sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

O dilema do bom selvagem

Se o homem "nasce bom, e a sociedade é que o torna ruim", como é que essa sociedade é formada por homens? Quer dizer, como é que, pelo mero fato de reunir-se em sociedade, o homem - que nasce bom - torna-se mau?

Ou estamos falando apenas que as sociedades civilizadas é que tornam o homem mau, mas se ele vive em sociedades tribais de caçadores e coletores, ele ainda é bom? Quando é que ele começa a ser mau, com a invenção da escrita, da agricultura ou do monoteísmo? Ou quando descobre o ouro? Ou a propriedade privada? Mas algumas tribos praticam canibalismo e estupro, sacrificam crianças ou as enterram vivas, será que essas práticas devem ser vistas como inocentes, como boas, ou como parte da maldade gerada pela tal "sociedade", ainda que primitiva?

Por que a religião cristã e as tradições ocidentais são vistas como coisas ruins, patriarcais, malvadas, superadas, anti-científicas, mas as religiões primitivas que incluem a adoração de árvores (como ocorre no filme Avatar) e as tradições indígenas, africanas e muçulmanas que incluem o sacrifício humano e a submissão da mulher são vistas como positivas, sábias, espirituais, etc?

O mito do "bom selvagem", não obstante seja uma falácia, fala a algo profundo dentro de nós. Acho que todos nós temos momentos em que odiamos a civilização. Frustrados com tecnologia, a poluição, as catástrofes da História, o frenesi da vida moderna, imaginamos um mundo mais puro, mais calmo, e nos imaginamos morando na selva, no mato, no nada, no atemporal, longe de tudo e todos. Como Thoureau. (Ou como Theodore Kaczynski, o Unabomber, que tinha um QI de 170 e poderia ter sido um dos maiores gênios matemáticos que já existiram na espécie humana, se não tivesse ficado maluco e iniciado a enviar cartas-bomba aqui e ali.)

É claro que para a maioria de nós, bastam apenas uns dias longe da civilização e perto dos mosquitos para nos fazer correr de volta para as cidades. A tal "vida bucólica e tranqüila" na verdade não é nada disso.

O problema do Homem Ocidental é que ele já não acredita em mais nada, muito menos em si mesmo. Lamentavelmente, os bons selvagens que tomarão seu lugar não são tão bons assim, nem terão tanta simpatia com esse discurso.

Depois de tudo, a idéia do "bom selvagem" também é uma criação européia, ocidental. Ele nunca existiu no mundo real. O Outro jamais se viu a si mesmo como puro ou bom. E não terá a menor pena de nós quando nos derrotar.

E então viveremos todos na mata, como os Na'vi. E seremos felizes para sempre.

"Tá olhando o quê, seu ocidental fiadaputa?"

6 comentários:

Henrique Lima disse...

O que resume bem a situação ocidental é o título do livro: "Sociedade aberta aos inimigos" de Karl Popper.

Fernando disse...

Filhos de índios criados nas cidades, são menos índios que seus pais e netos de índios, já não são mais índios.

Duas gerações bastam para integrar totalmente esses povos em nossa sociedade.

Fernando disse...

Estamos todos em nossas zonas de conforto, mas isso não quer dizer que o PT vai vir aqui e transformar isso aqui numa Cuba, sem muita morte.

Fernando disse...

James Cameron criou uma Amazônia luminescente, habitada por seres esguios e altos, que tem a seu dispor cavalos e dragões alados...

O índio de Cameron não é só espiritualizado e sábio de tantos outros filmes; ele é mágico.

Vi o filme e lá pelas tantas me vi assistindo "Um homem chamado Cavalo", quando o Avatar é arrastado à tribo e depois visitei Matrix e sua dança tribal...

Cameron enfeitou, mas não saiu do quadrado.
Mesmo rezando e agradecendo ainda matam para comer, sem folga, sem freezer, sem higiene pessoal e coletiva, sem cultura, sem ocupação...

A selva é para poucos.
Mesmo voando.

William Tell disse...

O próprio Rousseau, na "Origens e Fundamentos da Desigualdades entre os homens" resolveu "muito bem" esse dilema, no seguinte trecho (na minha opinião, um dos grandes exemplos de fraude intelectual):

"Não ocorreu mesmo ao espírito da maior parte dos nossos duvidar que o estado de natureza tivesse existido, quando é evidente, pela leitura dos livros sagrados, que o primeiro homem, tendo recebido imediatamente de Deus luzes e preceitos, NÃO ESTAVA TAMBÉM NESSE ESTADO,e que, acrescentando aos escritos de Moisés a fé que
lhes deve toda filosofia cristã, É PRECISO NEGAR QUE, MESMO ANTES DO DILÚVIO, OS HOMENS JAMAIS SE ENCONTRASSEM NO PURO ESTADO DE NATUREZA,a menos que, não tenham nele caído de novo por algum
acontecimento extraordinário: paradoxo muito embaraçante para ser defendido e absolutamente
impossível de ser provado.
COMECEMOS, POIS, POR AFASTAR TODOS OS FATOS, POIS NÃO SE LIGAM À QUESTÃO."


Como assim os fatos não se ligam à questão????

Henrique Lima disse...

Pr. Silas fala sobre o fecahmento de uma Igreja Evangélica em sampa.

http://www.youtube.com/watch?v=hQxD6b_PKGA

E os terreiros, nessa epidemia de gente aparecendo cheio de agulhas, inclusive crianças e gestantes?