terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Devemos mesmo salvar a Civilização Ocidental?

Dois posts curiosos (só em inglês, sorry) chamaram a minha atenção, e indicam o derrotismo e desespero que está batendo na maioria dos Ocidentófilos.

O primeiro pergunta: devemos mesmo salvar a Civilização Ocidental? Seu argumento é que, na realidade, a Civilização Ocidental contém em si a semente de sua própria destruição, ou melhor, talvez ela própria é que seja o Mal. Pergunta o autor: não são o marxismo, o nazismo, o relativismo, o feminismo, o homossexualismo, o petismo, a arte moderna, a poesia concretista (ok, essa e o petismo eu que coloquei), o politicamente correto e todos os males da dita modernidade, não são eles todos filhos diletos da mesma Civilização Ocidental? E, ao salvar a Civilização Ocidental, não estamos na verdade propagando e mantendo vivos todos esses males que podem terminar por destruir tudo aquilo que é mais sagrado? Diz nosso pessimista amigo:

[...] todos os atributos abstratos que a Direita Secular quer preservar na Civilização Ocidental são cúmplices do seu declínio: liberdade de escolha - egoísmo; democracia - tirania das massas; liberdade de consciência - perda da religião; filosofia científica - burocracia racional; arte - subversão; liberdade de estilo de vida - inversão moral; tolerância - covardia.

Segundo ele, a Civilização Ocidental é apenas um "processo", e, como tal, não pode ser concretamente salva. Pode-se salvar um povo, um território, uma nação, uma religião, mas não um processo em constante mudança.

O segundo autor vai ainda mais além. É alguém que não só desistiu de tentar salvar a Civilização, como está mesmo tentando apressar a sua queda. Seu argumento é que é impossível reformar a sociedade decadente de hoje, sendo assim, porque não acelerar o seu fim? Por exemplo, ajudando a sugar dinheiro do welfare state e assim apressar o colapso econômico e social que se seguirá.

Enquanto defensor do Estado mínimo eu estava constantemente na esperança que algum dia legislaríamos contra o aumento do welfare, warfare e autoritarismo. Como anarquista convertido, agora reconheço que nada disso vai acontecer. Reconheço agora que cada dólar de imposto que pago está apenas sustentando um sistema ilegítimo e moribundo. As mesmas pessoas que eu desprezava por receberem esmolas do governo eram na verdade mais espertas do que eu, pois estão ajudando a demolir o sistema de forma bem mais eficiente do que eu. 

Naturalmente, e em coerência com seus princípios anarco-capitalistas, o autor é um survivalist, que já estocou comida, munição e água e aguarda com impaciência o colapso total.

Meu problema com esses argumentos é que, além do derrotismo que termina levando ao mesmo local que a esquerda quer nos levar (i.e. o fim da civilização e o caos geral, tudo em nome da utopia), não levam em conta que sempre foi assim. As forças destrutivas sempre estiveram batalhando contra as forças mantenedoras da ordem. E afinal, quando é que foi esse paraíso perdido da Civilização Ocidental, tão chorado por tantos? Foi nos anos 30, quando a Europa se digladiava em guerras fratricidas? Foi no século XIX, antes do fim da escravidão e do voto feminino? Foi antes ou depois dos jacobinos da Revolução Francesa? Foi no Renascimento, quando guerras religiosas aconteciam aqui e ali? Foi na Idade Média, entre a peste negra e a ameaça sarracena? Ora, analise em detalhe qualquer período histório e verá que sempre houve forças negativas tramando contra a vida, a moral, a tradição, a justiça, a harmonia social ou simplesmente lutando pelo Poder Total. Hoje são os utopistas e os globalistas e (de novo) os maometanos, amanhã serão os ultra-ecologistas ou os neonazistas, é a vida. The show must go on.

16 comentários:

Chesterton disse...

Mr, herdei uns livros de meu avô e dentre eles estava um que não via há 35 anos.
-Origem dos Grandes Erros Filosóficos, Mario Ferreira dos Santos.
As respostas estão ali.

Anônimo disse...

Se desejar baixar este ou outros livros deste autor (entre outros), estão disponíveis para download gratuito no endereço abaixo:

http://temqueler.wordpress.com/

Abraços,
Adriano

Harlock disse...

Salve.
Lutar pelos valores ocidentais, sabendo-se que não há opção possível, é simples questão de sobrevivência. Só o Ocidente e, em menor medida, as culturas periféricas que adotaram sua tecnologia, garantem a manutenção de alguma margem de segurança para a sobrevivência da espécie. Filosóficamente nem dá para discutir as alternativas... O Cristianismo recolheu, deu coerência e legitimidade à noção de que este é um Mundo imperfeito: A transcendência do pecado e da morte apenas lhe chegará com o seu fim, o Reino de Deus está além do Mundo e cada indivíduo que o habita tem responsabilidade pela próprias salvação. Evolução Continuada, Direito Natural e Responsabilidade Pessoal sãoo apanágio do Ocidente Cristão e apenas por ele pode ser plenamente compreendido e aplicado. O resto, do Islamismo ao Comunismo, são apenas heresias focadas no estabelecimento de uma ordem perfeita e estável, um falso Reino.

Chesterton disse...

Adriano, isso é mais que um oresente. A casa agradece, o leitinho das crianças está garantido.

Chesterton disse...

olhem essa história

http://archive.frontpagemag.com/readArticle.aspx?ARTID=11146

Anônimo disse...

Artigo muito interessante.

E tem gente que acha possível dialogar com essa galera. A burrice continua prosperando e só aumenta.

Adriano

Mr X disse...

Olá Adriano,
Valeu pela dica dos livros. Ótimo site.

Viva a Internet! Uma biblioteca universal ao alcance da mão.

Anônimo disse...

É um tal de aparecer gente querendo salvar o mundo (o mundo ocidental...). No fundo querem mesmo é salvar a si próprios. Deveriam antes entender que há uma ordem natural da parte de Deus para equilibrar as coisas. Li neste mesmo blog um artigo "A Revolução progressista ñ passará". E ñ passará mesmo! O mundo ñ precisa ser salvo, os homens sim, através de Jesus Cristo.
"E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos." (Atos 4 : 12)

Iconoclastas disse...

uma alternativa, apesar da cafajestagem, é um bolsa família universal. não há muita coisa mais conservadora do que isso.

... - ... - ...

Adriano, muito obrigado! caro, eu gostaria de um dia conseguir fazer algo tão útil a sociedade como esse seu gesto.

abs,

Mr X disse...

É isso aí. Mesmo que a Civilização Ocidental implodir, restarão os livros, a sabedoria guardada. Assim como foram guardados nos mosteiros durante a Idade das Trevas, hoje ficarão arquivados em servidores isolados, mesmo que a Internet for cortada, resistirão. Nada temam!

Gunnar disse...

Esses caras estão simplesmente fazendo a pergunta errada, e consequentemente, chegando a respostas totalmente equivocadas.

Em última instância, esse raciocínio imbecil leva à conclusão de que o homem é raiz de todos os males, e, logo, deve ser eliminado.

Acho que falta um pouco de cristianismo pra esse povo. Os homens são a fonte de seus próprios pecados... mas ao mesmo tempo são a obra-prima de Deus. Cabe lutar contra o pecado e fortalecer as virtudes, e não desistir de tudo e jogar fora o bebê junto com a água suja.

Anônimo disse...

"Devemos mesmo salvar a civilização Ocidental?"


Claro!

http://www.youtube.com/watch?v=LbxkeQIE7c0&feature=fvsr

Anônimo disse...

Caro Iconoclastas,

O mérito é do Dr. Google... rsrs.

Abraços,

Adriano

Diego disse...

Adriano, teu site é uma mina de ouro!!!!! to doido baixando tudo o que eu não tenho.
Quanto ao "Clash of Civilizations"
http://1.bp.blogspot.com/_sjNM3R5yDRU/S8b1vSC_KlI/AAAAAAAAALM/iutbdB2Vz3Y/s1600/0000PORTADAalianzapor.jpg
Se correr o bicho pega se ficar o bicho come.
Sem querer ser um carola chato, precisamos pedir à Deus forças para recuperar nosso otimismo, recusar o niilismo e lutar por nossos ideais,(os que construiram a nossa civilização não esse pseudopoliticamente correto que eles tentam infundir em nossos corações e mentes borrando o sentido de certo e errado e confundindo as novas gerações). "Never give up, never surrender" como diria o Capitão Taggart da Galaxy Quest

Diego disse...

Adriano, teu site é uma mina de ouro!!!!! to doido baixando tudo o que eu não tenho.
Quanto ao "Clash of Civilizations"
http://1.bp.blogspot.com/_sjNM3R5yDRU/
S8b1vSC_KlI/
AAAAAAAAALM/iutbdB2Vz3Y/s1600/
0000PORTADAalianzapor.jpg

Bem no espírito do blog
Se correr o bicho pega se ficar o bicho come.
Sem querer ser um carola chato, precisamos pedir à Deus forças para recuperar nosso otimismo, recusar o niilismo e lutar por nossos ideais,(os que construiram a nossa civilização não esse pseudopoliticamente correto que eles tentam infundir em nossos corações e mentes borrando o sentido de certo e errado e confundindo as novas gerações). "Never give up, never surrender" como diria o Capitão Taggart da Galaxy Quest

Anônimo disse...

Olha, sem querer ser chato, mas se tem algo parecido com auge da civilização ocidental foi ali entre 1850 - 1914.

Democracia representativa. Liberdade religiosa.
Liberdade econômica. Comércio. Globalização.
Luta pelos direitos e garantias individuais.
Evolução tecnológica.
Crença no futuro.

Leo.
Parece um pouco com a década de1991-2001.