segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Nem esquerda, nem direita, ou: Blog do Mr Y

Algumas pessoas parece que não andam muito satisfeitas com o tom deste blog depois do retorno. Na verdade, eu também não estou muito satisfeito não. Mas o que poderia fazer? É fato que os posts estão escassos e de qualidade mais baixa do que no apogeu do blog, mas é que tenho menos tempo e paciência para dedicar a este espaço. Talvez deva mesmo deixar de escrever, é o que provavelmente farei um dia em breve. Um leitor disse assim:

esse blog já escreveu coisas interessantes. depois se tornou só um instrumento de queixas de quem não pega mulher, além de repercussão de racismo. agora tb é um veículo de propaganda da kgb. sinceramente, mister x, a erva q vc anda fumando aí nos states não é de boa procedência não. pare enqnto teu cérebro ainda consegue produzir asneiras, pq daqui a pouco nem isso vai poder mais


Bem, eu fiz críticas ao feminismo e à versão politicamente correta sobre raças, e é verdade que gosto de me queixar, então talvez isso seja em parte verdadeiro. Mas propaganda da KGB? Talvez o leitor se refira aos posts "a favor" do Putin, que não são a favor, mas apenas talvez menos críticos do que a maioria da mídia, mas, na verdade, na questão da Ucrânia tenho poucas informações para saber se sou contra ou a favor qualquer coisa. Sou contra a uma nova guerra mundial, isso sim, e parece-me que provocar demais os russos pode levar a isso.

Outro leitor disse assim:

Quem está ai, algum fã do Pink Floyd? O que fizeste com o o verdadeiro Mr.X? Veja como é a educação no Japão, giz e quadro negro continuam vigentes, enquanto isso na África e terceiro mundo, tablets e outras novidades, qual é, somos os mesmos de sempre, que conversa midiática é essa?

Bem, na adolescência eu costumava ser fã de Pink Floyd sim, mas isso passou. O post que fiz sobre educação foi, confesso, bem fraco, escrito meio que nas coxas. Na verdade falava de três coisas diferentes, a saber:

1) A memorização como método único de ensino. Aqui, cabe um esclarecimento: "decorar" não é ruim. Muita coisa se aprende mesmo na base da memorização apenas. A crítica que o Feynman fazia, e eu repeti, é que depois de memorizar deveria haver um segundo passo, da reflexão, do raciocínio e do pensamento criativo, e esse segundo passo raramente é seguido no Brasil. Por outro lado, li agora que o brasileiro que ganhou a medalha Fields completou a sua educação no Brasil mesmo, então algo devemos estar fazendo bem (Aliás, o matemático também é mestiço, o que discorda de certas teorias puristas raciais de alguns outros, ahem, leitores)

2) A idéia de que a educação seja por si só a solução para todos os problemas no Brasil. Acho que foi o Theodore Darlymple que falou uma vez que um dos problemas de alguns países seria ter uma população educada além da conta mas sem nada para fazer, pois não há empregos para todos por mais que tenham formação e interesse. Em alguns casos tais universitários sem emprego terminam virando revolucionários ou radicais marxistas. (A bem da verdade, alguns com emprego também).

3) A crítica à escola pública moderna em geral, não só no Brasil. Este talvez seja o ponto mais polêmico e que não foi muito bem elaborado. Porém, eu acho que a escola hoje em dia está mesmo meio superada. Não se trata de uma questão de tecnologia, como sugere o leitor. Ipads e notebooks na sala de aula são só distração, quando não coisa pior, além de um desperdício de dinheiro. Concordo com o leitor que giz, caneta e papel são mais do que suficientes. O que acho, no entanto, é que um garoto inteligente e motivado pode aprender mais por si só em casa do que em uma escola, enquanto que um aluno burro vai sair burro igual. A escola não realiza milagres e, hoje em dia, pode mesmo piorar alguns alunos. Eu tinha lido um texto bem interessante com algumas críticas ao modelo atual de educação, infelizmente perdi o link e não lembro mais o nome do autor, mas acredito que ele era mais a favor de home-schooling e de tutores do que de escola pública.

Fora isso, é verdade que este blog já foi mais tradicionalmente conservador, ou melhor, teve várias encarnações. Primeiro foi basicamente neocon, depois virou paleocon, depois fascinou-se com o mundo HBD e logo decepcionou-se também com eles por achá-los demasiado dogmáticos e até meio estúpidos; hoje, paradoxalmente, o blog está no meio do caminho entre o nada e a coisa nenhuma.

O que aconteceu foi o seguinte: eu acho que hoje não sou nem conservador nem liberal, e isso confunde um pouco as pessoas. Por um lado, tenho algumas ideias certamente mais próximas do conservadorismo, por outro lado, tampouco acho que os liberais estejam completamente errados em tudo, e se tivesse que escolher para morar entre uma cidadezinha conservadora do sul dos EUA e uma meca liberal como Portland, provavelmente escolheria Portland.

Acho que a maioria das pessoas, quando se trata de política, procura um blog com o qual possa concordar completamente (ou discordar completamente). Existem estudos que mostram que, para grande parte das pessoas, talvez a maioria, o pensamento político é mais parecido com a torcida para um time de futebol. É mais paixão e a idéia de fazer parte de um grupo do que ter pensamentos complexos. E, de fato, poucos podem ler ou entender Hobbes e Maquiavel. É mais fácil só fazer parte do time dos "conservadores" ou dos "liberais". Mas é uma falsa dicotomia; a realidade é bem mais complexa do que isso.

Isso tudo, é claro, não quer dizer que eu esteja correto nas minhas preferências e opiniões. E costumo até mudar de ideia frequentemente, e também dizer muita besteira. Enfim, não se preocupem, pois creio mesmo que em breve irei me aposentar, e desta vez definitivamente.



8 comentários:

AF disse...

X, deixa de bobagem. Ninguém agrada a todos.

O que você prefere, que você tenha no seu blog posts com 200 comentários de pessoas brigando entre si sobre quem é mais branco ou que tenha uma média de 10 a 20 comentários de leitores fiéis trocando ideias numa boa?

Não ligue muito para o que um ou outro comentarista fala, pois se formos ligar, a gente nem iria blogar ou até ir em frente na vida.

É normal quando começamos ou recomeçamos um blogue, que ele tenha poucos comentaristas. Busque parcerias em outros blogs também, X. Acrescente também mais blogues no blog roll do seu blogue (um lugar que precisa dar uma atualizada) e consiga mais leitores.

Outra coisa também, não esqueça do que você mesmo disse uma vez que gosta muito de escrever e sobre seu objetivo de blogar:

Esse é também uma das razões para o Blog do Mr X. Registrar a insanidade de nossa era. Quem sabe um dia até esquerdistas, observando a desolação de um mundo em ruínas pensarão, "poxa, não é que ele estava certo"?

Santoculto disse...

Eu continuo fã de Pink Floyd, que o padre não me louça. :)

Eu também tenho me decepcionado com o HBD, vou continuar seguindo, mas parece que quando se cria um grupo, também se inicia o ''macartismo'' para se eliminar as vozes dissidentes. Isso sem falar na arrogância de parte da classe científica.

Eu conheço muitos mestiços inteligentes. Inteligência não é um traço racial, é um traço universal, está presente em todo lugar. A Terra poderia ser entendida como uma entidade sistêmica inteligente, por suportar harmonicamente a vida complexa e a vida simples.

O negócio é que os brancos europeus não foram com tanta sede ao ''pote da domesticação''. Nem todos, os finlandeses por causa de algum tipo de genética similar a dos asiáticos, parecem muito conformistas segundo o relato deste texto.

http://drjamesthompson.blogspot.com.br/2014/08/higher-education-in-finland.html

maisvalia disse...

Você é de gemeos, heheheheh

Anônimo disse...

Eu sempre o acompanhei, e apesar de não-branco sempre achei um certo refinamento em seus artigos, muitos dos quais me fizeram refletir!

Parece mais do que óbvio que não concordei em tudo, e às vezes, me perguntei se algumas de suas opiniões não eram apenas observações da sociedade americana. Ou talvez seja por eu morar no interior, onde negros são adventistas e brancos gostam de funk...

De qualquer forma, hoje, também eu, não me identifico mais como direita/esquerda, liberal/conservador, corinthians/corinthians, e quanto mais observo, mais entendo que nada mudou... no fim, as pessoas só querem paz de espírito e um lugar para chamar de seu. Obrigado por fazer parte da leitura de um velho negro, sozinho em seus últimos dias esperando reencontrar minha amada ao lado do meu primeiro amor - Jesus - onde não mais teremos medo, desavenças, ódio e rancor, apenas uns aos outros. Abraços

Antônio José

Mr X disse...

Antônio José,

Obrigado pelas considerações. Paz de espírito é algo que está faltando no mundo mesmo.

Abs

Anônimo disse...

Gosto muito das suas ideias, há coisas que não concordo, mas gosto muito do blog, Sr. X com relação a educação, acho que este sistema está sucateado, um dos males, na minha opinião o pior é a progressão continuada, sei lá, com relação ao que o blog prega, eu concordo completamente, o cara ruim é premiado, e o cara bom é o eterno injustiçado...

El Misionero Matsuura Junichiro a.k.a. Marcos Freybert disse...

X, não esquece do que eu falei uma vez, ninguém é obrigado a gostar de nós. Então, cara, não pare de blogar.

Direita disse...

esse blog já escreveu coisas interessantes. depois se tornou só um instrumento de queixas de quem não pega mulher, além de repercussão de racismo. agora tb é um veículo de propaganda da kgb. sinceramente, mister x, a erva q vc anda fumando aí nos states não é de boa procedência não. pare enqnto teu cérebro ainda consegue produzir asneiras, pq daqui a pouco nem isso vai poder mais


engraçado que estes tipos que acusam outros de racismo nunca ,ou quase nunca ,defendem sua posição com argumentos. é como se a propria acusão de racismo fosse um argumento em si!