignorância, monoglota, orgulhoso de não ter feito faculdade nenhuma, orgulho de nunca ter saído do país, um redneck?

A Pátria disse...

Oh, pobrezinhos. Que sacrifício viver na América, eles estavam bem melhor vivendo sob o czar, vivendo nos guetos europeus. Que cristãos malvados, que abrigam os judeus, protegem Israel da justa fúria de seus vizinhos e ficam falando de Cristianismo: é uma nova Inquisição, um novo Holocausto, "o horror, o horror", "Oh, the Humanity".

Klauss disse...

Ao Pária (pq é isso o que ele é), cale a boca, filho!

Rolando,

O Paul é metido a ativistazinho sim! Exorta o mundo a ser vegetariano, e a pior parte: É filiado ao PETA!

O PETA é essa associação de "ética pelos animais" que sacrifica 70% dos bichos que eles recolhem por supostos maus-tratos, e que tem relacionamento (e troca de verbas e apoio e tudo o mais) com grupos como o Hezbollah!!! Coisa com a lógica dos Peters Singers da vida.

Claro, o Paul com seus quase 70 anos (ele faz 68 na sexta-feira), adora se gabar de ser maconheiro até hoje!

Mas não acho que ele era um comunista quase assumido como era o Lennon (que ficou pior depois da Yoko). Acho que é apenas um idiota útil. Mas ver o rosto do Obama no telão do show de seu último DVD, é de dar náuseas!

Assim como ver o Clinton no filme dos Rolling Stones (Shine a Light).

Por isso que hoje em dia eu gosto mais do Ted Nugent e do Lynyrd Skynyrd, he he he he he...

c* disse...

klauss, desinformaçao pouca é bobagem né santo ?

se o peta fosse metade do que vc disse....

c* disse...

o klauss, nao gosta :
- do peta
- de obama
- de j lennon
- de peter singers
- de clinton
- de paul mc

e nao deve gostar tbm de samba, indios, caetano, churrasco na lage, emily dickinson, pobres, futebol,de veuve clicquot, de feira de bairro, de chopin, de farofeiros, do piscinao de ramos, de socialistas, de vegetarianos, de nyc,de trio eletrico, de angu, etc...

qual sera o universo afetivo do cara ?

Klauss disse...

C*,

o John Lennon teve seus momentos de brilhantismo! Adoro o Rock'n'Roll e o Walls and Bridges.

O Paul então, não gosto do lado militante, mas acho-o o músico mais talentoso e foda que já vi.

Quando escuto Here Today choro de emoção, quando vejo o Obama no telão, choro de raiva!

E quanto ao PETA, isso foi matéria do programa BULLSHIT, com Penn & Teller. Mas, como conheço bem esses grupos militantes, assim como Greepeace, Acorn e etc., sei que esse tipo de hipocrisia faz parte da forma mentis de seus diretores e membros. Outro que desmascara grupos similares (mas ligado à farsa do aquecimento global) é o Lord Christopher Monckton -- basta procurar no Youtube, flor!

Quanto à ligação do PETA com o terrorismo, http://www.discoverthenetworks.org e www.activistcash.com

Meu universo afetivo não é da sua conta, mas se o seu se limita a isso que você citou, ele é bem pobrinho, né?

c* disse...

klauss,
pra vc relaxar e nao sentir mais vontade de chutar meu "universo pobrinho" :


" era uma vez um czar naturalista
que caçava homens
quando lhe disseram que tambem se caçavam
borboletas e andorinhas,
ficou muito espantado
e achou uma barbaridade"

( drummond )

Klauss disse...

Ah, tirou uma palha com a minha cara, mas pegou um trecho do Drummond que fala exatamente o que penso das organizações militantes...

heheheheheh...

c* disse...

non