quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Eutanásia ou morte!

Na Inglaterra, dois casos recentes chamam à atenção sobre o problema da eutanásia. Os dois são casos de mães que mataram os próprios filhos.

A primeira mãe matou o filho com doses maciças de heroína comprada na rua, pois estava convencida que ele sofria imensamente após um acidente que causou sérios danos cerebrais. Não houve pedido algum do filho (a reportagem não deixa claro se ele podia mesmo se comunicar). A mãe é que parecia extremamente interessada em livrar-se do filho-problema.

No outro caso, uma mãe também matou a própria filha, mas livrou-se da acusa de assassinato. Aqui parece ter havido um desejo expresso da filha de acabar com a própria vida, ao qual a mãe respondeu com carinho, amor, e injeções de ar para causar embolia.

Por outro lado, a doença da filha - encefalomielite miálgica, também conhecida como "fadiga crônica" - é debilitante, mas raramente mortal. Além disso, o paciente está em plena consciência de suas faculdades.

Digamos que a filha sofresse de depressão - que, como sabe todo aquele que já passou por isso, também pode tornar a vida um inferno. Seria lícito também nesse caso matar um filho deprimido, ou ao menos incentivar o suicídio que ele tanto deseja, em vez de tentar salvá-lo?

Qual a linha que separa a compaixão do egoísmo? E a eutanásia do assassinato?

É curioso que haja hoje tanta ênfase no "direito de morrer". (Eu preferiria que alguém lutasse pelo direito de sermos imortais.) Será isso causado pela crise religiosa do Ocidente?

Afinal, por um lado, a tecnologia médica permite uma vida muito mais longa do que antigamente. Por outro lado, ao menos uma terça parte dessa "vida mais longa" vai ser passada na sofrível velhice. (A fonte da juventude ainda ninguém descobriu).

Somando-se a isso, a crise do cristianismo parece estar gerando o fim de qualquer idéia de que a vida seja "sagrada", de que o destino esteja "nas mãos de Deus". Segundo a narrativa pós-cristã, somos apenas matéria, órgãos, átomos, ou, como a própria Bíblia diz, pó. O importante é curtir a vida enquanto podemos com muito sexo, drogas e roquenrol, e depois, bye bye.

A obsessão com a morte é tanta que o escritor inglês Martin Amis já quer que sejam instaladas "cabines de suicídio" nas esquinas das ruas londrinas, para maior facilidade de velhinhos esclerosados e jovens com problemas mentais.

O Ocidente está em crise, não resta dúvida. Não há maior indicação disso do que a gritante presença de tantos indivíduos que se preocupam mais em morrer do que em viver - ou em dar à luz novas crianças.

Lamentavelmente, depois que o último velhinho europeu morrer e apagar a luz, o continente ainda vai estar repleto de jovens muçulmanos que não vão querer acabar com a própria vida com injeções de morfina em um hospital, mas sim explodindo-se com bombas em um bar ou um supermercado. Ou quem sabe até em um hospital.

48 comentários:

c* disse...

chose fuma seu "california orange" e sai digitando delirios....imbelivable ! :-))


http://www.youtube.com/watch?v=wnDx8pHfHig

Mr X disse...

Humpf.

Anônimo disse...

O suicídio deveria ser um direito inalienável do ser humano.
O sujeito deveria decidir o quanto de tempo quer viver e, se escolher morrer, que lhe seja dado o direito de morrer dignamente sob cuidados médicos.
"O Mala"

Chesterton disse...

Aí, não. Se um suicida quer auxílio médico, ele está querendo que o médico se torne um assassino. Suicidio requer tambem competência. Esse negócio de se suicidar para chamar a atenção só me enche o saco. Estou pensando até em abrir um curso de suicídio.
1. não dê tiro de 22 no ouvido- não morre e fica tonto, surdo e com a cara torta.
2. Não dê tiro na boca, a bala sai pela bochecha e deixa uma furo horrível.

Mr X disse...

Suicídio é uma coisa, suicídio assistido é outra. Ninguém tem como proibir alguém de se matar, mas ao se ajudar alguém a se matar entra-se em dilemas éticos, especialmente considerando que a função do médico é (bem, deveria ser) salvar vidas.

Klauss disse...

Concordo com o Chesterton.

Como diz um amigo meu, melhor se jogar do 20º andar de um prédio de uma vez... Além de tudo não tem como voltar atrás depois.

Cortar os pulsos só faz sujeira e chantagem... A não ser que corte na vertical, no sentido dos vasos. Mas cortes transversais não adiantam... Nem tomar veneno de rato!

Mas falando sério agora, a análise do Mr. X falando da crise religiosa tem muito a ver. É engraçado que quem quer se matar de verdade, como nos casos de depressão, consegue se enforcar até de joelhos, tipo, o cara não se sente tentado nem a levantar qd sente a asfixia... É ter muita vontade...

E quanto à eutanásia, sei que vi um artigo do Reinaldo Azevedo que me levou à conclusão de que o debate sobre a eutanásia é uma farsa, totalmente viciado. Eutanásia é morte assistida. O "suicídio consentido", como o do filme MAR ADENTRO tem outro nome. A farsa está em chamar este segundo de eutanásia, e, em caso da liberação desta, eles liberam também a verdadeira eutanásia que, portanto, tornaria lícito sair desligando os aparelhos de pacientes terminais, em coma e etc...

PS.: Como lembrei de cabeça, a minha interpretação foi errônea, mas ao menos achei o artigo do Reinaldo: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/reverencia-ao-menos-por-favor/

Anônimo disse...

Ué?
Se o médico tem dilemas éticos para ajudar um paciente a terminar com sua vida com dignidade, então, que ao menos forneça os medicamentos necessários para tal e, no caso, que outra pessoa auxilie no intento do "suicida".
Acredito que muitos médicos perderão o "dilema ético" quando descobrirem ser este um filão rentável...
"O Mala"

Mr X disse...

Mas esse é justamente o problema, é rentável matar "com dignidade". E há muitos que querem livrar-se de velhinhos com alzheimer, incômodos garotos com síndrome de down, antipáticos parentes em coma, etc.

c* disse...

"E há muitos que querem livrar-se de velhinhos com alzheimer, incômodos garotos com síndrome de down, antipáticos parentes em coma, etc...."


mas nao lhe passa pela cabeça que os proximos podem querer sobretudo evitar o sofrimento intenso dessas pessoas e nao "livrar-se" deles ? houve casos em que os doentes pediram para ser eutanasiados, preferindo morrer a suportar tanta dor !


seus comentarios sao de fundo moral e religioso....
eu compreendo e aceito à eutanasia como gesto de compaixao

Chesterton disse...

O Mala acertou, como relógio parado que 2 vezes ao dia mostra a hora certa. Muitos médicos ( e não médicos) fazer qualquer coisa por uma graninha extra, nem precisa ser muito. Mas isso não muda o fato de que não ´pe mais suicídio e sim assassinato acumpliciado.

Chesterton disse...

Certo Conffa, desde que os interessados (herdeiros, as pessoas responsáveis por cuidados aos pacientes) não participem da decisão. E os médicos que fizerem a eutanásia não podem ser forçados, nem podem receber um centavo pelo ato. Aliás, médico que se propõe a fazer eutanásia deveria pagar imposto de renda mais alto. Aí, removidos os interesses financeiros, resolveríamos os problemas morais.

Anônimo disse...

Um amigo meu tentou se matar com um tiro de 22 na cabeça, há uns 25 anos. Tá vivo e até hoje e com a bala na cabeça, intacta.
O Seinfeld disse num espisodio que nao entende os suicidas que tentam uma vez e desistem. Afinal, o cara descobriu mais uma coisa em que é incompetente. Devia tentar de novo.
O veneno não funcionou? Corte os pulsos! Nao deu certo? Tente um tiro na cabeça! Nada ainda? Pule de um edificio! Uma hora tem que dar certo...

Chesterton disse...

off topic, mas olha o resultado da revolução sexual

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2010/01/29/em-maceio-quatro-em-cada-10-criancas-sao-registradas-sem-pai-diz-pesquisa.jhtm

Fernando disse...

Alguém aqui já foi em casa de repouso para pessoas com Alzheimer ?

A pessoa não esta mais ali; acabou, morreu, transcendeu sei lá.

Apoiar e liberar o suicídio de depressivos eu sou contra, mas Eutanásia em alguns casos tem que ser pensada.

Alzheimer enquanto a pessoa vai e volta já é triste, por tudo que tira da dignidade humana, mas quando a doença esta em seu estágio terminal é horrível. Indigno e cruel.

Microempresário disse...

Só provocando...
Ganhar dinheiro para ajudar alguém a morrer é errado. Vai contra a natureza.
E ganhar dinheiro para manter alguém vegetando, empurrando oxigênio para dentro dos pulmões e obrigando o coração a bater a custa de choques elétricos, não é contra a natureza também ?

Uma coisa é sair na rua distribuindo cianureto para quem está triste e quer se matar. Outra coisa é permitir que pessoas tomem decisões informadas sobre a própria vida. Especialmente pessoas que estão impossibilitadas de executar sua decisão por suas próprias forças.

Rolando disse...

Eu que não quero ser uma Terri Schiavo na vida. Compreendo que a morte assistida traz muito conflitos éticos para o médico. Mas ficar mantendo vegetal na cama, com escaras, por anos a fio, também traz.

E não gosto de pessoas que condenam suicidas depressivos. Acho que a maioria das pessoas que se matam não o faz por achar bonito. Isso no entanto não quer dizer que seja positivo ter cabines para tal fim nas ruas.

Anônimo disse...

"E os médicos que fizerem a eutanásia não podem ser forçados, nem podem receber um centavo pelo ato."
Já os parasitas que se recusarem a garantir o direito do paciente a não continuar sofrendo inutilmente, que se recusarem a obedecer às leis votadas pelo Povo (no caso do suicídio assistido ser permitido)iriam continuar recebendo seus salários?! Fora do Serviço Público com esses parasitas! Aqueles que não aceitam a liderança do Povo não têm direito a viver, muito menos ainda a receber salários dos cofres públicos.
Como muito bem diz a Internacional:"Ó, parasitas, deixai o mundo". É inaceitável que esses canalhas continuem tentando-e sendo pagos para isso!- transformar os serviços públicos brasileiros, sustentados pelo sangue e pelo suor dos trabalhadores em uma dependência dessas religiões medievais. E a culpa é do Islã? Se o problema são os fanáticos religiosos, o inimigo maior não é o Islã, o verdadeiro grande inimigo já está aqui há muito tempo, carregando bíblias, vestindo batinas e usando solidéus. O Povo saberá lidar com ele!
Tiago

Microempresário disse...

Para mim o tiago é o josef mário em estado alterado de consciência.

Anônimo disse...

Desculpe incomodar, mas alguém pode me dizer quantos instrumentos musicais diferentes um sintetizador comum pode imitar?
Obrigada,
Vera

Chesterton disse...

Microempresario, pesquise a ortotanasia.
Mr Equis, mais uma hilária, olhem a reação dos ouvintes ao discurso de Obama

http://www.youtube.com/watch?v=q20cnn8vOfg&feature=player_embedded

Chesterton disse...

Vera- 21124

Tiago disse: Aqueles que não aceitam a liderança do Povo não têm direito a viver,

chest- alguem aí abriu a porta do hospício?

DD disse...

Estou começando a entender que o Obama é um daqueles comediantes de stand up.

Mr X disse...

Sintetizadores eu não sei, mas o Tiago tem uma nota só.

Didi Iashin disse...

Sintetizadores eu não sei, mas o Tiago tem uma nota só.
E o pior, desafinada ...
Negócio difícil - para mim - de falar sobre. Só que eu não quero meu dinheiro pagando pelo final da angústia do pessoal emo que foi ver Avatar e descobriu que o mundo fora da sala de projeção não é bem aquilo que eles pensavam ...

DD disse...

Senhores:

Há quem queira abrir um partido libertário no Brasil: http://www.libertarios.com.br/

Se sair do papel, será uma coisa curiosa.

Anônimo disse...

"Só que eu não quero meu dinheiro pagando pelo final da angústia do pessoal emo que foi ver Avatar e descobriu que o mundo fora da sala de projeção não é bem aquilo que eles pensavam ..."
E eu não quero o meu dinheiro pagando pelo prolongamento-através do salário- das vidas inúteis dos sabujos de Chico Bento XVI e similares. Basta de permitir que os fanáticos religiosos continuem aterrorizando e pilhando esse nosso país, o Povo deve desencadear o terror organizado e sistemático contra os inimigos da Pátria e da Civilização, que insistem em infelicitar esse nosso pobre país. Morram os fascistas, viva o Povo Brasileiro!
Tiago

DD disse...

Tiaguinho:

Você é um cara sem imaginação. Poderia ser um prodígio da sofística e da cavilação.

De acordo com o que você disse, não terão direito à vida na "sociedade do Povo":

1. Os fascistas, inimigos do povo, burgueses, plutocratas, traíras, sevandijas e assemelhados;

2. Pessoas que, por uma infelicidade, sofreram acidentes ou desenvolveram doenças degenerativas, ficando gravemente impossibilitadas ou em estado vegetativo = "vidas inúteis", que sobrecarregam o sistema de saúde e lesam o Povo.

Isso tudo é muito complicado, muito burguês. O Partido funcionaria muito melhor se adotasse a seguinte estratégia:

TODA VEZ QUE ALGUÉM VIER A TER A INFELICIDADE DE PERDER O CONTROLE DO CORPO OU A CONSCIÊNCIA, POR ACIDENTE OU DOENÇA DEGENERATIVA, SERÁ IMEDIATAMENTE ELENCADO NA CATEGORIA 1.

Assim, podemos imaginar alguns diálogos entre os comissários do Povo:

a) - Ela sofreu um acidente de carro, está em coma e com o corpo paralisado.

- Não interessa. O fato de ela ter se acidentado comprova que é uma inimiga do Povo. Injeção letal, já.


b) - Aquele senhor está num estado muito avançado de degeneração por esclerose múltipla. Que fazemos?

- Matem-no: é um fascista.

Aos demais:

Caso queiram dar sugestões ao nosso colega, ensinando-o a ser ainda mais genuinamente comuna, desenvolvam, aqui, os seus raciocínios.

Anônimo disse...

"Pessoas que, por uma infelicidade, sofreram acidentes ou desenvolveram doenças degenerativas, ficando gravemente impossibilitadas ou em estado vegetativo = 'vidas inúteis', que sobrecarregam o sistema de saúde e lesam o Povo."
As vidas inúteis a que eu me referi são as dos canalhas que querem impor suas religiões ao serviço público, o memso tipo de vagabundo que, depois, ainda tem a cara-de-pau de falar da ameaça islâmica, como se houvesse alguma diferença moral entre agressor islâmico e o agressor cristão. Cabe ao Povo- o dono dos serviços públicos- decidir como cuidar da questão das pessoas pelas quais a Medicina não pode mais fazer nada. Quando o paciente está lúcido e capaz de se comunicar, só um selvagem-como esses seguidores imbecis de Roma- pode querer que outra pessoa decida seu destino. Mas é claro que os fascistas adoram causar dor às pessoas, elas acham que é o que o Deus delas deseja! Os inimigos da civilização precisam ser caçados como os cães raivosos que eles são!
Tiago

Chesterton disse...

'vidas inúteis', que sobrecarregam o sistema de saúde e lesam o Povo."

chest- que humanistas. Chama a carrocinha para levar o Tiago, o manicomio já não mais aceita essa espécie.

Anônimo disse...

Quem lesa e sobrecarrega o Sistema de Saúde o Povo são os "médicos" fascistas, êmulos de Mengele, que se comprazem em causar dor aos pacientes indefesos e se divertem em roubar a dignidade das pessoas em nome de sua religiões selvagens. Mas claro, por que citar o que eu disse se você pode inventar o que eu disse? Outro não era o procedimento da Santa(!)Inquisição e do Volksgerichtshof nazista. Vocês não conseguem disfarçar a origem de suas idéias. Pois eu digo: ai daquele que trai o Povo: seria melhor que ele tivesse sido jogado no mar, uma corda amarrada ao seu pescoço!
Tiago

Anônimo disse...

Esperem aí, eu sou a favor do direito ao suicídio e não ao direito de "se livrar" dos enfermos.
Eu, particularmente, vou lutar tanto para prolongar a vida que o plano de saúde vai querer me "eutanaziar" de tanta despesa que vou dar.
Uma coisa é o sujeito explicitamente declarar que quer abreviar sua vida, outra coisa é querer acabar com a vida de quem já não pode decidir por si.
"O Mala".

Chesterton disse...

A única coisa que traz algum alento é que na desventura de um regime a la Tiago, ele seria o primeiro a ser eliminado por completa inutilidade.

DD disse...

O barbudão parasita e bolinador de empregadas parecia mesmo um cão sem dono. Talvez o Tiago tenha se inspirado no "visu" do cara.

Mr X disse...

Não sei qual é esse heróico Povo com Maiúscula que o tiago com minúscula tanto fala. Talvez seja o povo soviético. O povo no Brasil é pobre, feio e burro e não manda em porra nenhuma. E ainda vende-se ao PT em troca de meras migalhas de bolsa-esmola. :-P

Mr X disse...

Quem fala tanto em nome do Povo, em geral bom sujeito não é, quer dizer, provavelmente está preparando alguma para esse mesmo Povo.

Nessas, prefiro a sinceridade de um Figueiredo do que um desses "porta-vozes" não-solicitados como o Tiaguinho.

Anônimo disse...

Não-solicitado? Se o Povo aprovar o suicídio assistido, ele terá se manifestado sem necessidade de porta-voz ou intermediário. São vocês, que falando a favor dos que querem colocar suas superstições acima da vontade do Povo,que querem brincar de ventriloquismo com o Povo. Aparentemente, a democracia burguesa só interessa quando o Povo vota como o cordão de puxa-sacos do Papa e da Casa Morgan quer.
Tiago

Chesterton disse...

Tiago é o Josef mario, sem dúvida alguma.

c* disse...

ontem foi domingo, sem poema...:((

Klauss disse...

Cara, ainda bem que esse Tiago é um desocupado que fica só escrevendo sandices no blog alheio.

Já pensou um cara desse com cargo político, trabalhando como professor em sala de aula, ou com muito dinheiro no bolso?

Mas poderia ser pior, ele poderia opinar sobre metafísica, não?

Klauss disse...

PS.: Estou começando a descobrir porque o X ainda não implementou moderação nos comentários. Eu já tou aprendendo a rir com a criatura agora... heuheuehue...

Anônimo disse...

Como você pode saber que eu não sou professor e não tenho muito dinheiro no bolso?
Ok, não sou e não tenho, mas como pode ter certeza?
Tiago

Didi Iashin disse...

Eu me pergunto ... Será que o nosso troll favorito também é favorável ao Plano de Direitos Humanos 3, a vingança?
O pessoal fala tanto de Direitos Humanos, mas, na hora do pega, sai-se com essas barbaridades ...

Chesterton disse...

Cade o X?

Chesterton disse...

O André Lux é um asno esquerdoso com um blog. Até aí, nada demais, há muitos. Seu blog é, como diriam os naturalistas do século XIX, um documento humano, um objeto de estudo. No futuro, ele será muito lido e estudado por antropologos, sociológos, psicólogos e demais ociológos interessados em saber até onde chegou o nível de burrice esquerdista que assola o Brasil.

Mas à l'heure actuelle o que me chamou a atenção foi este post, mais precisamente esta charge, onde se diz: “Militantes de esquerda: presos, desaparecidos, torturados, mortos” e ao lado “Militares torturadores: não presos, não torturados, não desaparecidos, não mortos”.

“Terrorista” mudou de nome, heh? Agora é “Militante”… E isso nem é o mais bizarro. É uma pergunta simples: “Por que os torturadores não foram mortos pelos terroristas?”

Resposta: porque nenhum terrorista tentou alguma coisa contra os torturadores. O negócio da canalha é atacar civis desarmados. Os “militares torturadores”, como o asno do André Lux os chama, estavam armados e sabiam se defender. Daí, nenhum deles foi atacado e nenhum deles morreu. O que o asno está dizendo sem perceber é: “eles nos deram uma sova danada, e não tivemos coragem de revidar, daí queremos que a democracia capitalista faça o que não tivemos coragem de fazer”.

Posso achar graça, ou posso ter pena, depende de como eu me sentir no momento. Mas nunca posso deixar de ter nojo.

jorge nobre

Mr X disse...

Mr X está cansado, pensando em eutanasiar o blog. :-P

Klauss disse...

X, se for pra "eutanasiar" o blog, queria saber como continuar em contato contigo!

abraços!

Gerson B disse...

Mr X, seja coerente! Não à eutanásia!

Blogs não são só um punhado de bytes!

Mr X disse...

Klauss, o e-mail do blog é o de sempre, orbister@gmail.com