sexta-feira, 27 de maio de 2016

A cultura do estupro e o estupro da cultura

Como todos sabem, uma garota de 16 anos parece ter sofrido um estupro coletivo no Rio de Janeiro por mais de trinta homens, levando a inúmeras discussōes na mídia.

Enquanto o fato em si é lamentável, valem algumas consideraçōes.

Concordo com a ideia geral de que "a culpa nunca é da vítima", porém o que muitas mulheres parecem não entender é a questão do risco provável.

Se eu sou um branco rico e vou a uma favela todo vestido com jóias e diamantes, é mais provável que eu seja assaltado do que se eu ficar em meu bairro tranquilo, ou se eu sair utilizando roupas modestas sem ostentação. Da mesma forma, usar roupas provocantes não causa estupro, mas acende o desejo sexual de homens -- nem todos eles com um bom controle de impulsos.

Esta jovem, a confirmar-se tudo o que se lê nas notícias: a) teve um filho aos 13 anos, portanto é provável que sua precocidade sexual seja ainda maior; b) costumava ir a bailes funks; c) tinha relações de amizade com funkeiros e traficantes. d) aparentemente namorava um traficante. Culpa dela? Não. Situações de risco? Pode apostar. Ou seria esta pobre garota apenas mais uma inocente vítima da "cultura do estupro" e do "patriarcalismo"?

Outra coisa que me parece importante ressaltar é que o estupro coletivo parece ser algo realizado principalmente por negros, latinos e muçulmanos. Calma, não digo que brancos não estuprem, mas o gênero do estupro coletivo parece ser uma coisa mais típica dos grupos supracitados. O branquelo gosta é de pedofilia, zoofilia e sexo gay, e quando parte para o sexo grupal é mais na linha hippie paz e amor, ainda que naturalmente existam exceções. Mas não colocarei minha mão no fogo por eles -- é bastante possível que grupos de brancos "proles" também se dediquem a esta tarefa.

As evidências, porém, apontam mais para outros grupos. Aqui temos um caso de uma jovem americana de 16 anos (aparentemente branca ou talvez latina, mas não há fotos) que fez sexo voluntário com 25 homens no banheiro da escola, na Flórida. A maioria dos praticantes do "gang bang" foram negros, jogadores do time de futebol da escola.

Em este outro caso, tanto a vítima quanto os praticantes eram latinos na Mexifórnia.

Já nos casos de Colônia e em Rotterham na Inglaterra, os estupradores eram muçulmanos, e as feministas pouco falaram.

Parece claro que negros, latinos e árabes são raças/culturas mais sexuais (no caso dos árabes, coberto por um patriarcalismo exagerado, que reverte na sua liberação apenas com as "putas ocidentais" e não com as muçulmanas), e isso revela-se não apenas no seu comportamento como na sua cultura.

Carnaval em Veneza

Carnaval no Brasil


Carnaval na Arábia Saudita
Tudo isto é irrelevante, é claro. Estupro coletivo é um ato bárbaro e deve ser sumariamente punido, seja quem for que o praticou.

O que incomoda é ouvir falar sobre essa tal "cultura do estupro" segundo a qual todo homem seria um estuprador em potencial. Bem, eu não sei você, mas eu nunca estuprei ninguém.

Mais do que falar em "cultura do estupro", acho que poderíamos falar sobre a existência de um "estupro da cultura". 

Por exemplo, o funk é um lixo pornográfico que estimula o estupro e a sexualidade desenfreada e deveria ser proibido, ao invés de popularizado. Idem o rap que glorifica a violência, e outros gêneros "musicais" duvidosos.

Aqui não acho que devamos culpar os negros necessariamente. Funk e rap foram promovidos desde cima, e ainda hoje há a tentativa de popularizar esses gêneros entre os brancos, ainda que, creio eu, não tenha dado muito certo.

(Nos anos 80 e 90 rap e hip-hop eram populares entre os brancos, porém hoje em dia parece-me que essa moda passou, e brancos preferem bandas alternativas de rock formadas por nerds branquelos. Porém parece que os árabes na Europa gostam muito de rap).

O funk e o rap, entre outros fenômenos da dita modernidade (Miley Cyrus e Justin Bieber, falo de vocês) são um verdadeiro estupro da cultura, e no fim das contas responsáveis por milhares de mortes, seja pelo estímulo ao sexo promíscuo e conseqüentes doenças, seja pelo estímulo ao uso de drogas, seja pelo estímulo à violência, seja simplesmente pela desagregação social e cultural que geraram -- em especial, entre a comunidade mais pobre. 

A decadência é universal. Quem nasceu para Rio de Janeiro jamais chegará a Veneza, mas dizem que até o Rio já foi (nos anos 20-30) uma bela cidade, enquanto hoje até Veneza está virando um cenário mais desolador.

É preciso, mais do que tudo, impedir este constante estupro coletivo cultural.

É preciso deter as hordas dos bárbaros, antes que seja tarde.

É preciso um novo Renascimento.

Grafitti de Boticelli, famoso pornógrafo e funkeiro italiano.

23 comentários:

Anônimo disse...

Teve estupro nenhum. Ela era namoradinha de traficante. Entrei no perfil dela, tem fotos de pose com armas. Em conversa por wpp já mostraram que ela quis dar para vários ao mesmo tempo, como um desafio. No twitter ela fazia referencia a drogas. Provavelmente tava doida de drogas, deu pra 5 e depois chamou mais.

Mr X disse...

Sobre a Suécia e quem anda estuprando por lá:
http://pt.gatestoneinstitute.org/5336/suecia-estupros

Aumento dos estupros no Brasil nos últimos 15 anos:
http://minutoprodutivo.com/sociedade/culpa-feminismo-no-estupro-coletivo-da-jovem-no-rio-de-janeiro

Sabedor disse...

As mulheres realmente feministas, tal como as velha ordem deveriam cortar totalmente qualquer relação com essas prostitutas que se passam de "justiceiras sociais" e fazem um estrago naquilo que nao deveria ser desacreditado, a luta da mulher por um mínimo de dignidade.

AF disse...

Uma cantora branquela esquerdista falou que todo homem é um estuprador e nada aconteceu... imagina se ela tivesse falado mal dos negros?

Se bem que ao dizer isso ela e muitas outras feministas esquerdistas que colocaram fotos idiotas no face contra a "cultura do estupro" estão se referindo aos homens negros também e portanto, sendo racistas, mas é claro que eles nem pensam nesses detalhes.

Quanto as feministas, elas tanto criticam isso, mas ao mesmo tempo defendem direitos humanos bandidos, são contra a redução da maioridade penal, a favor das drogas e criticam projetos de leis, como o do Bolsonaro, que punem como deveria um estuprador.

CENSURADO AGAIN disse...

FALSO DAS RAÇAS DECAIDAS OS MUSLOS SÃO OS UNICOS QUE TENTARAM SE MANTER LONGE DA SELVA DAI POR QUE TEM UMA MORAL SOLIDA COMPARADA COM LATRINOS E NEGROS

CENSURADO AGAIN disse...

Teve estupro nenhum. Ela era namoradinha de traficante. Entrei no perfil dela, tem fotos de pose com armas. Em conversa por wpp já mostraram que ela quis dar para vários ao mesmo tempo, como um desafio. No twitter ela fazia referencia a drogas. Provavelmente tava doida de drogas, deu pra 5 e depois chamou mais.

TIPICO DA ZONA POS CAFE A SUIÇA SUL AMERICANA HEHE

CENSURADO AGAIN disse...

Blogger Mr X disse...

Sobre a Suécia e quem anda estuprando por lá:
http://pt.gatestoneinstitute.org/5336/suecia-estupros

Aumento dos estupros no Brasil nos últimos 15 anos:
http://minutoprodutivo.com/sociedade/culpa-feminismo-no-estupro-coletivo-da-jovem-no-rio-de-janeiro

28 de maio de 2016 10:35

POIS FALTA AUTOSSOMIA

CENSURADO AGAIN disse...

INCLUSIVE DAS QUE SE VESTEM SEMI NUAS

CENSURADO AGAIN disse...

Anônimo Sabedor disse...

As mulheres realmente feministas, tal como as velha ordem deveriam cortar totalmente qualquer relação com essas prostitutas que se passam de "justiceiras sociais" e fazem um estrago naquilo que nao deveria ser desacreditado, a luta da mulher por um mínimo de dignidade.

28 de maio de 2016 11:31

MULHER HONESTA MORREU COM AS GERAÇÕES VELHAS

Jônatas Ramalho disse...

Sou negro ( ou 'mestiço' dependendo de quem julga) e concordo com muitas das tuas ideias Mr X. Acho fácil admitir que negróides são culturalmente mais sexualizados que caucasianos, mas acho que isso se dilui no Brasil, a "cultura da bunda", a meu ver, parece influenciar a maoria. Particularmente, sou absurdista, neoagnóstico e profundamente descrente na humanidade. Revolução cultural, revolução moral, seja o que for que se apresente como solução, certamente trará novas e imprevisíveis consequências. Enquanto houver homens haverão problemas irracionais provocados por seres humanos. Por favor, não deixe de escrever. Seu blog é uma gota de autenticidade em meio a um mar de mediocridade. Eu discordo de algumas ideias tuas, mas isso é normal. Como me disse um intelectual outro dia; o mérito não está na causa em si, mas na postura da pessoa que a defende. Creio ser o seu caso.

Paz.

Mr X disse...

Não posso garantir que as fotos sejam verídicas, mas acredito que seja isto ao que o comentarista anônimo se referiu:

https://www.facebook.com/facanacaveira.org/photos/pcb.272784613069571/272784563069576/?type=3&theater

Tem aquele ditado, não é? Durma com cães, acorde com pulgas.

Mr X disse...

"mas acho que isso se dilui no Brasil, a "cultura da bunda", a meu ver, parece influenciar a maoria"

Sim, eu acho que tem razão. Isso permeia toda a cultura brasileira, e cada dia fica pior. E a "intelectualidade" celebra:

https://www.agambiarra.com/caetano-veloso-funk-axe-sertanejo/

Sabedor disse...

Suíça sul americana é o Uruguai

Sabedor disse...

Acho que mulher honesta honesta mesmo nunca existiu kkkkkk

Piada tola

Sabedor disse...

Nossa. Então era pra eu ter pulga até na próstata. O lado podre do primitivismo conservador é criar uma linha imaginária altamente arbitrária de pode e não pode.

Jônatas Ramalho disse...

Eu não sou daqueles que acreditam que artista é intelectual. Intelectual, para mim, é o cara que passou a vida estudando o assunto e desenvolvendo sua maneira de pensar. Caetano é, no máximo, um homem culto. Mas acho que ele é coerente com as próprias premissas. Veja: todo o projeto musical dele, desde a tropicália, envolve alguma tentativa de afirmação identitária. Ele vê as expressões populares como uma afirmação da identidade nacional, por isso as defende. Eu tendo a crer que ele tem razão sobre essas expressões refletirem algo da identidade do povo. Em algum sentido profundo, a produção cultural tupiniquim denota um estado de bárbaros macaqueando civilidade, coisa que é muito bem expressa pela cultura popular. Mas Caetano- como quase todo esquerdista - parece fazer vista grossa ao fato de como isso é um empecilho ao progresso.

Aqui a reação de dois gringos assistindo alguns programas famosos entre os brasileiros : https://www.youtube.com/watch?v=iAeIt1sxI8A

Aqui o resultado da cultura do funk :https://www.youtube.com/watch?v=fnDTMFk6BDU ( se
burrice não é empecilho ao progresso, eu não sei o que é)

Mr X disse...

"O lado podre do primitivismo conservador é criar uma linha imaginária altamente arbitrária de pode e não pode."

A questão não é pode ou não pode, a questão são os ambientes onde a pessoa se mete.

Esta menina passava seu tempo com funkeiros e traficantes, poderia esperar o que dessa ralé? Sendo que ela provavelmente era ralé também.

Da mesma forma, se você freqüenta certos ambientes e certas pessoas, bem, é possível que cedo ou tarde algo de ruim possa acontecer também com você.

Por isso o ditado, "dormir com cães, acordar com pulgas". Nada contra cães, ao contrário. Acho que no Brasil falam em porcos. Deite com porcos, acorde na lama?

Sabedor disse...

Meu problema com o regulador de literalidades, desculpe. 😂

CENSURADO AGAIN disse...

Sou negro ( ou 'mestiço' dependendo de quem julga)

NA FOTO VC NÃO PARECE NEGRO MAS NO MERDIL PELO QUE JA VI TEM NEGRO QUE DIZ QUE É BRANCO MESTIÇO QUE DIZ QUE É NEGRO BRANCO QUE DIZ QUE É MESTIÇO É UM CAOS ESSE ESGOTO

CENSURADO AGAIN disse...

29 de maio de 2016 11:56

ESSAS GURIAS VIVEM SEMI NUAS EM BAILES PORNOGRAFICOS ISSO É QUESTÃO DE OCCAM NÃO DE SER CUCK ODEIO CUCKS MAS NÃO POSSO NEGAR QUE ALGUEM QUE VAI SEMI NUA NESSES LUGARES FREQUENTADOS POR ESSAS RAÇAS PRIMITIVAS COMO BAILES EM ZONAS INFESTADAS DE ALOGENOS DESDE O PRIMEIRO CENSO SABE QUE VAI SER ESTUPRADA POR QUE É SÓ VER RUSHTON OS INDICES AQUELA QUE FOI CHAMADA AO PALCO E O VOCALISTA FEZ UMA NOJEIRA COM ELA DO LADO DO DANÇARINO QUE PARECIA QUE A MENINA IA SER SUFOCADA ALI NO PALCO AO VIVO TA LA NO YT

Jônatas Ramalho disse...

Eu não levo muito a sérios classificações raciais.Sou miscigenado como a maioria dos brasileiros. Tenho ascendência negróide, caucasóide, ameríndia e, talvez, judia. Mas sei que se eu for nos U.S.A ou na Europa eles vão me chamar de "black man". No Brasil, dependendo do lugar, vão me considerar mestiço ou negro. Pessoalmente, desde que me deixem em paz, estou pouco me lixando : meus critérios pessoais de identificação sociológica e racial tem mais a ver com áreas do conhecimento e perfil intelectual do que com atavismos hereditários. Antes dessa encheção de saco de "orgulho preto" e "orgulho branco" o Brasil era mais divertido. Aliás, tinha algo que nenhum outro país no mundo tinha : uma convivência relativamente harmônica entre raças diversas.

Obs (postei, equivocamente, na conta do meu sogro)
Peço ao Mr x, se não for abusar de sua boa vontade, que apague minha postagem equívoca, para menores efeitos de minha lerdeza monumental. Desde já agradeço.

Paz

White Nationalist disse...

Não existe convivência pacifica entre as raças no Brasil. O que acontece é que no Brasil os interesses dos brancos nunca foram levados a sério. Nos E.U.A a segregação, "one drop rule", KKK, etc, foi responsável pela maior consciência racial dos americanos.

Brasil não é exemplo de nada. É uma merda de país e as suas melhores partes são, como esperado, as de maioria branca: São Paulo e Sul.

Falo por maioria em relação ao resto do pais.

direita disse...

"Já nos casos de Colônia e em Rotterham na Inglaterra, os estupradores eram muçulmanos, e as feministas pouco falaram."


Todos autores eram de origem paquistanesa -bebiam ,se drogavam etc . definitivamente nao eram religiosos ,tais como as vitimas- todas garotas brancas britânicas .

foi racialmente motivado ,como os proprios autores declararam.