quinta-feira, 22 de abril de 2010

Reductio ad absurdum

Obama mente mais uma vez. Depois de afirmar peremptoriamente que jamais criaria novos impostos, agora afirma que está nos seus planos criar o VAT (Value Added Tax), imposto aos produtos similar ao existente nos países europeus. (No Brasil não existe um VAT, existem três: IPI, ICMS, ISS). E ainda ri na cara dos contribuintes.

Enquanto isso, a Comedy Central censura previamente o "South Park", para não citar o nome ou a figura de Ma Aquele-Que-Não-Pode-Ser-Nomeado.

E agora ficamos sabendo que o bloqueio total de vôos em metade da Europa (que causou prejuízos de dois bilhões de euros) devido às cinzas do vulcão Eywhwhwhwyahwlla foi baseado em simulações de computador equivocadas, e poderia ter sido desnecessário. (Bem, melhor prevenir do que remediar.)

Os tempos atuais são mais loucos do que os anteriores, ou sempre foi assim?

5 comentários:

Klauss disse...

hauahuahua, O nome que arranjaste pro Vulcão foi ótimo...

Pior que escrever Eyjafjallajökull é pronunciar isso. Na wikipedia tem até um arquivo com um islandês pronunciando o nome...

E na boa, definitivamente o Obama é um grandissíssimo FDP -- bem, a mãe dele era uma hipponga nos anos 60, tecnicamente a diferença é pouca. Tá na hora de chutarem ele com bota de bico de ferro da presidência dos EUA...

E quanto a Maomé, esses Muçulmanos são como os marxistas, nem eles não leram o Alcorão ainda pelo jeito. Lá mesmo está admitido que Cristo é Cristo e Maomé um profeta... Vai entender, né?

Henrique Santos disse...

Com relação ao south park, houve censura prévia e censura posterior, aliás um episódio, o 504, da 5a. temporada, exibido e disponibilizado no www.southparkstudios.com ha uns 5 anos atrás, mostrou sem nenhum problema Akuele-ue-nao-pode-ser-desenhado. Ele faz (fazia?) parte do Super Best Friends; uma legião de "heróis" das principais religiões: Cristo, Buda, Krishna, Ioseph Smith, o tal e SeaMan. Talvez o penultimo episódio tenha pegado pesado ao brincar com esta estória de não poder mostrar uma representação do tal. Talvez eles achavam kue passado tanto tempo, podiam fazer piada com esta estória ridícula.
E me parece ke a kestão nem é tanto a tal representação do tal irrepresentável e sim algo do tipo "Eu mando e vocês obedecem..."

Henrique Santos disse...

Perdoem o português e a gramática lulescas do post acima, meu teclado está com problemas (teclas ke não funcionam!) e meu desânimo com esta "grande civilização ocidental", ke agora não é tão grande assim, está afetando o pouco de cérebro ke tenho.

jbitten disse...

Caro Mr, não sei se vc sabe exatamente o q é uma "simulação de computador", e não vou encher seu precioso saco tentando explicar. Mas o fato é q nenhum cientista (sei q vc implica com cientistas tanto qto eu implico com médicos - cd um com suas implicâncias...) leva simulações de computador 100% a sério. Existem margens de erro, standarts de congruência, limites de segurança, e coisas do gênero. O fato é que a simulação permite prever possibilidades, e não uma possibilidade. Se um computador fez a tal simulação, deve ter apresentado 5 ou 6 possiblidades, e nenhuma delas era agradável. Avião é f... caro Mr. Normalmente qdo cai, mata todo mundo a bordo instantaneamente. Aliás, essa possibilidade, digamos, um tanto desagradável, é exatamente a q faz o vôo tão seguro: neguim não deixa margem pra erro. Tanto as companhias qto os órgãos reguladores e de segurança. As companhias procuram deixar os aviões sempre nos trinques - claro, não querem matar a freguesia. Por isso a aviação é tão cara, e mm depois da desregulamentação. Geralmente, companhias confiáveis, qdo descobrem possibilidades de problemas, digamos, numa das paletas da turbina, trocam todas elas; qdo enxergam problemas num tubo, digamos, do sistema hidráulico do atuador dos flaps ou slats (peças q podem derrubar a traquitana, caso falhem) trocam tudo. Só que as companhias são empresas. Concordo q visam lucro, devem satisfações aos acionistas, coisa e tal... Devem ter usado simulações estatísticas para resolver que as coisas já estavam seguras; tb sei q na opinião do pessoal de seu clube, o Estado só devia existir pra botar marginal na cadeia e caçar imigrante ilegal (aliás, não vai fazer um post sobre a simpática governatriz do simpático Arizona?..), mas essa entidade tem outras funções mais, digamos, deletérias. Impedir q os executivos das cias aéreas derrubem aviões em nome da lucratividade é uma delas. Curiosamente, enqto as cias exigiam, através da imprensa, dinheiro dos contribuintes, a RAF (vc confia na RAF?..) suspendia vôos de aeronaves a turbina, pq técnicos tinham descoberto partículas de sílica nas turbinas de caças táticos Tornado. Acredite, caro Mr. - pilotos militares tem mto mais chance de fugir do q nós, míseros civis... Claro, existem cias e cias, e imagino q as agências visem aquelas mais visáveis. O prob é q mtas delas são visáveis, e visáveis pra caramba: usam aviões de segunda mão, tem mecânicos em número insuficiente, usam diagnósticos terceirizados. Existe um monte de empresas com standarts abaixo da crítica. Ainda não vi nenhum relatório q valha a pena, mas acho q na impossibilidade de estabelecer padrões de emergência, todo mundo acabou no chão... E eu acho q os passageiros q berravam nos aeroportos ficariam ainda mns felizes no fundo do Atlântico, concorda?

Mr X disse...

Arizona rules! Tem que expulsar mesmo esses latinos safados (desde que não me expulsem junto hihihi) ;-)

Quanto aos aviões vs vulcões, é como eu disse, melhor prevenir do que remediar. Eu realmente decidi deixar minha viagem para Paris para outra hora...