terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Para onde vai a Internet?

Este blog, até faz pouco, tinha 184 seguidores (acho que o máximo foi 191). Nas últimas semanas ou meses, por algum motivo, caiu para 171 (um número simbólico).

Não sei direito o motivo. Não sei se foi o conteúdo de posts recentes versando num racialismo apavorante para a maioria que afungentou os leitores, mas não creio: vivo repetindo a mesma lenga-lenga sobre etnias e imigração mais ou menos desde 2012. Então talvez seja a repetição que fez desandar.

Ou talvez a parcimônia dos posts também tenha feito alguns leitores desistirem: blog bom é aquele que publica todo dia ou quase todo, e eu não tenho mais paciência para isso. Se pudesse contratar uma equipe, incluindo gostosas secretárias, o faria. Mas não posso. 

Tudo isso pode ser, mas acho que há também outro fenômeno, mais global.

O que parece estar ocorrendo é um fenômeno até já velho, o da "facebookização" da Internet. As mídias sociais tomaram conta e monopolizaram a distribuição de conteúdo. As pessoas quase só lêem aquilo que é postado no Face.

Lêem? Mentira. Dão uma "curtida" no link, mas nem mesmo lêem. É informação demais, pois no próximo minuto já entra mais.

Além disso, o Facebook gerou uma superficialidade preocupante. Sim, eu poderia fazer uma "página do Mr X" no Face. Mas aí, teria que povoá-la com piadinhas e gifs animados, que são as únicas coisas que as pessoas gostam. "Chapolim da Conspiração", talvez?

As mídias sociais, além de ter privatizado a Internet (é o Face que decide o que pode ou não ser publicado), acabar com a privacidade (a informação que você posta lá não pertence a você, mas ao Zuck, ou você não leu as letrinhas?), também geraram um fenômeno preocupante de filtragem de conteúdo. Perceba ainda que grande parte dos portais de notícias agora só aceitam comentários via Face, isto quando não acabam completamente com a possibilidade de comentários.

Para quem viveu, a Internet no fim dos anos 90 e começo dos 2000 era bem mais emocionante. Um obscuro blog ucraniano ou japonês poderia ser seguido de repente por várias pessoas, devido a interesses tópicos do momento. Isto ainda acontece, mas em menor medida. Blogs estão out. Hoje, o que você precisa fazer é "viralizar" e aparecer no Buzzfeed e ser compartilhado no Face.

Não estou reclamando, apenas tentando entender. Minha impressão é que as mídias sociais foram mais negativas do que positivas para a comunicação em geral, e preferia o tempo em que não existiam ou, ao menos, não monopolizavam.

Um romance chamado "Nós", escrito em 1921 pelo futuro dissidente soviético Zamyatin, já preconizou esse futuro (este presente) muito antes do que Orwell. No romance, as pessoas viviam em casas de vidro, e toda a sua vida cotidiana podia ser observada pelos outros.

Isto não ocorreu exatamente desta mesma forma, mas, de um jeito parecido, estamos expondo toda a nossa vida online para quem quiser ver, ao mesmo tempo em que ficamos à mercê de poderosas entidades que tudo controlam.
 
P.S. Quando falo "tudo", não estou falando apenas da sua foto com o cachorrinho ou o seu selfie no banheiro.

Por exemplo, uma das tendências atuais é a de acabar com o velho dinheiro de papel e transformar todas as transações em transações virtuais. Isto é feito em nome da "praticidade", mas não esqueçam que o dinheiro digital é facilmente rastreado, enquanto que o dinheiro vivo, ninguém tem tanto controle.

A Alemanha já está pensando em limitar as transações financeiras, com um projeto de lei que pretende proibir pagamento em dinheiro para valores maiores do que 5,000 euros. Controles similares já existem nos EUA, ainda que não seja ainda proibido.

Tudo isso é feito em nome do "combate ao terrorismo" e do "combate à corrupção", mas é claro que nós sabemos que não é apenas isso.

Caminhamos lentamente e imperceptivelmente para uma sociedade totalitária; só que esta não chegou com um golpe, mas com o beneplácito do próprio povão, que gostou e ainda clicou em "curtir". 


21 comentários:

Silvio disse...

Mister, a afirmação soa exagerada, mas: quer entender de uma vez por todas essa fase recente da internet? (na verdade, repetição um pouco mudada de eventos muito antigos)
Arranje um tempo para ler este livro fantástico: http://www.zahar.com.br/livro/impérios-da-comunicação
E outra: como blog não é sua fonte de renda, preocupar-se por ter menos leitores é bobagem, é falácia numérica. Pelo teor do que vc escreve, vale muito mais pensar no velho princípio “Sub specie aeternitatis”.

maisvalia disse...

Eu não sai, hehehehehehe

AF disse...

Talvez esses seguidores a menos podem ser os puristas nazistas de plantão que não se contentam com o fato dos brancos não serem lá essa raça perfeita e terem os seus defeitos também.

Sobre o facebook, concordo plenamente com o que você disse. O facebook é um antro de zumbis e espalha cada vez mais lixo na internet, com gente que só quer parecer o que elas não são, mentindo sobre elas mesmas, com mensagens melosas e idiotas, cheio de testes idiotas como: "descubra seu nível de beleza", "descubra quem você foi na vida passada", "descubra quando você vai morrer", etc.

Infelizmente tenho que usar, pois muitos conhecidos o usam. Até gosto de algumas poucas páginas que zoam a esquerda como a do Bolsonaro Zuero e a Socialista de iPhone e de ver as bizarrices esquerdistas que alguns estudantes da área de humanas e páginas esquerdistas postam, mas houve épocas, como a do Orkut, em que isso era muito melhor.

Ironicamente, ontem um professor de história e agora estudante de direito pró-PT, que postava um monte de coisa pró-esquerda e que era um "amigo" meu desde a infância, me atacou e me bloqueou, pois eu refutava muitas bobeiras que postava em sua página. Mas é praticamente assim no facebook: se você não concorda com os esquerdistas, eles te bloqueiam ou podem até te censurar, inabilitando você de acessar o seu perfil.

Existe também sérias evidências sérias da espionagem por parte do facebook. O facebook direto me pergunta a cidade onde eu nasci, onde eu estudei e trabalho e eu simplesmente não respondo e recomendo aos outros usuários fazerem isso também.

Há quem defenda que um dia o facebook vai acabar, pois tudo que sobe tem que descer e o facebook já subiu até demais querendo monopolizar a internet. Eu duvido que o facebook vai acabar, visto que a humanidade está cada vez mais burra.

Um vídeo interessante (spoiler: conteúdo impróprio para menores de 18 anos e uma mensagem legal no final): "Facebook: O reino do mal"

Michel disse...

nem se preocupe com isso mr x eu sempre que posso digito no google mr x e venho no blog ver as suas novas postagens, nem seguindo o blog eu estava (agora você tem 172) mas a questão do facebook é realmente um caso complicado ja criei um perfil fake para poder comentar sobre assuntos que nao são bem vistos pela maioria em sites feministas racialistas etc..

o que acontece é que eles te deixam atuar durante um tempo, quando você se acostuma com seu perfil caso você seja uma pessoa anonima e esteja falando sobre assuntos politicamente incorretos ou similares sua conta é bloqueada e te pedem suas informações pessoais nome,cpg,rg etc. então aconselho nunca migrar para o facebook caso queira falar sobre assuntos nao muito bem aceitos pela maioria e continuar anonimo eles te forçam a se identificar caso queira continuar...

Matheus Carvalho disse...

MR X, gostei deste post porque eu estou aqui planejando comecar uma campanha de marketing e voce me abriu os olhos. Eu nao tenho facebook e nao quero ter, mas pelo que voce escreveu talvez eu tenha que fazer um.

DD disse...

https://blog.twitter.com/2016/announcing-the-twitter-trust-safety-council

Será o início da censura no Twitter?

Lawrence Ashcroft disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lawrence Ashcroft disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mr X disse...

O Trump, sério? Conheço a Alt-Right, só nao acho ser parte deles.

Nao acho que o mundo esteja acabando.

Meu papel é mais de observador neutro, mesmo.

Mr X disse...

Só esclarecendo alguns comentários do texto:

Não estou precupado com a queda no número de "assinantes", o número de acessos ao blog continuou o mesmo ou até superior, e mesmo assim, mais ou menos leitores não importam - o que importam são os comentaristas, vocês aí.

Sim, peguei certa antipatia ao Facebook e às mídias sociais em geral, mas não sei bem por que. Uso mas raramente posto, mais vejo o que os outros vão colocando. Não sei, talvez seja um erro.

Que mais? Sim, sou um loser imundo.

Abs!

Lawrence Ashcroft disse...

Veja bem: em momento algum disse que vc eh um loser ou coisa do genero. Nao uso ad hominems para discutir ideias. Eu disse que seus textos, tomados como um todo, passam uma visao de mundo derrotada. E eh verdade. Talento e cultura vc tem. Mas vc nao vira o disco e tambem nao vai ao cerne dos problemas, nao sei se por medo de soar odioso, ou por medo de ter problemas legais ao apontar o dedo para os "vibrantes", os judeus, etc.

Na verdade, nao eh so vc que faz isto, ne. O blog Amerika, que mencionei acima e tambem o finado Lawrence Auster e o vivissimo Olavo de Carvalho tambem se especializam neste genero de comentario cultural que eu pessoalmente chamo de CRONICAS LAMENTATIVAS (cujo nome ja diz tudo). Note que este nao eh um cheap shot. Nao estou desqualificando o trabalho de voces. Ha talento, cultura e inteligencia por tras dos textos de voces, mas as limitacoes sao obvias demais para o observador atento e honesto. E sintomaticamente (nao deve ser coincidencia) os quatro tem horror a qualquer coisa que sugira uma adesao a um racialismo branco explicito e os quatro passam assobiando na frente do cemiterio, olhando olhando angelicamente para cima quando o assunto desagua na questao judaica.

Apesar das notas de humor aqui e ali neste genero sombrio de cronica pos moderna, o fato eh que este eh um universo literario nao ficcional asfixiante e sem futuro. Ta, ja entendi: ha uma serie de coisas tenebrosas acontecendo. I GET IT. E agora? Nada? Mas se nao se deve nem pensar em apontar para uma direcao a se tomar no mundo real em face destas discussoes, entao pra que perder tempo discutindo estes problemas? Por que se a ideia eh apenas cultivar um genero literario desvinculado da vida real, entao faz mais sentido esquecer essa coisa toda de blogosfera e ir ler Tolstoy, Dante, etc.

Eu sei que dizer essas coisas nao vao mudar nada - porque ninguem muda. Seu temperamento eh este, pelo visto, entao seu blog vai continuar o mesmo durante o tempo que existir. Mas como aconteceu de eu passar aqui ontem e ver o que vc escreveu, eu deixei um feedback. Que, alias, tambem nao tem importancia no fim das contas.

Sabedor disse...

A brilhante ''raça master'' cujo rosto agora é representado por um completo imbecil chamado Tru(a)mp ou um Bolsoasno....


A maior ilusão da civilização é sobre si mesma.

''revolução social'' a minha bola esquerda...

a única diferença entre o lixo branco e o lixo de outras tonalidades e formatos de nariz é que o branco consegue parecer menos macaco louco...

parece...

só parece.

Lawrence Ashcroft disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mr X disse...

Lawrence,

Sim, ninguém muda, ou muda pouco seu temperamento, e o fato de eu ser pessimista tem pouco a ver com orientação política. Se eu fosse esquerdista provavelmente também estaria me lamentando que a direita está retornando no Brasil, que o Trump vai ganhar, sei lá, qualquer bobagem.

Não tenho intenção de ser militante. Se tive foi só bem lá no começo do blog, quando ainda era neocon, hoje não.

Meu interesse é só dar uma visão pessoal dos fatos sem compromisso com ninguém. Eu poderia ter continuado a ser publicado no MSM, virar colunista da Veja, sei lá - nada disso me interessa, ao menos, não aqui.

Sempre desconfiei de grupos e portanto desconfio desse pessoal da Alt-Right também. Aliás, quer saber? Nem gosto deles. Acho a maioria desse pessoal vulgar, escroto, ridículo.

Sim, isto também é parte de meu temperamento, não gosto de ser parte de nenhum grupo ou "onda", se não já acho que tem algo errado.

Gostava do blog Amerika, kkk. Deve ser sintomático tbm. Mas, não leio muito, é mesmo meio repetitivo. Já a Linda Wood, ex-parceira do Auster, começou a detonar os judeus, não tem lido ela? Acho ela meio chatinha desde que o VFR acabou, mas de vez em quando passo lá.

Eu acho mesmo melhor me dedicar a ler Tolstoy e Dante, é o que estou fazendo mais estes dias.

Na realidade, isso é o que importa, bem mais do que a tolice da política e estes supostos movimentos revolucionários. Que se explodam todos eles!

Bye bye.

Mr X disse...

Mais dentro do tema proposto, um interessante artigo de um iraniano sobre a "facebookização" da rede e a decadência dos blogs:

https://medium.com/@arddhu/a-morte-do-hyperlink-consequ%C3%AAncias-39cb30d7364e#.isysjo67a

Viu, não sou só eu que estou inventando, não.

Sabedor disse...

''Pode deletar este comentario, nao tem problema - tendo em vista o nivel de comentarios como o do boco que escreveu com o pseudonimo de "sabedor" mais acima, nao faz diferenca mesmo. Eu apenas achei importante esclarecer esse ponto. Daqui a alguns meses, quando eu estiver a toa em casa, me embebedando como ontem e hoje, eu entro aqui de novo, just to stir the pot. lol''

O blogueiro do The West Darkest Hour te mandou lembranças!!

AF disse...

Mais um artigo interessante sobre o facebook e que pode servir para o Matheus Carvalho, que está na área de marketing: 'Como o Facebook está destruindo a Internet'

Mr X disse...

Matheus Carvalho disse...
MR X, gostei deste post porque eu estou aqui planejando comecar uma campanha de marketing e voce me abriu os olhos. Eu nao tenho facebook e nao quero ter, mas pelo que voce escreveu talvez eu tenha que fazer um.

Mateus,
Antes de fazer campanha no Facebook (E de pagar eles), veja este artigo do AF e em especial veja o vídeo abaixo. É bem interessante sobre como funciona:

http://www.clubedohardware.com.br/artigos/como-o-facebook-esta-destruindo-a-internet/2925/4

Mr X disse...

Desculpem, é Laura Wood, e não Linda Wood.

Anônimo disse...

Infelizmente, Mr X, a internet simplesmente se tornou mainstream. Bons tempos dos blogs, fóruns, orkut*, de quando o youtube era um site de compartilhamento de vídeos. Hoje, infelizmente, é tudo sobre redes sociais. Facebook e twitter monopolizaram a internet, como você bem disse. E o youtube virou meio de vida pra vagabundo sem talento. Isso sem falar da fiscalização que diversos governos do mundo estão querendo impor online.

Eu também não gosto disso e sinto saudades de quando a net era algo mais undergound, relacionado com nerds e estranhões sociais - uma verdadeira terra sem lei. Mas, convenhamos, era inevitável que a grande massa chegaria e estragaria tudo. Agora só nos restam lembranças dos velhos tempos.

*Eu nunca considerei o Orkut uma rede social. Eu sempre o vi mais como um agregado de fóruns.

direita disse...

Oque diabo tem o Mrx a ver com o olavo ? Mrx esta a anos luz de olavo no que se refere a honestidade intelectual em relaçao ao conservadorismo . Olavo é apenas um figurante pago.