terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

O que vier virá

Se você está preocupado com o destino do mundo ocidental, não perca as esperanças. Sim, eu sei, é difícil, talvez quase impossível. Mas o progressismo e o globalismo não vencerão. E sabem por quê?

Por que existe uma coisa chamada "realidade". E esta, no fim, sempre vence. O progressista pode chiar à vontade, e falar que "gênero não existe", "raça não existe", "fronteiras não existem", "papai e mamãe não existem", e todo o blablablá utopista que quiser. Isso não mudará as coisas. Cedo ou tarde, a conta vem.

O sucesso de candidatos como Trump ou Bolsonaro mostra ainda que os líderes que se tornam mais populares são aqueles que xingam e humilham os esquerdistas. É disso que o povo gosta, é isso que o povo quer. (Nota: nenhum dos dois me convence muito, nem confio que farão tudo o que dizem, mas provavelmente sejam melhores do que a alternativa.)

Podemos dizer então que o progressismo é um tigre de papel. É só uma espécie de vírus político e sociocultural que enfraquece a sociedade. Mas não tem poder por si só. É apenas um período de transição. O futuro não pertence aos Obamas e Trudeaus ou às Merkels, mas aos novos Maomés e Neros, Átilas e Khans, Hitlers e Stalins. Homens que não hesitam em fuzilar a própria mãe se necessário for. O verdadeiro poder sempre foi e sempre será sanguinário. E isto, por bem ou por mal, não vai mudar. 

De certa forma, os falsos conservadores são uma ameaça pior do que os progressistas, pois dão uma falsa esperança de estar do seu lado, quando não estão. Por exemplo, tenho um "amigo" "libertário" que se diz de "direita". Porém, ele vive defendendo o direito dos refugiados irem à Europa. Quer um mundo "sem fronteiras" e com "total liberdade econômica".

Ele ainda não percebeu que já não existe mais "esquerda" versus "direita", mas globalistas versus nacionalistas. 

Nesse sentido, às vezes penso que libertários são quase piores que progressistas (E isso que até que concordo e gosto de vários princípios libertários). Mas no fundo, ao menos os mais extremos, não passam de idealistas ingênuos. Eles participam da mesma mentalidade "tábula rasa" que acredita que todos os seres humanos são exatamente iguais em todo lugar, e que todos podem ser amiguinhos, e também apoiam o globalismo, só que ao contrário dos esquerdistas, não acham que o Estado deve ajudar os desvalidos ou os que perderam no jogo darwiniano. "Fronteiras abertas para todos, mas sem welfare state", é seu lema.

(Porém, eles não têm nada contra as empresas terceirizarem trabalhos na China ou nas Filipinas pagando três centavos por hora e desempregando o povo americano ou europeu.) 

Esqueça. Tudo isso irá acabar um dia. O progressismo está com os dias contados. O libertarianismo também.

O que virá, eu não sei. E tampouco importa tanto. Nada será perfeito, nem necessariamente melhor. Mas tudo muda, e o estado atual mudará também.

Bem, mas eu ia contar uma história positiva, não é?

Era esta: na França, há um tempo atrás, o país estava perdendo uma guerra que já durava décadas. Então uma jovem de 19 anos sem qualquer formação ou conhecimento político teve uma visão, e tanta foi sua obstinação que conseguiu uma audiência com o futuro Rei, e chegou a estar à frente de tropas em batalhas vitoriosas que levantaram a moral do país. A jovem morreu queimada na fogueira (condenada não por bruxaria, como se acredita, mas por heresia e travestismo, em um julgamento manipulado pelos ingleses), mas jamais negou a sua visão nem os seus atos. A França terminou por repelir os invasores anglos e venceu a Guerra dos Cem Anos.

Essa jovem, naturalmente, era Joana d'Arc.

A França, e a Europa, e o Ocidente, só precisam de novas Joanas d'Arc.

Um milhão de Joanas d'Arc marchando em uníssono!

Brincadeirinha, uma ou duas como inspiração e sinal de renovação espiritual servem. Pode ser João d'Arc também.

Quem se candidata?


21 comentários:

Sabedor disse...

''O futuro não pertence aos Obamas e Trudeaus ou às Merkels, mas aos novos Maomés e Neros, Átilas e Khans, Hitlers e Stalins.''

Assim vc me anima.


A anglomerda sempre fazendo ... merda.

Algo que os brancos nacionalistas não querem aceitar e faz parte do ponto cego mais visceral do grupo, é que os judeus tem razão quando os chamam de ''goym''....

é tão simples... o que vc faz quando ''um croação'' se quebra no meio, em duas partes** .... vc une novamente e cola com super bonderr.

O problema é ser teimoso ou orgulhoso e ir até ao fim mesmo tendo alguma noção de que o que acredita não funciona.... dos extremos da ''esquerda'' e da ''direita'', passando pelo meio do espectro....

Outro ponto cego que os BN não querem aceitar é que o branco médio

- não tem capacidade de se adaptar,

- não é tão racialista quanto eles e como eles gostariam que fossem,

- é super conveniente ou materialista, moralmente hipócrita,

- não é unido, nunca foi, faz-me rir, duas guerras fratricidas devastadoras,sem falar em séculos e séculos de conflitos E SEMPRE com base na manipulação das suas amáveis ''elites'',

- se a raça master sucumbe a mentirinhas grosseiras como ''as raças(biológicas) são construções sociais'', então não é tão ''master'' assim como pintam.

- estupido (aliás quem não é** todos, eu mesmo, sou estúpido)

O branco médio é um Homer Simpson, gosta de cerveja, ve revista de mulher pelada, quer levar uma vida materialista, vazia de significado, é um anti-filosofia por natureza, por excelencia.

A realidade é cruel.

.

Fábio Peres disse...

Todo mundo canta em prosa e verso a Revolução Francesa, mas se esquece de Napoleão, que, vindo do povo, uniu todos os franceses em busca de um mesmo ideal, consolidando aquilo que os progressistas e reacionários iniciaram antes (mas não terminaram).

Faltam corsos, no Brasil e no mundo, capazes de indicar o caminho do meio, e dar às suas pátrias um Norte de fato. Aliás, vale lembrar uma coisa: os populares de verdade não estavam nas manifestações, nem em 2013, nem agora - mas quebraram agências no Nordeste por boatos de que o Bolsa-Família ia acabar. BOATOS, não fatos.

Assim é o cidadão comum: quieto, até que lhe pisem no calo.

DD disse...

"I've seen the future, brother - it is murder." - L. Cohen

Ó céus, citei um judeu; vão me trucidar por aqui.

IvoHM disse...

Nos EUA, Donald Trump. No Brasil, Jair Messias (ôpa!) Bolsonaro.

Mr X disse...

Kkkkk eu ia colocar um link para a cancao Joan of Arc do Leinard Cohen mas desisti

Anônimo disse...

Quem se candidata? A usuária Bruna do site stormfront, católica e maluquinha: https://www.stormfront.org/forum/t757854-464/

AF disse...

Sobre essa questão, há uma coisa que me pergunto: se estudarmos a história do mundo e até do Brasil, vemos que até aqui houveram revoltas contra os governos. Houveram revoltas até contra o aumento dos impostos (e olha que eram aumentos muito pequenos se comparados com os de hoje), mas isso aconteceu em épocas bem remotas e que a população curiosamente era bem menor. Por que que agora que a população é muito maior isso não acontece?

Talvez é porque os valores morais da sociedade estão muito em baixo, pois se não estivesse, lixos como Lula, Dilma, Jean Wyllys e Maduro jamais teriam sido eleitos.

Aí vem outro problema: o progressismo pode até acabar, mas se a população não estiver atenta e for inteligente, como em épocas passadas, de que isso vai adiantar? O máximo que vai acontecer é que vários países do mundo vão se transformar em Cubas, Venezuelas e Coréias do Norte da vida.

Nesses países muita gente se pergunta o porquê da população não se revoltar contra governos tão asquerosos, mas a resposta talvez seja o fato do povo não estar com os valores morais "em cima" como em épocas passadas, pois se estivesse, esses lixos desses governos teriam sido mandados para a forca.

Também dificilmente adiantaria surgir Joanas d'Arc nesses países não. Imagina uma Jona d'Arc na Coréia do Norte ou em Cuba? Seriam mandadas para o paredón imediatamente junto com a família. Se todo povo se revoltasse aí sim, mas isso acontecer nesses países certamente é impossível.

Então, como ressuscitar os valores morais da população?

KVRGANIVS NOSTRATORVM disse...

FUZILAR A MÃE BEM TU QUERIAS TER SIDO UM DECIMO DO FILHO QUE HITLER FOI E AMOU A MÃE DELE DE MODO INTENSO DUVIDO QUE STALIN O FEZ AQUELE EXPURGAVA TUDO AO REDOR

KVRGANIVS NOSTRATORVM disse...

ESTOU ME LIXANDO SEI QUE NO FINAL DESTRUIRÃO TUDO BILHÕES DE PORCARIAS MAS QUEM É INCOMPATIVEL COM DETROITS NÃO É E ACABOU NÃO HÁ DE CONCORDAR COM ESSAS ABERRAÇÕES

Mr X disse...

kú-rganius, se aprender a escrever em caixa baixa e usando vírgulas, prometo que publico mais comentários. Hitler amava intensamente a sua mãe? Que bom! Você foi fruto dessa união então???

Anônimo disse...

Se você perguntar ao seu amigo liberotário se apoia o "casamento gay", o feminismo etc.. ele vai pular de alegria, desmunhecar e dizer um grande SIM

Anônimo disse...

Santa Joana D'arc rogai por nós! Rogai pela Europa decadente!

Matheus Carvalho disse...

Uma amostra da Eurabia: Calais, cidade do norte da Franca onde o canal da mancha passa. Imigranes vao em massa pra la para tentar chegar ielgalmente na inglaterra. Link:

https://www.youtube.com/watch?v=7yfuPgMTgEs

AF disse...

"as raças(biológicas) são construções sociais"

O pior é os brancos acreditarem que sexo é construção social por causa desse lixo chamado ideologia de gênero que estão querendo ferrenhamente impor isso às nossas crianças.

Falando nisso, X, você podia fazer um post sobre a ideologia de gênero qualquer hora.

Sabedor disse...

''O pior é os brancos acreditarem que sexo é construção social por causa desse lixo chamado ideologia de gênero que estão querendo ferrenhamente impor isso às nossas crianças.''

Esta teoria também é muito idiota, mas poxa, no caso da ''raça apenas como uma construção social'', está visualmente na cara que não é só isso.

Voce ainda pode discutir sobre ''influencias culturais podem fazer os homens mais femininos'', pode fazer algum sentido, mesmo que muito vago, mas no caso das raças não, e pasmém, uma proporção vergonhosamente significativa de brancos acreditam nesta bobagem e quanto mais para o norte da Europa, maior PARECE ser a proporção de crentes. Isso não faz sentido, pessoas loiras de olhos azuis e pele de pessego é que deveriam se ver de maneira diferenciada enquanto que os mediterraneos que deveriam ser mais propensos a acreditar nisso.

Neste caso, parece que a cultura tem um papel muito importante. Como explicar o gap cultural de gerações** Ok, em países como os EUA, tem o fator etno-demográfico, em que a maior proporção de não-brancos aumenta o apoio a causas liberais (e em sua maioria, anti-brancas), mas eu tenho a impressão de que mesmo entre os brancos também tem havido um aumento de apoio para a esquerda de uns tempos pra cá.

Eu não muito ruim, desde que o fizesse de maneira sábia... mas...

Voce tem a combinação de uma mente projetada para a honestidade e sempre na labuta de evitar contradições (ainda que o faça de maneira mediana ou relativamente medíocre, em média), como a norte-europeia, com uma cultura-armadilha que explora justamente essas tendencias.

Hbds e deterministas genéticos adoram rejeitar o papel da cultura OU estrutura social para a transmissão de técnicas, de comportamento, para o trabalho (cognitivo) e sobre transcendencia existencial (''cultura'' por si mesma, mitologia, música...)

Vivemos em sociedades hierarquicamente construídas onde que nós teremos castas que executarão diferentes funções, uma delas é a classe cultural, que também pode ser religiosa.

A classe cultural determina o que é e o que não é aceitável e transmite as suas decisões e ordens por meio de sistemas tecnológicos ou não de comunicação. Existia uma continuidade transcendental (torpe, porém ''válida'') da cultura judaico-cristã de geração em geração, e igreja e modas de comportamento das mais diversas naturezas, funcionavam como os anciões em sociedades mais antigas, passando todo o ''conhecimento' adquirido por uma tribo para a próxima geração.

A segunda guerra mundial funcionou como uma interrupção abrupta desta transmissão por causa de tudo o que aconteceu e muito mais do que apenas o holocausto, se aconteceu mesmo, da maneira como dizem, mas principalmente pelo trauma geral que se instalou em toda a Europa, com milhões e milhões de mortos, regiões inteiras destruídas. A torneira que transmitia a cultura judaico-cristã, ''europeia', foi e está sendo lentamente fechada...

Concordo que fatores biológicos como a constante exogamia no norte da Europa tem tido um efeito, mas o que mais importa, na minha opinião, é quem está no poder e quais são as suas intenções. A exogamia pode ter produzido uma tendencia que ficou controlada pela mão de ferro da igreja, mas percebam que algo parecido está acontecendo no Japão. A civilização controla o comportamento humano e sem ela, ou sem um conjunto de regulamentos, as pessoas serão jogadas a própria sorte, a própria capacidade de raciocinar. Resultado....

a maioria parece sucumbir aos próprios caprichos, porque a civilização e a criatividade humanas tem tido o papel de sanar a constante assimetria entre a capacidade média humana de raciocínio e a evolução cultural e tecnológica.

Enfim... escrevi demais,kkkk

Sabedor disse...

Nossa, que comentário mal escrito, enfim, é a vida!!!!

=(

direita disse...

Porque a entrada ilegal de bens de consumo é vista como crime contra a economia ,mas entrada de imigrantes ilegais não ? Afinal ,em ambos os casos o governo e a economia -no caso o trabalhador assalariado- perdem? No caso do imigrantes , os unicos que ganham sao os patrões .

Anônimo disse...

Sabedor disse: "Esta teoria também é muito idiota, mas poxa, no caso da ''raça apenas como uma construção social'', está visualmente na cara que não é só isso. "

Ok, mas se está na cara que raça não é construção social, quanto mais os sexos!

Anônimo disse...

"Quem se candidata? A usuária Bruna do site stormfront, católica e maluquinha"

Católica???!!!!

KVRGANIVS NOSTRATORVM disse...

Que bom! Você foi fruto dessa união então???

QUEM DERA EU SER FILHO DO FUHRER COM A EVA BRAUN MAS SERIA MAIS VELHO HOJE TALVEZ NETO BISNETO ERA MAIS COOL

Gerson B disse...

Uma nova Joana ou um novo Charles Martel.