sexta-feira, 6 de maio de 2016

Altruísmo patológico, ou mera burrice?

Saiu um bom artigo, quem diria, logo no site Vox, com uma crítica ao estilo presunçoso dos progressistas, isolados das políticas danosas que dizem defender, e como passaram de ajudar os pobres a prejudicá-los (e em contrapartida a ajudar os bilionários).

Dizem alguns que o progressista (e por extensão, o branco) teria mais empatia com o sofrimento alheio, enquanto o conservador seria mais egoísta.

Já outros dizem que a raça branca é mais "boazinha" do que as outras e terminará por cometer suicídio étnico por dar prioridade aos refugiados e pessoas de outras raças. Até chamam este fenômeno de "altruísmo patológico", veja você.

Já acreditei isso, mas não acredito mais. Não creio que seja bondade ou empatia, ou mesmo "altruísmo patológico".

É patológico, sem dúvida, mas nâo é altruísmo.

Qual empatia os liberais brancos têm com o branco redneck pobre que perdeu seu emprego devido à invasão mexicana ou à terceirização chinesa, com o trabalhador de classe-média infeliz que foi morto pelo criminoso favelado que foi liberado no Natal?

Qual empatia eles têm com os próprios negros se matando entre si no gueto, quando não foram mortos por um policial? E qual empatia eles têm com os policiais? 

Será que é "bondade" mesmo?

Não. É puro cinismo, egoísmo e hipocrisia. 

Sim, em parte é o resultado de manipulação por décadas de uma elite globalista e cruel, mas isso tampouco explica tudo, afinal, raramente as pessoas agem contra seu próprio interesse, ou o que julgam ser seu interesse. Então, qual seria esse interesse?   

Em muitos casos, mera competição doentia para parecer mais "virtuoso", virtude esta sendo definida como apoiar as causas "certas" - casamento gay, apoio aos refugiados, direitos dos transsexuais, etcétera. O não-branco é só um instrumento, uma peça utilizada por alguns brancos para causar inveja/ódio/problemas a outros.

Alguns finlandeses estão deixando suas filhas pré-adolescentes tirarem fotos abraçando refugiados muçulmanos. Alguns até dizem que são suas namoradas, o que é meio bizarro, mesmo considerando a predileção dos muçulmanos por novinhas.

Onde estão os pais, pergunta você? Ora, sorrindo enquanto sua filha senta no colo de um dos simpáticos estrangeiros.

Demência? É possível. Movimentos políticos tendem a atrair pessoas com problemas mentais. Vide a professora esquerdista que defecou em público ou o branquelo nazista que matou velhotas negras em uma igreja.

Ou será simplesmente que os branquelos adoram utilizar as outras raças para sua própria diversão?

Parece ser o caso de muitos liberais mais calminhos, que não chegam a defecar ou cuspir ou atirar nos outros, mas que adoram pavonear sua "bondade" com negros, latinos ilegais e rapefugiados em público - desde que estes não venham morar na sua vizinhança.

Em Londres elegeram um prefeito muçulmano paquistanês. A mídia e as elites celebram, e o progressista celebra também. Mas por quanto tempo irão comemorar? Obama já não agrada aos liberais tanto quanto outrora.

De qualquer forma, duvido que isto dure muito, só que, quando acabar, espere ainda mais lutas entre os próprios brancos, antes de uma expulsão geral. 

Quanto apostam que um dia os alemães e ingleses vão encher o saco de ser "bonzinhos" e vão despejar todos esses imigrantes que acolheram "de braços abertos" nos "desorganizados" sul europeus, ou nos untermenschen do leste europeu?

De fato, vi que a União Européia (leia-se Alemanha e França) já está dando um jeito de obrigar todos os países a "abrigarem sua cota" de rapefugiados... 

Dividir para conquistar. Funciona sempre!

Muitas vezes tinha me perguntado como o branco poderia passar de um extremo a outro, do nazismo ao liberalismo atual.

Mas o fato é que, em alguns aspectos, são dois lados da mesma moeda. O progressismo tem um lado "fascista" também, e, de fato, já naquela velha canção dos Dead Kennedys, "California Über Alles", isso era satirizado.

O branco, se morrer (o que duvido), não vai morrer por ser "bonzinho", vai morrer por ser burro mesmo.

E o branco dança.

20 comentários:

Anônimo disse...

"o branquelo nazista que matou velhotas negras em uma igreja."

Ele não é branco . O pai dele é de origem ilhas do pacifico. É um Pacific Islander .

Anônimo disse...

"Muitas vezes tinha me perguntado como o branco poderia passar de um extremo a outro, do nazismo ao liberalismo atual.
"

Verdade. Veja só quanto extremismo : http://m.liveleak.com/view?i=e74_1462398121&selected_view_mode=mobile

Anônimo disse...

É hipocrisia mesmo. Cheguei a essa mesma conclusão tempos atrás, Mr X.

No fundo no fundo, o mecanismo mental do nazista fanático e do progressista fanático é o mesmo: Demonstrar VALOR e SUPERIORIDADE ao grupo.

Vejam, sou mais valoroso ao grupo do que vocês, permito até que façam SEXO com minha filha, vejam se batem essa! Vejam, estou dando o cu para refugiados, sou definitivamente SUPERIOR a todos!

É o mesmo senso de superioridade nazista falando no fundo da mente deles, apenas com sinal invertido. Antes a superioridade era racial, agora é moral.

Que patético que o homem parece por esse ângulo...

AF disse...

Um relato interessante de um realista racial mexicano acerca dos brancos:

"Eu não consigo entender os brancos. Vejo, repetidamente, estudantes universitários brancos felizes por verem a sua nação e os seus genes desaparecerem. Dizem eles que ficariam muito felizes se não tiverem filhos ou terem filhos com não-brancos.

Quando eu tento falar de raça com os meus colegas brancos de escola ou de trabalho, muitos são totalmente apáticos ou mesmo por vezes hostis. Os negros e os hispânicos são muito mais racialmente conscientes. Eles sabem que a raça existe, e que têm interesses enquanto raça. Os brancos estão inconfortáveis mesmo para falar de raça e tentam mesmo ralhar comigo quando eu digo alguma coisa honesta sobre isso.


Às vezes eu encontro alguém branco que aprecia a minha compreensão sobre interesses brancos, e, mesmo que ele não compreenda inteiramente as implicações da raça, pelo menos não tem vergonha de ser branco. Isto é um bom sinal para os brancos, mas essa gente é rara.

A América não pode sobreviver sem os brancos. Não sobreviverá quando os brancos forem uma minoria. Se persistir algum resto da civilização ocidental no continente norte-americano, o povo branco terá que começar a preocupar-se com o futuro do seu próprio povo. O meu povo não consegue alcançar o que o vosso alcançou em quase dois séculos e meio de existência dos Estados Unidos.

Somente um povo altamente maluco ou endoutrinado entregaria a nação que os seus antepassados construíram aos imigrantes. Eu não acho que vós brancos sois malucos, nem acho que é assim tão fácil fazer-vos uma lavagem cerebral.
"

Esse relato é a mais puríssima verdade sobre o branco, que não entende o assunto de raça e quando quer falar, fica naquelas intermináveis discussões de brancura.

Uma vez falei sobre esse assunto de raças a uma colega branca empresária do interior de São Paulo que 'conhecia' há muito tempo e sempre a achei compreensiva e pra quê? Ela disse que não tem problema com os brancos estarem diminuindo, que os negros agem assim porque foram escravizados, me atacou e por mais que eu tentasse argumentar, mostrando fatos e refutando essas velhas falas esquerdistas, não adiantava. Hoje ela nem conversa comigo direito mais. Depois pude descobrir também que ela votou na Dilma e curte aquela página da Socialista Morena no facebook.

Por outro lado, já tive uma namorada mestiça e com parentes em Israel que foi bem simpática a esse assunto sobre raças.

Esse é um dos defeitos dos brancos que o nacionalista branco não quer, jamais, admitir: pouco ou nenhum orgulho étnico se comparado a negros e asiáticos.

AF disse...

Essas discussões sobre brancura chegam a ser bizarras, além de engraçadas:

Quando um branco erra: ele não é branco, pele branca não é sinônimo de ser branco, ter um pai de origem de ilhas do pacífico ou arcada dentária prognástica como disseram por aí já faz com que a pessoa não seja automaticamente branca.

Quando um negro erra: aí sim, é negro de verdade. Pele negra e cometer crime é sinônimo de ser negro. Eles não são mestiços e mestiçagem não tem nada a ver com isso.

Quando um judeu erra: idem ao negro.

Duplo padrão pior do que os de alguns esquerdista.

Matheus Carvalho disse...

Concordo, é principalmente uma forma de se mostrar bonzinho e superior.

Sabedor disse...

A metáfora da nova roupa rei endereçada à"arte moderna" e também a vários outros pontos podrecistas, gente pedante a intelectual tentando se passar por um. Sem generalizar, não é todo esquerdista que é assim.

Os brancos médios tendem a ser bem ignorantes. A mídia chama criminosos ciganos de "romenos"...e num é que a maioria dos espanhóis, italianos e mesmo britânicos caem direitinho???

O sueco é dos mais diferenciados em comparação aos negros africanos e mesmo assim um monte deles pensa que raça é"uma construção social"????????

Construção social é por exemplo, modo de se vestir, tipo de música. Tipo as modas dos anos 80.

Isso é construção social.olhos azuis e pele clara é uma construção biológica que pode ser descrita como um BIO produto de uma construção social: O padrão nórdico de beleza e de qualidade.

O europeu médio parece que mal sabe diferenciar um judeu de um branco. E americano e seus primos anglos a mesma coisa.

Fraquezas do homem branco são enormes. Eu estou seco pra pegar aquele vídeo de um professor judeu que diz para os seus alunos que o homem branco é extremamente tolo. Mister x, pode me enviar se encontra-lo.

Sabedor disse...

https://www.youtube.com/watch?v=reZ4na9tc5Y

tem de dizer o ÓBVIO pro branco mérdio mongoloide... pffff


o branco é ingenuu

o branco é bonzinho dimais

''o branco'' é altruísta patolóchico


NOPE

é burro mesmo


na parte tecnológica e das artes,

muitos gênios caucásicos

mas na parte que deveria importar, vir primeiro,

..........

não sabe sair do quadrado

não sabe pensar em múltiplas perspectivas e a partir daí ser objetivo, ponderado e eficiente

Anônimo disse...

Assistam esse vídeo tem tudo haver com o que foi dito pelo mrx e nos comentários.

O jogo da opressão.

pt-br.facebook.com/embaixadaresistencia/videos/1581989452117334/?fref=nf

Anônimo disse...

AF e Sabedor ,o homem branco foi ensinado a pensar assim . a escalada atraves das instituiçoes esta em seu auge.

Anônimo disse...

AF , Aqui o pai do maluco que matou 9 crentes : http://dailyentertainmentnews.com/wpgo/wp-content/uploads/2015/06/Dylann-roof-father-Franklin-Bennett-Roof-300x300.jpg

Até cabelo crespo tem .É de raça Pacific Islander.

Sabedor disse...

FOI ENSINADO


burro

cadê a reflexão* o pensamento crítico analítico**

Sabedor disse...

O pai dele parece branco, cabelo crespo** onde viu isso*

Fábio Peres disse...

Mas espera um pouco aí ... esse branco, a quem vocês se referem, é a elite branca do centro das grandes cidades, que só convive com a parte cosmopolita das civilizações, ou é o pobre das periferias e dos pequenos vilarejos, que pouco sabe do mundo "viajado" de seus pares?

No mais, vamos por partes: no caso dos EUA, penso eu que quando os brancos americanos forem minoria - e já estão sendo - serão os descendentes dos latinos, aliados aos "red necks" e aos mestiços, que vão virar o jogo. Eles não foram para a terra das oportunidades para ver a pátria que adotaram como sua virar uma m... pior do que o lugar de onde vieram, e é o que vai acontecer se esse excesso de bondades continuar, em ritmo acelerado.

Por sua vez, a Europa não é um continente único, muito menos os seus habitantes. O alemão progressista, com traumas do nazismo, receber com alegria os refugiados enquanto os seus pares ficam possessos por ter que pagar 500 euros para cada um deles; o inglês muçulmano que assumiu a prefeitura de Londres depois de várias experiências como um administrador leigo (ou seja, a religião ali foi deixada de lado, se fosse um ateu daria no mesmo).

Suecos e dinamarqueses tiraram o seu da reta para garantir que sua prosperidade seja restrita ao clube dos nórdicos; e o Leste europeu quer compensações, pois, afinal de contas, eles são os ferrados dessa história toda. Enquanto isso, Portugal implora por refugiados, e não os consegue, pois quem vai querer ficar na periferia do mundo quando o legal é ir para as sedes coloniais de outrora?

Quanto ao Brasil ... bom, eu confio no meu povo e nas táticas de integração amalucada que cinco séculos de colonização impuseram a nós. As elites brasileiras sempre foram conhecidas por ficar com muita vergonha de não viver em um país civilizado - mas se esquecem de que o mesmo povo brucutu que não aceita facilmente "modinhas" também é aquele que integra à força qualquer cultura que aqui chega (sim, porque a única discriminação visível para muitos é daquele que resolve "afirmar-se" além da conta - como os Testemunhas de Jeová).

Eu acredito nos nossos sacanas. Isso, de fato, é que nos salva do completo fracasso.

direita disse...

http://newobserveronline.com/famous-refugees-back-iraq/#comment-682628


"Refugiados" celebridades icones da propaganda invasora ,não contentes com a vida na Alemanha , voltam para o Iraque - país em que se diziam perseguidos.

White Naionalist disse...

Pois é, o branco mediano é patético e está pouco se lixando se sua raça irá desaparecer. Conversando com vários brancos, eles sempre me dizem que não se importa se sua raça irá desaparecer e ainda dizem que o multiculturalismo é necessário para a globalização(sim, claro, o pais precisa perder sua identidade étnica/cultural a fim de fazer parte do mundo globalizado).

Sem contar a cara feia que fazem quando eu digo que só me relaciono com brancas, lol.

Parece que essa gente não sabe que a maioria dos brancos se relacionam com pessoas de sua raça.

Quando o anti-racista é cristão eu(sendo ateu)digo que o Deus deles não gostaria de ver uma de suas criações(a raça branca) ser destruída. Só que mesmo assim não entra na cabeça deles e continuam no se mundinho politicamente correto.

O hilário é que se você disser que devemos preservar determinada espécie animal ou ajudar as crianças famintas na África, elas terão uma resposta totalmente diferente e te verão como um exemplo de ser humano.


CENSURADO AGAIN disse...

Anônimo Anônimo disse...

"o branquelo nazista que matou velhotas negras em uma igreja."

Ele não é branco . O pai dele é de origem ilhas do pacifico. É um Pacific Islander .

7 de maio de 2016 02:19

SE ATÉ O MESTIÇO ZIMMERMAN É PURO ARYA PRA FAZER OS ALOGENOS DE COITADINHOS ENQUANTO OMITEM A PROPORÇÃO REAL E OS CRIMES ALOGENOS NA LONGITUDE ALHEIA

CENSURADO AGAIN disse...

Demonstrar VALOR e SUPERIORIDADE ao grupo.

KK OS ISLAMICOS OS GULAGS NENHUM FAZ ISSO HEHE

CENSURADO AGAIN disse...

Blogger AF disse...

Essas discussões sobre brancura chegam a ser bizarras, além de engraçadas:

Quando um branco erra: ele não é branco, pele branca não é sinônimo de ser branco, ter um pai de origem de ilhas do pacífico ou arcada dentária prognástica como disseram por aí já faz com que a pessoa não seja automaticamente branca.

Quando um negro erra: aí sim, é negro de verdade. Pele negra e cometer crime é sinônimo de ser negro. Eles não são mestiços e mestiçagem não tem nada a ver com isso.

Quando um judeu erra: idem ao negro.

Duplo padrão pior do que os de alguns esquerdista.

7 de maio de 2016 19:16

NÃO IDIOTA SÃO OS PADRÕES RACIAIS QUALQUER IMBECIL NOTA É SÓ FAZER TESTES AUTOSSOMICOS

CENSURADO AGAIN disse...

Anônimo Matheus Carvalho disse...

Concordo, é principalmente uma forma de se mostrar bonzinho e superior.

7 de maio de 2016 19:39

QUEM A NATO GENOCIDA?