domingo, 23 de agosto de 2009

Compaixão por terroristas

Há algo de podre no mundo ocidental. Talvez mereçamos mesmo morrer e ser destruídos sem piedade.

O terrorista responsável pelo atentado de Lockerbie, que matou 270 pessoas, foi solto pelas autoridades escocesas e retornou à Líbia, onde foi recebido como herói.

O motivo alegado é a compaixão: o pobre terrorista estava com câncer e morreria logo, mas há suspeitas que a verdadeira razão seja um lucrativo acordo comercial do Reino Unido com a Líbia. Parece ser uma explicação mais plausível. Negócios, negócios, justiça à parte.

Independentemente dos motivos, um articulista do Guardian, porta-voz maior do esquerdismo atual, celebrou a liberdade do terrorista, afirmando ser um "tributo à decência humana". Que um asno zurre asneiras, não é surpreendente. Mas o número de imbecis concordando nos comentários não deixa de ser algo arrasador.

270 pessoas morreram sem qualquer compaixão. O próprio terrorista preso jamais demonstrou qualquer arrependimento pelo massacre. Os líbios, os palestinos (também acusados de participação no atentado, ao lado do Irã), e por extensão todo o mundo islâmico, agora mesmo celebram seu herói e cospem coletivamente na cova dos 270 "infiéis" mortos.

Richard Fernandez observa que, ao mesmo tempo em que o terrorista foi solto, as autoridades inglesas prenderam uma adolescente acusada de cyberbulling no Facebook, dando a letra de quais são os crimes que realmente preocupam nossa superficial sociedade atual.

Mas o evento mostra principalmente que, na verdade, a tal "compaixão" progressista não passa de um narcisismo delirante. O importante é mostrar compaixão, aparecer aos outros como mais nobre, mais bom, defensor dos frascos e comprimidos, mesmo à custa de mais atentados, que fatalmente ocorrerão. O articulista do Guardian pode dar-se ao luxo de celebrar a "compaixão" por um terrorista pois não foram seus familiares os que morreram na explosão. Afinal, o importante é mostrar que "somos melhores do que eles". E, se de quebra ainda der para conseguir um milionário acordo petrolífero, que problema há?

Não, uma sociedade que libera um assassino de 270 pessoas, na maioria mulheres e crianças, após meros 7 anos de cadeia, não é uma sociedade "decente". É uma sociedade estúpida, em fase de câncer terminal.

3 comentários:

Didi Iashin disse...

Peco horrores,
mas ...
SE MORRER LOGO, JÁ VAI TARDE, F.D.P!
E se explodirem o metrô de Londres, de novo, SERÁ BEM FEITO!
Saco ...

Anônimo disse...

Mais um belo post X, é a cara da nossa época mesmo, a da "Idiocracia (by Mike Judd). Você pode me informar de onde tirou esse genial card sobre o liberal idiota? Tem mais de onde saiu esse?
Fernando José - SP

Mr X disse...

Olá,
Hum, achei pelo google, não sei quem criou e não sei se tem outros cards não...